sábado, 25 de janeiro de 2014

A Haddadolândia e o Bolsa Crack — São Paulo, a cidade que está sendo fumada.

Homem acende cachimbo de crack (Foto: Silva Júnior/FolhaPress)

O que aconteceu nesta quinta-feira no Centro de São Paulo, na Haddadolândia, ex-Cracolândia, é muito grave. E não me refiro, é evidente, à ação do Denarc, que prendeu um traficante. Refiro-me é à rapidez com que os petistas, setores da imprensa, ONGs e a Al Qaeda eletrônica petralha nas redes sociais se uniram para criar uma farsa, para inventar uma história que não existiu, a exemplo do que fizeram há dias com o jovem Kaíque, que, infelizmente, suicidou-se pulando de um viaduto. Tentaram criar uma vítima da homofobia. A ministra Maria do Rosário, com irresponsabilidade peculiar, emitiu uma nota acusando o crime que não aconteceu. E não se desculpou depois.
No caso da Haddadolândia, como se sabe, os policiais foram atacados por dependentes — três se feriram. Veículos da polícia foram depredados. Foi chamado o reforço — e é o que tem de ser feito —, e houve confronto. Em nenhum momento, Fernando Haddad ou seu secretário de Segurança, um queridinho de setores da imprensa chamado Roberto Porto, lamentaram o ataque aos policiais. Ao contrário: a Polícia Civil foi tratada como uma força invasora; como se tivesse pisado território sagrado; como se tivesse cruzado a linha que separa o resto da cidade de uma zona livre para o consumo e o tráfico de drogas.
De maneira ridícula, patética, assombrosa, Haddad reclamou que a Prefeitura não fora previamente avisada da operação, reclamação que Roberto Porto repetiu em entrevista ao Jornal da Globo. E por que ele deveria? Que se saiba, a repressão ao tráfico não é tarefa do município. Na prática, a atual gestão faz exatamente o contrário: põe mais dinheiro nas mãos de dependentes. Em vez de a petezada se mobilizar para vir aqui me ofender, deveria tentar provar que falo mentira; deveria tentar demonstrar que distorço os fatos quando digo que Haddad está dando aos consumidores — que são os clientes dos traficantes — mais dinheiro do que tinham antes. O Denarc, já deixei claro, não tem de avisar a Prefeitura de coisa nenhuma. A ex-Cracolândia, atual Haddadolândia, não é um país independente; não é uma região autônoma, embora Haddad queira fazer parecer que sim.
A versão só prosperou porque, quando o assunto é descriminação das drogas e congêneres — e a Haddadolância é hoje uma cidade em que as drogas foram descriminadas, e os viciados, estatizados — não há objetividade possível em amplos setores da imprensa. Aí vários comandos de redação — incluindo TVs — permitem a mais desabrida militância.
Já está evidente, leiam os posts abaixo, que o Denarc nada mais fez do que cumprir a sua função. Reportagem da Folha de hoje informa que há a suspeita de que policiais do órgão estariam ligados ao tráfico na região. É? Que a polícia se mobilize para prendê-los. Não há evidência de que a operação desta quinta tenha relação com isso.
As visitas
Já vivi o bastante para desconfiar de algumas coincidências. Como deixou claro a delegada Elaine Biasoli, a prisão de traficantes na região é frequente — e nem poderia ser diferente: ali estão os consumidores e o dinheiro. Segundo ela, houve 65 detenções por ali de novembro até 20 de janeiro. Nesta quinta, no entanto, haviam passado por lá três capas-pretas do PT: o ministro Alexandre Padilha e os secretários municipais José de Fillipi Jr. (Saúde) e o já citado Roberto Porto.
Não pensem que os dependentes estão desconectados do mundo a ponto de não saber o que se passa. É claro que eles já perceberam que podem contar, sim, com a Prefeitura — e da pior maneira possível. Haddad resolveu lhes conceder aquele pedaço da cidade. Ele está pouco se lixando para quem mora ou trabalha por ali. Nesta sexta, a Juventude do PT (petista e jovem ao mesmo tempo??? Que coisa velha!!!) decidiu fazer uma manifestação na Haddadolândia contra a ação da polícia.
Ora, vocês já sabem qual é o desdobramento prático disso: os traficantes, que são, de fato, os que mandam no pedaço vão se sentir ainda mais livres para enfrentar a polícia. Haddad, ele sim, está criando um gueto; Haddad, ele sim, está criando uma política de apartheid.
Braços Abertos?
Ridiculamente, setores da imprensa (ver post) endossam a conversa mole de que a ação do Denarc atrapalha o programa De Braços Abertos (o tal que dá salário, comida e casa). Atrapalha em quê? Os traficantes, então, devem ficar soltos? Haddad, já firmei aqui, está querendo encontrar uma desculpa para o que é um fracasso por definição.
Estamos diante de um caso escancarado de degradação do estado de direito. É claro que se decidiu, ainda que informalmente, que a Haddadolândica fica num outro país — num outro mundo, quem sabe… Fico cá a imaginar o que sentirão os proprietários de imóveis da região quando receberem o carnê de IPTU, por exemplo. Estarão pagando um imposto à Prefeitura para viver em meio ao lixo, enquanto o seu patrimônio vai sendo fumado pelos intocáveis de Fernando Haddad. Não é só isso: o prefeito está destruindo um patrimônio material e cultural que é de todos os paulistanos. Na região e seu entorno — que também vai se degradando —, está a melhor infraestrutura da cidade. Também ela está virando fumaça, junto com um pedaço da história da cidade.
É preciso que se tenha muito claro que, enquanto durar essa política, não há recuperação possível para aquela área da cidade. Ainda que Haddad perca a eleição em 2016 — como está longe! —, seu sucessor ou sucessora terá dificuldades imensas para pôr fim a esse programa irresponsável, pautado pela má consciência dos oportunistas e pela boa consciência dos ingênuos.
Por que Haddad não se muda para a Cracolândia? Se acha que pais e mães, que moram no Centro da cidade, devem submeter seus filhos àquela rotina, por que não dá ele próprio o exemplo e leva pra lá a sua família? Demagogia? Ora, ele já não andou até de ônibus? Mas atenção! Tem de ficar lá sem escolta armada, como acontece com os demais moradores.
Não deixa de ser eloquente que, nesta quinta-feira, o primeiro figurão petista a visitar a Haddadolândia tenha sido justamente Alexandre Padilha, que é o novo Haddad que Lula tirou do bolso do colete, agora para concorrer ao governo de São Paulo. Quem sabe venha por aí uma Haddadolândia de dimensões estaduais, não é?
Por Reinaldo Azevedo

Agnelo Queiroz é investigado e processado por crime eleitoral.

Processado por crime eleitoral, Agnelo parece tranquilo...o processo está nas mãos de Lewandowsky... Seria por isso a razão de tanta tranquilidade?

O procurador regional eleitoral do Distrito Federal, Elton Ghersel, disse haver possibilidade de crime no churrasco relatado no inquérito sobre suposta compra de votos por parte do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), e e de outros dois pré-candidatos ao Buriti, Rodrigo Rollemberg (PSB) e Luiz Pitiman (PSDB).
“Teoricamente, se você está oferecendo alimentação e bebida gratuitamente, você está oferecendo uma vantagem que a lei proíbe. Isso configura um crime eleitoral”, disse ele, em entrevista à rádio CBN, na manhã desta sexta-feira (24).
A emissora destacou que a existência do inquérito foi revelada pelo Congresso em Foco. Conforme mostrou este site, a investigação da Polícia Federal sobre um churrasco na chácara de um empresário está nas mãos do ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski e envolve ainda o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) e os deputados Érika Kokay (PT-DF), Roberto Policarpo (PT-DF) e o deputado distrital Cabo Patrício (PT).
(...)
* http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/procurador-diz-que-dar-churrasco-em-eleicao-e-crime/

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher!

A bela atriz Jacqueline Sato
Dilma foi recebida em Natal-RN, com protestos, pichações e xingamentos de revolta do povo. Não foram as oposições, não foi a imprensa, que regiamente paga, ignorou e se omitiu na sua obrigação de informar.
video
                                                  .

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Porque o Governo não tem vergonha e fala a verdade para a população?

Pasmem: o Brasil está importando etanol dos Estados Unidos! O país que inventou o Proálcool, pátria dos veículos flex, o maior produtor mundial de cana-de-açúcar, anda de marcha à ré no combustível renovável. Primeiro incentivou, depois maltratou sua destilaria, dando prioridade à poluente gasolina. Um vexame internacional.

Navios carregados de álcool anidro norte-americano começaram a descarregar 100 milhões de litros no Porto de Itaqui (Maranhão). É somente o começo, destinado ao abastecimento do Nordeste. No total, as importações serão bem mais volumosas. Para facilitar, o governo Dilma desonerou de impostos (PIS e Cofins) as compras de etanol no exterior, dando um tapa na cara dos produtores nacionais. Surreal.

Lula, em nome do populismo, destruiu uma das maiores invenções brasileira. As importações de etanol de milho do Brasil configuram o maior fracasso mundial de uma política pública na área da energia renovável. Dilma Rousseff, pregressa ministra de Energia, adota discursos contemporizadores. Está, na verdade, num beco sem saída.
*Por Ana Lima, via Facebook

Delegado ou Delegada?

Thiago, agora é Laura...
Uma cirurgia de mudança de sexo, realizada na Tailândia, é o assunto do momento nos bastidores da segurança pública de Goiás. 
Há cerca de seis meses, um delegado de Polícia Civil entrou de licença médica, viajou até a Ásia, onde submeteu-se à mudança de sexo, da qual ainda se restabelece. 
Em fevereiro, quando deverá voltar ao posto, no lugar do delegado Thiago de Castro Teixeira, quem assumirá será a delegada Laura de Castro Teixeira.

E Laura reassumirá com a possibilidade de lotação na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (Deam) Central de Goiânia, onde a titular, Ana Elisa Gomes Martins, carente de reforço, garante uma boa recepção. "Se ela vier, será recebida com profissionalismo e para atender uma grande demanda de um público carente", informa a delegada Ana Elisa, que chefia uma especializada com três delegadas adjuntas e quatro plantonistas, todas sobrecarregadas pela violência contra a mulher.

A mudança de nome de Thiago para Laura foi autorizada pela Justiça e por isto o novo registro civil do delegado passou a ser do sexo feminino. No Facebook, desde o final de outubro, Laura já exibia o novo visual, contrastando bastante com a imagem pública do então delegado Thiago, geralmente usando terno, camisa de mangas compridas e outras peças todas do vestuário masculino.
*Via 
http://estadao.br.msn.com/

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Joaquim Barbosa, o homem que segue, respeita e aplica a lei: “Eu jamais hesitaria em tomar a decisão”

Barbosa: " O condenado ganhou quase um mês de liberdade"
Na saída da Sorbonne, a universidade Paris I, onde fez uma palestra, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa,  rebateu críticas por ter entrado de férias deixando pendente o mandado de prisão do deputado João Paulo Cunha (PT-SP), condenado por envolvimento no esquema do mensalão.
Assinei a decisão às 18 horas e saí de casa à 1 hora da manhã para pegar o meu voo”, disse. O presidente do Supremo Tribunal Federal explicou que ordem de prisão só pode ser efetivada depois de divulgada e feitas as comunicações ao Congresso e ao juiz da Vara de Execuções.
Como Barbosa já estava fora do país, o mandado deveria ter sido assinado por sua substituta, a ministra Carmem Lúcia e agora, por Ricardo Lewandowski que também assumiu a presidência de forma interina. Indagado pelo Blog de Paris o que teria feito se estivesse na posição dos colegas, Barbosa foi categórico: “O condenado ganhou quase um mês de liberdade a mais. Eu, se estivesse como substituto, jamais hesitaria em tomar a decisão.”
Sobre o fato de receber diária do STF no valor de no valor total de 14.142,60 reais para ministrar palestras no exterior, Barbosa disse o seguinte: “Qualquer servidor público que se desloca a serviço do seu país recebe diárias.” E arrematou, mais para frente, sobre o mesmo assunto: “Isso é bobagem.”
No fundo, a sabotagem da ala petista dos ministros do STF para minar Joaquim Barbosa decorre da inveja monumental da notável popularidade que presidente conquistou de forma inédita no Brasil. Qual entre eles teria a coragem de enfrentar a resistência com a franqueza e, de certa forma, fidalguia, do atual presidente do Supremo? A resposta é inapelável: nenhum.
Diferentemente, da vasta maioria das autoridades brasileiras que passam por Paris, Barbosa não corre. Ele manda o motorista parar o carro. Desce e vem falar de peito aberto com os correspondentes. Responde as perguntas. Em 23 anos na França, posso assegurar que é a atitude rara quando se trata de autoridades brasileiras. A maioria esconde, corre e faz que não viu.
A embaixada, morre de medo, e corrobra. Eles ainda não aprenderam que notícia não é divulgação que jornalista não é publicitário, não faz propaganda. Estão mais preocupados com suas carreiras. Querem agradar os poderosos. Querem tirar algum proveito. Perguntei ao motorista da embaixada, uma coisa simples: “Daqui o presidente do STF vai para o Ministério da Justiça? O português mente descaradamente: “Não sei”. Claro, que sabe. Como o motorista não sabe onde vai levar seu cliente na próxima corrida?
Entre a palestra na Sorbonne e o encontro com a ministra da Justiça da França, Christiane Taubira-Delannon,  de  origem guianesa, Barbosa aproveitou o tempo livre das férias para fazer compras nas Galeries Lafayette. O presidente do STF examinou pastas de bolsas de couro e gravatas. Barbosa participou de um jantar em sua homenagem oferecido por Jean-Louis Debré, o presidente do Conselho Constitucional, a mais alta corte da França.
* http://veja.abril.com.br/blog/de-paris/

Governo petista.


quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Um escárnio protagonizado por jurista???

Escárnio! Nelson Jobim, ex- ex-presidente do STF doa R$ 10 mil a Genoíno
Realmente um escárnio! Um jurista que ocupou o mais alto posto na Justiça brasileira colaborar diretamente com um bandido, ajudando-o a devolver aos cofres públicos uma parte do que roubou, e, indiretamente, desafiando a decisão da Suprema Corte que o condenou.
Mas isso não é lá muita surpresa, já que Jobim, quando foi ministro da Defesa de Dilma, nomeou Genoíno como assessor especial do ministério em 2011 e – outro escárnio – condecorou o meliante com a Medalha da Vitória, comenda concedida a militares e civis que contribuíram para difundir a atuação do país em defesa da liberdade e da paz mundial, em especial na 2ª Guerra Mundial.

Enfim, é isso aí que o governo do PT tem para apresentar. Daí para pior.

Relatórios internacionais criticam o sistema penitenciário brasileiro.

A Secretária dos direitos "dos manos" disse na Globonews ( emissora que dá o espaço total aos petistas ) que a responsabilidade é de todos, União Estados, Instituições...
Como é bom, hein Secretária, atribuir ou dividir a culpa quando se tem 11 anos para, pelo menos melhorar, e nada se faz?...
É muito cinismo!
Enquanto os bandidos fazem e desfazem no país o Governo Federal não constrói prisões, ao contrário, edita leis beneficiando bandidos de toda espécie...

Resumo semanal dos bandidos do PT.

Foto-arte de polibiobraga.blogspot.com 
Pizzolato foragido, tem dois milhões de euros em conta na Suiça; Marta Suplicy, ministra, condenada por improbidade administrativa; Dirceu, o criminoso muito especial, usa celular na cadeia; Dilma dá a pasta de Turismo a Roberto Jefferson, prestes a ir para a cadeia (atuará seu preposto, Benito Gama)...
Esse é o velho PT que eu conheço bem! O que mais vocês querem para o fim de semana?
Quanto a Dirceu, a Lei n. 11. 466, de 28 de março de 2007, incluiu o inciso VII no art. 50,passando a considerar falta grave, o condenado à pena privativa de liberdade que “tiver em sua posse, utilizar ou fornecer aparelho telefônico, de rádio ou similar, que permita a comunicação com outros presos ou com o ambiente externo”. Dessa forma, tal situação lhe acarretará uma série de conseqüências, como a perda dos dias remidos, a impossibilidade da concessão do livramento condicional pela ausência de comportamento satisfatório e da progressão de regime, bem como ensejará a regressão de regime.
Alguém duvida que a Lei não será aplicada?...

*Lisa Negri, via facebook

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Que vexame, Dilma!

Mas logo na terra dos seus, agora cordeirinhos, Cid e Ciro Gomes, o Governo Federal não concluirá as obras do aeroporto do Ceará, que  não deverá estar pronto até a Copa do Mundo de 2014. 
O Governo não parece ter mínima vergonha deste fato lamentável e que denota total , e incontestável, incapacidade de gerir um evento de tal grandeza, e diz que fará um terminal provisório ( a chamada gambiarra).
Ao vistoriar o aeroporto, o Ministro Moreira Franco ( que já tem a cara de quem já morreu ha muito tempo ) disse que será construído um terminal provisório pela bagatela de mais 3,5 milhões de Reais e deverá ser "feito de lona".
Que maravilha! Governo Brasileiro petista nos faz uma vergonha mundial. 
Ué, até parece que estamos na Gâmbia ou Zâmbia, países reconhecidamente pobres e a última em conflitos?

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

A precária saúde pública da era petista.

A situação da saúde pública em Rondônia piora a cada dia. Imagens enviadas por um leitor, indignado com a gravidade do problema, detalham o sofrimento de dezenas de mulheres grávidas, que esperam no chão o atendimento no Hospital de Base, em Porto Velho. Ele conta que seguiu por volta das 2 horas à unidade hospitalar para atendimento da esposa e se deparou com as grávidas, “deitadas nos corredores, a maioria em trabalho de parto”. Segundo relata, por volta das 3 horas “chegou uma gestante de São Miguel do Guaporé com 8 meses de gestação e não tinha leito para atendê-la. Para onde está indo o dinheiro destinado a população, isso é um crime, um descaso com a população, que está sendo tratada em condições precárias”.
rondoniaagora.com

domingo, 19 de janeiro de 2014

Pedófilo petista, ex-Assessor da Casa Civil, quer liberdade e ameaça o PT.


Eduardo Gaievski, ex-assessor especial de Gleisi Hoffmann (PT) na Casa Civil,quer liberdade e Ameaça o PT 
Na última sexta-feira (3/01), Gaievski (que está preso na Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão, no 
Paraná, foi ao pátio do presídio para um banho de sol. A notícia de que o homem que violentou dezenas de
meninas no vizinho município de Realeza estava flanando no pátio correu entre os presos. 
Foi o bastante para que um grupo de presidiários cercasse o petista. Foi preciso vigorosa intervenção da 
segurança do presídio para que Gaievski voltasse vivo à cela.
O episódio aterrorizou Gaievski, que passou a mandar novos recados ameaçadores à sua ex-chefe, Gleisi 

Hoffmann, e ao PT. 
O monstro da Casa Civil exige que o PT e Gleisi se mobilizem para solta-lo imediatamente. Quer responder

ao processo em liberdade. Se nada for feito, o delinquente sexual ameaça abrir a boca e revelar tudo o que

sabe.
Eduardo Gaievski foi prefeito de Realeza, pequena cidade do interior paranaense, onde teria cometido

seus crimes contra meninas pobres e menores de idade. 

Desde a prisão, o pedófilo tem avisado que sabe muito e que não aceita se transformar em um “novo Celso

Daniel”, referência ao prefeito petista de Santo 
André, vítima, em 2002, de covarde e cruel assassinato, até hoje não esclarecido. Acredita-se que Gaievski
tem informações explosivas sobre o caixa dois do PT e os bastidores da Casa Civil, onde foi encarregado
 por Gleisi Hoffmann de cuidar das políticas federais relativas a menores.
O violador de crianças foi preso em agosto de 2013, após o Ministério Público do Paraná levantar provas 
esmagadoras e incontestes de seu envolvimento em mais de 40 crimes sexuais, entre os quais 28 estupros 
de menores, sendo 14 praticados contra vulneráveis (menores de 14 anos). Familiares de Gaievski e a 
prefeitura de Realeza (onde o monstro fez um sucessor do PT) têm jogado pesado para tentar livrar o 

petista da cadeia. Um secretário municipal de Realeza, Fernandes Borges, e o filho de Eduardo Gaievski 

foram presos quando tentavam subornar testemunha para que mudasse o depoimento contra o pedófilo. 
Dois irmãos de Gaievski tiveram prisão decretada e estão foragidos pelo mesmo crime.
Advogados consideram que a possibilidade de que as ameaças levem Gaievski a responder ao processo 
em liberdade são muito remotas, pois nos crimes que praticou o petista deu provas de grande  

periculosidade. 
Quando teve a prisão decretada, Eduardo Gaievski fugiu e na sequência, após ser capturado, foi flagrado
tentando intimidar testemunhas a partir da prisão. Ele mobilizou parentes e aliados políticos para  

pressionar subornar testemunhas.
Depois que Gaievski foi preso, novas denúncias de estupros vieram à tona, um deles praticado contra uma 
menina de cinco anos. As evidências contra o pedófilo são tantas, que já chegaram ao YouTube. Em um 
áudio (clique aquí) um homem identificado como Gaievski encomenda uma sessão de sexo grupal com menores. 
Em outro (clique aquí), o mesmo homem conta a amigos, em meio a risadas e detalhes escabrosos, como 

“tirou a virgindade” de uma menina menor de 12 anos.


*Colaboração: Nelson Mendes Barbosa  por  yahoogrupos.com.br 

Tentativa do PT de envolver tucanos esbarra na verdade.

BRASÍLIA - O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator do inquérito que investiga fraudes em licitações para a construção de trens e do metrô de São Paulo durante governos tucanos, disse neste sábado que o documento encaminhado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não é conclusivo sobre a existência do esquema de pagamento de propina. 
- Ele (Janot) fez um relatório, mas não foi conclusivo. Eu vi a nota nos jornais e não sei de onde tiraram isso. Ele, por enquanto, não se pronunciou no inquérito - disse o ministro.
Segundo Marco Aurélio, Janot pediu que uma comissão de sindicância do Ministério Público de São Paulo tenha acesso aos autos do inquérito. A comissão investiga suposto desvio de conduta por parte de um procurador que atuou no caso. O ministro ainda não tomou a decisão. O caso está sob segredo de Justiça. O ministro quer tornar o processo público, mas o procurador-geral ainda não se manifestou sobre isso.
- A publicidade é algo salutar, para não se exagerar o que existe e para a sociedade acompanhar - explicou.
Ainda segundo Marco Aurélio, as investigações sequer começaram formalmente. Janot ainda não pediu que fossem tomados depoimentos, ou qualquer outro tipo de providência.
- Estamos na estaca zero, só vou apreciar isso quando retornar a Brasília, dia 28 - anunciou o ministro.
O inquérito investiga suposta formação de cartel entre fornecedores do Metrô e da CPTM durante os governos Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin, todos do PSDB. A empresa alemã Siemens, que admitiu integrar o esquema, entregou ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) documentos atestando que o governo de São Paulo sabia e deu aval à formação de um cartel com 18 empresas. O caso tramitava na Justiça Federal de São Paulo, mas foi transferido para o STF por conta dos quatro deputados federais investigados.