sábado, 5 de julho de 2014

O governo Dilma está com medo da "Doença Holandesa".

Nada tem a ver com futebol, apesar da Copa. Tem a ver com a depressão que assolou a Holanda nos anos 60/70 e destruiu todo o seu parque industrial, substituído por importados. O risco da "Doença Holandesa" no Brasil nesse momento é real dizem especialistas. Há uma forte depressão envolvendo a industria brasileira.

È........campeã!!!!



Nunca antes na história “destepaiz” teve alguém assim. Dilma, a campeã da mentira.
 #CartaITV937http://bit.ly/1oYv9ke

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher.

A bela atriz Léticia Birkheuer 

sexta-feira, 4 de julho de 2014

E a Colômbia se foi.


A censura petista denunciada à OEA.


Os Barbosas.

Que pena,só temos dois!
 
100 anos se passaram mas parece que um Barbosa (Rui) escrevia para outro (Joaquim):

"Sinto vergonha de mim
por ter sido educador de parte deste povo,
por ter batalhado sempre pela justiça,
por compactuar com a honestidade,
por primar pela verdade
e por ver este povo já chamado varonil
enveredar pelo caminho da desonra.

Sinto vergonha de mim
por ter feito parte de uma era
que lutou pela democracia,
pela liberdade de ser
e ter que entregar aos meus filhos,
simples e abominavelmente,
a derrota das virtudes pelos vícios,
a ausência da sensatez
no julgamento da verdade,
a negligência com a família,
célula-Mater da sociedade,
a demasiada preocupação
com o 'eu' feliz a qualquer custo,
buscando a tal 'felicidade'
em caminhos eivados de desrespeito
para com o seu próximo.

Tenho vergonha de mim
pela passividade em ouvir,
sem despejar meu verbo,
a tantas desculpas ditadas
pelo orgulho e vaidade,
a tanta falta de humildade
para reconhecer um erro cometido,
a tantos 'floreios' para justificar
actos criminosos, a tanta relutância
em esquecer a antiga posição
de sempre 'contestar',
voltar atrás e mudar o futuro.

Tenho vergonha de mim
pois faço parte de um povo

que não reconheço,
enveredando por caminhos
que não quero percorrer...

Tenho vergonha da minha impotência,
da minha falta de garra,
das minhas desilusões
e do meu cansaço.

Não tenho para onde ir
pois amo este meu chão,
vibro ao ouvir o meu Hino

e jamais usei a minha Bandeira
para enxugar o meu suor
ou enrolar o meu corpo na pecaminosa
manifestação de nacionalidade.

Ao lado da vergonha de mim,
tenho tanta pena de ti,
povo deste mundo!"

'De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,
de tanto ver agigantarem-se
os poderes nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude,
A rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto'.
(Rui Barbosa - 1918)

E a verdade começa a empolgar os brasileiros.

Aécio neves pode não ser uma unanimidade, mas tem feito oposição com ação e inteligência. Diante de uma máquina poderosa de governo, que opta pela infâmia, que se alimenta da mentira, ele resiste e começa a aglutinar a oposição e os insatisfeitos dom o governo comunista.
Seu discurso tem sido correto e objetivo. Apenas os comuno-petistas, seus áulicos, incautos e imbecis se posicionam contra a ideia de um país decente proposta por Aécio.
Quem é a favor do comunismo, da miséria, da mentira, do escravagismo, da corrupção é contra. Quem torce por um país melhor já engrossa as fileiras da oposição tendo Aécio como candidato à presidente.

Seleção dos chorões será a seleção dos cagões?

Se este jogador, que é o capitão da seleção, demonstra despreparo num jogo de oitavas de final, contra um adversário a quem sempre vencemos, teríamos nesta atitude uma prova de que o time brasileiro, que já demonstrou não ter conjunto e um bom futebol, hoje poderá ter diarreia contra a Colômbia?

O cidadão "SEM"!

Sabe o que você é? Um sem-direitos, um sem-Constituição, um sem-Código-Penal, um sem-poder-público, um sem-ONG, um sem-movimento-social
Você acorda, leitor amigo, e se pergunta, antes mesmo de lavar o rosto para se livrar dos humores do sono: “Hoje haverá manifestação dos sem-o-quê? Será dos sem-terra? Será dos sem-teto? Será dos sem-eira-nem-beira?” A expressão “sem eira nem beira”, diga-se, originalmente, queria dizer “sem terra (eira) nem beira (casa — numa referência ao beiral do imóvel). Com o tempo, como é sabido, passou a designar as pessoas que saem por aí, a fazer o que lhes dá na telha, livremente, sem prestar satisfações a ninguém, muito especialmente à lei. Ah, você… Você é um pagador de impostos, um trabalhador, alguém que ganha a vida segundo a predição bíblica: com o suor do seu rosto
Nesta quinta, paulistanos e brasileiros de todos os lugares, a Avenida Paulista e imediações foram tomadas, mais uma vez, pela manifestação dos “sem-alguma-coisa”. No caso, eram os sem-terra de José Rainha — não os de João Pedro Stedile — e os sem-teto de Guilherme Boulos. Todos eles são, claro, “militantes profissionais”. Alguém lhes paga as contas — ou, é evidente, estariam fazendo como toda gente, como você faz: trabalhando. Não! O trabalho deles é lutar por aquilo que consideram “a causa” e transformar a sua vida num inferno. Eles estão livres da maldição bíblica.
Os “sem-terra” de Rainha se autodenominam “Frente Nacional de Lutas”. Seu símbolo é uma estrela vermelha, igualzinha à do PT, num círculo branco, com a sigla FNL inscrita no centro do ícone. Coincidência? Não! Há mais do que identidade aí. Rainha é um conhecido militante petista, e seu movimento é apenas uma das franjas do partido. Na passeata, que parou avenidas e gerou transtornos no trânsito, os ditos sem-terra carregavam uma faixa em que se lia: “Liberdade aos presos políticos do PT: Zé Dirceu, Genoino, João Paulo e Delúbio”. Três deles, como se sabe, foram condenados por corrupção ativa; o outro, por corrupção passiva e peculato.
A estrela como símbolo do FNL não é mera coincidência, é evidente

A estrela como símbolo do FNL não é mera coincidência, é evidente
Vale dizer: o seu direito de ir e vir, pagador de impostos, é obstado por pessoas que, sob o pretexto de sair às ruas para cobrar reforma agrária, conduzem faixas fazendo a defesa de criminosos — criminosos que avançaram, diga-se, sobre o dinheiro público.
Sim, também estava lá o tal Movimento dos Sem Teto, que, há dias, agredindo a Constituição, cercou uma casa legislativa, a Câmara dos Vereadores, e arrancou de vereadores acovardados, no berro, a legalização de invasões. Guilherme Boulos, o líder, é agora um agenciador de mão de obra para protestos. Quem quer que tenha uma causa pode pedir a ajuda deste grande líder, e ele põe a sua tropa na rua. Assim, o MTST assume as características de uma milícia ou de uma agência de mercenários — ainda que a compensação seja, sei lá, apenas ideológica.
E você, leitor amigo? É o quê?
Você é um sem-direitos.
Você e um sem-Constituição.
Você é um sem-Código-Penal.
Você é um sem-poder-público.
Você é um sem-ONG.
Você é um sem-movimento-social.
A você, em suma, cabe trabalhar para gerar a riqueza que outros que também não trabalham proclamarão, no horário eleitoral gratuito, ter distribuído.
Até quando?

quinta-feira, 3 de julho de 2014

A verdadeira besta eleitoral.

A maior fraude eleitoral no Brasil é tratar, desigualmente, os candidatos nas eleições, oferecendo-lhes TEMPOS DIFERENTES na mídia.  Ora, brasileiros de todos os quadrantes, ELEIÇÃO é coisa séria, é  para gente grande, ficha limpa, honesta e trabalhadora.
Tem que ser transparente e proporcionar as MESMAS CONDIÇÕES DE DISPUTA para TODOS os candidatos, começando pelo tempo de aparecimento/exposição nos meios de comunicação.
Não se sabe de quem foi esta idéia bandida, nazista, perversa, e muito anti-democrática, de separar os candidatos por peso eleitoral e pseudo importância política.
Temos que botar a boca no trombone para desentupir  a cegueira/egoismo do atual sistema político nacional.
ELEIÇÃO é renovação, é aspiração para NOVO começo. Portanto, é óbvio, e bastante ululante, que TODOS os candidatos, de todos os partidos, de todos os níveis eleitorais tenham, CONSTITUCIONALMENTE, o enorme e impostergável direito de serem rigorosamente nivelados para cima,  na exposição midiática.
Não se pode aceitar nenhum MAS, nenhum ESPERA AÍ, nenhuma CONTEMPORIZAÇÃO para a questão.
A persistir o atual esquema DRACONIANO, tornando as eleições mais fáceis para alguns escolhidos,  todas as eleições brasileiras  já começam com FRAUDE e ROUBALHEIRA.
 *Renzo Sansoni, via Grupo Resistência Democrática

1 minuto para acabar com a eleição do PT.

video

O povo venezuelano pede socorro nos estádios da Copa.



Nas arquibancadas, faixas de protesto levantam-se em todo o estádio.
Lutando pela volta da democracia e do desenvolvimento da Venezuela, pequena representação do povo democrático venezuelano frequenta os estádios pedindo socorro a um país arrasado pelo socialismo bolivariano que Lula e Dilma querem implantar no Brasil.

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Black bloc preso por depredar concessionária tem longa ficha criminal.

Não é nenhuma novidade o fato de que o Black bloc, preso por depredar concessionária, ter longa ficha criminal. Não duvido que ele esteja a soldo do lulismo...
   Concessionária de carros é invadida durante protesto

                       Concessionária de carros é invadida durante protesto(Nacho Doce/Reuters)

O mascarado João Antônio Alves de Roza, de 46 anos, já passou sete meses na cadeia pelos crimes de associação criminosa e receptação.

O black bloc preso nesta quarta-feira por participar dadepredação de uma concessionária de carros de luxo em 19 de junho, durante um protesto convocado pelo Movimento Passe Livre (MPL), acumula uma extensa ficha criminal: segundo a Polícia Civil, João Antônio Alves de Roza, de 46 anos, já foi fichado porte de arma de fogo, porte de drogas, associação criminosa e receptação. Por esses dois últimos crimes, ficou na cadeia por sete meses em 1997. Capturado por agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) nesta manhã, Roza está preso no 7º DP (Lapa) por dano ao patrimônio e associação criminosa. Investigadores chegaram a afirmar pouco antes da coletiva que Roza teria envolvimento com pedofilia. Questionado, o diretor do Deic, Wagner Giudice, esclareceu que o black bloc foi processado por divulgar fotos de uma menor de idade nua na internet em 2008.
Além das roupas usadas durante o protesto, a polícia apreendeu na casa de Roza um notebook e uma câmera fotográfica. E descobriu que os equipamentos eram fruto de um roubo realizado em abril deste ano, em Mauá, no ABC Paulista. Segundo o delegado, ele alegou que estava consertando o material. O acusado deve também ser enquadrado por receptação, mas em um inquérito à parte. De acordo com Giudice, a polícia identificou Roza porque, no dia do protesto, ele postou em sua página no Facebook uma foto em que veste a mesma roupa com a qual foi flagrado em um vídeo depredando a concessionária. Nas imagens do ataque, ele é flagrado jogando um extintor de incêndio na vidraça do estabelecimento, vestindo boné e um casaco pretos os mesmos que usa em uma foto ao lado do filho na rede social. Roza é o único black bloc registrado nas câmeras com o rosto descoberto. Ainda assim, o diretor do Deic afirma que, em breve, a polícia prenderá mais quatro black blocs. Ainda segundo o diretor do Deic, Roza não se encaixa no perfil dos outros black blocs ouvidos pela investigação até agora. Poucos deles têm mais de 30 anos. Em geral, são bem jovens. Ele também não tem formação superior. Já foi mecânico e agora é motorista de van. Mas é conhecido por eles (black blocs) e conhece todo mundo , disse Giudice. Desde que começaram as investigações, em outubro do ano passado, o Deic já ouviu mais de 250 pessoas e catalogou mais de 700 suspeitos de envolvimento com o grupo que promove os quebra-quebras em São Paulo. Segundo o delegado, foi recolhido um extenso material no computador de Roza de fotografias e conversas com outros membros do grupo.

Divulgação/VEJA
Roupas apreendidas pela polícia com black bloc
Roupas apreendidas pela polícia com black bloc
Black Bloc quebra concessionária com pedaço de pau
Black Bloc quebra concessionária com pedaço de pau - Felipe Cotrim/VEJA.com
Roza já foi flagrado em outros protestos que deixaram marca de destruição por São Paulo, como no ato contra a Copa do Mundo realizado em 12 de junho, dia de abertura do Mundial, no Tatuapé, Zona Leste de São Paulo. Em um vídeo recolhido pela polícia, ele aparece queimando uma bandeira e lixo no meio da rua.
Divulgação/VEJA
Computador e câmera apreendidos: ambos objetos de furto
Computador e câmera apreendidos: ambos objetos de furto
Entenda - Em 19 de junho, black blocs depredaram agências bancárias e concessionárias de luxo durante manifestação promovida pelo MPL. Oficialmente, o ato tinha como objetivo comemorar um ano de redução das tarifas de ônibus, trens e metrô, de 3,20 reais para 3 reais, após a onda de protestos de junho do ano passado. A PM acompanhou de longe a manifestação e, logo após o ato, o comando da polícia afirmou que tinha feito um acordo com o MPL, no qual eles teriam se comprometido com a segurança do evento.

A demora da ação policial durante as depredações foi criticada pelo próprio secretário da Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella. Ele admitiu que houve um equívoco por parte da PM ao se manter distante do protesto. O prejuízo estimado da concessionária de veículos destruída pelos vândalos é de 3 milhões de reais.

Texto: Eduardo Gonçalves, na Veja

terça-feira, 1 de julho de 2014

Barbosa se despede do STF e diz sair de alma leve.

Foto: Nelson Jr. / SCO / STFA
Joaquim Barbosa: Um homem que as pessoas de bem do Brasil jamais esquecerão e sempre respeitarão.
A Justiça brasileira perde um dos mais capazes e justos operadores do direito, no país. Com a aposentadoria de Joaquim Barbosa, e sua despedida, hoje, do STF, vai-se com ele um pouco da esperança do povo brasileiro de uma justiça séria, célere, independente e equilibrada para todos.
Apesar de os poderosos políticos que gerem, desbragadamente, o país o encararem como uma "pedra no sapato" por não abrir mão da legalidade e respeito aos Princípios Constitucionais, considerando-o, tão somente como o primeiro negro a assumir o cargo de Ministro do STF, Barbosa demonstrou conhecimento, capacidade, inteligência rara e, acima de tudo, caráter.
Ao anunciar no fim de maio que deixaria o tribunal por “livre arbítrio", pois poderia ficar até 2024, quando 
completará 70 anos, idade em que os ministros são obrigados a deixar o cargo, demonstrou que preferia deixar o STF que conviver com pessoas que não comungavam com sua seriedade e correção.
Ao anunciar sua aposentadoria, chegou a afirmar:
 "A minha concepção da vida pública é pautada pelo princípio republicano. Acho que os cargos devem ser ocupados por um determinado prazo e depois deve se dar oportunidade a outras pessoas. E eu já estou há 11 anos”.
Hoje, Barbosa deixou o plenário do Supremo antes mesmo de a sessão terminar. Na saída do tribunal, em conversa com jornalistas, disse apenas que sai de “alma leve” e que espera que o seu sucessor seja um bom “estadista”. Ainda não há previsão de quando a presidente Dilma Rousseff vai escolher o nome que irá ocupar a cadeira deixada por Barbosa.

Um governo à serviço do PT.



É grave a informação segundo a qual um funcionário da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República pretendia elaborar uma lista de prefeitos do PMDB do Rio de Janeiro que aderiram à candidatura presidencial de Aécio Neves (PSDB). 

Não se pode aceitar que um servidor público trabalhe na coleta de informações com o óbvio objetivo de municiar a campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), ainda mais quando se trata de dados sobre dissidentes da coligação governista. 

O espantoso caso constitui mais um exemplo de como os petistas confundem seu partido com o governo - além de revelar as táticas pouco republicanas do PT contra aqueles que ousam desafiá-lo.

Conforme informou o jornal O Globo (26/6), Cássio Parrode Pires, assessor da Secretaria de Relações Institucionais, enviou um e-mail à assessoria de imprensa do PMDB fluminense solicitando a lista de presença do almoço de lançamento da aliança entre o governador peemedebista Luiz Fernando Pezão, candidato ao governo do Estado, e Aécio.

Conhecido como "Aezão", o movimento de adesão ao tucano por parte do PMDB do Rio representa uma importante dissidência no principal partido da coligação que apoia a reeleição de Dilma e tem, inclusive, o vice na chapa, Michel Temer. 

Como o Rio é o terceiro maior colégio eleitoral do País, é possível medir o grau de apreensão no comando da campanha petista. Por esse motivo, nos últimos dias, o Planalto vem procurando reduzir o alcance da aliança favorável a Aécio, tentando mobilizar prefeitos do Estado que ainda não aderiram ao "Aezão".

Tal articulação, do ponto de vista político, é legítima. Usar a máquina do Estado para fazer uma lista de dissidentes com propósitos obscuros não é. Lembra o modus operandi de regimes autoritários, que desqualificam, perseguem e criminalizam qualquer forma de oposição.

Com impressionante naturalidade, Pires, o funcionário público que solicitou os nomes dos prefeitos ao PMDB, disse que os dados seriam usados "apenas a título de conhecimento". "Nós temos interesse em saber quais prefeitos do Rio que vão apoiar declaradamente ou que pelo menos estiveram nessa convenção com o intuito de apoiar o Aécio", afirmou ele. E continuou: "É para a gente saber quem está apoiando. A gente faz o controle de todos os pré-candidatos ao governo federal. A gente quer saber quem está do lado do Aécio, do lado da Dilma...".

Essa prática não tem rigorosamente nada a ver com o trabalho da Secretaria de Relações Institucionais, órgão que é responsável pela relação da Presidência da República com o Legislativo e com governadores e prefeitos. 

As diretrizes gerais da Secretaria no que diz respeito a assuntos federativos, conforme se lê em seu site, são "qualificar as relações com os entes federados", "fortalecer a cooperação federativa" e "operar a concertação federativa".

Fazer uma lista de prefeitos do PMDB que decidiram não apoiar a candidatura de Dilma obviamente não se enquadra em nenhum desses objetivos - e, portanto, só pode servir para ajudar a campanha eleitoral petista e constranger aqueles que dela decidiram desembarcar.
Práticas sorrateiras como essa, que visam a prejudicar a oposição, não são novidade na trajetória recente do PT. Na disputa pelo governo de São Paulo em 2006, dois emissários petistas foram flagrados num hotel com R$ 1,75 milhão, dinheirama que serviria para comprar um dossiê com informações que supostamente comprometeriam o então candidato tucano, José Serra. 

O escândalo atingiu vários petistas, inclusive alguns graúdos, como Ricardo Berzoini, à época presidente nacional do PT e coordenador da campanha à reeleição do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na ocasião, Lula qualificou esses companheiros de "aloprados".

Passados oito anos, Berzoini não só foi "reabilitado", como se tornou ministro de Dilma - justamente na Secretaria de Relações Institucionais. A respeito do contato da Secretaria com o PMDB do Rio para obter informações sobre os prefeitos do partido que decidiram apoiar Aécio, Berzoini disse que só queria "chamá-los para almoçar". Acredite quem quiser.
                    *Editorial do jornal O Estado de São Paulo 

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Por que a Petrobras esta quebrada?


Porque a Petrobras financia campanhas eleitorais do PT e desvia dinheiro para os partidos e seus membros como o US$ 1 bilhão sumido na refinaria que a Petrobras comprou em Pasadena –USA.

É fato.
A PETROBRAS se encontra endividada e sem capacidade de investimento. O seu nível de endividamento é muito superior às demais empresas petrolíferas, ficando em mais do dobro da média no setor.
O que faz uma empresa como esta que tem muitos ativos, uma marca forte e que tem praticamente o monopólio na sua atividade em território nacional possuir 32% de chances de ir à bancarrota (provavelmente o governo subsidiará a falência com algum aporte, ou seja, dinheiro do cidadão para bancar a estrutura deficitária)?
A explicação do culpado é simples, porém negligenciada por todos: O SOCIALISMO!
Longe das utopias, no mundo real e possível, o que sempre motivou o crescimento das empresas foi o foco no lucro. Quanto mais eficiente forem as medidas para alcançar este propósito, mais longe da bancarrota ficam as empresas.
E diante do exposto, as empresas buscam incansavelmente tornar-se saudáveis e competitivas fazendo em seu planejamento estratégico um arranjo possível que seja capaz de minimizar custos e maximizar ganhos sempre em busca de uma equalização ótima para obtenção dos resultados esperados.
Para tal é imperativo poder melhorar o processo produtivo com criação e aquisição de novas tecnologias e/ou melhor organização desses processos sempre de olho no que as concorrentes estão fazendo, analisando seus pontos fortes e fracos e monitorando os sinais reativos destas e do mercado.
Como se tudo isto já não fosse difícil o suficiente, uma empresa como a Petrobras (empresa mista com sua gerência sendo posta e subordinada à presidência da república) ainda tem que colocar na balança estas variáveis mercadológicas com os interesses políticos que quase sempre negligenciam o próprio mercado, se tornando uma força antagônica aos interesses da própria empresa.
*Augusto Nunes

A praga do aborto não pode se alastrar no Brasil!

A luta pela revogação da lei Cavalo de Tróia, que liberou o aborto no Brasil, está em uma nova etapa. A última campanha que fizemos sobre o tema cumpriu o seu objetivo, porque serviu como auxílio para pedir que o requerimento fosse pautado.
Se você não se lembra, a campanha pedia que o requerimento de urgência 10.413/2014 fosse pautado. Uma vez pautado e aprovado, o requerimento colocaria a votação do PL 6033/13 em regime de urgência.
Diante disso, o objetivo agora é pedir às lideranças de bancada que aprovem o requerimento e, em seguida, o referido PL, que estabelece a revogação da nefasta lei Cavalo de Tróia. 
Portanto, pedimos que você entre nesta campanha para enviar um e-mail às lideranças e pedir os dois pontos mencionados acima. Para participar basta clicar no botão ao lado.
Temos de vencer esta etapa, que não será a última. Por isso a sua participação é de extrema importância! 
Não podemos deixar que a praga do aborto tome conta do nosso país. Ajude-nos a divulgar essa campanha nas redes sociais. 
Forte abraço!
*Guilherme Ferreira e toda a equipe de CitizenGO.

Sabe nada incompetentes!


domingo, 29 de junho de 2014

As 'convicções' de Dilma.

O SOFISMA DA EMBUSTEIRA DESAVERGONHADA 
A adorada temporada de compra e venda de minutos e segundos da propaganda eleitoral gratuita, que estará no ar a partir de 19 de agosto, jamais registrada neste país. 
E à afronta à Nação representada por esse vergonhoso espetáculo soma-se o cinismo de quem tem a responsabilidade maior de zelar pela seriedade na vida pública: 
"A política que aprendi a praticar ao longo da minha vida desde a minha juventude, que me levou inclusive à prisão, implica em construir relações que sejam baseadas não em conveniências, mas em convicções".
Dilma Rousseff permitiu-se esse cínico rompante ao discursar na convenção nacional do PSD que na quarta-feira selou o apoio à sua reeleição. Não explicou a quais "convicções" se referia, mas recomendou a todos que não aceitassem "provocações que buscam baixar o nível do debate, que buscam acirrar o antagonismo". E não deixou de se gabar das "transformações rápidas e profundas" realizadas por seu governo, garantia, no futuro, de "um ciclo ainda mais rápido e duradouro de mudanças".
Esqueceu-se, apenas, de que a divisão da Nação entre "eles" e "nós" e as campanhas de difamação dos adversários fazem parte da obra política do lulopetismo. Esqueceu-se, ainda, de que seu governo é um continuado desastre econômico-financeiro, ditado por atrasada ideologia.
Poucas horas antes, Dilma havia promovido uma transformação rápida e profunda em seu governo ao trocar o titular do Ministério dos Transportes, feudo do PR, por imposição de um aliado importante, o chefão de fato daquele partido, o mensaleiro Valdemar Costa Neto, que enviara seu ultimato diretamente do presídio da Papuda. O ministro defenestrado, César Borges, também é do PR, mas o sentenciado Costa Neto decidiu trocá-lo por entender que ele "não ajudava" o PR. 
É assim que Dilma governa.
Tanta "convicção" que marcou esses recentes movimentos da campanha eleitoral é o resultado de reunião de que Dilma participou na noite de terça-feira sob o comando de seu criador, com a indispensável presença do marqueteiro oficial do PT. Ouviu e cumpriu a ordem de Lula de que não é hora de contrariar aliados.
Convém repetir o que tem sido reiteradamente afirmado neste espaço: 
Lula e os petistas não inventaram o fisiologismo político, o toma lá dá cá na composição da base de apoio parlamentar ao governo, o aparelhamento partidário que compromete a eficiência da máquina governamental e tantas outras mazelas que corrompem a vida pública no Brasil.
Na verdade, por mais de 20 anos Lula e o PT rangeram os dentes contra esses vícios, prometeram mudar "tudo isso que está aí". Em 2003 chegaram finalmente ao poder e concluíram - aliás, muito rapidamente, como prova o mensalão - que "é impossível" governar sem o apoio dos "picaretas" que, como Lula denunciara dez anos antes, infestam o Congresso. Deu no que deu.
Esse raciocínio da "impossibilidade" só faz sentido quando o pragmatismo se torna um valor fundamental. Os petistas que hoje argumentam que os fins justificam os meios - e por isso podem cultivar a incoerência e o desmando - não consideram que o fim da política é o bem comum. Seu objetivo é a manutenção do poder - e a qualquer custo, material ou moral. Mas isso tem consequências.
Em decorrência do aprimoramento das ancestrais práticas de fisiologismo político a que o PT se vem diligentemente dedicando, a falta de pudor e de coerência, a mistificação, o populismo mais rasteiro, o apego às "boquinhas", tudo, enfim, que há de mais condenável na vida pública ameaça hoje gangrenar irremediavelmente o tecido político do País, tornando o ato fundamental da cidadania, o de votar, cada vez mais um penoso exercício de escolha do menos pior.
Não se pode esperar que Lula & Cia., inebriados com as delícias do poder, reneguem seu ethos. Mas a presidente de todos os brasileiros - que diz ter "convicções" - poderia pelo menos nos poupar do cínico espetáculo que acabamos de presenciar.

*O Estado de São Paulo

Ex-aliado de Campos, Ciro Gomes diz ter 'nojo' e 'pavor' do discurso de Marina.

Ex-correligionário do pré-candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB), o ex-ministro Ciro Gomes, hoje no Pros, afirmou nesta terça-feira (24) ter 'nojo' e 'pavor' do discurso "simpatiquinho, mas mentiroso" de Marina Silva, candidata a vice na chapa de Campos.
Após o PSB romper com o governo Dilma Rousseff e decidir ter nome próprio ao Palácio do Planalto, Ciro e seu irmão Cid Gomes deixaram o partido e se filiaram ao Pros.
"Tenho pavor de ver a superficialidade irresponsável com que a Marina trata todos os assuntos do Brasil", discursou Ciro durante a convenção do Pros que oficializará o apoio à reeleição de Dilma.
"Diante de uma admiração de importante pedaço da sociedade brasileira, os artistas, os intelectuais, a Marina desconsidera que o agronegócio brasileiro paga a conta do nosso país. Tenho nojo desse tipo de discurso, que é 'simpatiquinho', mas é mentira", completou.
Ligada à área ambiental, Marina é vista por setores do agronegócio como adversária de seus interesses. A convenção do Pros está sendo realizada no auditório Petrônio Portela, no Senado.
*RANIER BRAGON - DE BRASÍLIA