sábado, 21 de janeiro de 2012

Estrela cadente e decadente

O brado retumbante




A cara de pau do corrupto de esquerda

Poderia, mas hoje só queria dizer uma coisa, doa a quem doer: o pior corrupto é o que se jacta de esquerda. É essa súcia desonesta que morre de medo de uma investigação e, para proteger-se, chega ao cúmulo de convencer os mais ingênuos de que a apuração de maracutaias em empresas públicas, como a Petrobras, é apenas uma manobra privatizante.

O corrupto de “esquerda” é cínico e arrogante. Pela facilidade de meter a mão no dinheiro público sob proteção do manto escarlate e pelo deslumbramento com os podres poderes, é capaz de delitos muitos mais danosos porque, ao contrário dos corruptos tradicionais, age em bandos, interagindo em verdadeiras teias em que faz o meio de campo com lideranças corporativas, doma a mídia e banha de um invólucro “social” e até “patriótico” suas pernadas no erário.

Esse corrupto, diferente do tradicional, serve à sua patota, mas cria expectativas para que terceiros se beneficiem no futuro de outros butins. Tem um discurso bem articulado e sabe como imobilizar, pela cooptação, com algumas prebendas e favorecimentos a granel, aqueles que poderiam atrapalhar seus passos. Esse corrupto, por coincidência, é aquele que, estando do outro lado do balcão, amanhecia o dia pensando em quem ia apresentar como ladrão à distinta platéia.

É o corrupto que faz as mesmas armações, crente de que ganhará o a anuência da opinião pública, devidamente convencida de que pior do que sua turma é a “direita privatizante”. Esse corrupto de “esquerda” é um típico cara de pau, que se socorre de parceiros manjados, tipos Collor, Sarney, Romero Jucá e Renan Calheiros, como se a cocaína farta no país tivesse explodido nossa memória.

Tão cara de pau que está entregando o pré-sal a trustes estrangeiros através dos leilões das jazidas, perdoou dívidas de empresas privatizadas, como as da norte-americana AES (da Eletropaulo) está trabalhando a privatização dos aeroportos, numa jogada da pesada, e fala mal da privataria passada, sem nada ter feito para desfazê-la, sabe Deus porque.
*Por Pedro Porfírio, na Tribuna de Imprensa

A farsa

A farsa da mulher  grávida que enganou todo Brasil, inclusive jornalistas , é semelhante a farsa lulupetista dos milhões que sairam da miséria, de que emprestamos dinheiro ao FMI, somos autosuficientes em petróleo, o biodisel vai abastecer o mundo, os PAC criaram milhões de moradias, pagamos a dívida externa, mensalão nunca existiu, e muitos outras mentiras. O crescimento da barriga falsa é comparável ao extraordinário crescimento brasileiro, divulgado pelos petistas e seus comparsas.
*Jorge Roriz

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher

A bela Katya Kellyanne Marques

Um chanceler que envergonha qualquer democrata

 O embaixador brasileiro em Teerã, Antonio Salgado, advertiu contra a “demonização” do Irã e disse que a frase “infeliz” do presidente Mahmoud Ahmadinejad sobre “varrer Israel do mapa” -citada como evidência de intenções agressivas- foi “aparentemente mal compreendida” no Ocidente.
“Na realidade ele não queria dizer que Israel deveria desaparecer do mapa, mas sim desaparecer da história.
Seria mais uma analogia com o que aconteceu com a União Soviética ou a África do Sul do apartheid”, afirmou Salgado em debate no Rio com o chanceler britânico, William Hague.
O diplomata disse que, em vez de aprovar novas sanções contra o Irã -defendidas por Hague como “pressões pacíficas”-, o Ocidente deveria insistir em negociações sobre o programa nuclear. Citou a proposta “passo a passo” feita pela Rússia, que prevê um processo paulatino de concessões mútuas.
“Não estou defendendo o Irã, mas existe nos últimos anos uma demonização que tem mais a ver com a fase inicial da revolução [islâmica]. Depois houve oportunidades de normalizar relações com o Ocidente que foram perdidas”, acrescentou.
Ao relativizar a declaração de Ahmadinejad -por sua vez uma citação do aiatolá Khomeini, líder da Revolução Islâmica- o diplomata retomou polêmica que vem desde que ela foi reportada pelo “New York Times” em 2006.
Especialistas como o americano Juan Cole dizem que a frase foi mal traduzida e a versão correta é metafórica, e não uma ameaça de guerra: “Esse regime de ocupação sobre Jerusalém deve desaparecer da página do tempo”.
Outros, porém, argumentam que o próprio governo do Irã já usou a expressão “varrer do mapa” em páginas em inglês na internet.
No debate promovido pelo Cebri (Centro Brasileiro de Relações Internacionais) no palácio do Itamaraty, Hague não recuou diante das críticas de brasileiros -que também questionaram, como o embaixador Marcos Azambuja, a viabilidade de uma solução para o caso iraniano enquanto Israel mantiver arsenal atômico.
* Por Cláudia Antunes, na Folha - Via blog do Reinaldo Azevedo

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Menores infratores...Ah, os "coitadinhos"!!!

video
Para o vagabundo tudo. Para o cidadão...nada!!!

Os culpados

Sem que se queira, algumas imagens nos perseguem pela vida. Tenho algumas: a coxa de um motoqueiro rasgada em um acidente; uma briga feia, de socos, entre dois senhores gordos.
Outras duas saíram do mesmo lugar: da região de Petrolina, em Pernambuco, curral eleitoral do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra (PSB).
De uma cabra morta dentro de um barril azul, com olhos esbugalhados e sem o couro, vísceras cercadas de moscas. Carne salgada de um morador sem eletricidade ou água encanada.
Outra, do rosto desesperado de um sujeito, morador de uma casa de taipa, também sem água, cujo filho morreu. Ele nem sabia dizer como. Adoeceu, foi ao posto de saúde e saiu de lá morto.
Pernambuco é a cara do Brasil. Cresce como nenhum outro Estado em meio a um boom industrial e imobiliário. Mas conta com uma das elites mais atrasadas do país. Daquelas que usam o Estado e o dinheiro público como propriedade privada. Sem que ninguém faça nada a respeito.
Fernando Bezerra é um ícone: privilegiou seu curral pernambucano com o grosso das verbas de "seu" ministério; fez do filho o maior beneficiário de emendas de "sua" pasta; loteou a Codevasf (que deveria levar água a Petrolina e região) com irmão e amigos; comprou um mesmo terreno duas vezes em Petrolina com dinheiro público; e fechou contrato com empresa de correligionário pelo maior preço.
Bezerra é funcionário público, assalariado do Estado, e tem uma chefe direta, a presidente Dilma Rousseff.
Há menos de dois anos, em Pernambuco mesmo, Dilma era quase uma desconhecida. Era chamada de Vilma pelos que tinham, de orelhada, ouvido falar "da mulher de Lula". Meses depois, na eleição de 2010, o Estado daria à hoje presidente uma das maiores votações proporcionais no país.
Dilma foi praticamente ungida à Presidência pelo seu padrinho Lula. E não tem nenhuma das características clássicas dos políticos brasileiros que enojam tantos eleitores.
Está muito bem avaliada e poderia, se quisesse, tentar trazer a política brasileira para um outro patamar. Mas ela não parece disposta a isso. Seu tempo está passando.
A conversa da "governabilidade" vai aprisionando Dilma.
Meia dúzia de ministros saíram de seu governo não porque ela quisesse. Ao contrário, foram mantidos até cair de podres, denunciados pela imprensa.
Assim como Barack Obama nos EUA, Dilma talvez tivesse condições de chacoalhar as coisas de uma maneira mais honesta.
Talvez ela não seja uma política bastante habilidosa para isso, como Obama não foi.
Mas Dilma não deixa de ser responsável pelo que fazem seus subordinados diretos.
*Texto por Fernando Canzian, repórter especial da Folha . Foi secretário de Redação, editor de "Brasil" e do "Painel" e correspondente em Washington e Nova York. Ganhou um Prêmio Esso em 2006. É autor do livro "Desastre Global – Um ano na pior crise desde 1929". Escreve às segundas-feiras na Folha.com.

Ministrinho candidato

Desde o ano passado, o Presidente Perpétuo da Amada e Idolatrada Salve-Salve Pátria Brasileira, o Grande Molusco, tem feito de tudo um pouco para emplacar o nome de Fernando Haddad como candidato à prefeitura de São Paulo. Nesse esforço, conseguiu até mesmo o impensável: fazer com que Marta Suplício, digo, Suplicy -- aquela do "relaxa e goza", lembra? -- abandonasse as prévias do partido (algo que provavelmente deve tê-la tornado ainda mais intragável do que já é). Isso diz muito não apenas sobre a vontade do Líder PéTreo com relação à cidade de São Paulo, mas também sobre o projeto de poder que o ParTido tem para a cidade. Afinal de contas, Fernando Haddad tem um senhor currículo como ministro da educação:
- Lançamento de uma coletânea de livros intitulada "Coleção Educadores", em que se falam da vida e da obra de grandiosos educadores democráticos e populares como Jean-Jacques Rousseau, Antonio Gramsci, Ivan Illitch, Florestan Fernandes, Friedrich Hegel e Paulo Freire.
- Distribuição do livro "Por Uma Vida Melhor", de Heloísa Ramos, a cerca de 500 mil alunos da rede pública em todo o Brasil. O livro em questão ensina, dentre outras coisinhas, que ser corrigido por falar errado é, na verdade, ser vítima de preconceito linguístico. Vejam só (grifos meus):
“'Os livro ilustrado mais interessante estão   emprestado'. Você pode estar se perguntando: ‘Mas eu posso falar ‘os   livro?’.’ Claro que pode. Mas fique atento porque, dependendo da situação,   você corre o risco de ser vítima de preconceito linguístico. Muita   gente diz o que se deve e o que não se deve falar e escrever, tomando as   regras estabelecidas para a norma culta como padrão de correção de todas as   formas linguísticas. O falante, portanto, tem de ser capaz de usar a variante   adequada da língua para cada ocasião.”
- A quase-censura do livro "Caçadas de Pedrinho", de Monteiro Lobato, com base na desculpa justificativa de que o livro foi escrito sobre esterótipos preconceituosos e racistas.
- Investimento de R$ 1,8 milhão na confecção de um kit "anti-homofobia" (o Kit Gay) que, dentre outras coisas, defendia a bissexualidade em virtude de sua vantagem probabilística frente à heterossexualidade. O kit seria distribuído a 6 mil escolas pelo País.
- Sucessivos vazamentos e fraudes nas provas do ENEM dos anos de 2009, 2010 e 2011, com dezenas de milhões de reais desperdiçados e diversas ações na Justiça contra o exame.
Para fechar com chave de ouro essa gestão ministerial que já entrou (e saiu, e entrou, e saiu) nos anais do povo brasileiro, o Governo Federal planeja fazer uma cerimônia pública para comemorar a concessão de 1 milhão de bolsas do ProUni e, por que não?, prestar a devida homenagem a esse grande sujeito, de inumeráveis predicados. Enquanto isso, pavimenta-se um caminho glorioso rumo ao Palácio dos Bandeirantes -- que, pelo seu nome extremamente racista, concerteza* será re-batizado como Palácio dos Quilombolas.
*Cuidado com o preconceito linguístico, hein?
*Por Juventude Conservadora da UnB

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Bancada evangélica que processar ministro Haddad

O coordenador da bancada evangélica, deputado João Campos (PSDB-GO), e seu colega Paulo Freire (PR-SP) protocolaram na manhã desta terça-feira, 17, uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o ministro da Educação, Fernando Haddad. Eles pedem a apuração de prática de crime de responsabilidade por parte do ministro por não ter respondido a um requerimento sobre a distribuição de preservativos em escolas da rede pública. O requerimento foi encaminhado inicialmente em 14 de setembro de 2010 e, pela Constituição brasileira, o ministro teria até 30 dias para se pronunciar. 
O requerimento sem resposta é de autoria dos dois parlamentares. Eles questionaram Haddad sobre a implantação de máquinas para a distribuição de camisinhas em escolas. Entre as perguntas estão dúvidas sobre a faixa etária dos alunos que terão acesso, se haverá consulta aos pais, e qual o objetivo do governo com o programa.
Haddad está de saída do Ministério para disputar a Prefeitura de São Paulo pelo PT. Durante sua gestão teve alguns conflitos com a bancada evangélica. O de maior repercussão foi sobre a distribuição de um kit contra a homofobia em escolas. A pressão dos evangélicos fez a presidente Dilma Rousseff suspender a distribuição do material. (Do portal de O Estado de S. Paulo)
COMENTÁRIO: Faz sentido. A escola não tem mais nada de bom para ensinar. Aluno não respeita mais professor. Acabou-se a autoridade em sala de aula. Os livros fazem vergonha a quem estudou no tempo em que escola era, de fato, escola. Os livros de História tem uma outra história inventada para satisfazer o ego do molusco analfabeto. Foi Lula quem descobriu o Brasil, proclamou a independência, e agora está implantando o socialismo do século XXI, com as bênçãos do MST, a única esperança de um Brasil próspero. Os de Português, que antigamente primavam para fazer o aluno gostar de ler, hoje em dia os fazem fugir da leitura. São chatos e insuportáveis. Os conteúdos são mais lixo do que outra coisa. Já virou bordel mesmo. Tem mais é que distribuir camisinhas ao alunos.
*Ester Azoubel, por e-mail, via resisência democrática

Atriz iraniana é banida do país após foto nua

Foto:Alberto Pizzoli/France Presse
A atriz iraniana Golshifteh Farahani (foto) não é mais bem vinda no Irã depois de ter posado nua para a publicação francesa "Le Figaro Madame", como forma de protesto contra as restrições impostas às mulheres no seu país natal.
"Um comunicado do Ministério da Cultura e Orientação Islâmica me disse que o Irã não precisa de atores ou artistas e que eu poderia oferecer meus serviços em outro lugar" disse Farahani.
A atriz, que mora em Paris, deixou o Irã no ano passado em protesto contra códigos islâmicos restritivos que a indústria de cinema iraniano tem que seguir no governo conservador de Ahmadinejad.
O comunicado dizia ainda para não voltar para seu país natal.
A publicação da foto acontece no mesmo momento em que o filme iraniano "A Separação", de Asghar Farhadi, foi premiado com o Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro, em meio à repressão do governo iraniano à indústria cinematográfica.
O último capítulo da polêmica foi o fechamento do Instituto Casa de Cinema em Teerã.
Farahani já participou de vários filmes iranianos, inclusive do próprio Farhadi, e contracenou com Leonardo Di Caprio no filme Rede de Mentiras, em que interpreta uma enfermeira muçulmana.

Hidropirataria no Rio Amazonas


É assustador o tráfico de água doce no Brasil. A denúncia está na revista jurídica Consulex 310, de dezembro do ano passado, num texto sobre a Organização Mundial do Comércio (OMC) e o mercado internacional de água.
A revista denuncia:
“Navios-tanque estão retirando sorrateiramente água do Rio Amazonas”.
Empresas internacionais até já criaram novas tecnologias para a captação da água. Uma delas, a Nordic Water Supply Co., empresa da Noruega, já firmou contrato de exportação de água com essa técnica para a Grécia, Oriente Médio, Madeira e Caribe.
Na foto abaixo, um dos navios da empresa transporta pelo oceano um gigantesco “bag” de água doce.
Conforme a revista, a captação geralmente é feita no ponto que o rio deságua no Oceano Atlântico. Estima-se que cada embarcação seja abastecida com 250 milhões de litros de água doce, para engarrafamento na Europa e Oriente Médio. Diz a revista ser grande o interesse pela água farta do Brasil, considerando que é mais barato tratar águas usurpadas – por um preço médio de US$ 0,80 o metro cúbico, do que realizar a dessalinização das águas oceânicas, cujo custo gira em torno de US$ 1,50 o metro cúbico. INFORMATIVO SEMANAL ‘ROTARY LAVRAS’ – Nº 27 – ANO ROTÁRIO 2009/10 Até agora, ao que se sabe nada de concreto foi feito para coibir o crime batizado de hidropirataria. Para a revista Consulex, “essa prática ilegal, no entanto, não pode ser negligenciada pelas autoridades brasileiras, tendo em vista que são considerados bens da União os lagos, os rios e quaisquer correntes de água em terrenos de seus domínio (CF, art. 20, III). Outro dispositivo, a Lei nº 9.984, de 17 de julho de 2000, atribui à Agência Nacional de Águas (ANA), entre outros órgãos federais, a fiscalização dos recursos hídricos de domínio da União. A lei ainda prevê os mecanismos de outorga de utilização desse direito. Assinado pela advogada Ilma de Camargos Pereira Barcellos, o artigo ainda destaca que a água é um bem ambiental de uso comum da humanidade. “É recurso vital. Dela depende a vida no planeta. Por isso mesmo impõe-se salvaguardar os recursos hídricos do País de interesses econômicos ou políticos internacionais”, defende a autora. Segundo Ilma Barcellos, o transporte internacional de água já é realizado também através de grandes petroleiros. Am-02-10
*Enviado por Douglas Cardoso, por e-mail, via resistência democrática

Burrice petista no twitter


Secretário Nacional de Comunicação do PT, o deputado André Vargas (PR), avisou no Twitter: “vou dormir çedo, saio çedinho.” (sic). Vexame.(Coluna do Jornalista Claudio Humberto)

O petróleo do Pré-Sal existe mesmo ou tudo não passa de umconto do vigário

O ex-diretor de Gás e Energia da Petrobrás, Ildo Sauer, autor da explosiva entrevista publicada na revista da Adusp(“O ato mais entreguista da história foi o leilão do petróleo para oEike) é simplória. 
. Sobre o Pré-Sal, recomendo a leitura dos editoriais do jornalista Norman Gall no Estadão ou no site do  Instituto FHC. É um projeto que visaretirar petróleo de 5 a 7.000 metros de profundidade para o qual ainda nãoexiste tecnologia adequada, certificada. Pela distancia da terra, entre 280 e320 quilômetros da costa, necessita de gigantesco investimento, tanto em sondas(120 furos para certificar um poço economicamente viável e uma jazida)plataformas, planta de utilidades de apoio, verdadeiras  usinas elétricasflutuantes em alto mar, navios-tanques gigantescos (não os do tipo do JoãoCândido), árvores de exploração submarinas a mais de 5.000 metros e outrasfacilidades. O pessoal deverá ficar em hotéis flutuantes,  pois precisarátrabalhar em escala de 24 horas por dia, como funciona uma refinaria. Como sesabe, os helicópteros não possuem  capacidade para carregar tanta gentenem tanta carga a essas distâncias, pois o percurso estaria fora da suaautonomia de vôo.
. O Pré-Sal precisa de de US$ 600 bilhões na frente, dinheiro que só voltaria arender em 2020, data prevista para o início da produção em escala
. As Empresas americanas que são sócias da Petrobras, já sabiam desse petróleohá muito tempo, pois estão juntas com a Petrocabide em todos os poços que temose nunca se interessaram em perfurar nessa profundidade.
. É possível imaginar que uma empresa brasuca, estatal, sem nenhum expertiseigual ao que tem as 7 Irmãs, fará o que elas não fizeram ?
. O cheiro é de jogada maluca de um Partido, o PT.
. O único poço que alcançou essa área, entrou este ano em testes de viabilidadecomercial e delimitação de vazão, que deverá terminar em 12 meses, para saberse vale a pena pela qualidade e pela vazão do petróleo a explorá-lo.
. De resto, 60% da nossa produção saem  de um poço descoberto nos anos 90,Marlim, e outro, na bacia de Campos.
. Ildo Sauer não sabe disso ou não não é do se interesse registrar.
. Entramos numa Petropaulo  gigantesca que vai detonar o País,principalmente se a crise for muito mais extensa do que se prevê.
- A propósito: onde estão os bilhões que a China ia emprestar ao Brasil,garantindo-se com uma espécie de recebíveis em petróleo do Pré-Sal ? Foi um dosfalsos anúncios feitos por Lula para ajudar a eleger Dilma Roussef.
** Artigo de Maurício Pinheiro, SP, para http://polibiobraga.blogspot.com/

Gastos sem licitação na gestão de Dilma foram 94% maiores do que em 2007

 
Segundo o Ministério do Planejamento, as compras e contratações de serviços sem competição entre fornecedores atingiram R$ 13,7 bilhões.O governo da presidente Dilma Rousseff seguiu a linha de seu antecessor de priorizar gastos públicos feitos sem licitação, opção criticada pelos órgãos de controle interno e que limita a competição entre fornecedores. Segundo os dados mais recentes do Ministério do Planejamento, as compras e contratações de serviços com dispensa ou inexigibilidade de licitação cresceram 8% em 2011, atingindo R$ 13,7 bilhões na administração federal, autarquias e fundações. As informações são do Estado de S. Paulo.
No primeiro ano do governo Dilma, os gastos feitos sem procedimento licitatório foram 94% maiores do que em 2007. Ao mesmo tempo, o governo de Dilma reduziu o uso de outras modalidades previstas na Lei de Licitações que permitiram maior competição: a tomada de preços e a concorrência, por exemplo.
A título de comparação, enquanto os gastos sem licitação cresceram 8% houve um aumento de 4% nas licitações por pregão, uma modalidade que foi defendida pelo ex-presidente Lula como uma das mais transparentes e menos sujeitas a fraudes.
A dispensa e a inexigibilidade de licitação estão previstas na Lei de Licitações, de 1993. Grosso modo, o governo pode descartar a concorrência quando o valor for tão baixo que custaria mais fazer todo o processo licitatório. Já a inexigibilidade ocorre quando somente um fornecedor pode apresentar o serviço ou o produto, como medicamentos patenteados.
A opção do governo por diminuir o uso de procedimentos públicos de competição contrasta com as promessas da presidente Dilma Rousseff de melhorar a gestão e dar maior transparência às ações da administração pública federal.
*Fonte: Estado de São Paulo

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Ronaldo diz ter missão de fazer povo acreditar na Copa

Questionado depois se teria algum poder de decisão no COL, ele afirmou que tomará decisões burocráticas junto com Ricardo Teixeira.
São Paulo - Conselheiro do Comitê Organizador Local (COL), o ex-jogador Ronaldo Nazário resumiu como o de um garoto propaganda seu principal papel na organização do evento. "A minha principal missão é fazer com que brasileiro acredite nisso. RONALDO, VOCÊ DEVERIA USAR SEU PODER DE INFLUÊNCIA JUNTO AO POVÃO, PARA FAZER ELE ACREDITAR EM CIDADANIA!
Fazer com que brasileiro fique orgulhoso de receber a Copa do Mundo, que é o maior evento do mundo" ( RONALDO O BRASILEIRO DEVERIA SENTIR ORGULHO DE SER TRATADO COM RESPEITO POR SEUS GOVERNANTES, DEVERIA TER ORGULHO DE BOA EDUCAÇÃO, SEGURANÇA E SAÚDE DE PRIMEIRO MUNDO! ), disse Ronaldo em entrevista coletiva ao lado do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, e do ministro do Esporte, Aldo Rebelo, nesta segunda-feira, em Brasília.
Questionado depois se teria algum poder de decisão no COL, ele afirmou que tomará decisões burocráticas junto com Ricardo Teixeira ( RONALDO, VOCÊ DEVERIA SENTIR VERGONHA DE SE JUNTAR A UM PICARETA CORRUPTO DESSES!), presidente do COL e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Revelou ainda que o comitê terá outro membro.
"Só estamos no aguardo de escolher mais um membro para o conselho. Seremos três: eu, Ricardo Teixeira e mais um ( POR QUE VOCÊS NÃO CHAMAM O VALDEMAR COSTA NETO? ). Aí teremos que tomar as decisões juntos e até em algumas questões no voto", afirmou o ex-jogador.
Ele manifestou irritação por ser perguntado novamente se teria papel de decisão. "Já havia respondido essa pergunta na última entrevista, mas ela insiste em voltar".
*Blog eticamicina
COMENTÁRIO: "DEVERIA TER ORGULHO DE BOA EDUCAÇÃO, SEGURANÇA E SAÚDE DE PRIMEIRO MUNDO! "
Mas isto é piada, não? Aliás, esta conversa toda tem mais cheiro de comunismo de que de coisa séria. Então o maior evento mundial é uma chutadoria de bolas e uma roubalheira sem tamanho? Como se pode valorizar uma pilantragem dessas? Com tanta coisa importante neste Brasil, precisando de trabalho urgente, estão gastando nosso suado dinheirinho para dar ao povo este circo mambembe. E o brasileiro, que é baratinho, baratinho, está feliz que nem pinto na merda.
A escola não presta. Inventaram um ENEN para enganar os trouxas. Saúde está morrendo. Segurança??? Polícia, para sobreviver, une-se aos bandidos e o povo que se dane. Saneamento? Para quê? Ninguém vê mesmo! Legislativo e judiciário fazem jus ao executivo que temos: Todos corruptos. As FFAA desarmadas. Mas tem futebol. Quem se importa com o resto?
Vamos assistir de novo o país todo engalando, brincando de patriota, enfeitado de verde e amarelo. Mas só até o dia em que for eliminado, o que espero que seja logo no primeiro jogo. Aí, queimam-se as bandeiras, tiram-se o verde e amarelo das decorações e voltamos a viver sem patriotismo, sem cidadania, sem respeito à nação, como sempre.
É este o Brasil de lula,o Brasil Tiririca, analfabeto, ignorante e imbecil. Um país sem História, sem memória, sem amor, sem respeito, sem  moral. Tem nada, não. Carnaval vem aí. Não tem música boa composta para isto, não tem confeti nem serpentina, acabou-se o corso nas ruas, aquele festa com lança perfume que era tão divertida. Mas o governo distribui camisinha para que o sexo desbragado e irresponsável seja mais seguro. Não demora eles espalharem colchonetres, milhões deles, para quem brinca carnaval na horizontal, no grude com alguém  que acabou de encontrar e nem perguntou o nome.
O que fizeram do meu Brasil?
Ai que saudade de 1964!
Ester Azoubel, por e-mail, via resistência democrática

Governo da burrice

A conspiração dos analfabetos de Haddad - Candidata entrega tudo em branco e tem nota superior à mínima; MEC lhe envia resposta de quatro linhas com cinco erros de português; ao responder a repórter, erra de novo!
Lembram-se daquela história de o candidato ter como nota mínima a média da área, ainda que entregue a prova em branco? Pois é… Uma outra candidata só se limitou a assinar a ficha e, oh surpresa!, teve uma nota mínima SUPERIOR à… mínima!!!
Decidiu enviar um questionamento ao MEC. O Inep lhe enviou uma curta resposta, como segue, com um erro de concordância, três de acentuação e um de padrão. Vocês acompanharão a história, relatada por Rafael Targino, do Uol. (Aqui)
Questionado pelo portal, o MEC-Inep se limitou a explicar como funciona a Teoria da Resposta ao Item (que não responde, diga-se, ao problema apontado) e mandou outra bala na nuca da língua portuguesa: “(…), pois não pode-se (sic) afirmar a partir do teste (…)”
É essa gente que andou zerando a redação de milhares de alunos Brasil afora, a menos, claro!, que eles demonstrassem apreço pelos “direitos humanos” - o mesmo apreço, é evidente, do corretor…
Fernando Haddad está para cair fora do Ministério da Educação e passa a ameaçar, aí oficialmente, a cidade de São Paulo. Em seu lugar, vai entrar Aloizio Mercadante, que já prestou relevantes serviços à língua portuguesa. Em seu dicionário, por exemplo, “irrevogável” quer dizer “revogável”, assim como “incompetente”, para Haddad, significa “competente”.
Vamos ser sintéticos: o Enem é uma zona!
...........
*Por Reinaldo Azevedo

O câncer de Lula, a revolta da Dra. Lisiane e a fala de Dilma na TV

Desde a semana passada o editor recebeu repetidas mensagens assinadas pela oncologista Lisiane Meira, de Blumenau,narrando os problemas que seus pacientes e os brasileiros em geral enfrentam quando precisam tratar suas ocorrências de câncer.
. O libelo da Dra. Lisiane estabelece um contraditório com a privilegiada situação de Lula.
. O editor conversou com a médica nesta quarta-feira, depois de várias tentativas. Ela clinica em Blumenau, mas é gaúcha de Erechim. A Dra. Lisiane confirmou tudo.
A entrevista completa vai a seguir. Vale a pena ler.
- A presidente Dilma Roussef percebeu a revolta oculta de brasileiros como a Dra. Lisiane, que acabou aflorando quando a situação privilegiada de Lula foi confrontada com o que ele mesmo declarou repetidas vezes sobre o SUS, classificado pelo ex-presidente como um sistema público quase perfeito. Foi por isto que Dilma foi para a rede nacional de TV e falou ali por 10minutos, reconhecendo que a saúde pública não presta e precisa melhorar. Será melhor quando o governo sair do discurso.
Entrevista: Dra. Lisiane Anzanello, oncologista, Blumenau, SC
"O povo do SUS merece o mesmo tratamento de Lula."
A propósito da decisão de Lula não procurar o SUS, a senhora postou irada análise sobre o caso no seu Facebook. O que foi que houve?
Como escrevi: por que não nos exasperarmos por nem todos terem os mesmos direitos ? O protesto é em relação a incoerência de Lula, que considerou o SUS um programa de saúde pública de excelência,sabendo que isto não era verdade, porque ele não fez nada para melhorar este serviço.
A senhora atende pelo SUS?
Sim, atendo aqui em Blumenau. Mas meus pacientes pelo SUS esperam 180 dias para a decisão sobre um tratamento e mais 60 dias para começar a radioterapia. Pacientes do SUS morrem aqui, sem conseguir começar o tratamento.
O Lula diz que os médicos ganham muito bem e poderiam atuar melhor.
Sabe quanto ganha um médico oncologista por uma consulta ? R$ 6,70. Se tratar um mês inteiro o paciente, recebe R$ 10,00. Toda a hotelaria de um hospital custa R$ 5,40 para o SUS, incluídos refeições, cama, banho e roupa lavada.                  
É bem diferente do tratamento dado ao Lula.
Sim, porque ele fez exames no sábado e na segunda começou o tratamento, até com direito a bomba de infusão em casa. É um privilégio para quem tem muito dinheiro.                  
Sua mensagem rola para valer na Internet.
Não é nada pessoal. Não tenho Partido, mas faço política no sentido aristotélico. O Lula boicotou o quanto pôde a PEC 29, que prevê mais recursos para o SUS.
O que a senhora espera ?
A Dilma falou na TV... Ela foi realista e reconheceu que a saúde pública vai mal. Espero que ela mexa nisso.
E-mail:lismeira@terra.com.br
Fonte: vilamulher.terra.com.br

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Pela ética e honestidade no Judiciário

A ministra Eliana Calmon recebeu nesta terça (17) o presidente da OAB do Rio de Janeiro, Wadih Damous, às 15 horas em seu gabinete em Brasília.
Segundo Damous, o encontro será para mostrar apoio dos advogados ao trabalho desenvolvido pela corregedora para afastar os “bandidos de toga” do Judiciário. "Punir um juiz no Brasil é muito difícil porque as corregedorias dos tribunais são perpassadas por um espírito de corpo de forma exacerbada”, disse. “Quem tem medo do órgão de controle externo da magistratura são os que não cumprem com o seu dever ou têm algum tipo de elo com práticas irregulares, inclusive a corrupção”, completou.

PT quer esmagar o PMDB mas, por enquanto, vai comendo pelas beiradas

Não bastasse as articulações de bastidores para fragilizar os Minisros do PMDB, atolados em denúncias, que são ampliadas na mídia e nos grupos que articulam os movimentos sociais, o PT intensificou nos últimos meses seus contatos com estes movimentos sociais na tentativa de aglutinar forças além do campo institucional para levar adiante projetos estratégicos e, sobretudo, confrontar o PMDB.
Sentindo o peso do PMDB no governo Dilma, sem o qual já teria sido inviabilizado, o PT mobiliza sindicatos, movimentos sociais e manifestações populares, pois acreditam que poderiam desequilibrar a atual correlação de forças entre os dois partidos, inclusive nas eleições municipais deste ano, território onde o PMDB, historicamente, apresenta bons resultados.
Enquanto não consegue esmagar seu "parceiro acidental" os petistas querem comê-los pelas beiradas e, para começar, utiliza como estratégia a pressão das entidades organizadas para fazer avançar no Legislativo e no Executivo projetos e discussões sobre temas em que o PMDB é frontalmente contra o PT, como a redução da jornada semanal de trabalho, por exemplo.
*Fonte: O Estado de São Paulo

Candidatura de Haddad subiu no telhado

Haddad: Candidatura por um fio
Subiu no telhado a candidatura à prefeitura de São Paulo do ministro Fernando Haddad (Educação), daí o adiamento de sua saída do governo, prevista por ele mesmo para meados de janeiro.
Há dias, Haddad disse que Dilma havia solicitado para ele “ficar mais um pouco” no cargo.
A idéia foi de Lula, agora pessimista com as pesquisas e a falta de entusiasmo da militância, que prefere Marta Suplicy na disputa. 
O ex-presidente Lula forçou a barra no PT para entronizar Fernando Haddad como candidato, mas concluiu que ele não é nenhuma Dilma. 
Quando escolheu sua chefe da Casa Civil como sucessora, Lula tinha o que dizer de sua capacidade como gestora.
Já sobre Haddad... 
A gestão de Haddad é marcada por vexames nas provas de avaliação e por polêmicas desnecessárias, como o kit gay arquivado por Dilma.
As próximas pesquisas sobre a disputa paulistana definirão o futuro da candidatura Haddad. Se não der sinal de vida, será sepultada. (Da coluna do Jornalista Claudio Humberto)

Drogados: a culpa agora é nossa e do Estado

“Equívoco é pensar que a droga é que causa a situação de miséria de quem a consome. É exatamente o contrário. O que leva as pessoas para o buraco é a ausência do Estado, que não oferece escola de qualidade, habitação digna nem chance de trabalho. A droga é consequência, não é causa.”
Dartiu Xavier, psiquiatra, especialista em dependência química e pândego nas horas vagas.
Esse tal de Dartiu é um piadista.
Hoje é moda atribuir tudo de ruim ao Estado e à sociedade.
É ladrão? Tadinho, é a sociedade perversa que o leva à pobreza e consequentemente ao crime!
É viciado? Tadinho, é culpa do Estado que “não oferece escola de qualidade, habitação digna nem chance de trabalho”!
Nem se dão ao trabalho de raciocinar que pobre que é pobre não tem grana nem pra comprar droga e, se assim mesmo o faz, às vezes trocando um prato de comida dos seus filhos, roubando ou se prostituindo por uma pedra de crack, por um baseado ou por um copo de cachaça, é porque é um sem vergonha mesmo e, se já é um dependente, também é sem vergonha por simplesmente não ter resistido à primeira ou à segunda vez que se drogou.
De mais a mais, isso é um tremendo preconceito contra os pobres. Como se não bastasse a carga que já têm que suportar pela falta de dinheiro e assistência, eles ainda têm que conviver com a pecha atribuída por bucéfalos de serem drogados e ladrões em potencial.
Ora, ora, Dartiu, vá para a rima rica…
*Por Ricardo Froes

A idiotia no poder

Os idiotas estão por toda parte, avisou já no título o artigo aqui publicado em 21 de janeiro de 2011 e reproduzido na seção Vale Reprise.  Depois de registrar no primeiro parágrafo que foi Nelson Rodrigues o primeiro a detectar, numa crônica do fim dos anos 60, “a ascensão espantosa e fulminante do idiota”, o texto constata que a o fenômeno atingiu dimensões alarmantes neste começo de século. No início do 9º ano da Era da Mediocridade, a tribo dos cretinos fundamentais, que antes se limitava a babar na gravata, chegou ao coração do poder e perdeu de vez quaisquer inibições.
Seis meses mais tarde,  no jantar em homenagem ao 80° do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o ainda ministro Nelson Jobim evocou a mesma crônica de Nelson Rodrigues para afirmar que “os idiotas perderam a modéstia”. Jobim nunca escondeu que é leitor desta coluna. Mas esta é outra história. Não estou tratando de direitos autorais. O tema é a crescente desenvoltura da espécie que, sempre em acelerada expansão, hoje é representada no governo e nos partidos da oposição, no Ministério e no segundo escalão, no Congresso, nos tribunais e na imprensa, na plateia que assiste à passagem do cortejo ou nos andores da procissão de espantos.
Há um ano, ao fim de um passeio de helicóptero pela Região Serrana do Rio, Dilma Rousseff prometeu fazer amanhã o que Lula jurou ter feito em 2005, solidarizou-se com as famílias assassinadas pela incompetência do Planalto e do governo estadual e elogiou o comparsa Sérgio Cabral. O governador devolveu o elogio, agradeceu a Lula por oito anos de providências imaginárias e debitou o massacre premeditado na conta dos antecessores, de São Pedro, do imponderável e dos mortos.
Ambos foram desmoralizados por Luiz Antonio Barreto de Castro, demissionário do cargo de secretário de Políticas e Programas do Ministério de Ciência e Tecnologia, durante um depoimento no Congresso. Castro encerrou a conversa fiada com seis palavras: “Falamos muito e não fizemos nada”. O espetáculo da inépcia foi reapresentado ao longo de 2011, sob o silêncio obsequioso da oposição partidária. A idiotia é pluripartidária.
Mas há limites até para a cretinice, precisa aprender o governador Sérgio Cabral. Nesta segunda-feira, ele voltou a comparar o que houve na Região Serrana em janeiro passado com a passagem do furacão Katrina por New Orleans em 27 de agosto de 2005. Se Nova Friburgo fosse atingida por um furacão de categoria 5, nível máximo na escala de Saffir-Simpson, não sobraria ninguém para contar a história. Se New Orleans fosse castigada por uma chuva torrencial de 20 horas, só morreriam os que resolvessem suicidar-se por afogamento. A menos que o prefeito da cidade fosse Sérgio Cabral: quem faz de conta que temporal é furacão não precisa de mais que uma enxurrada para produzir outra tragédia. (Augusto Nunes)

Quanto a Lula, no seu câncer ele prefere recorrer a tudo e qualquer coisa, menos o SUS

Médium de Lula: Lula será curado e será presidente de novo
João de Deus (foto), 69, é o médium que está cuidando de Luiz Inácio Lula da Silva, 66, que sofre de um câncer na laringe. O médium tem viajado a São Paulo para realizar operações espirituais no ex-presidente da República e acompanhar a sua recuperação.
“Não vou falar dele [Lula]. Já viu médico falando de paciente?”, disse João de Deus à Istoé desta semana, que dedicou uma longa reportagem sobre o médium.
Ele apenas disse que Lula vai se curar e voltará a ser presidente.
Na medicina convencional, o ex-presidente está sendo tratado por médicos do Hospital Sírio-Libanês, um dos melhores do país e mais caro. Ele já foi submetido a três sessões de quimioterapia e atualmente encontra-se recebendo aplicações de radioterapia.
João de Deus já teve outros pacientes famosos, como a atriz Shirley MacLaine e a apresentadora Xuxa.
Quanto a Lula, no seu câncer ele prefere recorrer a tudo e qualquer coisa, menos o SUS.
Esse não é o primeiro contato dele com médiuns e pais-de-santo. Embora se considere católico, em visita à África antes da eleição presidencial em 2006, Lula teve uma forte experiência espiritual em Benin, país que é berço do vudu.
Ao som de tambores africanos, de acordo com o jornal O Globo, Lula “passou a tarde toda sendo reverenciado com orações e danças feitas por feiticeiros vudus, líderes tribais e pelos descendentes de escravos brasileiros que formam uma espécie de colônia em Ouidá, nos arredores de Cotonou, capital do paupérrimo Benin”.
Os feiticeiros garantiram que Lula ganhou em Benin três fortes espíritos para o “ajudarem”.
Com informações de Paulo Lopes e artigo de Julio Severo.
*Fonte: www.juliosevero.com

MST treina homens para a "guerra"



O MST está treinamento, diáriamente, os ‘soldados’ do Pinheirinho que passam por treinamento de guerrilha com noções de defesa e ataque.
Mas o local é mantido sob sigilo absoluto. Já, as mulheres se dedicam a cortar e costurar escudos. Algumas afirmam que também irão enfrentar a luta armada.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

A falência da educação brasileira na gestão petista de Haddad

O jornal El País da Espanha informa, hoje, que o governo brasileiros "está preparando um tapete vermelho" para receber 400.000 trabalhadores especializados vindos de outros países. Vejam a declaração do assessor da Dilma: "como o Brasil é hoje uma ilha de prosperidade no mundo, há muita gente bem preparada que quer trabalhar aqui". Em vez de formar os seus próprios técnicos, o Brasil vai importar mão-de-obra especializada, reservando para os brasileiros os trabalhos de terceira categoria, mal remunerados e mal valorizados. Para o PT do Fernando Haddad é melhor importar técnicos do que formá-los aqui. É a maior prova da incompetência do PT em preparar o Brasil para o futuro. ( coturno noturno)
Leia aqui em espanhol.
E aqui uma matéria em português em O GLOBO

Dilma corta verbas para a segurança e PT aposta no caos pelo crack para alcançar o poder em São Paulo

Crack toma conta do país e Dilma corta 50% das verbas para segurança.
O Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci) sofreu, no primeiro ano do governo Dilma Rousseff, o maior corte de recursos desde a sua criação, no fim de 2007. Dos R$ 2,094 bilhões autorizados para 2011 só a metade foi paga nos diversos projetos previstos pelo Ministério da Justiça, contrariando o discurso de campanha de ampliar a colaboração com estados e municípios nessa área. A tesourada foi de R$ 1,036 bilhão, impactando as ações Brasil afora.
 
Nos últimos quatro anos, a execução orçamentária média do programa foi de 63%. Com os cortes do ano passado, o valor deixado no cofre alcança R$ 2,3 bilhões. Ações alardeadas nos palanques eleitorais em 2010 não mereceram nenhum centavo no ano de estreia de Dilma, a exemplo da construção de postos de polícia comunitária com R$ 350 milhões previstos. Para a modernização de estabelecimentos penais, foram prometidos outros R$ 20 milhões, mas nada foi pago. Os dados são do Sistema Integrado de Administração Financeira do governo federal (Siafi).
 
Quase 40% do valor desembolsado no ano passado (R$ 1,058 bilhão) foram de restos a pagar, ou seja, compromissos firmados em exercícios anteriores. O ajuste fiscal do governo Dilma também atingiu uma das principais políticas do Pronasci, a Bolsa Formação, que paga auxílio a policiais e outros profissionais de Segurança matriculados em cursos de qualificação. O governo nunca gastou menos que 86% do autorizado para esse fim. Em 2011, só 49% da verba prometida foram pagos. Mesmo assim, a Bolsa Formação ainda responde por mais da metade do valor aplicado no Pronasci (R$ 572 milhões). Leia mais em O Globo.

Uma questão de incapacidade e inaptidão.

Fragmentos de sonda russa caem no oceano Pacífico
Fragmentos da sonda russa Fobos-Grunt, que fracassou em sua missão a Marte, caíram neste domingo no oceano Pacífico, às 17h45 (15h45 no horário de Brasília), informou a imprensa russa citando uma fonte do ministério da Defesa.
"Segundo nossos cálculos (...), a queda dos fragmentos da nave Fobos-Grunt ocorreu às 21h45 hora de Moscou (15h45 Brasília) no oceano Pacífico", declarou o coronel Alexei Zolotujin, citado pela agência Interfax.
A queda da sonda foi precedida por uma série de informações contraditórias por parte da agência espacial russa Roscosmos, que primeiro previu o impacto no Oceano Índico, depois em Madagascar, em seguida no Atlântico, Argentina e finalmente na costa chilena, no Pacífico.
Os escombros da nave espacial foram estimados em cerca de 14 toneladas, que incluem 11 toneladas de combustível de foguete tóxico.
PRESA NA ÓRBITA
A sonda de US$ 165 milhões, projetada para recuperar amostras de solo da lua marciana Fobos, seria a primeira missão bem-sucedida interplanetária da Rússia em mais de duas décadas. Mas durante o lançamento com problemas em 8 de novembro, a sonda ficou presa em órbita, e desde então, vem aos poucos perdendo altitude, devido à atração gravitacional.
Especialistas dizem que a queda de lixo espacial traz pequenos riscos.
Um dos componentes que pode ser conservado com a queda é uma cápsula projetada especificamente para um pouso de volta na Terra em 2014, segundo informou o cientista Alexander Zakharov. "Essa é a cápsula que foi feita para trazer de volta amostras de Fobos. É decepcionante", disse Zakharov.
Fobos-Grunt foi um dos cinco lançamentos russos com problemas no ano passado, que marcou comemorações do 50º aniversário do pioneiro Yuri Gagarin, que fez o primeiro voo espacial.
Em uma aparente tentativa de eximir-se de culpa, o chefe a agência espacial da Rússia insinuou haver uma sabotagem estrangeira na missão.
"Eu não quero culpar ninguém, mas existem meios muito poderosos para interferir com a nave espacial de hoje, cuja utilização não pode ser descartada", disse Vladimir Popovkin ao jornal Izvestia.
De acordo com uma convenção da ONU, a Rússia poderá ser obrigada a pagar indenização pelos danos causados por escombros em queda.
Em 1981, a União Soviética pagou US$ 3 milhões ao Canadá para a limpeza de detritos radioativos.
*DA REUTERS e FRANCE PRESSE, EM MOSCOU

Mensaleiro se aposenta com R$ 12,8 mil mensais na Câmara

Citado no escândalo do mensalão, o ex-líder do PP José Janene (PR) conseguiu se aposentar pela Câmara com salário integral de R$ 12.847,20.

O ato que oficializou a aposentadoria foi assinado pelo ex-presidente da Câmara Aldo Rebelo (PC do B-SP) e publicado no “Diário Oficial” de 31 de janeiro deste ano, um dia antes da eleição que Aldo perdeu para Arlindo Chinaglia (PT-SP).
“É um tema que, de alguma maneira, me surpreendeu, mas diz respeito à Mesa passada”, disse Chinaglia sobre o caso.
Janene tentava a aposentadoria desde o final de 2005. Dizia ter cardiopatia grave e, devido a licenças médicas, foi o último dos acusados a ser julgado pela Casa. Acusado de receber R$ 4,1 milhões do “valerioduto”, foi absolvido. Segundo a assessoria de imprensa da Câmara, três juntas médicas avalizaram seu estado de saúde.
Desde janeiro, outros 12 ex-deputados obtiveram a aposentadoria pela Câmara. Entre eles, o vice-governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB-SP), que, além do salário do cargo, receberá R$ 7.378 mensais da Câmara, segundo a assessoria da Casa. Alceste Almeida (PTB-RR), acusado de envolvimento com os sanguessugas, receberá R$ 3.340.
*Fonte Folha de São Paulo

O SUS e as dondocas

É um absurdo que em um país com a Saúde Pública sucateada, onde pacientes são criminosamente “amontoados” pelos corredores da maioria dos hospitais de pronto atendimento, e que, por exemplo,  doentes com câncer podem levar até seis meses esperando para marcar uma cirurgia, um ato de pura irresponsabilidade demagógica permita que as trocas das próteses de silicone de todas as pacientes que estejam enfrentando problemas com os produtos implantados, mesmo aquelas que se submeteram ao procedimento cirúrgico exclusivamente por questões estéticas, sejam custeadas pelo erário.  
Quer dizer que as dondocas resolvem “turbinar” os seios, e ao ficar comprovado que adquiriram produtos de má qualidade, ao invés dos governantes” obrigarem os fornecedores a arcarem com as despesas decorrentes dos vazamentos ocorridos nas “tranqueiras” que venderam no mercado brasileiro, simplesmente resolve “abrir a caixa de bondades”, e “quebrar o galho” para fabricantes e distribuidores, arcando com todas as despesas? Alguém tem dúvida de que as trocas deveriam ser feitas, assim como ocorre com qualquer outro produto que apresente defeito de fabricação, às expensas de quem fabricou e/ou efetuou a venda?
Diante de todo esse “festival de bondades”, alguns começam a desconfiar de que essa pressa dos órgãos governamentais em resolver o problema, mesmo com nítidos prejuízos para os cofres públicos, não passaria de uma “estratégia de abafa”, visando evitar que, através de investigações competentes, venham à tona alguns tenebrosos esquemas de “maracutaias” que possam ter resultado na obtenção das licenças para importação e comercialização dessas “próteses bichadas”.
*Júlio Ferreira - Recife – PE

Justiça! Onde paras?

Justiça! Onde paras minha amiga?
Tento encontrar-te por toda a cidade
Não sei o que é feito de ti!
Fizeram-te mal?
Tiraram-te a virtude de seres justa
E desapareceste com vergonha de ti própria?
Foi isso não foi?
Bem me parecia.
Andam tantos malandros
Tantos criminosos á solta
E tu nada fazes
Sentes-te impotente
Castrada, pois é
Mas quem te faz tudo isto?
Que fez de ti
Mera decoração no tribunal?
Onde nada decides
Ou decides tarde e más horas
E quase sempre mal
Será que podes dizer-me?
Não podes? Imagino que não
Estás envergonhada?
Pobre de ti justiça…
Podes ter a certeza
Se não fores séria e justa
De nada servirás
Passas a ser o contrário de ti própria
Injusta
Mas sentes-te amarrada
Nos tentáculos do poder
Não é verdade?
Como te compreendo minha amiga
Como te compreendo…
Mário Margaride

O que é o fascismo?

Benito Mussolini resumiu a doutrina fascista numa regra concisa: "Tudo para o Estado, nada contra o Estado, nada fora do Estado." No Brasil, se você é contra essa idéia, se você é a favor da iniciativa particular e das liberdades individuais, logo aparece um chimpanzé acadêmico que tira daí a esplêndida conclusão de que você é Benito Mussolini em pessoa. E não caia na imprudência de imaginar que essa conversa é demasiado pueril para enganar o resto da macacada. Quando você menos espera, guinchados de ódio cívico se erguem da platéia, e uma frota de micos, lêmures, babuínos, orangotangos e macacos-pregos se precipita sobre você, às dentadas, piamente convicta de estar destruindo, para o bem da humanidade símia, um perigoso fascista. Cuidado, portanto, com o que diz por aí. Você não faz idéia da autoridade intelectual dos chimpanzés na terra do mico-leão.
Na verdade, a idéia oficial de "fascismo" que se transmite nas nossas escolas não tem nada a ver com o fenômeno que em ciência histórica leva esse nome. É uma repetição fiel, devota e literal das fórmulas de propaganda concebidas por Stálin no fim da década de 30 para apagar às pressas a raiz comum dos dois grandes movimentos revolucionários do século e atirar ao esquecimento a universal má impressão deixada pelo pacto germano-soviético. Nessa versão, o fascismo e o nazismo surgiam como movimentos "de extrema-direita", criados pelo "grande capital" para salvar "in extremis" o capitalismo agonizante. É lindo imaginar aqueles banqueiros judeus de Berlim, reunidos em comissão médica em torno do leito do regime moribundo, até que a um deles ocorre a solução genial: "É moleza, turma. A gente inventa a extrema-direita, ela nos manda para o campo de concentração, e pronto: está salvo o capitalismo."
No entanto as origens e a natureza do fascismo não são mistério nenhum, para quem se disponha a rastreá-las em autênticos livros de História. Todas as ideologias e movimentos de massa dos dois últimos séculos nasceram da Revolução Francesa. Nasceram dela e nenhum contra ela. As correntes revolucionárias foram substancialmente três: a liberal, interessada em consolidar novos direitos civis e políticos, a socialista, ambicionando estender a revolução ao campo econômico-social, a nacionalista, sonhando com um novo tipo de elo social que se substituísse à antiga lealdade dos súditos ao rei e acabando por encontrá-lo na "identidade nacional", no sentimento quase animista de união solidária fundada na unidade de raça, de língua, de cultura, de território. A síntese das três foi resumida no lema: Liberdade-Igualdade-Fraternidade.
A conjuração igualitarista de Babeuf e seu esmagamento marcaram a ruptura entre os dois primeiros ideais, anunciando duzentos anos de competição entre revolução capitalista e revolução comunista. Que cada uma acuse a outra de reacionária, nada mais natural: na disputa de poder entre os revolucionários, ganha aquele que melhor conseguir limpar sua imagem de toda contaminação com a lembrança do "Ancien Régime". Mas para limpar-se do passado é preciso sujá-lo, e nisto concorrem, com criatividade transbordante, os propagandistas dos dois lados: as terras da Igreja, garantia de subsistência dos pobres, tornam-se retroativamente hedionda exploração feudal; a prosperidade geral francesa, causa imediata da ascensão social dos burgueses, torna-se o mito da miséria crescente que teria produzido a insurreição dos pobres; a expoliação dos pequenos proprietários pela nova classe de burocratas que se substituíra às administrações locais (e que aderiu em massa à revolução) se torna um crime dos senhores feudais. A imagem popular da Revolução ainda é amplamente baseada nessas mentiras grossas, para cuja credibilidade contribuiu o fato de que fossem apregoadas simultaneamente por dois partidos inimigos.
A terceira facção, nacionalista, passa a encarnar quase monopolisticamente o espírito revolucionário na fase da luta pelas independências nacionais e coloniais (o Brasil nasceu disso). A parceria com as outras duas transforma-se, aos poucos, em concorrência e hostilidade abertas, incentivadas, aqui e ali, pelas alianças ocasionais entre os revolucionários nacionalistas e os monarcas locais destronados pelo império napoleônico.
Pelo fim do século XIX, as revoluções liberais tinham acabado, os regimes liberais entravam na fase de modernização pacífica. O liberalismo triunfante podia agora reabsorver valores religiosos e morais sobreviventes do antigo regime, tornados inofensivos pela supressão de suas bases sociais e econômicas. Ele já não se incomodava de personificar a "direita" aos olhos das duas concorrentes revolucionárias, rebatizadas "comunismo soviético" e "nazifascismo". Assim começou a luta de morte entre a revolução socialista e a revolução nacionalista, cada uma acusando a outra de cumplicidade com a "reação" liberal.
Essa é a história. O leitor está livre para tentar orientar-se entre os dados, sempre complexos e ambíguos, da realidade histórica, ou para optar pelas simplificações mutiladoras. A primeira opção fará dele um chato, um perverso, um autoritário, sempre a exigir que as opiniões, essas esvoaçantes criaturas da liberdade humana, sejam atadas com correntes de chumbo ao chão cinzento dos fatos. A segunda opção terá a vantagem de torná-lo uma pessoa simpática e comunicativa, bem aceita como igual na comunidade tagarela e saltitante dos símios acadêmicos.
*Olavo de Carvalho, em O globo

Ildo Sauer denuncia como José Dirceu entregou o Pré-Sal para Eike Batista.

Aqui está parte da importantíssima entrevista do professor Ildo Sauer, diretor do Instituto de Eletrotécnica e Energia da Universidade de São Paulo, concedida a Pedro Estevam da Rocha Pomar e Thaís Carrança, da revista da Associação dos Docentes da USP (Adusp).
Considerado um dos maiores especialistas em energia do país, ex-diretor da Petrobras no primeiro governo Lula, Sr. Ildo Sauer conta como foi descoberto o Pré-Sal e denuncia o lobby feito por José Dirceu para entregar a Eike Batista a maior parte das reservas.
--Revista Adusp: Você ainda estava na Petrobras, quando o Pré-Sal foi descoberto?
--Ildo Sauer
- Eu ajudei a tomar essa decisão. Nós tomamos essa decisão, não sabíamos quanto ia custar. O poço de Tupi custou US$ 264 milhões, para furar os 3 km de sal e descobrir que tinha petróleo. O Lula foi avisado em 2006 e a Dilma também, de que agora um novo modelo geológico havia sido descoberto, cuja dimensão era gigantesca, não se sabia quanto. Então, obviamente, do ponto de vista político, naquele momento a nossa posição, de muitos diretores da Petrobras, principalmente eu e Gabrielli, que tínhamos mais afinidade política com a proposta do PT de antigamente, a abandonada, achávamos que tinha que parar com todo e qualquer leilão, como aliás foi promessa de campanha do Lula.
Na transição, ainda a Dilma falou, “não vai ter mais leilão”.
Mas se subjugaram às grandes pressões e mantiveram os leilões.
Fernando Henrique fez quatro, Lula fez cinco.
Lula entregou mais áreas e mais campos para a iniciativa privada do petróleo do que Fernando Henrique.
Um ex-ministro do governo Lula e dois do governo FHC foram assessorar Eike Batista. O que caberia a um governo que primasse por dignidade? Cancelar o leilão. Por que não foi feito? Porque tanto Lula, quanto Dilma, quanto os ex-ministros, estavam nessa empreitada.
--Revista Adusp: Mas Gabrielli era contra e acabou concordando?
--Ildo Sauer
- Não. A Petrobras não manda nisso, a Petrobras é vítima, ela não era ouvida.
Quem executa isso é a ANP-Agência Nacional do Petróleo, comandada pelo PCdoB, e a mão de ferro na ANP era da Casa Civil. Então a voz da política energética era a voz da Dilma, ela é que impôs essa privatização na energia elétrica e no petróleo.
Depois do petróleo já confirmado em 2006, a ANP criou um edital pelo qual a Petrobras tinha limitado acesso. Podia ter no máximo 30% ou 40% dos blocos, necessários para criar concorrência. Porque, em 2006, Tupi já havia sido furado e comunicado. O segundo poço de Tupi, para ver a dimensão, foi feito mais adiante, esse ficou pronto em 2007. Só que o Lula e a Dilma foram avisados pelo Gabrielli em 2006.
Muitos movimentos sociais foram a Brasília, nós falávamos com os parlamentares, os sindicatos foram protestar. O Clube de Engenharia, que é a voz dos engenheiros, mandou uma carta ao Lula, em 2007, pedindo para nunca mais fazer leilão.
Em 2005-6, o Rodolfo Landim, o queridinho do Lula e da Dilma, saiu da Petrobras. Porque o consultor da OGX, do grupo X, do senhor Eike Batista, era o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu,
e ele sugeriu então que Eike entrasse no petróleo. Aí ele contratou o Landim, que começou a arquitetar. Como o centro nevrálgico da estratégia da Petrobras é a gerência executiva de exploração, o geólogo Paulo Mendonça, nascido em Portugal, formado aqui na USP, e o Landim, articularam para em 2007 criar uma empresa nova, a partir dos técnicos da Petrobras. E o senhor Eike Batista queimou alguns milhões de dólares para assinar os contratos e dar as luvas desses novos cargos, que estavam dentro da Petrobras mas, desde que o Landim foi trabalhar com o senhor Batista, ele já estava lá para arrancar de dentro da Petrobras esses técnicos.
Aí chegou o fim de 2007, todos nós pressionando para não ter mais leilão, o Lula tira 41 blocos…
Mas vamos voltar a 2006. Em 2006, quem anulou o leilão foi a Justiça, por discriminação contra a Petrobras fazer essas coisas. Ouvi isso da Jô Moraes, num debate na Câmara dos Deputados.
Só que aí se criou o seguinte imbróglio: um ex-ministro do governo Lula e dois do governo Fernando Henrique, Pedro Malan e Rodolpho Tourinho, foram assessorar o Eike Batista. Ele já tinha gasto um monte para criar sua empresa de petróleo. Se o leilão fosse suspenso, ele ia ficar sem nada, e já tinha aliciado toda a equipe de exploração e produção da Petrobras.
O que caberia a um governo que primasse por um mínimo de dignidade para preservar o interesse público?
Cancelar o leilão e processar esses caras que saíram da Petrobras com segredos estratégicos. Por que não foi feito?
Porque tanto Lula, quanto Dilma, quanto os ex-ministros, os dois do governo anterior e um do governo Lula, estavam nessa empreitada.
--Revista Adusp: Quem era o ex-ministro?
--Ildo Sauer
- O ex-chefe da Casa Civil, antecessor de Dilma.
--Revista Adusp: José Dirceu?
--Ildo Sauer
- É, ele foi assessor do Eike Batista, consultor. Para ele, não era do governo, ele pegou contrato de consultoria, para dar assistência nas negociações com a Bolívia, com a Venezuela e aqui dentro. Ele, Dirceu, me disse que fez isso. Do ponto de vista legal, nenhuma recriminação contra ele, digamos assim. Eu tenho recriminação contra o governo que permitiu se fazer.
E hoje ele, Eike, anuncia ter 10 bilhões de barris já, que valem US$ 100 bilhões. Até então, esse senhor Batista era um milionário, tinha cerca de US$ 200 milhões. Todo mundo já sabia que o Pré-Sal existia, menos o público, porque o governo não anunciou publicamente. As empresas que operavam sabiam, tanto que a Ente Nazionale Idrocarburi D’Italia (ENI) pagou US$ 300 milhões por um dos primeiros poços leiloados em 2008. Três ou quatro leilões foram feitos quando o leilão foi suspenso pela justiça. Até hoje, volta e meia o [ministro] Lobão ameaça retomar o leilão de 2008, 2006. A oitava rodada. Para entregar. Tudo em torno do Pré-Sal estava entregue naquele leilão. No leilão seguinte, o governo insiste em leiloar. E leiloou. E na franja do Pré-Sal é que tem esse enorme poderio.
Como é que pode? A empresa dele (Eike) foi criada em julho de 2007. Em junho de 2008 ele fez um Initial Public Offering, arrecadou R$ 6,71 bilhões por 38% da empresa, portanto a empresa estava valendo R$ 17 bilhões, R$ 10 bilhões dele. Tudo que ele tinha de ativo: a equipe recrutada da Petrobras e os blocos generosamente leiloados por Lula e Dilma. Só isso. Eu denunciei isso já em 2008. Publicamente, em tudo quanto é lugar que eu fui, eu venho falando para que ficasse registrado antes que ele anunciasse as suas descobertas. Porque fui alertado pelos geólogos de que lá tinha muito petróleo.
Foi um acordo que chegaram a fazer, numa conversa entre Pedro Malan, Rodolpho Tourinho e a então ministra-chefe da Casa Civil (Dilma), em novembro, antes do leilão.
O Lula chegou a concordar, segundo disse o pessoal do MST e os sindicalistas, em acabar com o leilão. Mas esse imbroglio, de o empresário ter gasto dezenas de milhões de dólares para recrutar equipe e apoio político nos dois governos fez com que eles mantivessem…
Tiraram o filé-mignon, mas mantiveram o contra-filé. O contra-filé é alguém que hoje anuncia ser o oitavo homem mais rico do mundo.
E tudo foi mediante essa operação no seio do governo. Contra a recomendação dos técnicos da Petrobras, do Clube de Engenharia, do sindicalismo. Foi a maior entrega da história do Brasil.
O ato mais entreguista da história brasileira, em termos econômicos.
Pior, foi dos processos de acumulação primitiva mais extraordinários da história do capitalismo mundial. Alguém sai do nada e em três anos tem uma fortuna de bilhões de dólares.
A Petrobras durante a vida inteira conseguiu descobrir 20 bilhões de barris de petróleo, antes do Pré-Sal.
Este senhor Eike Batista, está no site da OGX, já tem 10 bilhões de barris consolidados. Os Estados Unidos inteiros têm 29,4 bilhões de barris. Ele anuncia que estará produzindo, em breve, 1,4 milhão de barris por dia — o mesmo que a Líbia produz hoje.
É esse o quadro.
Ou a população brasileira se dá conta do que está em jogo, ou o processo vai ser o mesmo de sempre. Do jeito que foi-se a prata, foi-se o ouro, foram-se as terras, irão também os potenciais hidráulicos e o petróleo, para essas negociatas entre a elite. O modelo aprovado não é adequado. Mantém-se uma aura de risco sem necessidade, para justificar que o cara está “correndo risco”, mas um risco que ele já sabe que não existe.
Qual é a nossa proposta?
Primeiro, vamos mapear as reservas: saber se temos 100 bilhões, 200 bilhões, 300 bilhões de barris. Segundo, vamos criar o sistema de prestação de serviço: a Petrobras passa a operar, recebe por cada barril de petróleo produzido US$ 15 ou US$ 20, e o governo determina o ritmo de produção. Porque há um problema: a Arábia Saudita produz em torno de 10 milhões de barris, a Rússia uns 8 milhões de barris, depois vêm os outros, com 2 a 4 milhões de barris por dia: Venezuela, Iraque, Irã. O Eike Batista anuncia a produção de 1,4 milhão de barris, a Petrobras anuncia 5 milhões de barris e pouco. Significa que o Brasil vai exportar uns 3 ou 4 milhões de barris.
Já é o terceiro ator.
Não se pode fazer mais isso.
*Por e-mail, via resistência democrática

domingo, 15 de janeiro de 2012

A ratalhada no Senado

Clique na imagem para ampliar
A Secretaria Geral do Senado dispensou os servidores do trabalho na tarde desta sexta-feira (13) para que seja feita uma desratização e dedetização em partes das dependências da Casa. A decisão foi tomada depois que uma funcionária da Secretaria Geral foi mordida no pé por um animal na última quarta-feira que ela acredita ter sido um rato, segundo a secretária-geral da Mesa Diretora, Claudia Lyra. De acordo com a secretária, a funcionária não identificou ao certo o animal. Ela foi medicada e está em observação. Para evitar novos casos, a Secretaria Geral determinou a dedetização e a desratização.
            As atividades da Secretaria Geral e da Secretaria de Coordenação Legislativa serão retomadas a partir das 10h da próxima segunda (16). Em nota distribuída internamente nesta sexta pela Secretaria Geral e assinada por Claudia Lyra informa o seguinte: "A Secretaria Geral da Mesa informa a todos a interrupção das atividades do gabinete da Secretaria de Coordenação Legislativa do Senado Federal e da Secretaria de Coordenação Legislativa do Congresso Nacional na data de hoje, a partir das 14h, uma vez que será realizada a desratização e dedetização desses recintos. A atividade será retomada às 10h de segunda-feira".
COMENTO: Há informações de que o animal foi um rato e que as dependências do Senado, e todo Congresso Nacional, está infestado de tasis "animais".
Dizem que a ratalhada se renova sempre. Apenas alguns ratões e ratazanas permanecem proliferando naqueles ambinetes.

O álbum de família de Fernando Bezerra

Ministro da Integração lembrou dos parentes ao assumir a pasta: filho, tio, irmão, sogro do filho e tio da mulher do filho. O filho, deputado federal, teve liberados 9,1 milhões em emendas em 2011. Agora é hora de se explicar.
Por Luciana Marques, na Veja.com:
"Quem ama cuida" diz o ditado popular, que poderia ter sido inspirado no 'amoroso' ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra. Ao assumir a pasta, ele não se esqueceu dos mais próximos. Pensou no filho, no tio, no irmão, no sogro do filho e até no tio da mulher do filho. Juntos, os personagens quase completam um álbum de família. Entre as acusações que pesam contra Bezerra estão o nepotismo, já que diversos parentes do ministro ocupam cargos públicos. O titular da Integração também é acusado de favorecer o filho, que é deputado federal, na liberação de recursos alocados por meio de emendas parlamentares.
O artigo 37 da Constituição Federal de 1988 elenca os princípios que devem nortear a administração pública: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. Uma súmula aprovada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em 2008 proíbe a contratação de parentes de autoridades para cargos de confiança, de comissão e de função gratificada no serviço público.
Comissão de Ética - As regras de conduta estabelecidas pela Comissão de Ética Pública da Presidência também desautorizam o nepotismo: "Em nenhuma hipótese pode o agente público nomear, indicar ou influenciar, direta ou indiretamente, em entidade pública ou em entidade privada com a qual mantenha relação institucional, direta ou indiretamente, na contratação de parente consanguíneo ou por afinidade, até o quarto grau, ou de pessoa com a qual mantenha laços de compadrio, para emprego ou função, pública ou privada”.
Embora negue que sua atuação vá de encontro às normas citadas, Bezerra cedo ou tarde terá de se explicar. A Comissão de Ética Pública da Presidência tem o poder de avaliar cada caso. Espera-se que na próxima reunião do grupo, marcada para o dia 13 de fevereiro, o assunto não seja ignorado. A conferir.
Conheça o álbum de família de Fernando Bezerra: