sábado, 1 de outubro de 2011

Cuecão x calcinha

O que não faltam são temas importantes para este Comentário: o massacre corporativista que vem sofrendo a juíza Eliana Calmon, que teve a coragem de afirmar a existência de “bandidos de toga”; as ininterruptas lambanças do governo na área econômica; o lançamento do novo partido de Kassab, pregando, de forma um tanto irresponsável, uma nova Constituinte; e as mudanças na Polícia Militar carioca por conta dos escândalos de corrupção. Mas, como o meu Comentário do Dia é sempre em uma sexta-feira, prefiro escolher assunto mais leve. Vou falar da censura ao novo comercial da modelo Gisele Bündchen.
Ainda que o tema pareça ter menos relevância que os demais, creio que as pequenas coisas expõem até melhor os sintomas de uma sociedade doente. Quando chegamos ao ponto em que o governo se imiscui até em assuntos como este, censurando uma propaganda só porque retrata, de maneira irônica, uma ululante realidade – qual seja, o poder que a beleza feminina exerce sobre os homens desde sempre –, então é porque estamos perdidos mesmo!
A Secretaria de Políticas para as Mulheres resolveu brigar com o estereótipo da mulher gostosa que seduz o marido. No comercial, Gisele mostra que a forma “correta” para dar uma má notícia, como a batida do carro, deve ser com o corpo seminu. As feministas logo acusaram o golpe. Um absurdo! Machismo! O que elas nem sequer perceberam é que tal campanha denigre a imagem do homem, mais do que da mulher. Retrata o macho humano como pouco mais que um gorila babão, um ser autômato que canaliza toda a circulação sanguínea para a região pélvica do corpo. Como se tudo que importasse para nós fosse a forma física de Angelina Jolie, e não suas fantásticas idéias políticas...
O feminismo é uma chatice só. Geralmente, coisa de mulher mal amada, encalhada e invejosa, que detesta a beleza alheia. Eu estou com Vinícius, que pediu perdão às feias, mas defendeu que a beleza é fundamental. Deixem a Gisele em paz, desfilando suas lindas curvas na TV. Se tem algo que talvez devesse ser proibido, seria seu desfile do biquíni com a estampa do assassino Che Guevara. Algo análogo a desfilar com uma suástica nazista. Mas, mesmo neste caso extremo, sou pela tolerância. As belas e as néscias, muitas vezes uma só pessoa, têm total direito de mostrar ao mundo sua beleza e sua estultice. Não à censura!
*Texto por Rodrigo Constantino, para o Instituto Liberal

Dilma alfineta Lula.

A presidente da República, Dilma Rousseff, afirmou ontem, sexta-feira, que o Brasil não soube aproveitar as oportunidades surgidas diante da crise econômica mundial de 2008 e 2009.
Em discurso a empresários no Fórum Exame, em São Paulo, ela declarou em diversos momentos, sem criticar diretamente as medidas adotadas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na época, que "desta vez" isso não irá acontecer.
O tema da palestra da presidente era a estratégia do governo para enfrentar o atual aprofundamento da crise mundial. “O Brasil não pode, desta vez, errar na avaliação do que vai acontecer aqui como repercussão do que ocorre lá fora. Não é admissível que, diante da recessão, nós aqui sigamos sem levar isso em conta”, destacou.

A demência que retrata o Brasil de hoje...

O vereador de São Paulo, Juscelino Gadelha (foto), do PSB, propôs a concessão de título de Cidadão Paulistano ao criminoso acoitado no Brasil, Cesare Battisti.
Battisti assassinou quatro pessoas na Itália, fugiu, foi julgado a revelia e condenado a prisão perpétua. Mas veio para o Brasil, cafofo de criminosos, recebeu status de perseguido político, RG, CPF, casa e comida numa praia, e faz planos de criar uma ONG que certamente fará convênios com o governo dos ‘cumpanheros’ e embolsará o dinheiro do povo brasileiro.
E este vereador ainda quer homenageá-lo. É, vai ver que merece mesmo.
* Publicado por Adriana Vandoni

O complexado

“Quantos honoris causas (sic) ganhou o FHC?”
Palavras de Lula, o complexado.
               Num tremendo jogo pirotécnico de marketing, como se ainda fosse presidente, vai Lula caminhando pelo mundo “ser droite na vida”...
               Agora recebeu tremenda homenagem francesa, um título de doutor honoris causa, ele que sempre se envaideceu de só ter o curso primário, tendo vencido completamente na vida através da esperteza e demonstrando aos incautos brasileiros que vale mesmo a pena a esperteza e a impunidade (não necessariamente nessa ordem).
               Lula produziu, em oito anos, o governo mais corrupto de que se tem notícia. Diante de seus feitos, um outro presidente impedido poderia ser suposto mero punguista de trem da central. Ambos foram, seriam e serão sempre inocentados pelas cortes superiores de nosso país, que não mais       distinguem a fronteira entre o que é legal e o que é moral. Elidem alguns desses magistrados a vergonha na cara em nome de tecnicalidades e favores que ocultamente custam caro e muito caro e agora são chamados, com rara felicidade e maestria, de “bandidos de toga”...
               Lula interpretou bem a alma da nacionalidade e percebeu muito cedo que seus eleitores são inclusive muito piores do que os políticos que eles elegem. Juntou toda a direita oligárquica em torno dele, desde os ladrões de carrocinha de pipoca, passando pelos fazendeiros sem fazenda, até os       donos de capitanias do nordeste e norte. Concedeu aos pobres um bolsa-família que conseguiu o extraordinário recorde de permitir que 86% dos seus usuários queiram continuar usufruindo da benesse para sempre, ou seja, jamais sairão do lugar e darão voto garantido aos governos petistas...
               O presidente tornou-se muito rico, assim com como sua família, e faz agora um trottoir burguês pelo mundo, recebendo prêmios e comendas, refestelado em hotéis de luxo e proferindo palestras para quem puder desembolsar milhares de dólares. Serve também de macaquinho de empreiteiras brasileiras ou ponta de lança de grandes empresas, mero lobista que desvestiu a faixa presidencial para aceitar papéis menos nobres de estimulador de gordas comissões.
               É o rei dos consultores, mas tem um problema no seu mar de rosas.Jamais teve e terá a cultura de seu maior rival de alcova, o ex-presidente Fernando Henrique. O “príncipe dos sociólogos”, que também não é flor que se cheire, pelo menos sempre foi culto, poliglota, embora seu governo também tenha sido eivado de irregularidades, a ponto de um de seus ministros haver cunhado célebre frase que ficou para a História: “senhores, chegamos ao limite da responsabilidade...”
               Pois bem. Lula tem tudo, mas inveja a cultura do outro. Não conseguiu ler, porque dá azia; serve-se de truques aprendidos em  reuniões de sindicato para convencer os outros e chegou até a iludir os franceses no caso da compra dos 36 caças Rafalle, que afinal cozinhou em banho-maria e gerou até a defecção de um ministro da Defesa por sua sucessora.
               Lula é amigo íntimo do álcool, mas tem vergonha de sua condição. Bebe sempre a portas fechadas, embora em seu governo tenhamos visto muitos “dias seguintes”, em que o presidente, com as faces vermelhas e olhos esbugalhados de ressaca, lembrando a noite anterior, vociferava contra       adversários. Quem não se lembra das platitudes e batatadas do presidente, levanta a mão?
               Como é possível ver Lula alçado a líder mundial, espalhando conselhos aos europeus e norte-americanos, como se fosse um arauto da sabedoria? Ao invés de envaidecer a nós brasileiros, nessa terra inculta e sem premio Nobel, observamos na verdade o quanto desceu, em nome de contratos futuros não assinados, a França e o quanto desceu o mundo em termos de mediocridade intelectual. Hoje, com raras exceções, os líderes mundiais de nosso tempo são uns merdas...
               Na verdade, não teremos julgamento algum de mensalão, a não ser o que afeta as oposições, porque as chicanas jurídicas, acompanhadas pela capacidade de advogados caros, impedirão que o relator possa prosseguir no intento.
               Vivemos, num país, de mediocridade, em que o cidadão comum tem vergonha de ser honesto. Como disse a deputada Cidinha Campos: “a corrupção está no DNA do brasileiro, quanto mais ladrão mais querido.”
               A frase resume nossos leitmotivs, bem como nossa enteléquia. Aliás, a palavra “brasileiro” significa “traficante de pau-brasil junto à coroa portuguesa”. Nosso atavismo de corrupção está no       sangue...
               E Lula corporifica tudo isso que somos no subconsciente e que através de esforços civilizatórios tentamos, em vão, aperfeiçoar...
               Nosso ex-presidente, contudo, exibe uma pontinha de ciúme do antecessor, porque não conseguiu estudar. Compete com ele, nos lapsus linguae, que profere, como na tosca epígrafe desse artigo. Embora seja ídolo de nossa gente, et pour cause, não consegue inibir o complexo de inferioridade que mantém intacto no subconsciente. Quando este aflora, ataca os intelectuais e as elites que ele agora frequenta, na figura do antecessor, sem compreender que agora a elite é ele, o burguês é ele, com contas no exterior e fazendas no interior do país...
               Todo mundo sabe disso e a polícia federal não pode sair em seu encalço, porque o buraco é mais embaixo. Não viram o que aconteceu no STJ, no julgamento da operação Boi Barrica, envolvendo os Sarney? Não acontece, não dá, não sobe...
               Sabemos que temos, no país, uma espécie de santíssima trindade administrativa: a Receita Federal, a Polícia Federal e o Ministério Público, mas, além de suas limitações constitucionais, são jungidos por limitações políticas que nossos podres costumes impõem...
               E como todos estão comprometidos, salvam-se todos no camburão, ops., desculpe, no caldeirão das elites...
               Lula, o complexado semi-analfabeto que chegou à presidência,       tornou-se o gênio da raça e tudo no Brasil teve que descer à sua imagem e semelhança. Tudo o que nos acontece tem a cara dele, incluindo eventos futuros, como a Copa e as Olimpíadas. Nós vemos o país patinando em       infraestrutura, desindustrializando-se a passos largos e as cidades degenerando-se em violência e estagnação. A juventude preocupada com drogas e homossexualismo, ao invés de se centrar nos estudos e no desenvolvimento do país. E a mídia, preocupada em estupidificar o povo, em nome de uma pretensa audiência comercial.
               Na verdade, a esperança é a Internet, antes que os Dirceu da vida a possam censurar, tendo instaurar um regime cubano ou coreano do norte, com todas as consequências funestas que já conhecemos.
               O complexado continuará viajando o mundo com sua entourage, forçando-nos a recordar toda a sua trajetória dentro do país. Está clara a sua estratégia de ser coroado um Nobel da Paz, cobrindo o país mais uma vez de vergonha e nossas elites de frouxos de risos.
               Porque além de sermos reconhecidos lá fora como o país do samba, do carnaval, das florestas tropicais, bem como da violência e da corrupção irrefreáveis, vamos ter que engolir o complexado, como se fosse nossa marca registrada do século XXI.
               É dose, mas Freud explica!
*Texto por Waldo Luís Viana - escritor, economista, poeta, que já fez terapia...

Aloysio Nunes diz que PSDB-SP ignora a ele e a Serra

O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) usou o Twitter nesta sexta-feira (30) para reclamar que ele e o ex-governador José Serra (São Paulo) foram "ignorados" pelo diretório do PSDB em São Paulo na propaganda política da legenda.
Nunes disse que não foi consultado sobre as peças publicitárias que estão sendo exibidas. "Resolvi passar recibo publicamente porque sequer fui consultado a esse respeito. Há quase uma década sem representação no Senado, o PSDB paulista me ignorou na propaganda política que está no ar", disse o   tucano no microblog.
E completou: "A propaganda do PSDB ignora também o líder político com a trajetória e o prestígio popular de @joseserra_ [referência ao perfil do ex-governador]. Vamos bem assim".
COMENTO: Não quero entrar na seara íntima dos partidos políticos, mas se observarmos que Aloysio Nunes é único Senador do PSDB por São Paulo, se considerarmos que José Serra foi Prefeito de São Paulo e Governador do maior Estado do País, além de ser o membro do PSDB mais conhecido no país, chego a conclusão de que o PSDB, mais depressa do que imaginei, vai se deteriorando e implodindo, não sem antes se tornar provinciano e sem gosto, bem ao modo de Alckmin, o "xuxu".
Geraldo Alckmin, assim, comprova o que tanta gente diz em São Paulo e Brasília: "...FHC é a múmia e Alckmin é o coveiro do PSDB".

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher

A bela Juliana Paes

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Para o PSTU estupro e pedofilia é "culpa" do capitalismo.

A polícia de Bauru (329 km de SP) investiga a suspeita de que um advogado tenha abusado sexualmente de um filho de 9 anos, da filha, hoje com 18, de uma sobrinha de 13 e também de uma cunhada de 18 anos.
Segundo a polícia, o advogado S.L.F., 45, assessor jurídico do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Bauru e Região, foi denunciado pela filha no dia 1º.
A garota, ainda segundo a polícia, contou que foi abusada pelo pai dos 8 aos 16 anos. Ela disse, de acordo com informações passada pela polícia, ter sido apalpada nas partes íntimas e forçada a fazer sexo oral nele.
A sobrinha e a cunhada fizeram acusações semelhantes à polícia. Os casos são anteriores a 2009, elas dizem.
Ontem foi a vez do filho de 9 anos depor. Segundo a polícia, o menino diz ter sofrido abuso do pai recentemente.
A delegada Priscila Alferes pediu anteontem a prisão temporária do advogado. A Justiça negou, alegando que, como as testemunhas já haviam sido ouvidas, o acusado não teria mais como interferir na investigação.
A sentença, porém, determina que S. fique a cem metros da filha e da cunhada -o filho menor ficou de fora da decisão pois não havia prestado depoimento à polícia quando o pedido foi feito.
Agora, a delegada deve pedir a prisão preventiva de S.
"ELE É UM MONSTRO"
À TV Globo, a filha de S. disse que foi à polícia ao saber que o pai também havia abusado da sobrinha e da cunhada. Ela afirma que, quando criança, contou o caso à mãe, mas nada foi feito.
"Eu sei que o que ele fez é errado. Eu não quero ser igual à minha mãe e fingir que nada aconteceu. Eu quero tomar uma atitude, mostrar para todos quem ele é. Ele não é perfeito, é um monstro, pedófilo. Quem faz esse tipo de coisa não é pai, é um monstro. Eu tenho nojo dele."
Cunhada de S., a tia que está com as crianças disse à Folha estar "revoltada" e "enojada" com o caso. Ela afirma nunca ter notado nada.
Segundo a tia, o menino de 9 anos declarou à polícia que não entendia o que se passava, porque os "pais não falavam que era crime, que em família, podia". O que mais a chocou, diz, foi ter ouvido do garoto que o pai fez "xixi branco" no pé dele.
Ao justificar a acusação, o pai falou a familiares que iria se tratar pois "estava doente", conforme a versão da tia.
Ela acusa a irmã, mulher de S., de ser conivente. O casal sumiu, afirma. O advogado levou o computador e o celular de casa e os escondeu, diz a mulher, que pediu para não ter o nome revelado.
S. já se candidatou a prefeito e vereador em Bauru pelo PSTU, mas não se elegeu. Ele foi coordenador da Comissão de Direitos Humanos da OAB.
O PSTU informou que S. está fora do partido há três anos e exigiu apuração do caso. "Essas situações são fruto do modo de produção capitalista, que utiliza a opressão como meio de manter a exploração", diz o PSTU.
*Colaborou REYNALDO TUROLLO JR.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Pois é! E agora?


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes saiu nesta quarta-feira, 28, em defesa da corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Eliana Calmon, e admitiu que o Judiciário, como qualquer outra instituição, enfrenta casos isolados de desvios de conduta. O ministro disse não ver más intenções nas declarações de Eliana - de que a magistratura "está com gravíssimos problemas de infiltração de bandidos que estão escondidos atrás da toga" - e atribuiu a frase ao envolvimento dela com a atuação na corregedoria. "Acredito até que a ministra está muito estimulada com seu trabalho. Quem lida com problemas concretos certamente se empolga e quer resolvê-los", afirmou Mendes, que participou de seminário sobre guerra fiscal realizado na capital paulista.

Casal Garotinho, é cassado no Rio.

Casal Garotinho é condenado por abuso de poder político e Rosinha tem o mandato de prefeita de Campos cassado.
RIO - A 100ª Zona Eleitoral de Campos determinou, nesta quarta-feira, a cassação dos diplomas da prefeita Rosinha Garotinho e do vice Francisco Arthur de Souza Oliveira. Eles foram condenados em processo por abuso de poder econômico em razão de uso indevido de veículo de comunicação social. Na quinta-feira, a partir da publicação da decisão, a Câmara de Vereadores será notificada e orientada a empossar o seu presidente no cargo. A juíza responsável pelo caso, Gracia Cristina Moreira do Rosário, decidiu ainda que os dois ficariam inelegíveis por três anos, a contar da eleição de 2008 - ou seja: poderiam concorrer às eleições de 2012, já que a punição acaba em outubro de 2011. De acordo com a decisão, também o deputado federal Anthony Garotinho e os radialistas Fábio Paes, Linda Mara Silva e Patrícia Cordeiro, pelo mesmo motivo, ficam inelegíveis pelo mesmo período.
A sentença, no entanto, cabe recurso, e os condenados tem o prazo de três dias para apelar ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ). Na prática, Rosinha deve permanecer no cargo e defender-se amparada por um mandado de segurança que garante o mandato até o julgamento do novo recurso.
Por meio de seu blog, o deputado Garotinho, no final da tarde desta quarta, afirmou:
"Neste momento a prefeita Rosinha Garotinho está discursando em cima de um trio elétrico falando para uma verdadeira multidão e dizendo que não deixará a Prefeitura. Nossos advogados já deram entrada num Mandado de Segurança junto ao TRE - RJ"
A Ação de Investigação Judicial Eleitoral foi ajuizada pela Coligação "Coração de Campos" e pelo então adversário de Rosinha Garotinho na disputa à Prefeitura, Arnaldo França Vianna. A juíza Gracia Cristina Moreira entendeu haver provas de que a prefeita e o vice eleitos haviam sido beneficiados por propaganda eleitoral irregular veiculada em meio de comunicação do grupo O Diário. Os radialistas teriam utilizado o espaço concedido por meio dos programas em que atuam ou são dirigidos por Anthony Garotinho para promover a candidatura de Rosinha.
A Câmara de Vereadores de Campos dos Goytacazes já foi comunicada, por ofício, sobre o teor da decisão que cassa a prefeita Rosinha Garotinho. Como as irregularidades ocorreram antes da aprovação da Lei Complementar "ficha limpa", a juíza aplicou o prazo de 3 anos de inelegibilidade.
A filha do casal, Clarissa Garotinho, protestou:
- Foi uma decisão injusta. A Justiça mais uma vez decidiu por motivação política. É lamentável que o Governo do Estado tenha influência jurídica. Nem o Judiciário nós podemos confiar mais. É minha mãe e estou indo para Campos - disse, ao justificar sua ausência na Assembleia Legislativa do Estado do Rio. ( O globo)

EUA prendem homem que preparava atentado contra o Pentágono

Autoridades americanas detiveram, nesta quarta-feira, perto de Boston, no nordeste do país, um homem que preparava atentados contra alvos governamentais em Washington utilizando pequenos aviões movidos por controle remoto carregados de explosivos, informaram fontes oficiais.
Rezwan Ferdaus, 26 anos, foi acusado de querer atacar o Pentágono e o Capitólio e tentar fornecer material para fabricação de bombas com o fim de usá-las contra soldados americanos no Iraque, informou em um comunicado a promotora federal do distrito de Massachussetts, Carmen Ortiz.
"A conduta alegada hoje mostra que Ferdaus planejava com antecedência cometer atos violentos contra o nosso país, inclusive com ataques ao Pentágono e ao Capitólio", disse Ortiz.
No âmbito do suposto complô, uma equipe de agentes do FBI disfarçados atuaram como cúmplices, fornecendo a Ferdaus um avião movido por controle remoto, explosivos C4 e armas leves que ele supostamente planejava usar em ataques simultâneos em Washington.
Ferdaus supostamente modificava telefones celulares para usá-los como dispositivos elétricos em bombas que seriam usadas contra tropas americanas no Iraque. "Era exatamente o que eu queria", teria dito quando lhe contaram, falsamente, que um dos telefones que preparou havia sido usado em uma bomba que matou três soldados.
No entanto, "as pessoas nunca correram perigo por causa dos artefatos explosivos, que eram controlados por funcionários do FBI disfarçados", reforçou a polícia federal americana.
Em maio e junho de 2011, o jovem enviou dispositivos de armazenamento de dados para a equipe de policiais disfarçados com planos passo a passo da sua suposta trama. Eles incluíam o uso de três aviões movidos por controle remoto e seis pessoas que receberiam fuzis de assalto e granadas. Segundo o FBI, o plano era usar o "ataque aéreo" contra locais-chave. O domo do Capitólio seria explodido "em pedaços", teria dito Ferdaus, segundo a denúncia.
De acordo com uma declaração feita a um agente obtida pela AP, Ferdaus disse que queria conduzir uma explosão psicológica nos americanos, os "inimigos de Alá", atingindo o Pentágono, que ele chamou de "cabeça e coração da cobra".
Em uma conversa com um informante federal, Ferdaus supostamente explicou que em tempos antigos, Deus usava desastres naturais para punir civilizações más, e ele iria usá-las hoje. "Nós temos que fazer isso", afirmou, de acordo com a declaração. "Alá nos deu esse privilégio... ele pune (as civilizações) pelas nossas mãos. Somos os escolhidos."
Richard DesLauriers, agente especial encarregado do FBI em Boston, disse que a detenção de Ferdaus demonstrou que "um indivíduo comprometido, mesmo sem ter ligação direta com, ou treinamento formal de uma organização internacional terrorista, pode representar um sério risco para a comunidade".
Ferdaus foi detido em Framingham, perto de Boston, imediatamente após colocar armas recém-entregues em um contêiner, acrescentou o FBI. Ele fez sua primeira apresentação à corte perante um juiz federal em Worcester, Massachusetts, esta quarta-feira, e tem uma audiência marcada para a próxima segunda.
Se for condenado, Ferdaus pode pegar 15 anos de prisão por apoiar uma organização terrorista estrangeira, até 20 anos por tentar destruir locais de defesa nacionais e a mesma pena por tentar usar explosivos contra prédios de propriedade dos Estados Unidos.
Autoridades descreveram Ferdaus como um graduado em Física da Universidade de Northeastern, seguidor da Al-Qaeda e comprometido com a "jihad violenta" desde o início do ano passado. De acordo com a pouca informação pessoal divulgada do acusado, ele é solteiro e não tem filhos. Aparentemente, também possuía habilidades para trabalhos técnicos.
*Com AFP e AP

França afirma que política nuclear do Irã aumenta risco de ataque

O representante francês na ONU afirmou na noite da última terça-feira que o Irã se arrisca a um ataque militar se continuar com a política nuclear, porque alguns países não aceitariam armas nucleares em Teerã.
Questionado sobre o que aconteceria se o Irã conseguisse produzir armamento nuclear, o embaixador francês Gerard Araud afirmou que outros países não aceitariam, em um comentário surpreendentemente franco em um painel de discussão em Nova York.
"Pessoalmente, estou convencido de que alguns países não aceitariam esta perspectiva", disse Araud. O embaixador afirmou que o perigo de um conflito é o motivo pelo qual Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Alemanha, Rúsia e China tentam negociar com o Irã.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Toga em conflito

BRASÍLIA - O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Nelson Calandra, anunciou na tarde desta terça-feira que provocará a corregedora-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Eliana Calmon, a apontar quem seriam os bandidos de toga existentes no Judiciário.
O presidente da AMB disse que a corregedora teve um destempero verbal e que propagou lendas de como seria difícil inspecionar o Judiciário de São Paulo.
O estopim da crise foram os comentários de Eliana Calmon sobre a impunidade para "bandidos escondidos atrás da toga".
Calandra não é o primeiro a reagir. Mais cedo, o próprio presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso, soltou nota repudiando as declarações de Eliana Calmon.
O presidente da AMB sinalizou que as críticas da corregedora ocorrem de maneira entristecedora, às vésperas do julgamento pelo STF da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) movida pela AMB contra a resolução 135, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que normatiza as punições disciplinares contra magistrados.
Acho que não há bandidos de toga. São ataques impróprios, sem nomes, sem provas. Exigimos respeito e reconhecimento. Estamos aqui para prestar contas. O que nós fazemos é prestar contas boa parte do tempo
- Não precisa de guarda para guardar os guardas. O CNJ quer assumir esse papel. Acabam-se as corregedorias nos estados e o CNJ cuida do Brasil inteiro. O Judiciário não tem que ter motivos de vergonha para nenhum brasileiro - afirmou Calandra
Na ação, a AMB contesta integralmente a resolução 135. Calandra defende que o número de magistrados que respondem a processos disciplinares é irrisório perto do tamanho da magistratura. Segundo ele, a ministra Eliana Calmon deverá apontar os bandidos para que não se cometa injustiça contra a classe inteira.
- Acho que não há bandidos de toga. São ataques impróprios, sem nomes, sem provas. Exigimos respeito e reconhecimento. Estamos aqui para prestar contas. O que nós fazemos é prestar contas boa parte do tempo.
*Por Roberto Maltchik, em o globo

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Convicção científica sobre a farsa do aquecimento global.

Ivar Giaever, Prêmio Nobel de Física 1973
Ivar Giaever, Prêmio Nobel de Física 1973 renunciou à famosa American Physical Society (APS) em 13 de setembro de 2011 como forma de condenar a posição oficial da associação sobre o aquecimento global.
Giaever é professor emérito do Rensselaer Polytechnic Institute, em Troy, Nova York, e da Universidade de Oslo.
Em 2007, a APS adoptou uma declaração oficial segundo a qual as atividades humanas estão mudando o clima da Terra.
“As evidências são incontestáveis: O aquecimento global está ocorrendo”, afirmava o documento repelido pelo Prêmio Nobel.
“Se não forem empreendidas ações mitigadoras provavelmente acontecerão rupturas significativas nos sistemas físicos e ecológicos da Terra, nos sistemas sociais, atingindo a segurança e a saúde humana. Precisamos reduzir as emissões de gases de efeito estufa a partir de agora”, martelava o documento.
Giaever enviou um e-mail para Kate Kirby chefe da APS explicando que “ele não pode conviver com essa declaração” quando a temperatura global continua “surpreendentemente estável” e até diminuindo.
Na APS, explicou o cientista, pode-se discutir todos os temas científicos, menos um que é tratado como ‘tabu intocável’: “o aquecimento global deve ser tratado como evidência indiscutível?”
“A alegação de que a temperatura da Terra passou de 288,0 para 288,8 graus Kelvin em cerca de 150 anos, se for verdade significa que a temperatura tem sido surpreendentemente estável, e a saúde humana e a felicidade melhoraram indiscutivelmente neste período de 'aquecimento'”, acrescentou o Prêmio Nobel.
“O aquecimento global tornou-se uma nova religião; ouvimos muitas advertências semelhantes sobre a chuva ácida, há 30 anos, e o buraco de ozônio de 10 anos atrás ou sobre o desmatamento”, defende ele apontando que as profecias catastrofistas não se verificaram.
“O aquecimento global tornou-se uma nova religião e nós todos freqüentemente ouvimos falar do número de cientistas que o apóiam. Mas o número não é importante... Só importa saber se os cientistas estão corretos ou não. E, realmente nós não sabemos no que é que consiste o efeito real da atividade humana sobre a temperatura global”, acrescentou.
Giaever é um dos cientistas mais proeminentes citados no ‘Minority Report 2007’ da Comissão do Meio Ambiente e Obras Públicas do Senado dos EUA (atualizado em 2009).
Ele figura entre os 400 “cientistas dissidentes” que denunciaram em manifesto o mito do “aquecimento global” e que hoje aumentaram para 700.
Giaever também foi um dos mais de 100 co-signatários da carta de 30 de março de 2009 ao presidente Barack Obama, criticando sua postura sobre o aquecimento global.

Cheirando mal...

Eduardo e Ana
O governador socialista de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e a mãe dele, a deputada federal, que também se diz socialista,  Ana Arraes (PSB-PE), já pagaram cerca de R$ 300 mil em verbas públicas a uma locadora de automóveis de uma filiada ao PSB, informa reportagem de Fernando Mello e Filipe Coutinho, publicada no Jornal Folha de São Paulo desta terça-feira ( nas bancas).
A sócia majoritária da empresa, Renata Ferreira, é filiada ao PSB, legenda presidida pelo governador.
Ela também tem emprego, como terceirizada, no Ministério de Ciência e Tecnologia e seu pai trabalha no gabinete de Ana Arraes desde 2007.
Graças à mobilização feita pelo filho, Ana Arraes foi eleita na semana passada para o TCU (Tribunal de Contas da União), órgão que fiscaliza o uso de verba pública.
COMENTO: A coisa cheira mal. Para começar é "socialista arrumando a vida de socialista". Prece um jogo de cartas marcadas. O pior é que a Sra. Ana Arraesl, mesmo antes de ser indicada, e seu nome aprovado pelo Senado, já se expressava com uma frase, no mínimo, aterradora perante às leis: "...às vezes embarcar uma obra se torna até mais caro do que deixá-la como está ( superfaturada)...
É, a oposição tem que se mexer!!!

Cuba ofereceu área petrolífera promissora para a Petrobras

Os telegramas confidenciais do Itamaraty demonstram que Cuba "separou" para a brasileira Petrobras lotes promissores de petróleo em águas cubanas.
Os lotes foram excluídos pelo governo cubano de uma licitação internacional, na qual 85 empresas estrangeiras manifestaram interesse em participar.
Telegrama do Itamaraty para a embaixada em Havana descreve a ação.
Durante visita, o ministro-conselheiro da embaixada "comunicou a intenção desse país de não incluir, na licitação pública internacional para os seus blocos de petróleo, aqueles blocos anteriormente oferecidos ao Brasil".
Segundo o diplomata, os lotes repassados ao Brasil, localizados a cerca de 300 km de Havana, "seriam os mais promissores".
A atividade da Petrobras teve início cinco anos depois. O Brasil deu outro nome ao negócio. "Trata-se da primeira parceria de Cuba com país da América Latina no setor", diz telegrama enviado de Havana.
O ato que deu início às pesquisas teve a presença de Fidel Castro.
O tema esteve presente numa visita do ministro de Governo de Cuba, Wilfredo Lopez Rodriguez, ao então ministro de Minas e Energia, Raimundo Brito.
"O visitante fez questão de registrar que, apesar de o governo cubano não reconhecer a legitimidade da Lei Helms-Burton, inexiste qualquer reivindicação de cidadãos ou empresas americanas quanto ao bloco L [sítio oferecido pela concessão à Petrobras]", diz texto do Itamaraty.
Os planos da Petrobras, contudo, restaram apenas como atividades exploratórias entre 1998 e 2001.
Em 2008, o governo Lula voltou a assinar com Cuba um protocolo de intenções, e a Petrobras instalou na ilha um escritório de representação, em busca "de novas oportunidades de negócio". (FO E RV)
*FOLHA DE SÃO PAULO - 25/09/2011

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

E a oposição baba na gravata

Imagem: abobado
Reportagem de ontem de O Globo mostrou que o governo federal  executou só 0,5% do programa “Minha Casa, Minha Vida” e que a liberação de recursos para algumas das principais promessas de Dilma Rousseff para este ano não chega a 10%.
Vocês já cansaram de ver a lista e a conta neste blog, certo?
Se vocês clicarem aqui, encontram uma lista de links para textos que tenho escrito a respeito desse assunto desde, atenção!, 31 de janeiro deste ano.
“Pô, Reinaldo, a mulher estava no poder havia apenas 31 dias, e você já estava cobrando cumprimento de promessas?”
Não!
Naquele texto, tratei das promessas que ela já não havia cumprido como “gerentona” do governo Lula e listei aquelas que ela certamente não cumpriria como presidente — ou melhor: não cumprirá.
Além de 2 milhões de casas até 2014 (e vocês têm de se lembrar do outro milhão anunciado no governo Lula), a presidente prometeu para este ano:
 3.288 quadras esportivas em escolas;
 1.695 creches;
 723 postos de policiamento comunitário;
 2.174 Unidades Básicas de Saúde;
 125 Unidades de Pronto Atendimento.
Pois bem, no “Minha Casa, Minha Vida”, executou-se apenas 0,5% do previsto; nos demais casos, a liberação não chega a 10%. Já demonstrei hque, no ritmo que o governo federal entrega as casas, serão necessários 26 anos para cumprir a promessa dos 3 milhões de moradias.
Ontem, a Folha noticiou que, na base da pura canetada, a Infraero aumentou o número de passageiros/ano dos 13 aeroportos da Copa em estupendos 107 milhões.
Foi assim, num estalo de dedos: “Ooops, erramos as contas!”
Ruim de serviço
A verdade insofismável é que Dilma é ruim de serviço pra chuchu.
Já era, não custa lembrar.
1 - Foi a gerentona no governo Lula e assistiu impassível ao estrangulamento dos aeroportos. Nada fez! Ou melhor, fez, sim, uma coisa muito ruim: bombardeou as propostas de privatização. Depois teve de correr atrás do capital privado, na bacia das almas.
2 - O marco regulatório que inventou para a privatização das estradas federais enganou o Elio Gaspari direitinho — e todos os “gasparzinhos” que tentam imitá-lo—-, mas não conseguiu fazer o óbvio: duplicar rodovias, melhorar o asfalto, diminuir o número de vítimas. Cobra um pedágio “barato” para oferecer serviço nenhum. Ou seja: é caro demais! Um fiasco completo!
3 - O Brasil foi escolhido para a sede da Copa do Mundo há 47 meses. Em apenas nove, de abril a dezembro de 2010, ela esteve fora do governo. Era a tocadora de obras de Lula e é a nº 1 agora. E o que temos? Seu governo quer uma espécie de AI-5 das Licitações para fazer a Copa. Quanto às obras de mobilidade, Miriam Belchior entrega o jogo: melhor decretar feriado. 
4 - Na economia, há um certo clima de barata-voa. Posso não compartilhar das críticas, a meu ver exageradas, ao corte de meio ponto nos juros estratosféricos, mas isso não quer dizer que eu note um eixo no governo. A turma me parece até um tantinho apavorada. A elevação do IPI dos carros importados é um sinal de que estão seguindo a máxima de que qualquer caminho é bom para quem não sabe aonde vai. A Anfavaea foi mais eficiente no lobby. Cumpre aos outros setores fazer também o seu chororô. O único que vai perder é o consumidor…
5 - Na seara propriamente institucional, Dilma deixa que prospere o debate da reforma política como se ela não tivesse nada com isso. Parece Obama referindo-se aos políticos como “o pessoal de Washington”. Ela poderia dizer: “O pessoal de Brasília”…
6 - Abaixo, Ideli Salvatti, ministra das Relações Institucionais, afirma que o governo vai tentar, sim, um novo imposto para financiar a Saúde — a presidente prometeu de pés juntos que o governo não recorreria a esse expediente.
7 - As promessas na área social para seu primeiro ano de governo naufragaram, como se vê acima. Não vai entregar as UPAs, as quadras, as casas, os postos policiais…
Não obstante, a presidente tem angariado algumas simpatias mesmo em setores não exatamente entusiasmados com o petismo.
É compreensível.
A gigantesca máquina de propaganda, como sempre, atua com grande competência.
Mas não responde sozinha pelo “sucesso”.
A oposição no país, excetuando-se alguns guerreiros isolados, é sofrível, beirando o patético.
Tornou-se refém dos pedidos de investigação das denúncias de corrupção.
Como a presidente pôs na rua alguns valentes, mais fatura ela com a “faxina” dos que seus adversários com as acusações.
Falta uma agenda — quando não sobra, sei lá como chamar, “adesismo tático” que se finge de estratégia.
O que pensam mesmo sobre as ações do governo os candidatos a líderes do PSDB?
Parece que, no momento, organizam um seminário, ou coisa assim, para exumar as virtudes do Plano Real e coisa e tal.
Eu sou o primeiro a afirmar, e o faço há uns 10 anos, que as conquistas do governo FHC têm de ser exaltadas — mas daí a transformar em aríete da luta política vai uma grande diferença.
Como fica claro, é uma batalha que vem com 10 anos de atraso.
O partido espera apresentar uma resposta para os problemas de 2011 quando?
Em 2021?
O DEM tem espasmos de acerto aqui e ali, mas consegue ser mais notícia tentando criar dificuldades para o PSD do que facilidades para si mesmo.
Como Dilma pode estar cercada de incompetentes, mas não de estúpidos — longe disso!—, percebeu que o desgaste junto ao tal “povão”, se vier, está distante, com o país funcionando quase a pleno emprego e ainda consumindo bem.
A inflação preocupa, sobretudo porque é visível que eles não sabem o que fazer, mas nunca ninguém viu massas saindo às ruas por causa de 6,5% ou 7%.
Como disse a ministra Ideli Salvatti na entrevista ao Estadão (ver abaixo), “a gente vai levando…”
Os chamados setores médios estão sendo conquistados pela pose de austera da soberana, por seu decoro no poder — que é real se comparada a seu antecessor — e por não endossar certas boçalidades da tropa de choque lulo-petista no subjornalismo. Na ONU, ao falar de seu compromisso com o combate à corrupção, exaltou, e com justiça e justeza, o trabalho da imprensa — aquela mesma que a ala metaleira do PT quer debaixo de chicote.
Assim, uma das “virtudes” de Dilma consiste em não ser uma especuladora, não pessoalmente ao menos, contra as instituições, como é Lula.
É claro que, estivéssemos com os meridianos democráticos bem-ajustados, a defesa que o Apedeuta fez, em pleno Palácio do Jaburu, de uma Constituinte só para fazer a reforma política — tese de óbvio sabor chavista — requereria uma fala da Soberana.
Mas dela nada se cobra.
Do mesmo modo, teria de falar se endossa o financiamento público de campanha do modo como o propõe seu partido: uma patranha para encher os cofres do PT e estrangular a oposição.
Nada!
Parece que o país em que se debate a reforma política não é aquele que ela preside.
Lá com os seus botões, Dilma deve pensar:
“Governar o Brasil é bolinho; nem é preciso acertar.
E enfrentar a oposição é fácil; difícil é aturar a base aliada”…
*Texto por Reinaldo Azevedo

Demóstenes vê em Lewandowski dançarina do Tchan

Senador Demóstenes Torres-Foto:José Cruz/ABr
Presidente e líder do DEM, os senadores José Agripino Maia e Demóstenes Torres acompanharam cada segundo da sessão noturna do TSE, que iniciou o julgamento do pedido de registro do PSD de Gilberto Kassab.
Os dois estranharam o teor do voto da relatora, ministra Nancy Andrigui. Ela ignorou resolução do próprio TSE ao referendar as assinaturas de apoiadores do novo partido, nascido de uma dissidência do DEM.
Mostraram-se especialmente surpresos com o comportamento do presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski.
“Foi a primeira vez que eu vi um ministro de tribunal voltar aos tempos de advogado para defender abertamente a criação de um partido”, disse Demóstenes.
Ministro Lewandowski
Sem meias palavras, ele acrescentou: “O Lewandowski fez lembrar seus tempos de advogado de sindicato. Ele pode cobrar honorários do Kassab.”
Em conversa com o blog, Demóstenes criou uma analogia para facilitar o entendimento do modo como viu a sessão que inaugurou a análise do papelório do PSD.
O senador enxergou o plenário do TSE como o antigo grupo musical ‘É o Tchan’, aquele conjunto de axé em que a bailarina loira rivalizava com a dançarina morena.
Pense no ministro Ricardo Lewandowski como uma das bailarinas e no ministro Marco Aurélio Mello como a outra, os dois se odiando.
Foi assim que Demóstenes viu a sessão:
“Todo mundo que assitiu pela TV Justiça teve a oportunidade de ver o Lewandowski dançando na boquinha da garrafa e o Marco Aurélio se esforçando para segurar o Tchan.”
Referia-se ao debate que opôs Lewandowski a Marco Aurélio. O primeiro tentando apressar o registro do PSD. O outro defendendo o respeito ao rito processual do TSE.
Demóstenes soou irônico também ao referir-se à relatora Nancy Andrigui. Disse que a ministra almeja ser nomeada para o STF, na vaga da aposentada Ellen Gracie.
Daí, segundo ele, a “matemática” que levou Nancy a computar como legítimas rubricas de apoiadores do neogovernista PSD sem a necessária conferência dos TREs.
Demóstenes fez troça: “Em matéria de matemática, a ministra revelou-se adepta das cartilhas do MEC.”
Agripino e Demóstenes ainda ruminam a expectativa de que o TSE negue o registro reinvidicado pelo PSD.
O DEM é um dos partidos que tentam impugnar no TSE a criação da nova agremiação.
A legenda presidida por Agripino e liderada no Senado por Demóstenes ainda abriga em seus quadros, além de Kassab, 17 congressistas do futuro PSD.
É gente que, embora já tenha feito as malas, aguarda pela certidão de nascimento do TSE para completar a mudança.
*Texto por Josias de Souza, na Folha

Dilma no circo da ONU.

O Brasil é a maior diversão. Na pantomima da Assembléia Geral da ONU, o país apareceu de novo com uma novidade.
Depois do presidente-operário, a presidente-mulher. Mais um número infalível. Nunca antes na história da ONU uma mulher abriu a sessão da Assembléia Geral etc etc.
E quem é esse grande ícone feminino que entrou para a história da diplomacia internacional?
Segundo a revista “Newsweek”, em matéria de capa, Dilma Rousseff é uma comandante tão severa que já teria feito burocratas do Estado caírem no choro.
A revista americana diz também que a temida presidente brasileira espanou os corruptos e os substituiu por pessoas de sua confiança, sempre lideradas por outras mulheres.
“Não mexam com Dilma” é o título da reportagem. Mas poderia ser também: “A Mulher Maravilha da Newsweek”.
Melhor não contrariar. Não daria para botar a super Dilma na capa se a história fosse contada direito: os corruptos demitidos eram as “pessoas de sua confiança”, ou da confiança de seu padrinho.
E a mulher escolhida por Dilma para liderar seu governo era Erenice, a rainha do tráfico de influência.
A comandante durona que, na literatura da “Newsweek”, leva marmanjos às lágrimas, na vida real é a presidente desnorteada, que dedica seu primeiro ano de governo à partilha de cargos entre os companheiros – e nas horas vagas demite os que a imprensa desmascara.
Em Brasília, Dilma declarou que a limpeza não seria pautada pela imprensa. Em Nova York, declarou que a imprensa é vital para a limpeza.
No Brasil, seu partido ruge pelo “controle social” da mídia e ela se cala. Na ONU, se apresenta como militante da liberdade de expressão.
É um conto de fadas que o circo da diplomacia internacional adora.
Dilma Rousseff se encaixou com perfeição na Assembléia Geral da ONU. Numa reunião tradicionalmente inútil, fez seu discurso tradicionalmente insípido.
Dentre as pérolas de estadista-mulher estava um diagnóstico, por assim dizer, sensível da crise mundial: a falta de soluções “não é por falta de recursos financeiros” dos países ricos, “é por falta de recursos políticos”.
*Por e-mail, via grupo Resistência Democrática

José Sarney é alvo de críticas no Rock in Rio.

Uma semana após ter o filho, Fernando Sarney, beneficiado por decisão judicial em processo que apura corrupção, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), foi alvo de críticas no maior evento musical do ano no Brasil, Rock in Rio.
Por Denise Madueño, no Estadão:
A banda Capital Inicial dedicou a música "Que País É Esse" especialmente a Sarney durante críticas a "oligarquias que parecem ainda governar o Brasil" e a políticos.
"(Oligarquias) que conseguem deixar os grandes jornais brasileiros censurados durante dois anos, como O Estado de S. Paulo, cara. Coisas inacreditáveis", disse o cantor da banda, Dinho Ouro Preto, ao anunciar a música.
"Essa aqui é para o Congresso brasileiro, essa aqui, especial para José Sarney", nominou o cantor, perante um público estimado em 100 mil pessoas.
A música "Que País É Esse?" foi composta por Renato Russo na década de 70, quando o País ainda vivia sob ditadura militar. Na época, Renato Russo tinha sua primeira banda de rock em Brasília, Aborto Elétrico, precursora do Legião Urbana.
Com versos simples, a música se tornou um hit de protesto e de indignação. "Nas favelas, no Senado/Sujeira pra todo lado/Ninguém respeita a Constituição/Mas todos acreditam no futuro da nação/Que país é esse?/Que país é esse?/Que país é esse?", diz a letra.
O Superior Tribunal de Justiça (STJ), na semana passada, anulou as provas da investigação da Polícia Federal, conhecida por Operação Boi Barrica, por ter considerado ilegais as interceptações telefônicas feitas, com autorização judicial, durante a operação.
A decisão do STJ deixa a apuração da PF praticamente na estaca zero.
As escutas e informações colhidas sobre movimentação financeira levaram a PF a abrir cinco inquéritos e apontar indícios de tráfico de influência no governo federal, formação de quadrilha, desvio e lavagem de dinheiro. Fernando Sarney chegou a ser indiciado.
As revelações sobre a operação feitas pelo Estado em 2009 levaram a Justiça a decretar censura ao jornal. O desembargador Dácio Vieira, que mantém relações sociais com o senador José Sarney, proibiu o jornal de veicular reportagens da investigação da PF. No sábado do show, a censura completou 785 dias. 
COMENTO: A crítica é válida. Sarney representa o que de pior há na política nacional. Mas o que surpreende é a capacidade desses aristas blindarem quem, realmente, permite que a corrupção grasse no país, de forma deplorável e sistemática: Os petistas.
Ninguém lembrou de criticar Dilma, Lula, Zé Dirceu e outros que se omitiram, ou patrocinaram episódios como o  mensalão e/ou o desvio de cerca de 40 bilhões de Reais, de dinheiro público, nos últimos oito anos e meio de governo petista.

"A festa dos bodes".

A VEJA desta semana traz uma reportagem impressionante de Daniel Pereira e Rodrigo Rangel intitulada “A festa dos bodes”, sobre a impunidade no Brasil, suas origens e suas causas.
Uma festa de arromba ocorrida em Minas foi mesmo um espanto. Vejamos um trecho:
(…)
 Relator do caso que resultou no arquivamento do processo que investigou a família Sarney, o ministro Sebastião Reis Júnior foi empossado em junho passado no STJ.
Um de seus amigos diletos é o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro. Kakay, como o advogado é conhecido em Brasília, também é amigo de Sarney e defensor do clã maranhense há tempos. (…)
“O Sebastião é meu amigo há muito tempo, mas não atuei nesse caso, não conheço os detalhes do processo nem sabia que ele era o relator”, diz Kakay.
Em fevereiro, o advogado organizou uma feijoada na mansão em que mora, em Brasília, que reuniu ministros, senadores e advogados famosos.
Sebastião Reis era um dos convidados. Na ocasião, apesar de ainda ser aspirante à vaga no STJ, já era paparicado como “ministro” por alguns convivas. O ministro do Supremo Tribunal Federal José Dias Toffoli também participou da feijoada, que varou a madrugada.
Ah, as festas e os quartos de hotel em Brasília…
No dia 17 passado, um sábado, Toffoli, Kakay e representantes de famosas bancas de advogados de Brasília voltaram a se encontrar em uma festa, em Araxá, Minas Gerais, no casamento de um dos filhos do ex-ministro do STF Sepúlveda Pertence.
O aeroporto da cidade não via um movimento assim tão intenso fazia muito tempo. Os convidados mais famosos chegaram a bordo de aviões particulares, inclusive o ministro Dias Toffoli. Em nota, ele explicou que o avião lhe fora cedido pela Universidade Gama Filho, do Rio de Janeiro, onde dá aulas.
Naquele dia, por coincidência, o ministro, que estava junto de sua companheira, informou que tinha um compromisso de trabalho no campus que a instituição mantém em Araxá.
Sepúlveda Pertence é o presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência - uma espécie de vigilante e fiscal do comportamento das autoridades do Executivo.
Além de Kakay e Toffoli, ele recebeu como convidados o ex-senador Luiz Estevão (condenado a 31 anos de prisão e que deposita suas últimas esperanças em se safar da cadeia nos recursos que serão julgados no STJ e no Supremo) e o empresário Mauro Dutra (processado por desvio de dinheiro público) - e advogados que defendem ou já defenderam ambos.
Toffoli é relator de um dos processos de Luiz Estevão no Supremo.
Os quartos do hotel mais luxuoso da cidade foram ocupados, portanto, por juízes, réus e advogados que atuam em processos comuns.
A feijoada de Brasília terminou na madrugada do dia seguinte, com um inofensivo karaokê. A festa de Araxá também avançou a madrugada, embalada por música eletrônica. Havia, porém, uma surpresa guardada para o final.”
Era a farta distribuição de lança-perfume, o que é crime, segundo as leis vigentes no país, pelas quais boa parte daqueles convivas — exceção feita aos criminosos, claro! — deveria zelar.
* Leia a íntegra da reportagem na revista.

Cadáver da Operação Shaolin assombra Palácio do Planalto e Governador do DF Agnelo Queiroz

Um processo explosivo que está na Justiça Federal tem em seu conteúdo ligações perigosas entre o Palácio do Planalto, o governador do Distrito Federal Agnelo Queiroz, o secretário da Presidência da República Gilberto Carvalho e a ex ministra da Casa Civil Erenice Guerra envolvidos no desvio de milhões de reais dos cofres públicos através de ONGs especialmente criadas para esses expedientes.
* Leia mais AQUI

domingo, 25 de setembro de 2011

FIFA adverte o Brasil sobre a Copa do Mundo.

Joseph Blatter mandou um recado ao governo brasileiro
Por Claudio Humberto:
Um episódio ainda não revelado e movido a tensão de ambos os lados mexe com os brios do governo federal e da FIFA.
Há 15 dias o presidente da entidade, Joseph Blatter, mandou carta em tom ameaçador à presidenta Dilma Rousseff.
Em outras palavras, disse que se o país não acelerasse as obras dos estádios e não enviasse a Lei Geral da Copa para o Congresso, a FIFA não terá outra alternativa a não ser cancelar o evento até ano que vem, prazo estipulado em acordo com o Brasil, e anunciar a Copa em outro país.
A Casa Civil deu celeridade, então, ao envio do projeto, mas aí a situação desandou de vez.
Os advogados da FIFA no Brasil não gostaram do que leram.
Eles esperavam outro projeto, já acordado com o governo.
Entre pontos polêmicos está a venda de meia-entrada para idosos, o que a FIFA veta e vetou em eventos anteriores.
Não há objetividade também sobre as regras para comércio e publicidade em torno dos estádios.
A FIFA tem exclusividade sobre esses termos, principalmente com a venda de uma cerveja estrangeira que é parceira da entidade, mas o governo não deixou claro se a cervejeira da FIFA terá exclusividade nos acessos aos estádios.
Nos corredores da FIFA, há quem diga que Estados Unidos e Alemanha, que sediaram Copas recentes, estão sob alerta.

Bom Domingo.

E agora, senhores da tal "comissão da verdade"?

video
Será que isso estará na pauta das "investigações" patrocinadas pelos comunstas brasileiros no atual governo?

Notas brasileiras

1. Dívida Pública subiu para 1 trilhão 760 bilhões de reais.
2. Bolsa caiu 5,36%.
3. Órgãos internacionais passam a reduzir o PIB brasileiro em dólares em 18%.            
4. Dólar a 1,90 apesar de o governo ter comprado 2,5 bilhões de dólares.
5. Taxa de inadimplência do crédito consignado incluindo as rolagens é de 20%.
6. Governo Federal excluiu da lei, sua obrigação de aplicar 10% em Saúde. Ficaram os municípios com 15% e os estados com 12%.
7. Mantega não tem lastro para liderar o enfrentamento a crise (de um economista top sênior).            
8. Discurso de Dilma na ONU foi percebido como de presidente da ONG Brasil.
9. Lula está com complexo do galo francês, que acreditava que o sol raiava porque ele cacarejava.
*Do blog do Cesar Maia