sábado, 17 de janeiro de 2009

"Eu me sentia rejeitado!"

Jayme Monjardim (foto),diretor de cinema e televisão, filho de uma das mais famosas cantoras e compositoras da música popular brasileira, exibe os louros de uma minisérie que alcançou grande sucesso nesta semana.Ele e sua mãe, Maysa, tiveram um relacionamento conturbado e se reconciliaram em 1975, dois anos antes da morte da cantora. No fim dos anos 70, ele ingressou no mundo artístico. Alcançou sucessos de audiência como Pantanal, na extinta Rede Manchete, e O Clone, na Rede Globo. Na sua estreia no cinema com o filme Olga,teve um sucesso prestigiado por mais de 3 milhões de espectadores.
A Revista Veja desta semana traz uma entrevista com o diretor.Abaixo parte da entrevista realizada na própria casa do diretor:
Pergunta:Depois da morte de seu pai, sua mãe o deixou num internato na Espanha. O senhor ficou lá dos 7 aos 17 anos. Qual foi o peso dessa experiência?
Resposta:Em quase dez anos, minha mãe nunca me visitou e me mandou apenas duas cartas. Nas vezes em que saí do colégio para encontrá-la, fui incorporado à equipe que a acompanhava em seus shows. Fiquei noites intermináveis sentado em banquinhos, esperando o fim de uma apresentação. Ou então trancado num quarto de hotel. Lembro de dizerem: "Fechem a porta para o Jayminho não fugir". Foi um período terrível, de muita angústia.
Pergunta:O senhor chegou a odiar sua mãe?
Resposta:Ódio é uma palavra forte demais. Houve um período na infância em que o sentimento dominante foi de rejeição.Eu me perguntava cotidianamente o que havia feito de errado para ser esquecido tão longe, num colégio interno em outro país. Depois veio a revolta. A gota d’água se deu em 1970, quando voltei ao Brasil – e ela não foi me buscar no aeroporto. Fui para a casa dela e tivemos uma briga homérica. Tempos depois, fui morar em São Paulo com os meus tios. Nosso afastamento parecia irremediável. Mas então, cerca de dois anos antes de sua morte, fui visitá-la em sua casa em Maricá, no litoral do Rio de Janeiro, e criamos um novo laço.
Pergunta:Há um momento da infância que o senhor relembre com carinho?
Resposta:A melhor lembrança que tenho é de quando ela cantava para mim. Eu estava ali, sentado na coxia de um teatro, e de repente minha mãe saía do palco e cantava A Noite do Meu Bem olhando para mim. Ela me encarava de tal maneira que eu ficava numa confusão de sentimentos. Muito emocionado – a tal ponto que, às vezes, chegava a sentir medo.
Pergunta:É verdade que sua iniciação sexual ocorreu com a ajuda de sua mãe?
Resposta:A escola em que estudei era extremamente rigorosa. Era simpática ao ditador espanhol Franco e os professores nos batiam por qualquer motivo. Nesse ambiente repressor, era difícil até olhar para uma mulher. Para dar uma ideia da situação, nós íamos à loucura ao ver os joelhos das meninas que arrumavam nossos quartos e limpavam nossos sapatos antes da hora de dormir. Então, aos 13 anos, eu fiz uma das minhas visitas ao Brasil. Numa conversa, minha mãe me perguntou se eu já tinha tido alguma espécie de contato com uma mulher. Eu disse que não. Ela então me disse: "Tenho uma amiga que quer te levar para passear, conhecer os lugares bonitos do Rio". Saí com essa mulher e aconteceu. Não foi uma relação profissional. E também não foi uma atitude constrangedora por parte de minha mãe. Foi uma das boas coisas que ela fez por mim.
Pergunta:Sua mãe foi uma transgressora?
Resposta:Sim.E essa foi uma das características de sua história que me motivaram a fazer a minissérie. Maysa foi transgressora porque ousou viver com prazer e sofreu profundamente. Muitas pessoas sonham em ser como ela, mas lhes falta coragem para isso. Minha mãe falava o que pensava, nunca teve meias palavras e foi intensa em todos os sentidos. Isso é raro. Todo mundo se esconde atrás de uma máscara. Maysa, não. Nunca teve vergonha de assumir o que era e sabia que despertava nas pessoas à sua volta uma sensação de preocupação e medo.
Leia mais em:http://veja.abril.com.br/

Ela, sim, é um fenômeno

Eleita pela terceira vez a melhor do mundo, a jogadora Marta será estrela da nova liga americana
Com este título, a revista Veja desta semana, traz uma reportagem com a jogadora alagoana Marta. Segundo a revista, até recentemente, o único jogador de futebol brasileiro a ser eleito três vezes o melhor do mundo pela Fifa era Ronaldo Nazário. Além dele, apenas o francês Zinedine Zidane e a alemã Birgit Prinz haviam sido agraciados tantas vezes com o prêmio mais importante do futebol. Na semana passada, foi a vez da jogadora Marta Vieira da Silva passar a integrar essa elite – e com uma imensa vantagem sobre seus companheiros de glória: enquanto todos eles já passaram dos 30 anos e se preparam para pendurar as chuteiras (ou já penduraram, no caso de Zidane), para ela, o jogo apenas começou.Aos 22 anos, a meia-atacante já atingiu a incrível marca de 191 gols em 189 jogos. Para ser chamada de "Fenômena" bastaria que a palavra existisse.
"A Marta tem a habilidade do Ronaldinho Gaúcho, o domínio de bola do Kaká e a velocidade de Cristiano Ronaldo. Além disso, dribla como o Robinho e tem faro de gol como o Ronaldo", diz Renê Simões, ex-técnico da seleção brasileira feminina, hoje no Fluminense.
Com tantas qualidades assim, poderia a nossa alagoana de Dois Riachos jogar ombro a ombro, e profissionalmente, com um time masculino? Pergunta a Revista.
"Aí também não", responde o fisiologista Turibio Leite de Barros, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). "Em todos os quesitos físicos, as jogadoras de futebol apresentam uma performance entre 10% e 30% inferior à dos atletas masculinos", afirma. "Isso se deve, principalmente, ao fato de os homens apresentarem um nível mais alto de testosterona, que, entre outras coisas, define o volume de massa muscular." Marta, no entanto, extrapola a média feminina em diversos aspectos, a começar pela velocidade em campo. Segundo Barros, a velocidade média de uma jogadora de futebol é 10% menor que a dos homens. No caso de Marta, um teste feito em 2007 pelo clube sueco Umea IK, onde ela jogava até o fim do ano passado, mostrou que essa porcentagem é de apenas 6,5%.
Leia mais em:http://veja.abril.com.br/

Ganhamos um terrorista


Lendo um belo artigo do Jornalista Ruy Fabiano, no Blog do Noblat, recordei a luta travada, até hoje, por Michael Biggs, outrora integrante da Banda Balão Mágico, que tanto sucesso fez no País.
Ruy, em boa hora, nos lembra que o pai de Michael – Ronald Biggs – famoso assaltante ao trem pagador da Escócia, conseguiu permanecer asilado no Brasil, graças ao fato de ter um filho brasileiro.
O Governo Brasileiro asilou Biggs por muitos anos, que aqui viveu e curtiu todas as baladas, daquela época, no Rio antigo.
Somente, enganado, com uma falsa promessa de perdão das autoridades inglesas, Biggs se arriscou a ir à Inglaterra e lá permanece preso, aos 80 anos de idade, já que fora condenado a prisão perpétua e lá, na Inglaterra, não se conhece o instituto da prescrição de crimes.
Ruy faz um paralelo e diz, de forma inteligentemente irônica, que se lá tivesse um Tarso Genro, talvez Biggs estivesse solto já que seu filho, brasileiro, invoca a condição de preso político no afã de sensibilizar os órgãos de direitos humanos ingleses.
Não conseguirá, por certo. Mas o fato é que, esta semana, Tarso Genro, em nome da República Federativa do Brasil, contrariando todos os pareceres técnicos dos órgãos governamentais competentes, concedeu asilo a outro criminoso, de conhecida e comprovada periculosidade, também condenado a prisão perpétua, desta feita, na Itália.
Trata-se de Cesare Battisti. Um terrorista frio e cruel que ao permanecer em território brasileiro nada acrescentará a cultura e a sociedade brasileira, senão repulsa e o constrangimento de conviver com alguém que de forma torpe, cometeu, no mínimo, dois assassinatos, em nome de uma causa insólita.
Interessante é que algum tempo atrás, Tarso não titubeou quando, num ato no mínimo, estranho, entregou “de bandeja” ao governo do ditador Fidel Castro, dois inocentes campeões de box, de renome, que tentavam se asilar no Brasil, fugindo de uma ditadura que os sufocava e reprimia.
Na calada da noite, digamos assim, e se utilizando de um avião do amigo Hugo Chaves, “devolveu” à ditadura cubana, dois inocentes atletas que buscavam, apenas, asilo político, reconhecimento profissional e paz em território brasileiro e, devolvidos, foram encarcerados, junto com seus sonhos de liberdade.
Ruy Fabiano afirma, com uma racionalidade impecável: “Além de semear a perplexidade em seu redor-ele, que paradoxalmente, quer rever a Lei de Anistia para condenar crimes contra a humanidade- gerou um conflito diplomático absolutamente desnecessário com a Itália. Conflito constrangedor, pois não há razões morais e jurídicas a respaldar a decisão brasileira.”
Quanto aos boxeadores cubanos, diz Ruy: Para que defendê-los? Eles eram atletas- e ao Brasil só interessam bandidos e terroristas, como Biggs e Battisti, embalados por seus defensores numa aura romântica de heróis contemporâneos. Desistam italianos: O terrorista é nosso!"

Caso Cesare Battisti - No modo empírico

DORA KRAMER

O presidente Luiz Inácio da Silva já deu a resposta às autoridades italianas que manifestaram intenção de pedir a ele que reveja a extradição de Cesare Battisti: é não.
Segundo ele, trata-se de uma questão de soberania nacional. Lula pede respeito à decisão do ministro da Justiça, Tarso Genro, em mais uma demonstração da sua (de ambos) capacidade de escrever errado por linhas tortas.
A soberania do Estado brasileiro não esteve em destaque quando os pugilistas cubanos Guillermo Rigondeaux e Erislandy Lara deixaram a comitiva do Panamericano, no ano passado, em busca de asilo.
Ali se despacharam os esportistas para atender de pronto à ditadura amiga, desconsideraram-se as óbvias circunstâncias e montou-se uma ficção - com a gentil colaboração da miopia nacional - segundo a qual os atletas estavam desorientados, mas loucos para voltar a Havana. Onde os aguardavam as respectivas famílias, reféns do regime, e a interrupção das carreiras a título de punição exemplar.
Aqui, no caso do italiano, simplesmente se ignoraram as posições de instância consultiva do próprio Ministério da Justiça (o Conselho Nacional de Refugiados), do procurador-geral da República, do Itamaraty e se houve por bem interferir no processo judicial italiano.
O presidente da República põe a autonomia do Estado brasileiro na roda por causa de uma questão de cunho ideológico. Pede respeito à decisão de Tarso Genro, mas desrespeita as posições do procurador, do Conare e do Ministério das Relações Exteriores, quando menospreza o contraditório e diz que o ato foi uma "decisão do País".
Leia o texto completo em:O Estado de São Paulo

Porque hoje é Sábado...

O DIA A CRIAÇÃO

Vinicius de Morais

Hoje é sábado, amanhã é domingo
A vida vem em ondas, como o mar
Os bondes andam em cima dos trilhos
E Nosso Senhor Jesus Cristo morreu na cruz para nos salvar.

Hoje é sábado, amanhã é domingo
Não há nada como o tempo para passar
Foi muita bondade de Nosso Senhor Jesus Cristo
Mas por via das dúvidas livrai-nos meu Deus de todo mal.

Hoje é sábado, amanhã é domingo
Amanhã não gosta de ver ninguém bem
Hoje é que é o dia do presente
O dia é sábado.

Impossível fugir a essa dura realidade
Neste momento todos os bares estão repletos de homens vazios
Todos os namorados estão de mãos entrelaçadas
Todos os maridos estão funcionando regularmente
Todas as mulheres estão atentas
Porque hoje é sábado.

Neste momento há um casamento
Porque hoje é sábado
Hoje há um divórcio e um violamento
Porque hoje é sábado
Há um rico que se mata
Porque hoje é sábado
Há um incesto e uma regata
Porque hoje é sábado
Há um espetáculo de gala
Porque hoje é sábado
Há uma mulher que apanha e cala
Porque hoje é sábado
Há um renovar-se de esperanças
Porque hoje é sábado
Há uma profunda discordância
Porque hoje é sábado
Há um sedutor que tomba morto
Porque hoje é sábado
Há um grande espírito-de-porco
Porque hoje é sábado
Há uma mulher que vira homem
Porque hoje é sábado
Há criançinhas que não comem
Porque hoje é sábado
Há um piquenique de políticos
Porque hoje é sábado
Há um grande acréscimo de sífilis
Porque hoje é sábado
Há um ariano e uma mulata
Porque hoje é sábado
Há uma tensão inusitada
Porque hoje é sábado
Há adolescências seminuas
Porque hoje é sábado
Há um vampiro pelas ruas
Porque hoje é sábado
Há um grande aumento no consumo
Porque hoje é sábado
Há um noivo louco de ciúmes
Porque hoje é sábado
Há um garden-party na cadeia
Porque hoje é sábado
Há uma impassível lua cheia
Porque hoje é sábado
Há damas de todas as classes
Porque hoje é sábado
Umas difíceis, outras fáceis
Porque hoje é sábado
Há um beber e um dar sem conta
Porque hoje é sábado
Há uma infeliz que vai de tonta
Porque hoje é sábado
Há um padre passeando à paisana
Porque hoje é sábado
Há um frenesi de dar banana
Porque hoje é sábado
Há a sensação angustiante
Porque hoje é sábado
De uma mulher dentro de um homem
Porque hoje é sábado
Há uma comemoração fantástica
Porque hoje é sábado
Da primeira cirurgia plástica
Porque hoje é sábado
E dando os trâmites por findos
Porque hoje é sábado
Há a perspectiva do domingo
Porque hoje é sábado

Por todas essas razões deverias ter sido riscado do Livro das Origens,
ó Sexto Dia da Criação.
De fato, depois da Ouverture do Fiat e da divisão de luzes e trevas
E depois, da separação das águas, e depois, da fecundação da terra
E depois, da gênese dos peixes e das aves e dos animais da terra
Melhor fora que o Senhor das Esferas tivesse descansado.
Na verdade, o homem não era necessário
Nem tu, mulher, ser vegetal, dona do abismo, que queres como
as plantas, imovelmente e nunca saciada
Tu que carregas no meio de ti o vórtice supremo da paixão.
Mal procedeu o Senhor em não descansar durante os dois últimos dias
Trinta séculos lutou a humanidade pela semana inglesa
Descansasse o Senhor e simplesmente não existiríamos
Seríamos talvez pólos infinitamente pequenos de partículas cósmicas
em queda invisível na terra.
Não viveríamos da degola dos animais e da asfixia dos peixes
Não seríamos paridos em dor nem suaríamos o pão nosso de cada dia
Não sofreríamos males de amor nem desejaríamos a mulher do próximo
Não teríamos escola, serviço militar, casamento civil,
imposto sobre a renda e missa de sétimo dia.
Seria a indizível beleza e harmonia do plano verde das terras e das
águas em núpcias
A paz e o poder maior das plantas e dos astros em colóquio
A pureza maior do instinto dos peixes, das aves e dos animais em cópula.
Ao revés, precisamos ser lógicos, freqüentemente dogmáticos
Precisamos encarar o problema das colocações morais e estéticas
Ser sociais, cultivar hábitos, rir sem vontade e até praticar amor sem vontade
Tudo isso porque o Senhor cismou em não descansar no Sexto Dia e sim no Sétimo
E para não ficar com as vastas mãos abanando
Resolveu fazer o homem à sua imagem e semelhança
Possivelmente, isto é, muito provavelmente
Porque era sábado.

Vinícius de Morais nasceu no Rio de Janeiro RJ em 19 de outubro de 1913, formado em direito, foi diplomata, jornalista( crítico de cinema), poeta e letrista.

Uma razão para ser blogueiro

Seu Manoel Firmino é uma daquelas figuras que nos impõe admiração pela postura à moda antiga, e pela sutil gentileza comum às pessoas respeitosas.
Traz em seu curriculum-vitae uma vida de trabalho e sacrifícios, ostentando o diploma do Grupo Modelo, antiga escola pública nos idos dos anos quarenta, cuja característica era oferecer um ensino básico de excelente qualidade, o que o poder público não mais nos oferece.
Foi com este diploma que, na década de cinqüenta, seu Manoel foi nomeado no Cargo de Guarda-fios, do antigo Departamento dos Correios e Telégrafos.
Conheço-o desde os anos setenta quando seu filho mais jovem, hoje Funcionário da Petrobrás, serviu o exército comigo em Alagoas.
Falante, mas respeitoso, com concepções próprias no limite de sua bagagem cultural, seu Manoel me ofereceu, nesta semana, uma rara oportunidade de ouvir a verdade, justo num momento que eu mais precisava, mas não o sabia.
Encontramo-nos no centro da cidade, ele vindo da Casal – onde fora apresentar uma reclamação sobre sua fatura de consumo - e eu, ao sair do prédio do antigo Produban, onde hoje funciona a Diretoria de Fiscalização da Sefaz.
Perguntou-me se ainda estava trabalhando, o que respondi, de pronto, que estava em processo de aposentadoria.
Disse-me que aposentar-se na minha idade é bom, mas ele , aos “setenta e tantos” preenchia o seu tempo passeando pelo comércio e revendo amigos, ainda vivos, acrescentou.
Nosso diálogo foi curto, porém proveitoso. Em um dos momentos ele me indagou:
-O que pensa em fazer aposentado? Vai advogar?
Disse-lhe que sim, mas que já estava buscando uma atividade que me ocupava e que me satisfazia: Estava com um blog na internet.
-Brógui? Que é isso? Perguntou.
-É uma espécie de jornal que a gente faz no computador. A gente escreve o que quer e ainda pode publicar fotos, reportagens, artigos, de nossa autoria ou de terceiros, desde que seja citada a fonte.
- Que bom! Exclamou. Tai uma coisa boa! Pelo menos você vai escrever sem receber ordens de ninguém!
-É verdade! Concordei.
-Olhe! Você pensa que Jornalista ou Radialista diz o que quer? Eles só dizem ou escrevem aquilo que os patrões querem! E você deve saber: Os patrões mandam falar bem ou mal. Depende do que recebem. Em dinheiro ou em favores.
Fiquei pasmo diante da afirmativa daquele senhor. Mesmo sabendo que há homens independentes na imprensa do país, me senti feliz em saber, que mesmo não sendo jornalista, eu poderia escrever, no meu blog, com independência e responsabilidade.
Ri e me despedi de seu Manoel, desejando-lhe um ano de paz e saúde.
Ele olhou-me nos olhos e disse:
-É o que precisamos, filho!
Esbocei um sorriso e segui adiante. Seu Manoel tinha me proporcionado mais uma razão, além do hobby, de ocupar este espaço.

BLOG SOLIDARIEDADE

Na foto,criança com cinco anos após cirurgia reparadora
Projeto AMPLA
A AMPLA está buscando 125 crianças que tenham seqüelas como:lábio-leporino e fenda palatina para realizar, gratuitamente, a cirurgia de reparação.
Se você conhece alguém que tenha alguma dessas deficiencias,por favor, informe o telefone da Ampla
(21) 2562-2822
Ou o site
http://www.operacaosorriso.org.br
Colaborem na divulgação dessa rara atitude de solidariedade empresarial.

Embratel lança a primeira linha fixa, livre de assinatura

BLOG SERVIÇO
Circula pela Internet que a Embratel poderá estar lançando o primeiro produto em parceria com a Vésper, após a aquisição da empresa há cerca de um mês.
Trata-se do Livre Fixo- uma linha fixa residencial- sem assinatura básica , que custa ao consumidor somente valor das ligações.
O objetivo é livrar os clientes residenciais do custo da assinatura mensal, além de ser uma alternativa competitiva às concessionárias de telefonia local. O Livre estará disponível a partir dos 17 estados cobertos pela Vésper (SP,RJ,ES, MG,RS e todo o Norte e Nordeste do país).
O novo produto da Embratel inclui serviços especiais como secretária eletrônica, identificador de chamadas, chamada em espera e instalação rápida, sem custos extras. Caso o usuário opte pelo pagamento em débito automático, ganha também 'conferência a três' e 'siga-me'.
Inicialmente, deverão ser comercializados aparelhos das marcas LG (modelos SP110, LEI 1000 e LP 1000) e Nokia, que já podem ser encontrados em redes de varejo (Extra, Eletro, Casas Bahia, Casa & Vídeo, Ponto Frio, Magazine Luiza, Lojas Maia e Yamada, por exemplo).
Com o Livre Fixo, a Embratel entra definitivamente na telefonia fixa residencial, através de uma alternativa simples e barata, uma vez que a economia com o novo produto pode chegar a 60% em relação aos planos tradicionais de telefonia fixa , nos quais o cliente é obrigado a pagar a assinatura mensal. A tecnologia utilizada é a CDMA (Code Division Multiple Access), que permite o uso de aparelhos sem fio com recursos de última geração e com alcance restrito à área da residência onde estão instalados.
Ainda, segundo informações na rede da NET o custo da ligação deverá ser de R$ 0,07 p/ minuto enquanto o menor custo de ligação em celular é de R$ 0,67 p/ minuto.
Maiores detalhes:http://www.livretelefoniaembratel.com.br/

Procurador-geral de Justiça, em Alagoas, anuncia que vai impetrar recurso no STF

O procurador-geral de Justiça, em Alagoas, Promotor de Justiça Eduardo Tavares, declarou que o Ministério Público vai entrar com um agravo regimental no Supremo Tribunal Federal, para recorrer da decisão do ministro presidente Gilmar Mendes, que determinou o retorno dos Deputados à Assembléia Legislativa de Alagoas.
Segundo Tavares, juntamente com os promotores da Fazenda Pública Estadual e os promotores do Grupo Estadual de Combate ao Crime Organizado, estão reunidos para estudar medidas cabíveis contra a decisão do Supremo Tribunal Federal que determinou o retorno dos Deputados Estaduais réus no processo que apura o desvio de verba da Casa Legislativa Estadual em cerca de 280 milhões de reais.
O procurador-geral de Justiça ainda revelou que poderá se dirigir a Brasília objetivando o contato pessoal com membros do STF, afirmando,ainda,que recebera os autos da operação Taturana e que vai estudar se há novos elementos para entrar com uma ação por improbidade administrativa ou se pode entrar com uma nova ação pedindo o afastamento dos deputados.

Juíza determina prisão de oficiais da PM acusados de abuso sexual

A juíza da 9ª Vara Criminal de Teresina,Estado do Piauí, Valdênia Moura Marques de Sá, decretou as prisões de seis oficiais da Polícia Militar daquele Estado, acusados por abuso sexual e maus tratos contra aspirantes a oficial.
Os capitães Jairo Henrique de Melo Castelo Branco Vieira, Rildo da Silva Aguiar e Francisco Jairo de Oliveira Mendes foram condenados a detenção de 7 meses contra por ato libidinoso.
Carlos Henrique Teixeira da Silva e Danilo Palhano de Alcântara a detenção de 6 meses por ato libidinoso e 2 meses por maus-tratos contra as aspirantes a oficial na época, e Marcos Vinícios Araújo Sales a detenção de 2 meses por maus-tratos.
Os crimes teriam ocorrido em 2003.Em sua sentença, prolatada após vários recursos, a a juíza Valdênia Moura Marques cita a descrição dos abusos e maus-tratos num relato minucioso.
Segundo a juíza, as vítimas relataram que além do abuso sexual, oficiais foram obrigados a comer "restos de comidas" e a colocarem a mão no interior do copo para ser picado por um escorpião. Ela revela que alunos eram obrigados a cantar a "canção do soldado" durante horas, a dormir no relento na beira de BR e carregar pesados troncos de madeira.
Fonte:http://oglobo.globo.com/

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Cantadas nem sempre dão certo com loiras

(homem) - Oi gata… Qual é seu telefone?
(LOIRA) - Nokia. E o seu?
(homem) - Uau! Isso aqui é uma calçada ou uma passarela de moda?
(LOIRA) - Hum, agora você me pegou… É que eu não sou daqui. Então não sei te informar…
(homem) - Eu não tiro o olho de você!
(LOIRA) - Ainda bem, né? Senão eu fico cega!
(homem) - Nossa! Eu não sabia que boneca andava!
(LOIRA) - Sério? Nossa, você tá por for a, hein? Já tem até Barbie que anda de Bicicleta!
(homem) - Que curvas, hein!
(LOIRA) - Nem me fala… Eu bati o carro 7 vezes pra chegar nessa festa!
(homem) - Esse seu vestido vai ficar lindo jogado no chão do meu quarto!
(LOIRA) - Quer comprar um igual pra fazer um tapete? Eu te indico a loja…
(homem) - Meu coração disparou quando eu te vi!
(LOIRA) - Socorro! Alguém ajude! O moço está tendo um ataque cardíaco!
(homem) - Quer beber alguma coisa?
(LOIRA) -Ai, que bom que você apareceu, garçom!
(homem) - Me dá seu telefone, vai!
(LOIRA) - Socorro ! Um assaltante….

Charge de Ricardo Borges


http://oglobo.globo.com/pais/noblat/

ELTON JOHN E OS ADVÉRBIOS DO MUNDO NOVO



Um pequeno ensaio sobre o velho Elton John e os advérbios do mundo novo

Reinaldo Azevedo

Vou falar um pouco de Elton John além de Elton John. É que não sou especialista em rock ou, mais amplamente, em música. Não sou especialista em nada. Uma vez perguntaram a Umberto Eco com que personagem de O Nome da Rosa ele mais se identificava. Ele deu uma resposta excelente: “Com os advérbios”. O advérbio é a palavra da modulação, do tom, do modo. Não chega a ser, como diria aquele, nem sujeito nem objeto substanciais. Um idiota da objetividade poderia indagar qual é o fato contido num advérbio e concluir, então, que advérbios são desnecessários. Não sou Eco, mas acho que as palavras de apoio é que distinguem a civilização da barbárie. Nos substantivos factuais, todos querem o bem da humanidade. Mas de que modo pretendem alcançá-lo? Calma, leitor amigo. Falarei de Elton John, eu juro.
O advérbio é importante para o pensamento. A grande questão proposta por Maquiavel é essencialmente adverbial: os fins realmente justificam os meios? Tio Rei acha que não. Tio Rei, nesse sentido, é um tanto antimaquiavélico e acredita que os meios qualificam os fins. Reparem que há uma diferença radical de princípio. Se o fim for, por exemplo, o bem da humanidade, pouco importa como se chegue lá? Edmund Wilson lembrou em ensaio que Marx vivia falando na “humanidade”. Se alguém indagasse ao cara o que ele pretendia, não teria dúvida: a nossa libertação. Stálin não era diferente. Até Tarso Genro, redigindo aquela estrovenga que flerta com o terror e se colocando como corte revisora da Justiça italiana, deve acreditar que produz luzes. O propósito de todo homem — quase ninguém realiza o seu — acaba tendo menos importância do que o que se vai construindo na trajetória para alcançá-lo.
E o leitor, então, pode saltar da nossa esfera de aparente subjetividade adverbial para os fatos: o que Marx, Stálin ou Tarso Genro produziram na trajetória? Lembrem-se sempre, leitores, de indagar quais são os meios, os modos. Os propósitos dos radicais palestinos são justos, certo? Afinal, merecem ter a sua terra, não? Mas e os meios? O fim os justifica, ou os meios estão qualificando os fins? Questões, questões, questões...Se alguém me pedisse para escolher — não sei por que alguém pediria tal coisa, mas lá vai... — os dois melhores versos da poesia moderna, seriam estes, de Auden (1907-1973):
“And the crack in the tea-cup opens
A lane to the land of the dead"
“A fenda na xícara de chá/ abre uma vereda para a terra dos mortos”.
Num dos textos que fiz para VEJA, registrei: “Comentando esses mesmos versos num texto da década de 70, o jornalista Paulo Francis (1930-1997) observou que a xícara de chá representava a velha ordem do Império Britânico e de suas classes dominantes. Trincada a xícara (um mundo, então, que desaparecia), abriu-se caminho para as tragédias das duas grandes guerras."
A grande poesia, entre outras exigências, concentra o máximo possível no mínimo possível. O modo, na poesia, é fundamental! Eis aí.
Nesta madrugada, de volta do show de Elton John, observei que ele é de um tempo em que “havia alguma esperança de que a fenda na xícara de chá não abrisse uma vereda rumo à terra dos mortos”. E deixei para mais tarde — agora — algum esclarecimento. Ou mais complicações, é bem provável.
Vindo lá do século passado, do século das duas grandes guerras, o roqueiro que já está com um pé na lenda encarna as ilusões daquilo que as esquerdas denunciavam, então, ser a “indústria cultural”. Era um papo furadíssimo esse, mas elas estavam ali, a pregar, como é mesmo?, “resistência” e a falar em nome da cultura dos “países periféricos”. Elton John ou qualquer outro da “indústria cultural” seriam parte do “lixo ocidental”. A apologia da marginalidade tinha lá seu espaço e até chegou a ser tragada, “como mercadoria”, pela... indústria cultural!!! A despeito da gritaria dos apocalípticos, havia as “ilusões” de Elton e dos integrados.
E o que elas diziam? No mundo que havia vencido duas guerras, eles apostavam, tivessem ou não consciência disso, nos dramas individuais ou numa rebeldia bem-comportada, com o seu quezinho de afronta ao sistema, mas que tinha clareza de que só poderia existir contando com o regime de liberdades que aquela rebeldia contestava em busca de mais liberdade. Ontem, enquanto Elton cantava, um painel exibia algumas imagens que, vejam só, eram ditas “psicodélicas” (Deus meu!!!) nesse tempo que já foi. Durante “Bennie and de jets”, por exemplo, imagens quase (sic) digitalizadas de “jovens muito loucos, cara...” eram exibidas. Durante “Sorry seems to be the hardest word” (tá, eu confesso, eu adoro essa música, e a Barbara Gancia também... Pronto: dedurei), painel apagado, foco no cantor e no piano, dores de amores... As únicas que de fato importam.
Cessa aqui este pequeno ensaio sobre advérbios de modo.
*Roubei a foto que ilustra este texto do blog da Barbara Gancia, que dá detalhes do show.
***Leia o texto completo em http://veja.abril.com.br/blogs/reinaldo/

EUA e Israel assinam acordo contra tráfico de armas para Gaza


A ministra das Relações Exteriores de Israel, Tzipi Livni, e a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, assinaram nesta sexta-feira um acordo que prevê a adoção de uma série de medidas para garantir o fim do contrabando de armas na fronteira da Faixa de Gaza com o Egito.
O objetivo da iniciativa de Israel e Estados Unidos é evitar que o grupo militante palestino Hamas continue a adquirir armas e munições o que pode proporcionar ao grupo terrorista, manter a ofensiva quando do cessar fogo, cuja negociação está em curso.
No documento, assinado em Washington no último dia de Rice no cargo, fica estabelecido a cooperação em inteligência e logística entre os dois países para cortar o envio de armas para Gaza.
Nem todos os detalhes,do documento foram revelados.Estima-se que dele consta a
necessidade de medidas de cooperação internacional e regional para evitar que armas também cheguem a Gaza por via marítima.
O fim do contrabando de armas em Gaza é uma das maiores demandas de Israel para colocar um fim na ofensiva na região, que já dura 20 dias.
"Para que um cessar-fogo em Gaza seja factível, deve haver um fim no contrabando de armas", disse a ministra israelense na cerimônia de assinatura. "É por isso que o memorando de entendimento assinado hoje é tão importante, pois é um componente vital para o fim das hostilidades.”
"Mesmo depois que a ofensiva terminar, nós nos reservamos o direito de nos defendermos contra atividades terroristas em Gaza, incluindo o contrabando de armas", acrescentou Livni. "Isso agora pode ser prevenido pela comunidade internacional pelos termos deste memorando."
Fonte:bbcbrasil.com

Viagem de Amorim ao Oriente Médio foi um fracasso

O chanceler brasileiro, Celso Amorim, retornará de uma viagem ao Oriente Médio aparentemente sem conseguir atingir seu objetivo principal, que era incluir o Brasil no seleto grupo de países que vêm trabalhando no processo de paz entre Israel e o grupo islâmico palestino Hamas.
O resultado, no entanto, não deve ser visto como uma derrota da diplomacia brasileira. Pelo menos essa é a interpretação de especialistas em Relações Internacionais ouvidos pela BBC Brasil.
“Considerar a viagem uma derrota é um exagero. Desde o início era sabido que as chances de o Brasil influenciar o processo eram definitivamente muito pequenas”, diz Andrew Hurrel, professor-visitante do Centro de Estudos Brasileiros, da Universidade de Oxford.
Segundo Hurrel, a viagem ao Oriente Médio, no momento em que a região é foco da comunidade internacional,faz parte da política externa do governo Lula de estar presente nas principais discussões mundiais.
“Existem diversas formas de se ganhar prestígio no cenário internacional. Uma delas é de que sua contribuição seja reconhecida por outros países. Não necessariamente por meio de um resultado efetivo”, diz Andrew Hurrel,
Em quatro dias, o ministro Amorim, gastando o dinheiro do sagrado imposto pago pelos brasileiros, teve encontros desnecessários com autoridades locais na Síria, Israel, Cisjordânia, Jordânia e Egito. A pedido do presidente Lula, Amorim colocou o Brasil à disposição para "participar das negociações". Lula também sugeriu uma"conferência" para discutir a paz na região, tão logo o conflito chegue ao fim.
A iniciativa brasileira foi criticada por alguns ex-membros da diplomacia nacional. Entre eles está o ex-ministro das Relações Exteriores, Luiz Felipe Lampreia. Segundo ele, a viagem de Amorim ao Oriente Médio “beira o ridículo”, em função de sua pouca influência na região.

Ban Ki-moon pede cessar-fogo unilateral de Israel em Gaza

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, pediu, nesta sexta-feira, que Israel declare um cessar-fogo unilateral na Faixa de Gaza.
Ban Ki-moon,atendendo aos interesses da liga árabe,logo após se reunir com o primeiro-ministro da Autoridade Palestina, Salam Fayyad, em Ramallah, na Cisjordânia, e também depois de notícias de que negociações no Cairo estariam emperradas, fez apelo para que Israel, em ação unilateral, procedesse com o cessar fogo em Gaza.
Mark Regev, representante do Governo de Israel, disse à BBC que espera que o conflito na Faixa de Gaza esteja entrando em seu "ato final"."Os esforços diplomáticos estão a toda força... nós queremos que tudo isso acabe assim que possível", afirmou Regev.
Ele voltou a insistir, no entanto, que Israel precisa ter certeza de que o grupo palestino Hamas não vai voltar a disparar foguetes após um cessar-fogo. "No minuto em que estivermos certos de que a solução não será apenas um 'band-aid', que haverá uma paz sustentável, vamos fazer a nossa parte", disse.
Temos observado que a ONU, explícitamente agindo de acordo com os interesses dos países árabes, insiste que Israel pare de atacar e se submeta às agressões do terroristas do Hamas e Hizbollah, de forma passiva.
A dependência do petróleo árabe da maioria dos países europeus, atualmente em pleno inverno, faz com que França - um país com tradição adesista. haja vista a adesão rápida ao nazismo - e outros países com assento na ONU, se situem num posicionamento
pró árabe, mesmo sabendo de que a prática terrorista é abominada no mundo inteiro.
Parte da imprensa mundial, notadamente a imprensa dos países dependentes do petróleo árabe e a liga árabe, tem divulgado fatos contra Israel, numa demonstração inequívoca de que há interesses econômicos por trás de todo embróglio no oriente médio.
Provavelmente, ainda nesta sexta-feira, o principal negociador israelense, Amos Gilad, volta a se reunir com mediadores egípcios no Cairo, e a ministra do Exterior, Tzipi Livni, se encontra com a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, em Washington.
Enquanto isso, um dos principais líderes do Hamas, Khaled Meshaal, participa de um encontro da Liga Árabe em Doha, no Catar.Como vemos, sempre a liga árabe, mantendo e comandando as ações do Hamas.
Há informações de que o Hamas estaria oferecendo uma trégua de um ano se Israel se retirar da Faixa de Gaza e suspender o bloqueio ao território, mas Israel quer um compromisso de trégua permanente e o direito de patrulhar sua própria fronteira.
O Exército de Israel permanece suas ações em Gaza além de também fechar todos os acessos à Cisjordânia até às 24h de sábado (hora local, 20h em Brasília), depois que membros do Hamas fizeram um apelo para que todos os palestinos aderissem ao que chamou de "Dia da Ira".
Até agora, as notícias oriundas de Gaza e difundidas pela imprensa internacional, são elaboradas e fornecidas por "agências de notícias" do Hamas.

Vejam, nos liks abaixo, do que são capazes os terroristas defendidos pela ONU:
http://www.youtube.com/watch?v=cxMfJupzlek
http://www.youtube.com/watch?v=7_OGhj43GAE&NR=1

Piada de final de semana!

Apresenta-se no palco um homem com um crocodilo.
Depois de agradecer os aplausos, o homem pega num cassetete, dá uma leve pancada na cabeça do crocodilo e este abre a boca.
O homem abre a calça, ajoelha-se e coloca o pênis na boca do crocodilo.
Começam a rufar os tambores e o público faz silêncio total.
O homem então dá segunda cacetada na cabeça do crocodilo.
Este começa a fechar a boca lentamente.
- Uaaahhh!!! - Ouve-se a platéia.
O crocodilo, quando está quase a fechar a boca totalmente, pára!!!
Na platéia o silêncio é geral. Apenas se ouve o rufar dos tambores.
O homem dá uma terceira paulada na cabeça do crocodilo e este abre totalmente a boca.
O público explode em aplausos e a orquestra começa a tocar.
O homem põe-se de pé, fecha a calça, e num tom desafiador pergunta aos espectadores:
- Alguém é capaz de fazer isto???
Aí, responde uma LOIRA da platéia:
- Eu faço!!! Só não gosto que me batam na cabeça.
http://www.recebiporemail.com.br/

Lula despreza habitação,saneamento e urbanismo

O governo Lula fechou o ano de 2008 gastando apenas 9% dos recursos destinados à Moradia, apesar do déficit habitacional no Brasil ser hoje de 7,2 milhões de residências. O Orçamento da União disponibilizou para o governo, em 2008, R$ 1 bilhão e 269 milhões para serem investidos em habitação popular, mas apenas R$ 115,7 milhões foram gastos.
Em 2008, o governo Lula usou apenas 23,7% do dinheiro reservado no Orçamento da União (R$ 1 bilhão e 988 milhões) para Saneamento.
Urbanismo é outro primo pobre do governo Lula, que, dos R$ 6,05 bilhões disponíveis no Orçamento da União em 2008, gastou só 17%.

Hamas não quer o fim da guerra



Hamas diz que não aceita condições israelenses para trégua em Gaza
Israel questiona duração do cessar-fogo e questão das fronteiras.
Hamas quer trégua de 1 ano, com saída das tropas e fim do bloqueio.


O movimento islâmico Hamas anunciou nesta sexta-feira (16) que não vai aceitar as condições impostas por Israel para o cessar-fogo na Faixa de Gaza. O movimento disse que vai continuar com a resistência armada aos ataques israelenses.A informação é de Khaled Meshaal, principal líder do Hamas.
"Apesar de toda a destruição em Gaza, não aceitamos as condições de israel para um cessar-fogo, já que a resistência em Gaza não foi derrotada", disse.
O líder exilado falou durante a abertura de uma reunião de emergência sobre Gaza em Doha. Ele pediu aos líderes árabes presentes que rompam seus laços com o Estado de Israel.
O presidente da Síria, Bashar al-Assad. disse que a iniciativa árabe de paz com Israel está "morta" e conclamou os países arabes a cortar todos os laços com Israel, inclusive fechando embaixadas.
O governo israelense disse nesta sexta que recusa algumas das condições impostas pelo Hamas para o estabelecimento de um cessar-fogo, incluindo sua duração e o problema das passagens de fronteira, disseram fontes israelenses e ocidentais.
As fontes israelenses e ocidentais, que falaram sob condição de anonimato, disseram que Israel se opôs ao estabelecimento de um limite para a duração do cessar-fogo. O cessar fogo, para Israel, deveria ser um compromisso do Hamas e do povo árabe em não mais iniciar confrontos na região e manter o "cinturão de segurança" de Israel na fronteira.
O movimento palestino Hamas propôs um cessar-fogo de apenas um ano com Israel, em troca da retirada das tropas israelenses da Faixa de Gaza em no máximo cinco dias e da suspensão imediata do bloqueio imposto ao território.
Para Israel, uma trégua por tempo limitado servirá, apenas, para recuperar a estrutura do Hamas e seu reabastecimento de armas e munições com o objetivo de promoverem, no futuro, novos ataques ao povo Judeu.

Irmão da governadora acusado de abuso sexual a menor

Carepa: ela ri de quê?
João Carlos de Vasconcelos Carepa, 50, irmão da governadora do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), agora é acusado de cometer abuso sexual contra V., adolescente de apenas 13 anos de idade, afilhada da mulher do acusado. A menina esteve na polícia com a mãe para formalizar a denúncia contra Carepa. É o segundo escândalo de pedofilia envolvendo celebridades paraenses. Esta coluna revelou a existência de investigação envolvendo o deputado estadual Luiz Augusto Sefer (DEM) em outro caso de pedofilia. O caso envolvendo João Carlos de Vasconcelos Carepa consta da ocorrência nº 0043/2008.000328-3, na polícial estadual. O líder do PSDB na Assembléia Legislativa, deputado José Megale, já requereceu à CPI da Pedofilia da Assembléia Leghislativa do Pará a convocação de Carepa para depor. No caso, é importante destacar que o molestamento contra a menor consistiu em atos libidinosos diversos da conjunção carnal, ou seja, não houve relação sexual entre o acusado e a adolescente.
Fonte:http://www.claudiohumberto.com.br/

Charge de Ricardo Borges


http://oglobo.globo.com/pais/noblat/

Delícias de guerra

Crônica de Luiz Fernando Veríssimo
Que delícia de guerra" era o título de uma comédia musical inglesa sobre a Primeira Guerra Mundial, feita há alguns anos. Foi uma peça, depois um bom filme. Vista à distância, a guerra de 14 adquiriu um encanto nostálgico próprio para as comédias amargas. A guerra dizimou boa parte da jovem aristocracia inglesa e do proletariado recrutado, foi um dos maiores exemplos de insensatez humana da História e seu único resultado real foi preparar o terreno para outra grande guerra mundial. Mas, tanto na Inglaterra como nos outros países envolvidos, os soldados marchavam para o moedor de carne entre vivas e canções de multidões embandeiradas. O sentimento patriótico era comum, o entusiasmo era contagiante - e as canções eram ótimas. Descontados os milhões de mortos, foi uma delícia de guerra.
Na Primeira Guerra Mundial fizeram a sua estreia - pelo menos em guerras de brancos contra brancos - o tanque, a metralhadora e o bombardeio aéreo. A Segunda Guerra aperfeiçoou essas novas maneiras de matar e produziu outras, culminando com a apoteose da morte vinda do ar, a bomba atômica. A bomba atômica teve três efeitos importantes, descontados os incômodos mortos de sempre. Decretou o fim da Segunda Guerra e o começo da Guerra Fria. Mas também decretou que nunca mais teríamos guerras que poderiam, mesmo remotamente, serem redimidas, pela nostalgia ou qualquer outro tipo de absolvição.
A Segunda Guerra, como a Primeira, também mereceria o epíteto irônico de "deliciosa". Foi uma "boa" guerra, que derrotou o fascismo, deteve (outra vez) os alemães, rearrumou o mundo a favor da hegemonia americana e deu as melhores histórias de uma geração. As bombas nucleares acabaram com a ideia, ou a ilusão, da guerra boa. As duas guerras em que se meteram depois de Hiroshima e Nagasaki os americanos nem chamaram, oficialmente, de guerras. Houve uma "ação policial" na Coréia e uma intervenção no Vietnã e nos dois casos o uso do arsenal nuclear foi contemplado e descartado, porque o resultado prático não o absolveria. O comedido "equilíbrio de terror" mantido entre Estados Unidos e União Soviética durante a Guerra Fria era o reconhecimento tácito de que não sobraria ninguém para fazer musicais sobre uma guerra atômica.
Hoje, muitos países têm bombas nucleares ou, dizem, estão em vias de tê-las, e não se sabe bem até onde o comedimento resistirá ao fanatismo. Outra novidade em maneiras de matar, equivalente à bomba atômica no seu ineditismo, é o terrorista suicida, capaz de deflagrar ondas de retaliação e re-retaliação com um único gesto solitário. O que parece não ter mudado nestes anos todos, a se julgar pelo que acontece no Oriente Médio, é o desprezo pelo número dos mortos. Esta tem sido uma constante histórica.
http://oglobo.globo.com/pais/noblat/

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

"Lula não fará cara feia se o vencedor for José Serra"


Do blog Balaio do Kotscho, do jornalista Ricardo Kotscho, ex-assessor de imprensa de Lula:
"Com Serra ou Dilma, que têm uma trajetória política bastante semelhante, vindo da esquerda que comandou a resistência ao regime militar e agora caminhando para o centro, penso que o país estará bem servido no pós-Lula. Não há cacarecos nem salvadores da pátria no horizonte.
Arrisco-me até a dizer que, assim como FHC não ficou nem um pouco contrariado ao passar a faixa presidencial a Lula naquela grande festa popular de 1° de janeiro de 2003, também Lula não fará cara feia se o vencedor for José Serra, de quem é amigo e com quem tem muitas afinidades políticas.
Assim, poderemos ter uma disputa eleitoral em que estará em debate o futuro do país e não o passado nem a vida pessoal dos candidatos - adversários, mas não inimigos.
É um quadro alentador para um país que teve poucas sucessões tranquilas, de presidente eleito para presidente eleito, dentro das normas e seguindo a ordem natural de um regime democrático. Até aqui, estamos indo bem."

Lupi quer acabar com o capitalismo


Comentário de Ricardo Noblat
O ministro Carlos Lupi, do Trabalho, quer acabar com o capitalismo.
Tudo bem. Só faltou combinar com o chefe dele, Lula, que já disse jamais ter sido de esquerda. E que sempre se deu mal quando deu ouvidos a forças de esquerda.
No capitalismo, as empresas demitem e contratam a seu gosto. Não devem satisfação aos governos.
Lupi está empenhado numa guerrilha verbal contra as empresas atingidas pela "marolinha" que começaram a demitir. Defende que o governo as puna de alguma forma.
Ficará falando sozinho. Ou então lhe mandarão mudar de assunto.
Lupi é um dos políticos mais deslumbrados com o fato de ser ministro. Imagina que é levado a sério.
Só é ministro porque Lula queria assegurar o apoio incondicional do partido onde Lupi manda, o PDT.
http://oglobo.globo.com/pais/noblat/

Cláudia Brandão assume vaga de conselheira no TC de Alagoas

A agora ex-deputada estadual Cláudia Brandão (PMN), renunciou ao mandato para assumir o cargo vitalício de conselheira do Tribunal de Contas do Estado de Alagoas (TCE). A posse foi realizada no final da tarde de hoje ( 15 ) em uma solenidade, extremamente rápida, realizada no gabinete do presidente do TCE, Isnaldo Bulhões. Como de praxe, horas antes de tomar posse Cláudia Brandão, renunciou de seu cargo eletivo, cedendo a vaga ao suplente Fernando Duarte. A, hoje conselheira do TCE,foi beneficiada pelo provimento, obtido por unanimidade do pleno do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, do Agravo de Instrumento, impetrado pelo advogado Fábio Ferrário, contra a ação impetrada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/AL),Cláudia Brandão se viu decidida a renunciar ao mandato de deputada estadual.Para tomar posse no TCE, para o qual foi nomeada em 17/07/2008, Cláudia Brandão esperou seis meses pelo desenrolar da ação judicial.

O blog da BOBA!!!

No Estado de Alagoas as coisas acontecem ou de forma catastrófica ou de forma hilária. Lembro-me de um bordão do Jô Soares que dizia: "Não traz a máfia pro Brasil que esculhamba!". Aqui, qualquer coisa que se faça para o engrandecimento do Estado ou dos meios de informação, são deturpados ou exageradamente utilizados.
Meu amigo João Tude Maciel, pernambucano da gema mas alagoano por adoção, me dizia que em Pernambuco há muita coisa errada,no trato com a coisa pública, mas em Alagoas parece que tudo anda errado.
O meu objetivo, é lhes informar que em um determinado site de notícias,de Maceió, uma pessoa muito "boba", assina uma espécie de "coluna" integrante do site e chama aquilo de blog. Sob a sombra de alguns membros do Poder Político e Econômico, a "boba" falastrona "desce a falação" criticando todos àqueles que não comungam com os objetivos políticos e econômicos dos seus,digamos, patrões. Dizem até - as más línguas é claro - que a boba desfilará no próximo carnaval no bloco "Pinto da Madrugada" ( aliás dizem que ela adora o "pinto" ) fantasiada de rainha do açúcar.Possívelmente, em sua fantasia, deverá haver uma longa e grossa cana-de-açúcar ( matéria-prima das indústrias de seus patrões ) provavelmente empunhada ( ou introduzida?) como mastro da bandeira de sua luta pela bajulação explícita na imprensa.
Tal fantasia é apenas uma variável, já que a mesma pessoa já detém o título carnavalesco de "mulher maravilha açucarada". Suas "colegas" dizem, à boca miúda, quando se referem a mesma e suas colocações no site, que ela é M-E-N-T-I-R-O-S-AAAAAAAA!!!!!!!!!!!

Deputados afastados retornam à Assembléia Legislativa


Em decisão monocrática do Ministro Gilmar Mendes, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que os dez deputados estaduais indiciados na Operação Taturana e afastados do cargo, deverão retornar ao exercício de seus mandatos eletivos. A decisão foi confirmada, agora há pouco, pelo próprio ministro presidente do STF.
Com a decisão retornam aos cargos os deputados Antonio Albuquerque, João Beltrão, Cícero Ferro, Arthur Lira, Nelito Gomes de Barros, Isnaldo Bulhões Junior, Dudu Albuquerque, Marcos Ferreira, Edival Gaia Filho e Maurício Tavares.
Segundo o advogado Adelmo Cabral, o ministro suspendeu os efeitos da decisão até o julgamento da ação. Assim, todos os dez deputados têm direito a retornar aos cargos.
Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas (OAB/AL), a decisão do Supremo já era esperada devido à inação do Judiciário, o que serve como alerta para que as ações sejam julgadas com mais presteza. Segundo ele, o processo original, que está em tramitação, permanece em fase de espera.
"Quando o Judiciário não atua como deve acontece isso. Cabe ao juiz da causa, Gustavo Souza de Lima, fazer o processo andar e julgar definitivamente os réus", concluiu o presidente da OAB.
O presidente da Assembléia Legislativa de Alagoas, Fernando Toledo, disse que decisão judicial é para ser cumprida. "Estamos esperando o comunicação oficial do STF para chamar de volta os deputados afastados".

Americana faz leilão da sua virgindade

A norte americana Natalie Dylan,de 22 anos, se diz, ainda virgem, e está leiloando sua virgindade pela internet. diversos lances foram apresentados,até oriundos do Brasil. Segundo Natalie o interessado ofereceu-lhe US$ 1,5 milhão. Ela acrescentou:"É um dos maiores lances que já recebi!”. No entanto, ela recusou porque teria que vir ao Brasil e por tomar conhecimento de que aqui o ato era considerado prostituição e, portanto,ilegal.
Até agora, mais de dez mil homens enviaram lances. Natalie os recebe por e-mail. Ela separa os lances mais altos e começa uma conversa com os pretendentes pela internet. Ela afirma que não fará sexo com quem pagar mais alto. Sua escolha dependerá da “química” entre eles e de uma ficha criminal limpa além de exames de sangue comprovando a ausência de doenças sexualmente transmissíveis. Natalie acrescentou já ter posto sua virgindade à prova ao passar por dois detectores de mentira. Ela afirma que se submeteria a um teste ginecológico caso o vencedor do leilão exija.
Fonte: Revista Época.

Pergunta da noite

" Será que se Cesare Battisti, o italiano beneficiado com o asilo político, por ato monocrático do Minstro Tarso Genro, tivesse assasinado "por motivos ideológicos" um dos filhos do Ministro, ele decidiria da mesma forma?"

Desembargador suspende andamento de ação penal contra Lindemberg

Advogados querem nulidade da ação alegando cerceamento de defesa.
Recursos deverão adiar o julgamento até o começo de 2010.

O desembargador Pedro Luiz Aguirre Menin, da 16ª Câmara de Direito Criminal,concedeu liminar suspendendo o andamento da ação penal contra Lindemberg Alves, de 22anos. O jovem é acusado de matar a ex-namorada Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, após tê-la mantido refém durante mais de 100 horas em um apartamento em Santo André, no ABC, em outubro do ano passado.
Conforme despacho do desembargador, o processo ficará suspenso até o julgamento de recurso da defesa que pede a nulidade de toda a ação penal. Segundo os advogados, Lindemberg teve sua defesa cerceada.
Para os defensores, a “tardia juntada das degravações incompletas e do laudo de restituição (...) impossibilitou a apreciação do material pela Defensoria e o correto interrogatório do réu detido”.
Recursos já eram previstos pelo Ministério Público. Na última quinta-feira (8), o promotor do caso, Antônio Nobre Folgado, afirmou que essas medidas da defesa deverão adiar o julgamento de Lindemberg para o começo de 2010.
Inicialmente, a previsão era a de que o jovem fosse julgado em maio deste ano. “Os recursos da defesa serão analisados pelo juiz em um prazo de 10 meses”, disse o promotor.
O juiz José Carlos de França Carvalho Neto, que pronunciou Lindemberg Alves pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio, cárcere privado e disparo de arma de fogo, não irá comentar a liminar, segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo.
Fonte:Portal G1

A próxima ditadura, mora ao lado

Deputados venezuelanos aprovam reeleição ilimitada de Chávez
A Assembleia Nacional da Venezuela aprovou nesta quarta-feira (14), em segunda instância, o projeto de emenda constitucional que permitirá ocupantes de cargos eleitos por voto popular, entre eles o de presidente, a tentarem se reeleger indefinidamente.
A emenda foi aprovada maioria clara na assembleia. A presidente da assembleia confirmou que o texto da emenda será levado em 16 de janeiro ao Conselho Nacional Eleitoral, que terá 30 dias para convocar o referendo sobre a proposta, no qual cerca de 17 milhões de venezuelanos poderão aprová-la ou não.
O referendo pode ser convocado pelo CNE para 15 de fevereiro. Os partidos da oposição, que rejeitam a emenda e acusam Chávez de querer se perpetuar no poder, também disseram que pergunta do referendo induz ao engano.
Com a aprovação da emenda, Chávez poderá se candidatar pela terceira vez seguida à Presidência nas eleições de dezembro de 2012.
Chávez foi eleito presidente pela primeira vez em dezembro de 1998, e, pela segunda vez, em dezembro de 2006, para um mandato de seis anos.
Devido às exigências da Constituição que entrou em vigor em dezembro de 1999, o governante teve que se submeter em 2000 ao que se chamou uma "relegitimação" de seu cargo, na qual também foi bem-sucedido.
Aprovação em referendo
Para os deputados governistas, que ocupam 146 das 167 cadeiras do Parlamento, o projeto "amplia os direitos políticos dos venezuelanos", porque dá a eles a opção de reeleger por quantas vezes quiserem os governantes que fazem bem o seu trabalho.
A questão, segundo representantes do PSUV (Partido Socialista Unido da Venezuela), dirigido pelo presidente Hugo Chávez, só poderia ser modificada pela Suprema Corte de Justiça.
Os parlamentares da oposição alegam que a emenda não visa a ampliar os direitos dos cidadãos, mas "institucionalizar o monopólio do poder".
Vários deputados governistas classificaram como tentativa de manipulação a apresentação da emenda como um mecanismo para a "reeleição indefinida" do presidente Chávez e dos outros cargos aos quais a medida abrange.
"É mentira que estejamos discutindo a reeleição indefinida. O que estamos propondo é que os que exercem esses cargos tenham a possibilidade de serem reeleitos pelo povo", declarou Luis Gamargo, do PSUV.
Por sua vez, Ricardo Gutiérrez, do partido opositor Podemos, defendeu que a mudança proposta pode abrir caminho para o "abandono dos métodos democráticos" e criticou que na Venezuela "não há revolução" nem "socialismo".
Mudança no projeto
O texto inicial, que chegou a assembleia em 9 de dezembro e foi aprovado em primeira leitura em 18 do mesmo mês, só previa a reeleição ilimitada do presidente da República.
A mudança no projeto foi proposta por Chávez em 5 de janeiro, quando argumentou que a aprovação da proposta significaria um ponto de ruptura com a velha democracia e que seria errado promover a reeleição ilimitada apenas do chefe do Estado.
A emenda não afetará apenas o artigo 230 da Constituição referendada em 1999, que se refere ao presidente, mas também os artigos 160 (relativo aos governadores), 162 (sobre os conselhos legislativos), 174 (relacionado aos prefeitos e vereadores) e 192(referente aos deputados).
Fonte:Efe
http://veja.abril.com.br/blogs/reinaldo/

Itamaraty foi contra concessão de refúgio a Battisti

A decisão do Ministério da Justiça de conceder refúgio político ao italiano Cesare Battisti --condenado a prisão perpétua por quatro assassinatos-- não irritou apenas o governo da Itália. O Itamaraty também ficou incomodado, revela o blog do Josias. O blog conversou na noite desta quarta (14) com uma autoridade do ministério das Relações Exteriores. Segundo o funcionário do Itamaraty, em novembro, quando o pedido de asilo de Battisti foi analisado pelo Conare (Comitê Nacional para Refugiados), o ministério já havia se posicionado contra.
Depois que Luiz Eduardo Greenhalgh, advogado de Battisti, recorreu a Tarso Genro (Justiça), o Itamaraty voltou a expor a sua posição contrária. Nesta quarta (15), a decisão de Tarso rendeu o primeiro constrangimento ao Itamaraty.
O embaixador do Brasil em Roma, Adhemar Gabriel Bahadian, foi convidado pela chancelaria da Itália a dar explicações. Nos próximos dias, deve aportar em Brasília um pedido formal do governo italiano para que Lula reveja a decisão de seu ministro da Justiça.
Se for mantida, a concessão do refúgio terá efeitos sobre o julgamento do pedido de extradição que corre contra Battisti no STF (Supremo Tribunal Federal). Não restará ao Supremo senão a alternativa de declarar-se impedido de extraditar um cidadão italiano acolhido pelo Estado brasileiro como refugiado político.
Battisti, que sempre se declarou inocente, alega que foi condenado pelo testemunho de um ex-companheiro na organização esquerdista, Pietro Mutti, que foi premiado por sua delação, e sem nenhuma prova da perícia. O ex-ativista se considera um perseguido político. "Tenho certeza de que serei alvo de vingança se for para a Itália", disse em entrevista publicada esta semana na revista "Época", concedida na prisão em Brasília.
O pedido da Justiça italiana pela "execução de penas" se baseia, principalmente, nas duas sentenças de prisão perpétua pronunciadas contra Cesare Battisti, em 1993, pelos vários assassinatos cometidos no final dos anos 1970, em Milão, entre eles o de um policial, o de um agente penitenciário e o de um joalheiro.
Após viver na França por 14 anos, de 1990 a 2004, o ex-responsável pelo movimento dos Proletários Armados pelo Comunismo, hoje com 54, fugiu para o Brasil em 2004, quando a Justiça francesa decidiu pôr fim à "jurisprudência Mitterrand", que o protegia, até então, de uma extradição para a Itália.

Leia a notícia completa no blog do Josias-http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/

Usineiros usam a crise para obter mais previlégios fiscais

Deputados aprovam projeto que beneficia usinas com transferência de créditos de ICMS.Apenas o Deputado Paulão denunciou o novo “Acordo dos Usineiros” e exigiu algumas mudanças no projeto original para evitar maiores à economia
Ao apagar das luzes do ano legislativo de 2008, 24 deputados alagoanos aprovaram todos os projetos que estavam pendentes na Casa de Tavares Bastos, na noite de segunda-feira (22) e madrugada de terça-feira (23). Depois de mais de oito horas de discussão foram aprovadas quatro matérias do Executivo, uma delas trata do acordo com devedores do Produban, outra do ICMS do município; Fundo de Segurança Pública e a que autoriza a utilização e transferência de crédito acumulado do ICMS do Estado, que gerou polêmica, debates e algumas discussões na Casa.
Para o deputado Paulo Fernando dos Santos (Paulão-PT) do jeito que o projeto estava não dava para votar. "Sem amarrações seria um novo acordo dos usineiros. Se a gente aprova uma legislação dessa e se o estado não tiver condição de acompanhar não ia valer nada", observou.
Deputado Paulão denunciou o novo “Acordo dos Usineiros” e exigiu algumas mudanças no projeto original para evitar maiores danos à economia do Estado de Alagoas.
O projeto de transferência do ICMS, um dos mais polêmicos na casa, foi discutido amplamente, na sala da presidência da ALE, novamente com técnicos do governo estadual, que foram explicar mais uma vez alguns pontos que tinham sido levantados pelo deputado Paulão na reunião de sexta-feira (19), com técnicos da Secretaria da Fazenda. Paulão chegou a pedir a exclusão do artigo 6º do projeto do Executivo.
A presidente do Sindifisco, Olga Miranda, que participou da reunião com os parlamentares, para discutir a matéria sobre a transferência do ICMS do Estado, mostrou-se preocupada com relação a esse artigo 6º do projeto, que segundo ela "é polêmico", pois na sua avaliação é inconstitucional e só vai favorecer ao setor sucroalcooleiro do Estado. "Entendo a preocupação do deputado Paulão com relação a esse artigo. O que tem acontecido é que a Sefaz não tem tempo de fiscalizar; a Fazenda não tem conseguido acompanhar essa questão. A minha preocupação é que se for dado um monte de isenção fiscal, poderemos estar compactuando com a sonegação. Temos exemplos de incentivos fiscais a empresas que depois faliram", destacou.
Para o deputado Paulão, existia no setor exportador do Estado a expectativa da isenção fiscal de 1996 até hoje. "O projeto enviado pela Sefaz beneficiaria, de forma ilegal e imoral, os exportadores e dava uma margem de eles fazerem compensação do crédito em prazo inconstitucional (1996); dessa forma, depois do debate ficou amarrado que o prazo para a isenção será de 30 de setembro de 2003 até agora", explicou.
Segundo Paulão, o parlamento tem que ter cuidado "e analisar com calma todas as matérias. Foi necessário que houvesse sessões especiais, que fossem técnicos da Secretaria da Fazenda (Sefaz) explicar o projeto (do ICMS) e a participação do Sindicato do Fisco na Casa; a partir das emendas foram feitas amarrações para que o projeto não fosse aprovado como estava. Ainda no artigo primeiro do projeto foi acrescentado o termo valores históricos, para que ficasse bem amarrada essa questão", destacou.
De acordo com o petista, essas modificações foram acordadas para que "não dê margem depois ao setor exportador cobrar multas, correção monetária e juros". Outro ponto destacado por Paulão é que foi determinado um tempo para o setor exportador: "que o projeto vigore por dois anos e num prazo de 12 meses volte à ALE para que seja debatido com a Sefaz". Esta emenda foi do deputado Judson Cabral.
OUTROS PROJETOS --A outra matéria, igualmente polêmica do projeto do Executivo foi a que trata da destinação de 5% - dos 25% que são destinados do ICMS aos municípios - à área de Segurança Pública. Do total destes 25%, o percentual a ser destinado, pelos municípios, à segurança pública, seria de 15% - margem sobre a qual o Estado pode legislar -, dentro da proposta inicial. Depois de horas de bate, os parlamentares chegaram a um novo percentual: 5% da redução do repasse referente à população e ao espaço físico do município.
As áreas da Segurança a serem beneficiadas serão a Guarda Municipal, além da criação de conselhos municipais de Segurança Pública, projetos locais em execução de prevenção social da criminalidade e da violência direcionados à juventude. Outra proposta - prevista com os recursos - é a de criação de secretarias municipais de Segurança Pública, além da recuperação de espaços urbanos degradados.
Análise da notícia
Há muitos anos Alagoas é sempre surpreendida por notícias dando conta de que o Estado está ajudando os usineiros a ficar mais ricos, dispensando seus impostos e se mobilizando atrás de subsídios para suas atividades. E a sociedade alagoana o que recebe em troca? Calote no valor de R$ 1 bilhão no Acordo dos Usineiros e a Operação Zumbi dos Palmares, que mostrou para o mundo as condições degradantes em que se encontram os cortadores de cana em Alagoas.
Desta vez, como sempre no final de ano, eles usam a crise mundial e propõem pagar menos impostos e obter mais facilidades para suas atividades, como se fossem para todos os empresários. A proposta só beneficia os empresários exportadores. E quem são os exportadores em Alagoas? Os usineiros que controlam 93% do total das vendas de açúcar e álcool. Traduzindo, esse projeto interessa somente aos usineiros.
Ronaldo Lessa, quando governador dizia que os usineiros eram caloteiros e maus pagadores e teve de ceder a um novo acordo dos usineiros para ver se recebia uma pequena parte do que eles deviam. Mesmo tendo a justiça a seu favor, o Estado renunciou a mais de um bilhão de reais. Pelo novo projeto, as usinas poderão abater suas dívidas com o fisco através dos créditos de ICMs que passariam a ter direito se o projeto for aprovado na Assembléia Legislativa. Outro escândalo. E caso o dinheiro a receber seja maior que a dívida? Eles poderão transferir para empresas associadas. Associadas a quem? Aos usineiros.
Alagoas tem o pior índice de educação do país. O governador não se apressa em ir à televisão explicar esse fato vergonhoso. Alagoas é um dos estados mais violentos do país. Os deputados estaduais sequer assistem à sessão especial que debateu as razões de Alagoas chegar a esta situação.
A mortalidade infantil é a mais alta. Que importa? Importante mesmo é o governador correr para defender essa proposta e mais uma vez privilegiar a casta parasitária. A maioria dos deputados estaduais, mais uma vez, dará as costas ao povo alagoano e votará pensando apenas em seus interesses particulares. E Alagoas? Continuará sendo manchete em todos os jornais, pelo atraso de seu povo e pela classe política que, apesar de todas as denúncias e prisões, parece não querer mudar.
Reportagem de Olívia de Cássia
http://www.extralagoas.com.br/noticia.kmf?noticia=8019233&canal=333

Menino de 13 anos passa em 1º lugar no vestibular da federal do Paraná

Aos 13 anos, Guilherme Cardoso de Souza foi aprovado no vestibular da Universidade Federal do Paraná (UFPR). E a conquista foi com louvor: ele passou em primeiro lugar no curso de química.
Mas o jovem não estava completamente seguro na hora do exame: "Estava com medo por causa da prova de redação. De química, eu não estava com medo, porque senti que tinha ido bem. Mas na hora é uma surpresa sempre", conta o menino.
Para a mãe, a emoção foi maior do que a surpresa: "Me deu uma angústia. Não imaginava que iria me emocionar tanto", revela Edina Lopes Cardoso.
Aos dois anos, Guilherme já fazia o que as crianças só aprendem aos seis ou sete anos. "Achei que ele era de outro mundo. Com essa idade ele começou a ler e a escrever", relembra a mãe.
E pouco antes de começar o curso universitário, Guilherme se empenha em um novo projeto: a escrita de um livro didático de química para estudantes do ensino médio. "Espero que ele seja usado e que dê um melhor entendimento da química para outros estudantes", diz.
Miniprofessor
O talento para ensinar Guilherme já demonstrou outras vezes. Quando estava no segundo ano do ensino médio, dava aulas de reforço para colegas bem mais velhos.
O jovem foi acompanhado por especialistas, terminou o ensino fundamental com dez anos e o ensino médio com 13. E o mais jovem universitário do Paraná, que deve se formar aos 17 anos, já escolheu a profissão. "A princípio, quero ser professor e dar aula de química em colégio", afirma.
Fonte:http://portal.rpc.com.br/gazetadopovo/

Porto Real do Colégio terá novas eleições para Prefeito

TRE decidiu, mais uma vez, por fazer novas eleições no município
O município de Porto Real do Colégio, em Alagoas, vai continuar sem prefeito e sendo administrado pelo presidente da Câmara de Vereadores. A cidade deverá passar por novas eleições até o próximo mês, prazo dado pela legislação eleitoral vigente quando há a necessidade de se realizar novo pleito. Eval de Oliveira, que disputou o cargo majoritário pela coligação ‘Humildade e Ação’, obteve segunda colação e estava tentando assumir o cargo de prefeito, mas teve recurso indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral.
De acordo com o processo de nº 62, cuja decisão foi preferida pela juíza Eloína Maria Braz dos Santos, o 2º colocado Eval de Oliveira Silva, não pode assumir a Prefeitura da cidade porque o candidato que ficou em 1º lugar, José Reis do Nascimento, obteve mais de 50% dos votos válidos. Ela manteve a decisão do presidente do TRE/AL, desembargador Estácio Gama de Lima, que na semana passada também indeferiu pedido de liminar para que Eval fosse diplomado.
A magistrada defende novas eleições e argumenta seu posicionamento com o que preconiza o artigo 224 do Código Eleitoral Brasileiro: ‘Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do País nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do Município nas eleições municipais, julgar-se-ão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias’. O artigo também fala que se o TRE deixar de promover o novo pleito, a Procuradoria Regional Eleitoral deverá levar o fato ao conhecimento do Procurador-Geral, que providenciará junto ao Tribunal Superior Eleitoral a realização da nova eleição. Ou seja, aquelas cidades onde os prefeitos foram eleitos pela maioria dos votos, ou seja, 50% mais um, e que seus prefeitos não puderam ser diplomados ou empossados, vão passar, obrigatoriamente, por novas eleições.
Recurso
A negativa de diplomação a Eval de Oliveira Silva inda cabe recurso. Entretanto, jurisprudência do Tribunal Superior Eleitoral diz que, ainda que o político eleito esteja com seu registro sub judice, ‘deve a Junta Eleitoral, tão logo o indeferimento de registro seja confirmado pelo colegiado do Tribunal Superior Eleitoral em recurso de sua competência, julgar prejudicadas as demais votações e comunicar imediatamente ao Tribunal Regional Eleitoral, para que este marque novas eleições no prazo de 20 a 40 dias’, reza o texto da determinação da Corte.
Contas rejeitadas
José Reis do Nascimento, candidato que obteve 5.403 votos nas eleições passadas e ficou em 1º lugar, teve seu registro de candidatura cassado porque teve as contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas da União. Ele concorreu à reeleição.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Alagoas 'arruma a casa'

Em Alagoas não há registros de casos de febre aftosa há mais de dez anos. Na última campanha de vacinação contra a doença, no ano passado, foi verificada a participação de 94,1% dos produtores locais. Mas, ainda assim, o Estado permanece na zona de risco desconhecido. A classificação do governo federal, impede o transporte e a exportação do gado alagoano.Objetivando mudar esse quadro, o governador Teotonio Vilela Filho assinou este mês, o decreto de criação do Comitê de Acompanhamento das Ações de Defesa Agropecuária do Estado de Alagoas. A comissão é formada por representantes do poder público, produtores e terceiro setor.
Na atual conjuntura, embora não demonstre seu trabalho - atendo-se a uma propaganda tola "de nunca se fez tanto",o governador Teo Vilela tem conduzido sua administração com sutil habilidade. Com uma administração enxuta, mas sem grandes obras, apresentando como suas, as pequenas e médias obras patrocinadas pelo Governo Federal, segue, aos poucos, se situando como um gestor público sereno, sem atos estapafúrdios, e com a seriedade que quem o antecedeu jamais pode ostentar por sua personalidade controversa e polêmica.
Tem alinhavado acordos políticos importantes, mas tem que pensar no povão, o mesmo povão que elegeu o prefeito da capital, peça importante em qualquer que seja a vertente do jogo político estadual, em Alagoas, pelo carisma e habilidade na lida com as classes b,c e d, que nenhum outro político, aliado ao Governo Estadual, possue.

Ex-patrocinadora do corinthians, ganha destaque na mídia grátis

Operadora de plano de saúde teve contrato encerrado dia 20 de dezembro, mas já faz 25 dias que está com exposição gratuita no Corinthians
O Corinthians está bem perto de anunciar seus novos patrocinadores (dois na camisa e um no calção), mas quem está rindo à toa até agora é a antiga parceira do clube na camisa, a Medial Saúde. Embora o contrato entre as partes tenha terminado no dia 20 de dezembro, a empresa segue estampando sua marca nos uniformes.
Já são 25 dias de exposição gratuita – em 2008, a operadora de plano de saúde investiu R$ 16,5 milhões no Alvinegro, R$ 1,375 mi por mês. Há ainda um adendo importante: em todo esse período que ganhou de presente, o destaque na imprensa esportiva foi Ronaldo, novo camisa 9 do Timão e jogador mundialmente famoso.
- Nós fazemos a análise mês a mês, e ainda não temos os números fechados de dezembro e nem de janeiro. Mas é possível dizer que a Medial teve, nesse período, um aumento de exposição que gira entre 25% e 35% – disse Rafael Plastina, diretor de marketing da Informídia, empresa especializada em pesquisas esportivas.
Fonte:http://g1.globo.com/

Justiça libera Marcos Valério

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, concedeu nesta quarta-feira (14) habeas corpus ao empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, que está preso desde outubro em Tremembé (SP), interior de São Paulo. Ele é acusado de participar de um suposto grupo criminoso que praticava extorsão, fraudes fiscais e corrupção.
Em sua decisão, o ministro Gilmar Mendes concordou em estender a decisão que havia tomado na segunda-feira (12) que garantiu liberdade a um advogado e dois policiais presos pela Polícia Federal durante a Operação Avalanche, mesma ocasião em que Valério acabou detido. Assim que comunicada oficialmente a decisão, o empresário Marcos Valério ganhará liberdade.
Gilmar Mendes considerou que a prisão preventiva de Valério não se justificaria. “Não se justifica a manutenção da prisão preventiva, nisso considerando-se o tempo decorrido desde a deflagração da operação policial, com buscas e prisões efetivadas em outubro de 2008, decorrendo tempo suficiente para que todos os elementos de prova pertinentes fossem recolhidos”, destaca trecho da decisão.
Fonte:http://g1.globo.com/

Sexo, mentiras e videotape

Susana Vieira sobre Marcelo Silva:
“Pessoas com deformidade da mente, como ele, transam muitíssimo bem”
Faz sentido. Eu soube de um cara que dormiu com a Suzane von Richthofen e ficou todo quebrado no dia seguinte.

http://kibeloco.com.br/kibeloco/

Homem de 52 anos tenta ato sexual com menina de 12

Graças à denúncia anônima de um morador do Loteamento São Félix, no bairro da Serraria, em Maceió-AL, a polícia evitou mais um atentado ao pudor. O Centro Integrado de Operações da Defesa Social (CIODS) recebeu o chamado e acionou o batalhão de Polícia de Eventos (BPE) até o local, que fica num terreno próximo ao jornal Tribuna Independente. A guarnição, comandada pelo aspirante Andrade chegou no momento em que o servente José Antônio, de 52 anos, se preparava para violentar uma garota de apenas 12 anos. Segundo o aspirante Andrade, no momento da abordagem a garota já estava sem a calcinha e o acusado com a bermuda aberta.
Aos policiais ele negou que tentasse algo com a garota, que foi pega por ele no Canaã e levada até a serraria de bicicleta. "Eu não ia fazer nada com ela. Apenas dei uma carona", disse o acusado. Já a menor disse que ele lhe ofereceu dinheiro para fazer um "programa".
Extraído do Texto de Ricardo Alexandre - http://www.tudonahora.com.br/

Paulo Skaf desafia Ministro Carlos Lupi


São Paulo - O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, voltou a defender a redução da jornada de trabalho e de salários para evitar mais demissões, acertada na terça-feira com a Força Sindical. Segundo ele, a proposta de redução de jornada e de salários em até 25%, como prevê a legislação, foi aceita por unanimidade pelos 33 empresários presentes na reunião do Conselho Superior Estratégico da Fiesp, realizada nesta quarta-feira. Skaf advertiu, no entanto, que um acordo nesses níveis não garantirá a estabilidade dos trabalhadores no emprego. " Nossa preocupação será com a manutenção do nível de emprego. Não estamos falando em estabilidade de emprego " e acrescentou:"No período em que durar os acordos, nossa preocupação será com a manutenção do nível de emprego. Não estamos falando em estabilidade de emprego!"
A Força Sindical informou que entregou nesta quarta-feira para a Fiesp um documento com propostas para evitar demissões. Nele, a entidade trabalhista aceita diminuir até 25% da jornada de trabalho com redução de, no máximo, 15% de salário.
Skaf também afirmou nesta quarta-feira que quer ver a lista de empresas beneficiadas pelo governo com recursos públicos. Skaf se referia a uma afirmação do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, segundo o qual o governo teria feito sua parte para ajudar as empresas que, no entanto, não estariam cumprindo a promessa de garantir os empregos dos funcionários.
Skaf destacou que o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), reduzindo pelo governo para incentivar a compra de veículos novos , incinde diretamente no preço pago pelo consumidor, e não na carga tributária paga pelas empresas."A iniciativa do governo de reduzir uma parte desses impostos que são pagos por todo o setor, e considerando que imediatamente essa redução passe para o setor, não se enquadra em uma situação de empresas usando recursos do governo" - ressaltou Skaf, logo após participar de reunião do Conselho Superior Estratégico da Fiesp.
Skaf também afirmou nesta quarta-feira que quer ver a lista de empresas beneficiadas pelo governo com recursos públicos. Skaf se referia a uma afirmação do ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, segundo o qual o governo teria feito sua parte para ajudar as empresas que, no entanto, não estariam cumprindo a promessa de garantir os empregos dos funcionários.
Fonte:http://oglobo.globo.com/economia/

INIMIGOS DE ISRAEL: TERRORISTAS DO HAMAS E A ONU

Israel enfrenta em Gaza um inimigo mais poderoso e influente do que o Hamas: a ONU. O Hamas, por enquanto, anseia e age, apenas, para matar.Só não o faz em grande quantidade porque suas vítimas potenciais sabem se defender. Lembremo-nos de quando Israel edificou o muro na Cisjordânia. Os protestos, na ONU, foram tantos que parecia o fim do mundo.Não foi. O fato é que os atentados suicida-homicidas foram reduzidos a praticamente zero.Não lembro de um só representante das Nações Unidas, que acuse o Hamas de fazer o que todos sabem que o Hamas faz, de modo documentado: usar civis como escudo. Os comissários da ONU até parece se converteram na frente política do Hamas. Enquanto os terroristas usam mesquitas, escolas e residências como esconderijo (para atacar às escondidas) e/ou depósito de armas e munição, todas as acusações se voltam contra o país que reage às agressões.A mais nova acusação é o uso do fósforo branco, substância proibida. Se Israel está, de fato, empregando a substância química proibida, é claro que isso tem de ser denunciado. Mas Israel nega veementemente.O correto seria proceder com uma investigação.Mas ela não é realizada. A ONU se nega a investigar e se reporta relatos dos palestinos. Como disse o Jornalista Reinaldo Azevedo,”Chega a ser estúpido indagar se não caberia investigar antes e acusar depois... Nesse confronto, como está claríssimo, as Nações Unidas têm lado”. Eu acrescento: O lado da ONU é o das ditaduras repletas de petróleo.Vejam o caso do Conselho dos Direitos Humanos: A maioria de seus componentes são países em que não há direitos — humanos,então,nenhum. Foi o grupo que condenou Israel,com a ajuda do Brasil. Há dois anos atrás, este mesmo grupo, preservou os genocidas do Sudão de qualquer censura. Os mesmos trogloditas que condenaram Israel pelo “massacre” de Gaza passaram a mão na cabeça do governo sudanês, que já havia matado 200 mil pessoas — hoje, o número passa de 300mil.
Essa mesma ONU acusa a morte em penca de civis e não indaga, então, por que os há se os alvos de Israel são, porque são, selecionados. Boa parte do mundo parece se contentar com a versão de que os israelenses são mesmo perversos. Imaginem quantos seriam os mortos num ataque a esmo feito contra Gaza. Aliás, imaginem quantos eles seriam se Israel só se ocupasse da tal reação proporcional, como tantos querem: quantas teriam sido as vítimas fatais no ano passado se os israelenses tivessem apenas, digamos, retrucado os 1.386 foguetes que foram lançados contra seu território...
Fonte:http://veja.abril.com.br/blogs/reinaldo/

Frase do dia

"Escolher o menor de dois males é ainda escolher o mal!"
Cristopher Hampton

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

MULHERES MADURAS, BRASILEIRAS, NO THE TIMES

Mulheres maduras triunfam no Carnaval no Rio de Janeiro. É o tema da reportagem, publicada, hoje (13),no diário britânico The Times. No bojo da reportagem se deprende a assertiva de que o Brasil “começa a perceber que as mulheres de certa idade podem ser as mais bonitas”.
A matéria refere-se à escolha de mulheres com mais de 40 anos como rainhas da bateria de duas das principais escolas de samba do Rio de Janeiro.
O texto, intitulado "Maturidade bate juventude em batalha de rainhas do carnaval", traz Luma de Oliveira, de 44 anos, rainha da Portela, e Luiza Brunet, de 46, da Imperatriz Leopoldinense como exemplos de uma “beleza madura”.
Ouvida pelo jornal, a Miss Brasil de 2007, Natália Guimarães, de 24 anos, que desfilará pela segunda vez como rainha da Vila Isabel, diz que “a idade não importa. O mais importante é a personalidade que a rainha mostra”.
As informações são da BBC Brasil.

TRF-SP mantém Marcos Valério preso

Por decisão unânime, os três desembargadores da Primeira Turma do Tribunal Regional Federal (TRF), em São Paulo, decidiram na tarde desta terça-feira pela manutenção da prisão preventiva do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, acusado crimi-nalmente por formação de quadrilha, denunciação caluniosa e corrupção ativa.
Os desembargadores rejeitaram pedido de habeas-corpus impetrado pela defesa de Valério. Preso há 94 dias, desde 10 de outubro, Valério é réu da Operação Avalanche, investigação da Polícia Federal sobre suposto esquema de desmoralização de dois fiscais da Fazenda estadual que autuaram em R$ 104 milhões o dono de uma cervejaria, amigo do empresário Marcos Valério.
O desembargador Luiz Stefanini, relator do caso, assinalou o poderio econômico e político do grupo ao qual estaria ligado Valério.
Fonte:http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Pol%C3%ADtica&newsID=a2366602.xml

Comentário de Ricardo Noblat

Deu a louca em Zé Dirceu

Deu a louca no ex-ministro José Dirceu de Oliveira. Em seu blog, ele defende que o PT negue votos para eleger Michel Temer (PMDB-SP) presidente da Câmara dos Deputados caso o PMDB insista em eleger José Sarney (AP) presidente do Senado.
Dirceu está careca de saber que uma eleição nada tem a ver com outra. Bem, careca é força de expressão. Ele hoje desfila por aí uma promissora cabeleira.
Dono da maior bancada de deputados, o PMDB poderia ter emplacado o presidente da Câmara no ano passado - mas, não. Cedeu ao apelo de Lula e ajudou a eleger Arlindo Chinaglia (PT-SP). Ficou acertado então que o PT, agora, ajudaria a eleger Temer.
O acordo jamais incluiu a eleição do presidente do Senado.
Imagina só se o PT seguissse o conselho de Dirceu e não votasse em Temer. A aliança PT-PMDB sofreria seu mais forte abalo - se não se rompesse de vez.
Lula e o PT precisam desesperadamente do PMDB - menos para governar, mais para tentar eleger Dilma presidente em 2010.

Transcrito do Blog do Noblat:http://oglobo.globo.com/pais/noblat/

Lula volta das férias


CHARGE NÉO

O presidente não lê. O ministro não sabe fazer conta...

Da colunista Miriam Leitão:

"O presidente Lula disse que não lê jornais, e se fosse só isso seria natural, uma questão de gosto. Mas o pior foi ele dizer que prefere ouvir seus assessores. Fórmula perfeita para a alienação.Assessores dirão o que é agradável ao ouvido presidencial. Assim, o presidente fica mais feliz e com menos azia.
O que todos sabem, e poucos dizem, é que o presidente Lula não lê. Ponto. Nunca teve o hábito, sempre preferiu a informação oral. Esse é um dos nossos riscos.
O Brasil é governado por um presidente que não lê e um ministro da Fazenda que não faz contas. Se fizesse, estaria se dando conta que as suas concessões para setores que vão ao governo fazer lobby, quando somadas, produzirão um estrago permanente nas contas públicas." Leia mais em O Globo
Fonte:http://oglobo.globo.com/economia/miriam/

''Temos direito a nos defender''


Tzipi Livni: Chanceler israelense; em entrevista , Tzipi diz que conflito na região não é mais entre árabes e judeus, e sim entre moderados e extremistas

Lally Weymouth, The Washington Post

Como a senhora responde à pressão da comunidade internacional no sentido de um cessar-fogo entre palestinos e israelenses?
-Não gosto do termo "cessar-fogo" porque parece um acordo entre duas partes legítimas. Este não é um conflito entre dois Estados, mas uma luta contra o terror. Precisamos combater na Faixa de Gaza porque eles (o grupo islâmico Hamas) há oito anos mantêm Israel como alvo. Nossa luta é para enfraquecê-los e também para afetar sua capacidade de atacar Israel no futuro.
-Para isso, os egípcios não precisam exercer um controle mais rigoroso da fronteira?
Sim, existem três parâmetros. Um envolve os mísseis que vêm do Irã. O outro é o próprio Egito e o terceiro é a fronteira entre Gaza e o Egito.
A ideia é que o Egito agora assuma um papel mais ativo para impedir o contrabando?
-Isso tem de ser refreado por Israel ou qualquer outro governo. Em seis meses, o Hamas mudou o alcance de seus mísseis de 20 para 50 quilômetros. E agora ameaça um milhão de israelenses. Costuma-se dizer que é apenas a parte sul de Israel, mas agora áreas no centro de Israel estão sendo ameaçadas. Precisamos dar um resposta ao rearmamento deles.
A senhora acha que essa operação vai durar quanto tempo?
-Depende. Em primeiro lugar, necessitamos saber se eles entenderam que Israel não é mais um Estado que podem atacar e, ao mesmo tempo, esperar que nossa reação seja moderada. Israel vai se defender.
Foi uma decisão difícil enviar forças por terra para Gaza?
-Sim, foi uma decisão bastante difícil, mas agora parece ter sido boa.
A senhora teme que o Hamas clame vitória como ocorreu com Hassan Nasrallah (líder do Hezbollah), no Líbano?
-Até mesmo Nasrallah afirmou depois da guerra no Líbano que, se soubesse que era isso que iríamos fazer... acho que muitos deles têm o mesmo sentimento depois de alguns dias de guerra.
Israel pensa em interromper a operação?
-Diariamente. Nossa intenção não é reocupar a Faixa de Gaza. No entanto, precisamos saber que atingimos nossos objetivos.
A senhora acredita que os combates já terão cessado quando o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, assumir o cargo?
-Quanto mais curto for esse período de combates, melhor para nós. Mas no final, é uma guerra em curso contra o terror. Não pedimos à comunidade internacional para combater conosco. Só pedimos compreensão e tempo.
-A pressão sobre Israel pela comunidade internacional para um cessar-fogo fortalece o Hamas?
A estratégia do Hamas é a resistência e a sobrevivência. Enquanto sobrevivem, é uma vitória. Quando sabem que a comunidade internacional está pressionando Israel podem respirar e tomar fôlego, esperando que Israel será freado pela comunidade internacional. É uma pena.
A senhora é favor de um grupo de monitoramento internacional para ajudar a controlar as fronteiras - especialmente a fronteira da Faixa de Gaza com o Egito?
-Não sou contra a participação da comunidade internacional, mas isso não substitui nossa necessidade de combater o terrorismo. E, às vezes, quando você tem forças monitorando dentro um lugar, fica mais difícil nos defendermos, pois a última coisa que desejamos é matar as pessoas por engano. Israel não se mostrará comedido.
A senhora acredita que o governo de Barack Obama vai apoiar Israel da mesma maneira que a administração de George W. Bush?
-Acredito que os Estados Unidos e Israel compartilham não só os mesmos valores e interesses, mas a mesma compreensão.
A senhora acredita que tem o apoio dos árabes moderados?
-Não desejo causar embaraço a ninguém, mas sei que represento os interesses deles também. Não é mais um conflito entre palestinos e israelenses ou entre árabes e judeus, mas um conflito entre moderados e extremistas. É assim que esta região está dividida hoje.