sábado, 18 de dezembro de 2010

Evo viu a ONU

Evo indica Lula para ser Secretário-Geral da ONU. Lula não aceita, como se o indio cocalero pudesse fazer tal convite.
A ONU tem 192 países membros. O Secretário-Geral é eleito pela Assembléia Geral, com um detalhe: antes é recomendado pelo Conselho de Segurança. Só não é eleito se não tiver maioria absoluta, o que nunca ocorreu na história da organização. Evo Morales é o cocô do cavalo do Simon Bolívar. Lula é o cocô do cavalo do Dom Pedro I.São dois inexpressivos dentro da ONU. Agora vejam o que Lula disse: "Não pode ter um político forte na ONU, porque não pode ser maior que os presidentes dos países e eu fico meio preocupado se virar moda presidentes de países presidirem a ONU... Daqui a pouco os EUA estão disputando, além do Conselho de Segurança, também o controle das Nações Unidas e aí tudo ficará mais difícil" Lula, em fim de carreira, se acha maior que os presidentes de outros países e, em ato falho, ainda se coloca como presidente, o que, pelo menos formalmente, ele não será mais. Lula não entende absolutamente nada de ONU. Tanto é que, um dia, achou que poderia ter um assento no Conselho de Segurança. O país gastou bilhões de dólares com esta imbecilidade.
* http://coturnonoturno.blogspot.com/2010/12/evo-indica-lula-para-ser-secretario.html

O mau exemplo de Anastasia

Antonio Anastasia, governador eleito de Minas, do PSDB, sucessor do grande democrata, quer dizer, do grande tucano Aécio Neves, acaba de venezuelizar Minas Gerais. Aprovou uma lei delegada, por 50 a 12, pela qual pode aprovar uma reforma administrativa sem passar pela Assembléia. Hugo Chávez queria a mesma coisa, mas voltou atrás. Nem Chávez teve coragem de fazer o que Antonio Anastasia, o sucessor de Aécio Neves, acaba de fazer em Minas Gerais. É este tipo de política que pretende preponderar na oposição brasileira. Se vão chegar ao poder pelo voto ou pela ditadura, para eles é a mesma coisa. O que conta é chegar lá.

O preço da conivência da UNE

De Vannildo Mendes e Rafael Moraes Moura / BRASÍLIA, no O Estado de S.Paulo:
No apagar das luzes, o governo Luiz Inácio Lula da Silva autorizou o pagamento de uma bolada de R$ 44,6 milhões à União Nacional dos Estudantes (UNE), como reparação pelos danos causados à entidade durante a ditadura militar (1964-1985). A primeira parcela, de R$ 30 milhões, caiu na conta da entidade na sexta-feira, 17, mesmo, depositada pela Comissão da Anistia, escalada para saldar a conta. Os R$ 14,6 milhões restantes entrarão no orçamento de 2011.
O dinheiro, segundo compromisso da direção da UNE, será integralmente aplicado na construção da nova sede, projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Com 13 andares, o prédio será erguido no mesmo terreno, no Aterro do Flamengo, onde o antigo foi metralhado e incendiado em 31 de março de 1964, dia do golpe militar. Doado à entidade pelo ex-presidente Getúlio Vargas em 1943, o local é hoje um dos endereços mais caros do País.
A pedra fundamental da obra será simbolicamente lançada em alto estilo na próxima segunda-feira, às 17hs, com a presença de autoridades, artistas e intelectuais de todo o País. Com dinheiro em caixa, a construção será iniciada no primeiro semestre em 2011 e a inauguração está prevista para 2013. Esta é primeira indenização coletiva paga pelo governo brasileiro por danos da ditadura.
A lei da anistia (1979) só ampara reparações de caráter pessoal a familiares e vítimas da repressão política. A reparação decorre de lei (número 12.260), proposta pelo Executivo e aprovada pelo Congresso em junho passado. Responsável pelo presente natalino, o presidente de Lula é o convidado de honra e deverá estar presente. Todos os ex-presidentes da entidade foram convidados, entre os quais o ex-governador de São Paulo José Serra, que está em viagem ao exterior e não confirmou presença.

O presidente Lula registrou em cartório um Brasil que não existe

A mulher que se dizia filha de Getúlio e o homem que se acha pai do Brasil Maravilha
“Vim buscar a chave do Banco do Brasil”, comunicava a mulher negra e miserável que aparecia de vez em quando na minha casa em Taquaritinga. Eu tinha menos de 10 anos e era filho do prefeito. Ela tinha pouco mais de 40 e descobrira que era filha de Getúlio Vargas, de quem herdara o banco estatal.
Só fiquei intrigado na primeira visita. Nas seguintes, até tentei esticar a conversa com a doce maluca antes de fazer o que minha mãe ordenara: devia recomendar-lhe que resolvesse o problema com meu irmão mais velho, funcionário da agência local.
Pacientemente, Flávio explicava que não podia entregar a chave sem conferir a certidão de nascimento. A filha do presidente prometia buscá-la no cartório. Três ou quatro meses mais tarde, lá estava ela no portão para a reprise do ritual.
Lembrei-me da doida mansa da minha infância ao saber que o presidente Lula registrou em cartório um Brasil que não há.
É uma Pasargada retocada por Oscar Niemeyer.
Tem trem-bala, aviões pontuais como a rainha da Inglaterra, rodovias federais de humilhar alemão, casa e luz para todos, três refeições por dia para a nova classe média, que reúne os pobres de antigamente.
Quem quiser ver mendigo de perto deve voar até Paris e sair à caça de algum clochard.
A transposição das águas do São Francisco erradicou a seca e transformou o Nordeste numa formidável constelação de lagos, represas e piscinas. Os morros do Rio vivem em paz e quem mora nas favelas do Alemão não troca o barraco por nenhum apartamento de cobertura no Leblon.
No país do cartório, o governo não rouba nem deixa roubar, o mensalão foi coisa de Fernando Henrique Cardoso, os delinquentes engravatados foram presos pela Polícia Federal, os ministros são honestos, os parlamentares servem à nação em tempo integral e o presidente da República cumpre e manda cumprir cada um dos Dez Mandamentos.
Lula fez em oito anos o que os demais governantes não fizeram em 500.
A superexecutiva Dilma Rousseff precisa ser cautelosa para não ser eficiente demais: se melhorar, estraga.
Daqui a alguns anos, é possível que um filho do prefeito de São Bernardo do Campo tenha de lidar com um homem gordo, de barba grisalha, voz roufenha e o olhar brilhante dos doidos de pedra, querendo que a paisagem real seja substituída pela maravilha registrada no cartório.
A cobrança da filha de Getúlio tropeçava na falta da certidão de nascimento que o pai do novo Brasil acaba de providenciar.
Ele vai avisar que governou a República e reclamar o que lhe pertence sobraçando um calhamaço cheio de selos, carimbos, rubricas e assinaturas.
“Nada é impossível”, disse Lula nesta quarta-feira.
Nada mesmo.
É possível até imaginar-se um ex-presidente, empoleirado num caixote na praça principal de São Bernardo, exigindo aos berros a existência de um Brasil que inventou.
* Texto de Augusto Nunes

Aumento dos deputados: "Somos um país sem vergonha"

Diante desse indecente aumento de salário com que nossos deputados federais se presentearam, proporcionando, através do efeito cascata, uma avalanche de aumentos exorbitantes para outros tantos parlamentares (senadores,deputados estaduais e vereadores), além de alguns outros marajás do Executivo e do Judiciário, sou obrigado a recorrer ao poeta popular Arlindo Cruz, parafraseando-o em um dos seus mais conhecido sambas, e afirmando, com a alma inundada de nojo: "Sem vergonha!
Somos um país sem vergonha". Só mesmo em um país no qual o povo é irresponsável o suficiente para só se preocupar com seu próprio umbigo, abrindo mão da sua capacidade de indignação,resolve, de forma cínica, endeusar sabichões, aplaudir ignorantes, votar em corruptos, bajular ladrões de dinheiro público, desde que sejam minimamente aquinhoados com alguma "boquinha", mesmo que seja em forma de esmola, tal como essas míseras bolsas famílias,descaradamente usadas para a compra de votos. O aumento dos deputados federais em cerca de 60% é um crime lesa pátria,principalmente quando vemos que esses mesmos "cabras safados", na hora de aumentar o salário mínimo, ou o ganho dos aposentados,ficam fazendo jogo de cena, e acabam por aprovar aumentos irrisórios, na faixa de 5%, sob a ridícula justificativa de que o Brasil não tem dinheiro para aumentos maiores.
É claro! Sob a ótica dessa rafaméia, o dinheiro dos cofres públicos deve ser prioritariamente usado para garantir seus milionários salários e suas indignas mordomias.
*Júlio Ferreira Recife - PE - por e-mail: julioferreira.net@gmail.com

Porque hoje é sábado, uma bela mulher

A bela atriz Monica Bellucci

Brasil é o 14º país do mundo em ranking de impostos

SÃO PAULO – A arrecadação de tributos em relação ao PIB (Produto Interno Bruto) – medida da carga tributária – chegou a 34,5% no Brasil em 2009, fazendo com que o país subisse quatro posições e ocupasse o 14º lugar no ranking dos países com maior carga tributária.
Os dados fazem parte de levantamento realizado pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário) e divulgado nesta sexta-feira (17).
O Brasil
Caso o Brasil integrasse o rol dos países membros da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), perderia apenas para a Dinamarca (48,2%), Suécia (46,4%), Itália (43,5%) e Bélgica (43,2%).
De acordo com a vice-presidente do IBPT, Letícia do Amaral, é surpreendente o fato de o Brasil ficar atrás somente de países europeus, altamente desenvolvidos.
“Ao contrário do Brasil, eles prestam serviços públicos de qualidade, garantindo à sua população saúde, segurança, educação, previdência social, boas estradas, reembolso de medicamentos, auxílio moradia e outros”, afirma.
No Brasil, a população precisa trabalhar 150 dias para custear a cobrança de tributos por parte do governo. “O brasileiro ainda tem de trabalhar outros quase cinco meses somente para pagar, ao setor privado da economia, os serviços públicos essenciais que o governo deveria garantir-lhe, pois é essencialmente para isto que os tributos são pagos”, diz Letícia.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Vaidade e insanidade

No O Estado de S. Paulo:
Lula inclui obra inacabada entre suas realizações
O presidente Lula registrou ontem em cartório as realizações de seus oito anos de governo. No balanço, aparecem obras não terminadas, como a Ferrovia Norte-Sul,e outras nem sequer começadas, como a Hidrelétrica de Belo Monte. "Esta prestação de contas é menos para engrandecer o que nós fizemos e mais para dar uma fotografia à sociedade", disse Lula na cerimônia que reuniu 700 pessoas no Planalto. (Págs. 1 e Nacional A10)
COMENTÁRIO: Este governo nada fez de novo. Apropriou-se de idéias e feitos do governo anterior. Deixou fluir toda a estrutura que encontrou. Usufruiu de toda organização já existente. Acompanhou e exeutou todas os procedimentos e diretrizes econômicas implantadas pelo governo que o antecedeu. Não construiu um só hospital. Não levantou uma só parede de um grande projeto...
Agora, insano e vaidoso, registra até obras inacabadas, temendo que futuros governos ajam de forma mal intencionada como agiu.

E assim, criou o Brasil...

Isto é Brasil

Coerentemente incoerente, o Brasil parido pelo equívoco hostilizou os civilizadores holandeses para manter-se sob o jugo do império português, o Brasil amalucado teve como primeira e única rainha uma doida de hospício, o Brasil da safadeza acolheu o filho da rainha que roubou a matriz na vinda e a colônia na volta, o Brasil preguiçoso foi o último a abolir a escravidão, o Brasil sem pressa foi o último a virar República, o Brasil carnavalesco transformou a própria História num tremendo samba do crioulo doido.
O cortejo dos presidentes, ministros, senadores, deputados federais, governadores, deputados estaduais, prefeitos e vereadores aberto em 1889 informa que a troca de regime não mudou a essência da coisa: o Brasil republicano é o Brasil monárquico de terno e gravata, só que mais cafajeste. Muito mais cafajeste, informa a paisagem deste começo de século. Depois de 500 anos, os herdeiros dos traços mais detestáveis do DNA nacional promoveram o grande acerto dos amorais, instalaram-se no coração do poder e vão tornando decididamente intragável a geleia geral brasileira.
Nascido e criado sob o signo da insensatez, o país que teve um imperador com 5 anos de idade que parecia adulto é governado por um presidente que parece moleque. Com um menino sem pai nem mãe no trono, o Brasil não sentiu medo. Com um sessentão no comando, o Brasil que pensa se sente sem pai nem mãe.
*Texto de Augusto Nunes

Lula da Silva culpa a imprensa outra vez

O presidente Lula afirmou ontem que, à exceção da imprensa da China e de Cuba, em todo o mundo os meios de comunicação preferem deixar de noticiar realizações dos governos e buscar assuntos com apego junto à sociedade. A Presidência da República distribuiu um livro com 310 páginas sobre as realizações do governo Lula de 2003 a 2010. Os feitos, segundo Lula, foram muito mal cobertos pela imprensa.
Por isso, afirmou, decidiu enviar um exemplar para cada editor de Política e de Economia dos meios de comunicação. "Eu quero que todo mundo receba, para as pessoas perceberem o quanto perderam de (ao não) cobrir coisas boas do governo".
No entanto, segundo Lula, isso não ocorre só no Brasil, mas no mundo inteiro - exceção para China e Cuba. "Se você for à Argentina e aos Estados Unidos, se for à Alemanha... Obviamente que a imprensa cobre aquilo que tem mais apego à sociedade".

Mais um engodo de Lula da Silva

Lula inclui obra inacabada entre suas realizações
O presidente Lula registrou ontem em cartório as realizações de seus oito anos de governo. No balanço, aparecem obras não terminadas, como a Ferrovia Norte-Sul,e outras nem sequer começadas, como a Hidrelétrica de Belo Monte. "Esta prestação de contas é menos para engrandecer o que nós fizemos e mais para dar uma fotografia à sociedade", disse Lula na cerimônia que reuniu 700 pessoas no Planalto.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Depressa...O povo paga!

Com uma impressionante rapidez, o Cogresso Nacional analisou e provou o aumento salarial dos parlamentares e dos membros dos mais altos escalões o governo federal.
Cheio de gracejos, como sempre, o presidente Lula da Silva lamentou durante encontro com representantes de movimentos sociais, no Palácio do Planalto, que o reajuste do salário do presidente da República só entre em vigor no ano que vem. O aumento, de 133,9%, foi aprovado nesta quarta-feira pelo Congresso. A figura de presidente do Brasil passará a receber R$ 26,7 mil.
Em tom de brincadeira, Lula disse que lamenta "porque o Paulinho (deputado Paulo Pereira da Silva PDT-SP) me avisou que o Congresso Nacional acabou de aprovar o reajuste para o presidente e para os ministros, mas para o Lulinha aqui, nada. O Lulinha não recebe porque é só para a próxima legislatura".
Em pouco mais de duas horas, a Câmara dos Deputados e o Senado Federal aprovaram a elevação do salário dos parlamentares, do presidente da República, do vice-presidente e dos ministros de Estado para R$ 26,7 mil, a partir de 1º de fevereiro de 2011. O valor corresponde à remuneração dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), teto do funcionalismo público federal.
Os parlamentares terão reajuste de 61,8% em relação à atual remuneração de R$ 16,5 mil. Já o presidente da República e o vice terão aumento de 133,9% sobre os atuais vencimentos de R$ 11,4 mil.

Defendendo impostos e corruptos

Lula da Silva volta a defender a criação de uma nova CPMF para solucionar o problema da nossa falida saúde pública.
Vai aqui a minha sugestão. Ao invés de se criar um novo imposto, que com a absoluta certeza novamente não irá solucionar nada, que tal parar de comprar aviões caça superfaturados, prender os corruptos que tanto defendeu nos últimos anos e que roubaram enchendo as cuecas com mensalões e panetones e que não devolveram absolutamente nada aos cofres públicos?
Sr. Lula da Silva, iria sobrar dinheiro se esta atitude fosse tomada. Seu terceiro mandato já esta iniciando da mesma forma abusiva. Sua escolhida já pensa num polpudo aumento salarial para todos, já pensa em trocar de avião e já esta colocando uma porção de corruptos em cargos bem definidos, onde a roubalheira e os mensalões sempre são planejados.
Lógico que, para isso, ela precisa de uma nova CPMF.
Por qual razão?
Eu respondo, na realidade os cofres públicos estão vazios de tanto terem sido vergonhosamente e imundamente saqueados nos últimos oito anos. Portanto se faz necessário criar uma forma de deixar os mesmos repletos novamente, caso contrário, de onde ou como as cuecas e malas puderam ser recheadas novamente?
Seu governo pode ter melhorado em parte a economia, enfrentamos "marolinhas", mas na questão de segurança, saúde e educação, o senhor não fez absolutamente nada, ao contrário, afundou o país de uma vez.
*Siegmar Metzner - Curitiba-Jornal O Estado do Paraná-edição 15/12/2010

Lula com medo de um novo Lula.

Lula tem medo que alguém roube a Bolsa Família, o Luz para Todos, a lei de responsabilidade fiscal, a estabilização da economia e tantas outras obras que ele afanou dos governos de Fernando Henrique Cardoso. Por isso, está registrando uma série de realizações como se fossem suas, no cartório. Isto mesmo. No cartório. Lula tem medo de um novo Lula.
Se houvesse um símbolo para a Era Lula, seria o vira-bosta. Também conhecido por maria-preta, chopim, chupim, chupim-vira-bosta, melro, godero, gaudério, cupido (Maranhão) e engana tico. É provavelmente a ave mais odiada do Brasil, principalmente por causa de seus hábitos reprodutivos parasitários, pois nunca cuida de seus próprios ovos, sempre os botando nos ninhos de outras aves para que elas criem seus filhotes.
Fonte: Blog Coturno noturno

Fogo amigo

“Imagine se um WikiLeaks da vida revelasse o que os partidos aliados estão falando uns dos outros na disputa para compor o primeiro escalão de Dilma”.


Eduardo Cunha, deputado da base alugada, setor PMDB, guichê do Rio de Janeiro, confessando que anda dizendo coisas sobre os companheiros do PT que deixariam assustado até o presidente Barack Obama.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Temer diz que Ciro Gomes deverá ter "cautela verbal"

O presidente do PMDB e vice-presidente da República eleito, Michel Temer (PMDB-SP), afirmou nesta terça-feira (14) que o deputado Ciro Gomes (PSB-CE) deverá ter “cautelas verbais” se for confirmado como ministro da Integração Nacional no governo de Dilma Rousseff. No início do ano, Ciro chamou o PMDB de “ajuntamento de assaltantes” e afirmou que Temer era o “chefe desta turma de poucos escrúpulos”.
Segundo uma fonte ligada ao PSB, durante reunião com dirigentes da legenda a presidente na sexta-feira passada (10) Dilma ligou para Ciro e o convidou para a pasta. O deputado pediu prazo até esta quarta-feira (15) para responder.
“É uma escolha da presidente. Evidente que a partir de agora ele vai tomar as cautelas verbais que o cargo dele exigirá em face, especialmente, da presidência e da vice-presidência”, afirmou Temer.
COMENTÁRIO: Vejam que maravilha: Ciro, agora, terá que conviver com o atual líder do "ajuntamento de assaltantes" desta feita na condição de vice-presidente, portanto, seu superior. Farão parte do mesmo meio, possivelmente, trarão consigo os mesmos objetivos (sic).
Noto que Temer não contesta Ciro. Apenas fala em "cautela verbal". Como no governo de Dilma haverão vários membros do PMDB, Ciro se juntará ao que chama de "ajuntamento de assaltantes". Quem com assaltantes se junta....

Petista, relatora do orçamento, sabia que assessora dirigia ONG

A relatora do Orçamento de 2011, senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), sabia há pelo menos oito meses que a sua assessora, Liane Muhlenberg, é diretora de uma ONG que recebia recursos de emendas de aliados políticos.
Anteontem a senadora disse em entrevista que desconhecia a atividade de Liane.
O jornal Folha de São Paulo questionou a senadora sobre a atividade de Liane no comando do Ipam (Instituto de Pesquisa e Ação Modular), relatando inclusive que ela havia se beneficiado de emendas ao Orçamento de outros parlamentares.
Em reposta à época, Serys defendeu a legalidade das ações da assessora. "Busquei as informações e vimos que é tudo [os eventos feitos pela ONG] regular. E que ela pode ser comissionada e participante da organização."
Anteontem, porém, ao informar que havia demitido Liane após a divulgação de que ela havia se beneficiado de emendas, Serys se disse "traída". "Eu desconhecia que ela tivesse qualquer relação com qualquer instituto. Nunca fiz emenda para qualquer instituto e muito menos para este."
Em abril, o jornal Folha de São Paulo conversou também com assessores da senadora e com a própria Liane, que defendeu sua atividade sob o argumento de que era uma produtora com 13 anos de experiência e de que não se beneficiava de emendas da senadora.

O governador que faz apologia ao aborto

De Maria Angélica Oliveira, do G1:
O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), disse nesta terça-feira (14) que a atual legislação sobre aborto no país é uma “vergonha” e afirmou que há “hipocrisia” sobre o tema. Ele defendeu a ampliação dos casos em que a interrupção da gravidez é permitida. Atualmente, apenas mulheres vítimas de estupro e que correm risco de morte podem obter autorização judicial para fazer um aborto.
“O Brasil está dando certo, é aprofundar a democracia, vamos aprofundar a liberdade de imprensa, aprofundar a vida como ela é, discutir os temas que têm que ser discutidos. O aborto, por exemplo, foi muito mal abordado na campanha eleitoral. Será que está correto um milhão de mulheres todo ano fazerem o aborto, talvez mais, em que situação, de que maneira? Não vamos enfrentar, então está bom. Então o policial na esquina leva a graninha dele, o médico lá topa fazer o aborto, a gente engravida uma moça - eu não porque já fiz vasectomia e sou bem casado - mas engravidou… Quem é que aqui não teve uma namoradinha que teve que abortar?”, questionou o governador.
COMENTO: Eis aí, incontestávelmente, a apologia ao aborto. Um incentivo ao crime. Pelo menos é o que diz a legislação atual.
Não seria a hora do Ministério Público, tão atento, se mobilizar e pedir a punição do governador na forma da lei?

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Falta de respeito ou de vergonha?

É de praxe petista negar sempre que é pego com a mão na botija. Serys Slhessarenko já negara, a algum tempo atrás, seu envolvimento ou ciência a máfia dos sanguessugas além de manter uma outra assessora morando nos Estados Unidos e recebendo seu salário religiosamente em dia. Também, quem mandou nós poagarmos a farra sem reclamar?
Agora Serys nega ter conhecimento do desvio de mais de 4 milhões de reais para a conta da ONG de sua assessora direta, dizendo-se traída ...
Sabemos que negar é o procedimento normal dos petistas pegos em lambanças, o problema é que tais declarações valem como expressão da verdade e sempre o caso se esvazia.
Nossa imprensa cala de mansinho diante de tais fatos atribuidos ou com envolvimento claro de petistas.
As desculpas estapafúrdias parecem ter convencido os seus diletos e vetustos pares e o assunto morreu também.
A senadora Serys Slhessarenko parece ter um problema recorrente com tudo que diga respeito a gestão do dinheiro público, pois no trato do nosso dinheiro ela , ao que parece, o considera mais dela que nosso.
Agora imaginem que esta senhora assumirá a Relatoria do Orçamento da União, no próximo ano!
É brincadeira...ou estão escarnecendo de nós?
* Com o auxílio luxuoso de Mara Montezuma Assaf. por e-mail

O inter só dá alegrias....aos africanos, claro!

Muteba Kidiaba, goleiro do Mazemba, mostra com alegria que favoritismo em futebol mundial não existe mais.

PAC: O festival de mentiras e maquiagem

No último balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) realizado na quinta-feira, para encerrar o governo do Presidente Luiz Inácio da Silva, Lula usou seu próprio personagem para tentar esconder os números verdadeiros. Mas, de nada adiantaram as brincadeiras, os recadinhos indiretos e os trocadilhos presidenciais.
O senador Alvaro Dias lamentou que os dados apresentados tenham sido maquiados. Para o parlamentar paranaense, a verdade é que mesmo com dados inflados, o balanço tenha revelado os problemas de gestão na administração dos investimentos. Para o tucano, o governo Lula foi “espetaculoso” do início ao fim com as obras e a execução dos empreendimentos previstos no PAC.
Alvaro Dias mostrou que o governo usou números da programação orçamentária em seu balanço e não do cronograma físico. “Se consideramos setores essenciais para a população, como saneamento básico e habitação, é deplorável afirmar, mas a execução é claudicante”, enfatizou.
De acordo com o jornal “Folha de S. Paulo”, o balanço final dos quatro anos do PAC foi inflado, maquiado e ainda encobriu atrasos nas principais obras. Segundo a reportagem, o programa está com 32% de obras inacabadas e os números foram distorcidos porque o governo reduziu a projeção das obras que deveriam ter sido concluídas em 2010.
Foi o jeito que o governo do PT encontrou para aumentar o índice de sucesso do programa. O relatório oficial apresentado por Lula com o andamento do programa diz que 82% das obras foram concluídas no prazo previsto e 94% do dinheiro foi liberado, o que inclui projetos ainda em andamento.
A “Folha” denunciou também que o governo, para tentar mostrar desempenho satisfatório, carimbou com o selo de “verde” obras que na realidade estão atrasadas. Um dos exemplos é o trem-bala. A licitação prevista para este ano foi adiada para 2011, mesmo assim a obra permanece como se estivesse no prazo normal.
Para o senador, é preciso lembrar que outro problema em obras é o superfaturamento, especialmente naquelas sob a administração da Petrobras. Segundo o parlamentar, estão nessa situação a Refinaria Abreu Lima, em Pernambuco, e a Getúlio Vargas, no Paraná. Além disso, lembra o tucano, na obra do Nordeste, o Tribunal de Contas da União (TCU) descobriu um superfaturamento de US$ 2 bilhões.

Exploração do contribuinte: Presidente do Senado defende criação de uma nova CPMF

O presidente do Senado, senador José Sarney, defendeu nesta segunda-feira (13) a recriação da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira).
Sarney se diz a favor de imposto semelhante à contribuição extinta há três anos para a disponibilização de recursos para a saúde. “São recursos que deixam de entrar para a saúde pública, onde o Brasil mais necessita”, afirmou, de acordo com a Agência Senado.
O senador defendeu a contribuição em evento promovido pelo Hospital Sarah Kubitschek em homenagem ao presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.
Novas formas de contribuição
Durante o evento, Lula defendeu outras formas de arrecadar recursos para a saúde no lugar da CPMF, apesar de fazer críticas ao fim da contribuição. “Num ato de insanidade nos tiraram R$ 40 bilhões por ano que, se somar, dá mais de R$ 150 bilhões”, disse, segundo a Agência Brasil.
Para o presidente, a ausência da contribuição no Orçamento é sinônimo de “maldade”. Lula afirmou ainda que caberá à presidente eleita, Dilma Rousseff, a tarefa de organizar deputados e senadores para garantir esses recursos.
“Ao deixar a Presidência da República, digo que não há hipótese de melhorar a saúde no Brasil se não arrumar uma forma de arrecadar recursos”, afirmou o presidente.

Agronegócio bate recorde de exportações em novembro

Da Agência Estado:
Participação da Ásia nas exportações brasileiras alcançou 31%As exportações do agronegócio brasileiro atingiram US$ 6,3 bilhões em novembro, um recorde para o mês desde que o governo iniciou a série histórica, em 1989. De acordo com o Ministério da Agricultura, essa receita representa uma alta de 30,2% em relação a novembro de 2009. Os setores que tiveram maior aumento foram o complexo soja (59,8%), café (57%) e cereais, farinhas e preparações (130%).
As vendas externas devem superar US$ 75 bilhões em 2010, de acordo com a expectativa do Ministério da Agricultura, batendo o recorde de 2008, quando as exportações totalizaram US$ 71,8 bilhões. Entre janeiro e novembro deste ano, as exportações já somaram US$ 70,3 bilhões. A diferença entre as exportações e as importações do setor soma US$ 58,2 bilhões entre janeiro e novembro, mais de US$ 7,3 bilhões a mais que o registrado nos 11 meses de 2009.
No ano, o complexo sucroalcooleiro (açúcar e etanol) foi o que mais cresceu em receita, com aumento de 44,6%. As exportações somaram US$ 12,6 bilhões, confirmando a maior procura pelo açúcar brasileiro e os bons preços internacionais após a redução da safra indiana.
Já o setor de café teve alta de 31,1% na receita. O valor exportado de US$ 5 bilhões é o maior já registrado e ultrapassa o valor alcançado em todo o ano passado, de US$ 4,3 bilhões.
Ásia
A participação da Ásia nas exportações brasileiras alcançou 31% de janeiro a novembro de 2010. Principal comprador de produtos do agronegócio, a China ampliou as importações do Brasil em 24,2%, passando de US$ 8,6 bilhões para US$ 10,7 bilhões, o que representa 15,3% do total exportado, de acordo com comunicado do ministério.

É o Brasil descendo a ladeira...

É o Brasil descendo a ladeira...declaradamente! As bancada petista e grande parte das bancadas aliadas , sob pressão dos neo-peleguistas e do lobby dos contraventores diretamente interessados na causa, ao que tudo indica vão conseguir com que o Congresso libere o funcionamento dos bingos e máquinas caça-níqueis, abrindo assim um atalho para a rápida liberação do jogo no Brasil. A ordem do dia é: Fiat Bingus! Pelo que parece Lula mudou de pensar: os bingos não são piores que a prostituição infantil....que foi a dedução atropelada a que o presidente chegou em 2004, quando assim definiu os malefícios do funcionamento dos bingos para justificar a proibição dos mesmos. O que mudou? Tudo! Hoje , como disse o deputado pedetista Fernando Chiarelli, "A corrupção corre solta"....porque a contravenção é a regra, e se algo sair errado para alguem e for noticiado na mídia...não há o que temer, é só fazer como a senadora Serys Slhessarenko fez, ou seja, dizer que não sabia de nada e que alguem o traiu, e exonerar a assessora...que tudo se resolve facilmente.
O pior é que quando se pensa que a ladeira está chegando ao fim...ela consegue descer ainda mais!
*Mara Montezuma Assaf, por e-mail, voa resistência democrática

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

O símbolo da inocência no Brasil

A 7ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo considerou nesta segunda (13) improcedente uma ação de improbidade administrativa, contra o deputado Paulo Maluf (PP), impetrada pelo Ministério Público, por uma suposta compra superfaturada de frangos para a Prefeitura de São Paulo, em 1996. Maluf havia sido condenado em abril deste ano pela própria Câmara. Mesmo com o registro indeferido com base na Lei da Ficha Limpa, o deputado concorreu nas eleições e foi eleito. Com a decisão de hoje, ele será diplomado na sexta (17).
*As informações são do portal G1.

A luta solitária de FHC

Não há perigo de melhorar, informam a ladroagem no Congresso e, sobretudo, a desfaçatez dos caixas, dos atendentes e dos fregueses do balcão de compra e venda de vagas no ministério. Dilma logo saberá o que é efetivamente uma herança maldita. Só Deus sabe o que herdará o sucessor da sucessora. Depois de comandar o mais bisonho primeiro escalão desde a chegada das caravelas, o que o padrinho vai doar à afilhada é um pouco pior. Não pode chegar a porto seguro um governo que tem no ministério uma Ideli Salvatti.
Tampouco há esperança de salvação para uma oposição que, confrontada com esse espantoso fim de feira, segue refugiada no silêncio pusilânime. Em qualquer lugar do mundo, os 10 primeiros dias de dezembro garantiriam munição para o bombardeio de meia dúzia de governos. No Brasil, não se ouviu sequer o som de cristais brindando ao começo do desmanche da fantasia costurada durante oito anos. Nada do que se mencionou nos parágrafos anteriores animou os supostos adversários do governo a voltar das férias.
Não se ouviu um pio de um governador eleito ou em fim de mandato, de algum senador que vai chegando ou saindo. Nem mesmo deputados, prefeitos ou vereadores quebraram o silêncio obsequioso. Com uma única, nada surpreendente mas sempre formidável exceção. De novo, coube ao ex-presidente FHC provar que ainda existe vida inteligente no Brasil. E que resta à oposição pelo menos um grande líder.
Insultado por Gilberto Carvalho, o Gilbertinho de Santo André, FHC retrucou com uma carta que, sem ultrapassar as fronteiras da elegância, atingiu a testa do pequeno canalha escalado para a infâmia e golpeou o mandante no fígado. Entre outras estocadas, o texto convida o secretário do presidente a esclarecer o assassinato do prefeito Celso Daniel e explicar-se sobre a roubalheira que o precedeu e justificou. Mais uma vez, FHC devolveu Lula ao pântano do mensalão, de onde vive tentando escapar com um abraço de afogado no antecessor.
Ninguém no PSDB, no PPS ou no DEM saiu em defesa de Fernando Henrique. Enquanto o presidente de honra do partido travava outro combate solitário, José Serra e Aécio Neves seguiam combatendo pelo controle dos despojos do PSDB. O ex-governador paulista ainda não entendeu que foi derrotado, pela segunda vez, por José Serra. Perdeu para a campanha medrosa, mesquinha, miúda que arquitetou. Perdeu para a autoconfiança arrogante e insensata. Perdeu para a submissão a cretinices marqueteiras. E não haverá uma terceira vez.
Serra precisa entender que debitar na conta de Aécio Neves o malogro em Minas é tão idiota quanto responsabilizar Lula pelo fiasco de Hélio Costa. E Aécio precisa entender que o estilo conciliador pode e deve conviver com um discurso muito mais contundente. O pronunciamento na convenção que lançou a candidatura de Serra mostrou que o senador eleito por Minas sabe o que fazer. Mas tem de fazê-lo sem pausas, acrobacias nem minuetos. O tempo das mesuras já passou, a tática da boa vizinhança caducou. Os craques do jogo de cintura não têm espinhas flexíveis demais.
Ou Aécio se transforma em porta-voz da resistência democrática, e assume de fato o comando da oposição real, ou não sobreviverá como candidato à Presidência. Seu destino será ditado pelo comportamento no Congresso, e é justo conceder-lhe crédito. Tratá-lo como “traidor” só reafirma a vocação dos oposicionistas para a autoflagelação. Só revalida a opção preferencial pela autofagia que poupa os inimigos verdadeiros. Esses são Lula, o PT e seus devotos.
O que não faz sentido é propor a refundação do PSDB. Só se pode refundar o que foi fundado, e o PSDB oposicionista nunca existiu. Pode nascer agora. Pelas mãos de Fernando Henrique.
*Extraído do texto de AUGUSTO NUNES.

O "Lula" de lá

Putin ataca o Ocidente por documentos do WikiLeaks
Usando da mesma leviandade, cinismo e demonstração de adrede ignorância dos fatos, que o daqui, o Lula da Rússia, o primeiro-ministro Vladimir Putin, atacou na quinta-feira os Estados Unidos por causa das comunicações diplomáticas divulgadas pelo WikiLeaks, e afirmou que o Ocidente não tem direito de passar sermões sobre democracia à Rússia.
Questionado sobre os documentos que o chamam de "cão alfa", à frente de uma burocracia corrupta e autoritária, Putin disparou: "Vocês acham que o serviço diplomático norte-americano é uma fonte cristalina de informação? Vocês acham?"
Ele então criticou o Ocidente pela prisão de Julian Assange, fundador do WikiLeaks, acusado de crime sexual na Suécia.
"Se isso é democracia total, então por que esconderam o sr. Assange na prisão? Isso é o quê, democracia?"
"Então, vocês sabem, é como dizem no interior (da Rússia): a vaca de alguém pode mugir, mas a sua deve ficar quieta. Então eu gostaria de atirar o disco (do hóquei) de volta para os nossos colegas norte-americanos", disse Putin ao receber seu homólogo francês, François Fillon.
Fonte: Reportagem de Gleb Bryanski, no estadão online.

Rosane Collor obtém na Justiça direito de manter pensão

Collor briga na justiça para reduzir a pensão que deve a ex-esposa
A ex-primeira-dama Rosane Brandão Malta (ex-Collor de Mello), 46, obteve ontem na Justiça de Alagoas o direito de manter a pensão de 30 salários mínimos (R$ 15.300) que recebe do ex-marido, o senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB).
Segundo o advogado de Rosane, Paulo Marcondes Brincas, desembargadores do Tribunal de Justiça, por maioria dos votos, decidiram ainda que Collor terá que dar à ex-mulher dois apartamentos e dois carros, no valor de R$ 950 mil, como compensação por ela ter saído do casamento sem patrimônio.
"Em 22 anos de casamento tudo que eles adquiriram foi colocado no nome dele [Collor]. A atividade dela foi essencial para que ele tivesse condição de construir esse patrimônio", disse Brincas.
Os desembargadores da Sessão Especializada Cível (que reúne as três Câmaras Cíveis do TJ-AL) julgaram ontem um recurso apresentado pela defesa de Collor, numa ação judicial na qual ele pedia a redução da pensão para 20 salários mínimos (R$ 10.200) e que cessasse após um período de três anos.
O advogado Fábio Ferrário, que representou o ex-presidente na ação, disse que o caso está sob segredo de Justiça e não quis comentar.
Collor pode recorrer da decisão no STJ (Superior Tribunal de Justiça), em Brasília.
Rosane e Collor estão separados desde 2005. Ela mora em Maceió, numa casa que pertence ao ex-marido. Hoje ele é casado com a arquiteta Caroline Medeiros, com quem tem duas filhas.
Segundo o advogado, Collor não está pagando integralmente a pensão. Ele disse haver ação de cobrança, mas que o oficial de Justiça não consegue notificá-lo. A defesa do senador também não quis comentar a acusação.
No início de julho, Collor declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 7,7 milhões. Entre seus bens estão uma Ferrari, uma Maserati e uma Mercedes, imóveis e cotas da empresa de comunicação da família em Alagoas.
Na disputa pelo governo de Alagoas, em outubro, Collor informou ter investido R$ 810 mil de recursos próprios.
Fonte: Folha de São Paulo - 11/12/2010

domingo, 12 de dezembro de 2010

Ministro do disse-não-disse

Duas respostas do ministro da Justiça do futuro governo, José Eduardo Cardozo, sobre caixa dois em campanha eleitoral, em entrevista publicada hoje pelo Estadão:
Estadão: Numa entrevista à revista 'Veja', em 2008, o sr. chegou a dizer que o mensalão existiu, mas depois alegou que foi mal interpretado. O sr. recuou por interferência do Planalto?
Cardozo: Eu não recuei nenhum milímetro. Não disse isso. Sempre questionei a palavra mensalão. Foi um rótulo que teve efeito midiático. Deputados do PT não receberiam mensalidade para votar em projetos do governo. O que houve foi uma situação ilegal de despesas não contabilizadas. A acusação de desvio de recursos públicos nunca foi provada.
Estadão: Sobre o financiamento de campanhas políticas: O problema é captar recursos? (Inquirido sobre o fato de ter desistido da vida pública em função de que o dinheiro decidia uma eleição).
Cardozo: São vários problemas, mas financiamento público é fundamental. Imaginar que numa campanha nunca exista dinheiro desviado dos cofres públicos é ser ingênuo. O atual sistema gera uma relação complicada entre quem doa e quem recebe.
COMENTÁRIO: Ora, ora. Essa não vazou no WikiLeaks.O que era uma desconfiança, mas o governo negava, vem à tona na confissão do futuro ministro da Justiça.
José Eduardo Cardozo foi um dos "três porquinhos" que coordenaram a campanha de Dilma Rousseff. Fala, desta forma, com amplo e profundo conhecimento de causa.
É praticamente uma confissão. Bem, mas como ele negou um dia uma entrevista à Veja, também pode negar que tenha dado esta declaração tão contundente ao Estadão.

MST anuncia onda de ocupações em SP para janeiro

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) anunciou uma nova onda de ocupações no estado de São Paulo. Chamada de "Janeiro Quente", ela terá início a partir da segunda quinzena de janeiro, sem prazo para terminar. O objetivo é ocupar pelo menos 50 propriedades rurais nas regiões do Pontal do Paranapanema, Alta Noroeste, Noroeste e Alta Paulista.
O anúncio foi feito neste sábado pelo líder da ala dissidente do MST, José Rainha Júnior, após encontro com 1,5 mil líderes sem-terra, que se reuniram num circo armado no bairro rural de Engenheiro Taveira, em Araçatuba, a 535 km DCE São Paulo. Nas ocupações, o grupo de Rainha, que controla 12 acampamentos com 2,5 mil acampados, vai contar com ajuda de outros grupos de luta pela terra, como Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MTST), União dos Trabalhadores da Terra (Uniterra), Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST) e sindicatos de trabalhadores rurais ligados à Central Única do Trabalhador (CUT), que também anunciaram participação nas ocupações.

O hacker e a inspiração dos imbecís

A prisão de Julian Assange tem provocado reações de todos os tipos e inspirado imbecís no mundo inteiro, inclusive, chefes de Estado. Mas Assange não está preso por divulgar fofocas.
Quanto a isso, a questão é mais profunda e se alia ao desejo que termos, sempre, de garantir nossa privacidade.
Se existem pessoas que entram, sorrateiramente, nos sistemas alheios com o objetivo de bisbilhotar, existe, sempre, a possibilidade de entrarem para devassar a sua vida, para prejudicar, roubar, embaraçar e destruir feitos e fatos.
Diáriamente, chega ao nosso conhecimento fatos caracterizados por crimes chamados "cibernéticos" onde há roubos de senhas e valores, de informações sigilosas e outras.
Estes "WikiLeaks" da vida podem, por certo, informar e desinformar, esclarecer ou apor dúvidas,constrangimentos, criar fatos e situações embaraçosas através da falsidade ideológica via internet. Tudo é possível na rede. Fazer o bem e fazer o mal.
Não podemos ficar a mercê de pessoas que usando o poder e/ou o direito a liberdade de expresão e informação possam, adredemente, procederem de forma desonesta e mal intencionada.
Ademais este tal de Julian Assange, um anti-americanista imbecil, está preso por crime sexual e não por ter publicado as asneiras do corpo diplomático americano.
Criticar sua prisão pelo fato das publicações é uma balela. Se ele será preso ou não pelas suas publicações na net, ninguém sabe. Não há iniciativas com este objetivo. Críticas sim, existem aos montes. Contrárias ao feito ou a favor. Até "chiliques" de hackers pró e contra Assange e seu site de fofocas.
O fato incontestável é que ele tornou-se apenas "mais fácil de ser encontrado", pelas autoridades que o procuravam, em razão da sua notoriedade repentina, quando demonstrou ter a capacidade de tirar a nossa privacidade e o sono, inclusive, de muita gente importante, se quiser.

"O gás carbônico não controla o clima global", garante o professor Luiz Carlos Molion


video
Para o professor Luiz Carlos Molion, representante da América Latina na Organização Meteorológica Mundial e pós-doutor em meteorologia, as propostas de reduções de emissões de carbono não vão produzir efeito no clima mundial, "o gás carbônico não controla o clima global", garante. A quantidade de carbono lançada pelo homem é ínfima, é irrisória, se comparada com os fluxos naturais dos oceanos, solo e vegetação. Para a atmosfera, saem 200 bilhões de toneladas de carbono por ano. O homem só lança seis.
O pós-doutor em meteorologia e membro do Instituto de Estudos Avançados de Berlim garante, baseado em estudos de paleoclimatologia (estudo das variações climáticas ao longo da história da Terra), que as mudanças do clima são muito complexas para serem influenciáveis pelo ser humano.
Veja,acima, a entrevista do professor no Canal Livre TV Bandeirantes.

"o gás carbônico não controla o clima global", garante o professor Luiz Carlos Molion



Para o professor Luiz Carlos Molion, representante da América Latina na Organização Meteorológica Mundial e pós-doutor em meteorologia, as propostas de reduções de emissões de carbono não vão produzir efeito no clima mundial, "o gás carbônico não controla o clima global", garante. A quantidade de carbono lançada pelo homem é ínfima, é irrisória, se comparada com os fluxos naturais dos oceanos, solo e vegetação. Para a atmosfera, saem 200 bilhões de toneladas de carbono por ano. O homem só lança seis.
O pós-doutor em meteorologia e membro do Instituto de Estudos Avançados de Berlim garante, baseado em estudos de paleoclimatologia (estudo das variações climáticas ao longo da história da Terra), que as mudanças do clima são muito complexas para serem influenciáveis pelo ser humano.
Veja,acima, a entrevista do professor no Canal Livre TV Bandeirantes.