sábado, 6 de outubro de 2012

O verdadeiro pai do Tufão.


Falta de respeito ao povo brasileiro.

Clique na imagem para ampliar

Demagogia ao extremo.

A Ministra Miriam Belchior afirmou que em 2013 nenhum Ministro, e a própria presidente Dilma não teriam aumento salarial.
Isto com objetivo de divulgação na imprensa, buscando publicidade a uma atitude eivada de demagogia já que todos sabemos que os Ministros e a Presidente, e até outros funcionários do segundo escalão, possuem cartões de crédito corporativo com limites estratosféricos e os utilizam para diversas despesas, inclusive pessoais.
Se a Ministra queria aparecer perdeu uma bela ocasião para ficar calada e não se submeter ao ridículo. Para quem não sabe, Miriam foi mulher do Prefeito Celso Daniel, assassinado em circunstâncias estranhas, cujo fato ela e o PT, surpreendentemente,  não se importaram de ir à fundo na investigação.
Dizem até que o Ministério que ocupa é um presente por seu silêncio.
É, pode ser! O falecido marido, um homem comprovadamente honesto e sério, talvez não servisse aos objetivos espúrios de seu partido.

E, se o Zé "sifu"?

Um ex-presidente do Brasil, tem a mania de dizer que quem se dá mal, em alguma coisa, "sifu". Pois não é que seu amigo e eterno colaborador Zé Dirceu pode se ver nessa condição?
É que após os votos de Joaquim Barbosa, Rosa Weber e Luiz Fux, e considerando a reação de Carlos Ayres Britto, Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes divergindo, frontalmente, das alegações contidas do voto do revisor, indicam que poderão votar, fazendo assim Justiça, pela condenação de José Genoíno e José Dirceu.
Se esta perspectiva for concretizada, serão seis votos em favor da condenação. É motivo maior para se acreditar na Justiça do nosso país.
Mas aí, como ficará o ex-presidente? Qual será sua reação? Convocará seus seguidores babacas para uma "revolução"?
Vamos ver o que os babacas da hora irão dizer e fazer ao deparar com alguns seus "ídolos de barro" condenados.

PF apreende dinheiro em cueca de cabo eleitoral do PT em Manaus.


A Polícia Federal apreendeu R$ 1.280 em dinheiro escondidos na cueca de um cabo eleitoral do PT na madrugada desta sexta-feira (5), em Manaus.
No momento em que foi detido pela Polícia Militar, o homem carregava material de propaganda eleitoral da candidata a vereadora Rosi Matos (PT) dentro do carro.
No interior do veículo, os policiais encontraram um caderno contendo anotações cadastrais de eleitores. O homem, que não teve o nome divulgado, se identificou como membro do comitê da candidata.
A PF o deteve por suspeita de compra de votos. Depois de prestar depoimento, o cabo eleitoral foi liberado.
Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da candidata Rosi Matos disse que o homem não pertence ao seu comitê, mas confirmou que a mãe dele é cabo eleitoral do partido.
As apreensões de dinheiro em espécie, por suspeita de compra de votos, já somam cerca de R$ 180 mil no Amazonas, segundo a PF.
Na manhã desta sexta-feira (5), em Tabatinga (1.105 km a oeste de Manaus), na fronteira com a Colômbia e o Peru, o juiz da titular da 36ª Zona Eleitoral, Leoney Figliuolo Harraquian, determinou a apreensão de R$ 90 mil encontrados dentro de uma sacola no carro do candidato a prefeito Raimundo Carvalho Caldas (PDT).
Em depoimento na PF, Caldas disse que o dinheiro era de doação e seria depositado em conta bancária do partido. Ele foi apenas detido e, em seguida, liberado.
O juiz Harraquian disse que recebeu uma denúncia de compra de votos da Polícia Militar contra Caldas. "A denúncia era fortíssima de compra de votos e, ele não conseguiu declarar a origem do dinheiro", afirmou.
Na noite de quinta-feira (4), a polícia prendeu dois homens e uma mulher sob suspeita de corrupção eleitoral ativa, na zona norte de Manaus. Foi apreendido com eles material de propaganda do candidato a vereador Davi Valente Reis (PSDC).
Os três foram surpreendidos pela Comissão de Fiscalização da Propaganda Eleitoral -do TRE-AM- quando realizavam o cadastro de eleitores com a promessa de pagamento de R$ 30,00 em troca de votos para o candidato Reis.
Os três foram liberados após o pagamento de fiança no valor total de R$ 11.196,00.
A reportagem tentou contato com Reis, mas não conseguiu localizá-lo.
As apreensões fazem parte de uma intensa ação de fiscalizando em portos, aeroportos e rodovias para evitar a saída de altos valores às vésperas das eleições do próximo domingo. 
*KÁTIA BRASIL, na FolhadeSãoPaulo

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher.

A bela ministra do STF Rosa Weber

Mais uma mentira petista.


sexta-feira, 5 de outubro de 2012

O PT queria comprar mais votos ?



Dinheiro escondido em avião seria para campanha do PT.

Adnaldo Braga é primo de Kerniston Braga, funcionário da prefeitura de Parauapebas, que é administrada por Darci José Lermer (PT).

Mais de R$ 1,1 milhão apreendidos em um avião pela Justiça Eleitoral na última terça-feira em Parauapebas, no Pará, seria entregue a Alex Pamplona Ohana, ex-secretário de Saúde do município e coordenador da campanha do candidato José das Dores Couto, conhecido como Coutinho do PT.
A informação faz parte do depoimento dado por Adnaldo Correia Braga ao delegado da PF de Marabá, Antônio Carvalho, que investiga a suspeita de uso do dinheiro para compra de votos. Braga foi encarregado de levar o dinheiro de Belém até Parauapebas e deu à PF detalhes sobre a operação.
“O depoimento de Adnaldo nos dá todos os indícios de que o dinheiro seria usado na campanha eleitoral na cidade. Outro indício era a presença de Alex no local. Ele saiu do aeroporto tão logo chegou o juiz Líbio Moura, acompanhado por policiais”, afirmou o delegado, acrescentando que, além do juiz, vigilantes do aeroporto também confirmaram a presença de Alex no local.
Adnaldo Braga é primo de Kerniston Braga, funcionário da prefeitura de Parauapebas, que é administrada por Darci José Lermer (PT). Coutinho, ex-secretário de Obras, recebe seu apoio. Adnaldo afirmou à PF que Kerniston viajou a Belém no domingo e pediu a ele que o acompanhasse na segunda-feira a uma agência do Banpará, onde pegaria uma grande soma de dinheiro.
No banco, Kerniston teria recebido R$ 400 mil em dinheiro vivo. No mesmo dia, contou Adnaldo, Kerniston pediu a ele que se encarregasse de levar o dinheiro no avião da empresa White Tratores. Na hora de embarcar, Kerniston lhe entregou mais duas mochilas com notas de R$ 100, R$ 50 e R$ 20.
“Antes de o avião pousar, Kerniston mandou  mensagem para o celular de Adnaldo, orientando para que o avião pousasse em Marabá, não no município, mas o primo não viu”,  disse o delegado.

Edir Macedo "solta o verbo".



Edir Macedo associa o candidato do PT ao mensalão e diz que os "comparsas" de Haddad "roubaram o Brasil e agora assaltarão São Paulo"

Por O EDITOR
CoroneLeaks

Principal apoiador de Celso Russomanno (PRB) na disputa pela Prefeitura de São Paulo, o fundador da Igreja Universal do Reino de Deus e dono da Rede Record, bispo Edir Macedo, centrou fogo contra Fernando Haddad (PT).

Em ataque ao petista, Macedo publicou um texto com cinco motivos para não votar em Haddad.

O principal, segundo o bispo, é que o petista "infestará as escolas municipais com seu kit gay", se eleito.

O documento associa o candidato do PT ao mensalão e diz que os "comparsas" de Haddad "roubaram o Brasil e agora assaltarão São Paulo".

Fala ainda dos problemas do Enem que marcaram a gestão do petista quando ministro da Educação.
 
Em seu blog, Macedo publicou ontem o texto "Desabafo da revolta", como se fosse uma carta recebida por ele de alguém que assina como "amigo".

No texto, o autor diz que Haddad "tentou obrigar" a distribuição "uma publicação que defende a homossexualidade, que estimula nossas crianças a viverem em pecado" e afirma que Haddad distribuirá o kit gay nas escolas.
 
O texto é permeado do início ao fim por ataques ao petista. "Haddad mente. Ataca sem argumentos os demais candidatos, principalmente o líder nas pesquisas, Celso Russomanno", diz.

O documento diz que Haddad não é "sério" e que não "assumiu seus erros" quando houve problemas no Enem.

"desabafo" publicado pelo bispo diz que "José Dirceu, Genoino, Delúbio [Soares] e Marcos Valério", réus no julgamento do mensalão, "são todos companheiros" de Haddad.
"Mesmo que sejam condenados, quem nos garante que irão para a cadeia?

Quem nos garante que, no dia seguinte à posse, não estarão devidamente instalados nos gabinetes do secretariado da prefeitura?

E mesmo que não sejam eles pessoalmente, seus indicados estarão lá".
 
Por fim, defende Russomanno. Os ataques ao PT fazem parte da estratégia adotada às vésperas do primeiro turno. Além de o candidato subir o tom contra Haddad, a campanha reforçou a ofensiva por meio da igreja neopentecostal e de folhetos contra o petista.

A candidatura distribuiu panfletos com críticas à principal proposta do PT, o Bilhete Único Mensal. "Na proposta do Haddad, uma família com quatro pessoas vai pagar R$ 560 por mês só com o Bilhete Único Mensal do PT", diz o folheto.

"Você quer pagar menos? A proposta de Russomanno tornará a passagem mais barata".
 
A campanha prepara novos ataques. "Estamos em stand by, mas podemos lançar novos materiais gráficos até sábado", disse o marqueteiro da campanha, Ricardo Bérgamo. Em sua fala, Russomanno assumiu de vez o discurso agressivo contra o PT e repetiu por 14 vezes, em 14 minutos, que Haddad"mente".

O candidato rebateu críticas à sua proposta de cobrar a passagem de ônibus de acordo com o trajeto percorrido. Para Haddad, isso prejudicará os pobres, que vivem na periferia.
 
"Haddad está mentindo literalmente, deslavadamente a respeito da minha proposta. Ele é mentiroso", declarou, antes de fazer uma carreata na zona leste. "Ele [Haddad] vai para o segundo turno comigo e vai fazer todos os debates comigo. Agora chegue ao segundo turno (sic). Seja competente para chegar, porque até agora não foi". O candidato evitou falar do vínculo com o bispo Macedo. "Não falo mais sobre isso. Sou católico. Vocês querem acompanhar o batismo do meu filho para saber quem eu sou?"
 
Ao ser questionado sobre as críticas de Macedo, Haddad buscou não relacionar o episódio à opinião pessoal do bispo Edir Macedo. Segundo o petista, a campanha enviará carta para rebater, ponto a ponto, as críticas do texto. "Vamos informar o remetente das injustiças, das injúrias que está cometendo. Muito provavelmente não o faz por má fé, mas por desinformação", afirmou. O petista evitou polemizar.
 
Russomanno, ao mesmo tempo em que ataca o PT, poupa o candidato do PSDB, José Serra. Ontem a campanha tucana começou a distribuir panfletos dizendo que a candidato do PRB é vinculada à Igreja Universal do Reino de Deus e mostrando denúncias contra o candidato. Russomanno evitou comentar."Estamos acompanhando. Se houver irregularidade nós vamos tomar as providências jurídicas",afirmou.
 
Ao comentar sua queda nas pesquisas, Russomanno mostrou-se como "vítima do ataque de sete partidos". "Tenho dois minutos de televisão e os outros têm sete minutos cada. Todos estão me bombardeando", disse.

Segundo o Datafolha divulgado ontem, Russomanno caiu cinco pontos percentuais em uma semana e está com 25% das intenções de voto, em empate técnico com Serra, que tem 23%. Haddad tem 19%.

Quando o feitiço vira contra o feiticeiro.

Quando venceu às eleições para o Governo de Alagoas, num embate contra Fernando Collor, Ronaldo Lessa deu uma entrevista em que afirmava que " o povo de Alagoas havia deixado claro a morte política de Collor". Segundo ele o povo deu uma resposta que não mais queria "este tipo de gente".
Destemperado, orgulhoso, mentiroso e vendendo uma imagem falsa de "bom gestor", Lessa foi um desastre como Prefeito e como Governador do Estado.
Chegou a aumentar em mais de seis vezes a dívida pública do Estado, referendar um negócio escuso de "letras podres do tesouro estadual" o qual criticou e utilizou como "mote de campanha" contra seus adversários. 
O tal "negócio", só ele, causou um prejuízo de cerca de R$ 1,1 bilhões ao Estado de Alagoas.
Mas, matreiro, com um falso discurso socialista, trouxe para seu lado, mediante paga e sob os auspícios do dinheiro público, um imenso contingente de radialistas e Jornalistas que ajudavam a "burilar" a imagem pública do "chefe", embora na intimidade ele fosse algo entre o estúpido e incapaz como gestor.
Achando-se o "Rei das Alagoas" ofendeu a todos que não fossem seus aliados, desafiou e ofendeu a Justiça,   humilhou funcionários públicos e Jornalistas que trabalhavam no seu Jornal ( Tribuna de Alagoas ) sequer honrando as dívidas trabalhistas. Enfim, enganou a todos por muito tempo.
Seu primeiro troco foi na eleição de Senador contra Collor. Em apenas 20 dias de campanha Collor, com toda sua imagem pública arranhada, numa campanha surpreendente e inteligente, " deu um banho em Lessa".
O mesmo povo que Lessa havia dito que repudiava Collor, elegia-o Senador da República, e deixava Lessa, com suas mentiras e falsidades, amargando uma derrota histórica.
Ontem o TSE decidiu que Lessa é inelegível. Mas mesmo com o apoio do ex-presidente Luiz da Silva e do atual Prefeito de Maceió ( que utilizou toda sua influêscia e poder ) os Institutos de Pesquisa já traziam indícios claros de sua derrota em Maceió, reduto onde a escória da esquerda ( que o apóia ) ainda possui bastante votos.
Maceió, e Alagoas, mais uma vez, livra-se de uma figura que se apequena a cada dia por não conhecer o que significa humildade e fidelidade a verdade e ao seu eleitorado.Um homem que vive, eternamente, "montado" num personagem que já não agrada àqueles  que possuem, pelo menos, o mínimo de conhecimento político e que  tem na honradez e e na verdade respaldo para saber escolher seus representantes.
Travestido de bom moço, Lessa que tanto tentou enfeitiçar as pessoas com sua fala fácil e mentirosa, foi vítima do próprio "veneno", alvo do próprio feitiço tendo que ceder seu lugar. agora, ao desconhecido Mosart, seu vice na chapa.
Como diria um ex-presidente que o apoiava: Ele "SIFU"!
*ATUALIZANDO: O médico e ex-deputado federal Jurandir Bóia Rocha, do PDT, é o novo candidato a prefeito da coligação Maceió Cada Vez Melhor. O candidato a vice é o vereador Ronaldo Medeiros, do PT. A decisão saiu no início da noite desta sexta-feira (5), após tensas reuniões dos partidos que compõem a aliança para substituir a chapa Ronaldo Lessa-Mosart Amaral.

Prefeitura do Rio de Janeiro descumpre a Lei.


PREFEITURA DO RIO DESCUMPRE A LEI, ESCONDE O ORÇAMENTO E DEIXA PARA DEPOIS DA ELEIÇÃO!
     
1. O prazo limite para os municípios apresentarem seus orçamentos para o ano seguinte é determinado por lei: 30 de setembro. No entanto, até hoje, dia 5 de outubro, a prefeitura do Rio não publicou o orçamento de 2013. É ilegal e imoral. Esconder o orçamento de 2013 para que, na última semana de campanha não se possa debate-lo, é de extrema gravidade. 
    
2. O PL 1544/2012, que trata do orçamento para 2013, foi publicado, em parte, no DCM de ontem (04/10/2012) e sem tratar do que é fundamental: as receitas e despesas. A parte central, que trata da fixação de todas as receitas e despesas, ainda não foi publicada. Segundo informação da Comissão de Finanças da CMRJ, a mesma deverá ser publicada apenas na próxima semana em caderno suplementar no DCM. Ou seja: após as eleições. 
    
3. Dessa forma, o orçamento de 2013 está escondido, oculto, ilegalmente pelo descumprimento do prazo estabelecido em lei nacional e imoralmente por impedir que se pudesse debater na última semana da campanha e nos debates na TV o orçamento que o próximo prefeito receberá. (Ex-blog do Cesar Maia)

Três Ministros do Supremo Tribunal Federal, condenam Dirceu e Genoíno,

STF sessão de julgamento do processo do mensalão (Foto: Nelson Jr. / STF)
Na sessão de ontem, ( quinta feira  04.10), os Ministros do STF  Joaquim Barbosa, 
Rosa Weber e Luiz Fux, condenaram José Dirceu e José Genoíno, líderes do PT, 
pelo crime de corrupção ativa.
O STF ainda se reunirá para o julgamento deste mesmo item quando outros seis 
Ministros proferirão seus votos.
Até o momento, somente o Ministro Ricardo Lewandowski absolveu os réus acima 
citados.

José Dirceu: "tudo o que eu fazia era de conhecimento do presidente".


Como era previsto o revisor, vergonhosamente, inocentou José Dirceu cuja condenação, todos sabemos, resultará  no início do desmanche do império da corrupção no poder público, permitido e incentivado durante os dois mandatos do Retirante Pinóquio.

José Dirceu já declarou publicamente: "tudo o que eu fazia era de conhecimento do presidente".
Pesam sobre as costas do STF a dura responsabilidade de iniciar o processo de limpeza  da degeneração moral que toma conta do poder judiciário.
Para a atual "presidente" e para seus sucessores que fique bem claro: uma indicação para o STF não pode significarnecessariamente, uma expectativa de uma aliança sem ser pautada no respeito à dignidade, ao caráter e à honra de um togado e, principalmente, no respeito às leis sem manipulações processuais subreptícias tentando transformar togados em bandidos ou em cúmplice de algum.
Até o final do julgamento a sociedade terá a perfeita noção da têmpera moral do STF com maioria de indicações feita pelo PT.
O STF é um Tribunal Superior do país e não pode ser transformado em meliante de um partido políico.
*Geraldo Almendra, por e-mail, via Grupo Resistência Democrática

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

TSE "enterra" candidatura de Ronaldo Lessa.

A pá de cal que faltava para enterrar os restos mortais da candidatura de Ronaldo Lessa a Prefeitura de Maceió, foi colocada hoje pelo plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que decidiu na noite de hoje, quinta-feira (4), rejeitar o registro de candidatura do candidato a prefeito de Maceió pelo PDT. 
Ronaldo Lessa teve seu registro indeferido pelo Tribunal Regional de Alagoas (TRE-AL) mas o TSE negou recurso apresentado pela defesa de Lessa.
O candidato ainda responde a inúmeros processos na Justiça e já foi condenado várias vezes na Justiça Eleitoral e na Justiça do estado de Alagoas, as últimas duas vezes por Injúria, Calúnia, Difamação e improbidade administrativa em razão de desvio de verba na ordem de R$ 50 milhões destinada ao Fundo de Erradicação da Pobreza.
Fez-se Justiça!

O troco.




Sugestão para Dilma:
De FHC, agora há pouco, em conversa com um interlocutor, assim que soube da falta de luz em Brasília:
- O melhor que ela faz é chamar o Pedro Parente para dar um jeito nisso.
Parente foi o homem-chave na operação contra o apagão de 2001, no apagar das luzes do período FHC.
*Por Lauro Jardim

O STF se dividirá ?

Mais uma vez, segundo especialistas, o Supremo Tribunal Federal se dividirá quanto a condenação de réus da Ação Penal 470 ( Mensalão ).
Os votos de Lewandowski, que justificaram como normal a reunião "entre dirigentes de partido buscando  acordo de coalizão..se não seria melhor voltarmos aos tempos da ditadura militar" , isto ao absolver José Genoíno que presidia o PT na época dos acordos firmados , mediante paga, para apoio político ao Governo no Congresso Nacional.
Para todos houve o tal " mensalão", mas para Lewandowski e, provavelmente, outros Ministros, Genoíno e, possivelmente, José Dirceu, nada tiveram a ver com o processo.
O STF, então, se dividirá entre os que creem que Genoíno e José Dirceu de nada sabiam ou de nada participaram, e os que não acham crível que o Presidente do Partido no Poder e seu principal articulador Político e membro histórico, instalado na Casa Civil do Governo, estavam inocentes, de nada sabiam e/ou a nenhum ato estiveram presentes.
Lewandowski, não tendo outro argumento, atribuiu ao Ministério Público o erro por "nem de longe" apresentar provas "concretas" sobre a participação de José Genoíno.
O Ministério Público não iria acusar a ninguém de forma gratuita e irresponsável. Joaquim Barbosa não condenaria um inocente.
Para os petralhas, gente sórdida e mentirosa, Lewandowski lê os autos e Barbosa lê a revista Veja. Uma injúria que só o STF, agindo de acordo com a lei e fazendo justiça, poderá reparar.
E aí, não se dividirão!

O começo do fim.

A quatro dias da eleição, Serra empata com Russomanno.


Pesquisa Datafolha em São Paulo finalizada ontem,  quarta-feira (3), mostra o candidato Celso Russomanno (PRB) com 25% das intenções de voto, tecnicamente empatado com o tucano José Serra, com 23%. O petista Fernando Haddad aparece com 19%. Gabriel Chalita (PMDB) tem agora 11%.

Em relação ao levantamento anterior, Russomanno caiu mais cinco pontos. Como a margem de erro é de dois pontos, ele deixou se ser líder isolado da disputa. Serra e Haddad oscilaram um para cima. Chalita oscilou dois pontos positivamente.
Também pontuaram Soninha Francine, do PPS (4%); Carlos Giannazi, do PSOL (1%), Levy Fidelix, do PRTB (1%), e Paulinho, do PDT (1%).
No cálculo que leva em consideração só os votos válidos, Russomanno tem 29%; Serra tem 27%; Haddad, 22%; Chalita 13%.
Nas simulações de segundo turno, Russomanno vence Serra por 47% a 35% (votos totais). Também vence Haddad por 45% a 36%. Se o segundo turno for entre Serra e Haddad, o petista vence o tucano por 44% a 39%.
Serra continua liderando em rejeição: 45% dos eleitores dizem que não votam nele de jeito nenhum. Russomanno vem em seguida com 26%. Haddad tem 25% de rejeição.
A pesquisa foi feita ontem e hoje com 2.099 entrevistas. A margem de erro é de dois pontos. O registro no TRE é SP-01536/2012.

O preço de João Paulo.


Pouco antes do choro a portas fechadas com os dirigentes do PT na quinta-feira, o mensaleiro João Paulo Cunha apresentou sua fatura para oficializar a (inevitável) desistência da candidatura a prefeito de Osasco.
Numa clara demonstração de que a condenação por corrupção não abalou sua desenvoltura em fazer política por meios sub-reptícios, cobrou a manutenção de cargos na Ceagesp, o maior entreposto de distribuição de alimentos da América Latina, vinculado ao Ministério da Agricultura, e que o PMDB já trabalha para abocanhar caso o PT perca a hegemonia em Osasco.
O braço de João Paulo na Ceagesp é a irmã, Ana Lúcia Cunha Pucharelli, que comanda todo o setor de Recursos Humanos. Hoje, mais de dez cargos de chefia são ligados ao PT, entre eles o diretor-presidente, Mário Maurici.
Maurici ingressou na política em Franco da Rocha (Grande SP), onde foi prefeito, e fez carreira em Santo André como secretário do prefeito Celso Daniel (morto em 2002). É homem do ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência).
Há tempos, a Ceagesp é um cabide de petistas. Até um sobrinho do ex-presidente Lula tem cargo na empresa: Edison Inácio Marin da Silva é responsável pelo departamento de entrepostos da capital.
Por fim, João Paulo emplacou, como esperado, o vice na chapa em Osasco, seu aliado Valmir Prascidelli (PT).

*Silvio Navarro, de São Paulo, na Veja.abril.com.br

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Outro apagão na era Dilma, atinge Sul, Sudeste e Centro-Oeste.


Uma pane num transformador de Furnas, em Foz de Iguaçu, causou um apagão em diversas partes do Brasil, na noite desta quarta-feira. Segundo a Operadora Nacional do Sistema (ONS) o problema gerou perda de carga em Itaipu, que enviou uma mensagem às empresas distribuidoras de energia pedindo um alivio de carga no sistema.
Ainda segundo a ONS, a interrupção ocorreu das 20h55m às 21h22m e afetou áreas das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além de consumidores do Acre e de Rondônia. Houve a perda de 3.500mw de um total de 60.000mw produzidos, ou seja, pouco mais de 5%.
* Leia mais sobre esse assunto em oglobo.com

O direito de espernear.


Um dia após o deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP) declarar que pretende recorrer à Corte Interamericana de Direitos Humanos para tentar reverter sua condenação no processo do mensalão, o ministro Marco Aurélio Mello disse não enxergar violações na ação penal que levem o tribunal internacional a apreciar os apelos dos réus do esquema de compra de votos no Congresso. Segundo o magistrado, a iniciativa de Costa Neto é “o direito de espernear”.
Será que ainda vão encampar uma resignação contra uma decisão condenatória por peculato, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e corrupção? É muito difícil a corte (interamericana) se pronunciar. É o direito de espernear ou de se fazer um discurso político para preparar outro campo”, avaliou o ministro.(G1)

Relator condena ex-ministro José Dirceu e mais 7 por corrupção ativa.


Barbosa condena, Lewandowski absolve. 
O relator do processo do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, foi o primeiro a votar, nesta quarta-feira (3), sobre os acusados de corromper parlamentares e condenou oito réus por corrupção ativa (oferecer vantagem indevida), entre eles o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares.
Segundo Barbosa, Dirceu foi o "mandante"do esquema de pagamentos a deputados de partidos da base aliada em troca de apoio político ao governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Logo após o voto de Barbosa, o Ministo Ricardo Lewandowski começou a leitura de seu voto que divergiu do relatou e inocentou José Genoíno. Alguns especialistas já indicam que Lewandowski também inocentará José Dirceu, numa clara tendência a salvar os principais nomes do núcleo político do chamado mensalão.

Chegou sua hora, Dirceu! Que a Justiça lhe seja...justa!



O relator do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, começa a julgar hoje a parte do Capítulo VI da denúncia que trata da corrupção ativa. Entre os réus, estão José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares. Toda a procrastinação, toda a chicana, todas as vigarices intelectuais tornadas influentes, todas as agressões ao Supremo, todos os ataques à imprensa independente, todo o achincalhe à ordem legal, todas as teses sem embasamento jurídico, toda essa maquinaria estúpida, em suma, posta em ação buscava evitar que se chegasse ao dia de hoje. Estamos lidando com pessoas especializadas em fraudar a história, em retocar os fatos, em maquiar a realidade. Por isso mesmo, é preciso que jamais nos esqueçamos: eles se mobilizaram para que o julgamento jamais acontecesse.
Depois de montar um esquema comprovadamente criminoso para comprar a representação parlamentar, como já está comprovado pelos próprios ministros do STF, os mesmos criminosos atuaram de forma pertinaz, determinada, sôfrega até, para que o julgamento fosse para as calendas. E mostraram uma ousadia espantosa! Como revela Marcos Valério — já a caminho da cadeia — a seus interlocutores, ele recebeu a garantia do Palácio do Planalto, então sob o comando de Lula, de que não haveria julgamento nenhum! A Valério foi dito, mais ou menos como fazem os traficantes ou as milícias quando tomam conta de uma área: “Está tudo dominado!”. E, como se vê, felizmente, ainda não! Ainda há, perdoem-me repetir isto de novo!, juízes em Brasília.
O que se tem claro a esta altura do julgamento? O esquema criminoso a que se chamou mensalão existiu. Nunca é demais lembrar que esse neologismo é apenas uma espécie de marca-fantasia. Faz sentido! Os “ãos” e “ões” da língua portuguesa se associam, com frequência, a posturas desastradas, meio destrambelhadas; a práticas às quais faltam graça e elegância; a comportamentos reprováveis porque grosseiros, agressivos ou mesmo abestalhados; a pensamentos que se deixam marcar pela incultura, pela vulgaridade, pela falta de decoro. Assim, ainda que o “mensalão” não resuma, com efeito, o que foi expressão de um projeto de assalto ao estado — e ao estado de direito —, o nome parece bom! Esse “ão” lhe desenha a devida face abrutalhada, que viola os fundamentos da democracia e do estado de direito.
Agora vem a hora perigosaQualquer que seja o destino dos réus ainda não julgados, já está devidamente comprovado: a compra de apoio político no Congresso existiu. E isso quer dizer que se fraudou e se violou um dos Poderes da República. E assim se procedeu recorrendo ao dinheiro público, razão por que réus foram condenados por peculato. Não só isso: foi preciso fraudar a gestão de um banco — e o sistema financeiro é um bem tutelado pela Constituição brasileira — para que a engrenagem criminosa funcionasse. Políticos se deixaram corromper e lavaram dinheiro para dar corpo ao projeto petista de dominar o Congresso e governar o país fora dos limites da Constituição e das balizas institucionais.
Muito bem! Tudo isso se fez em proveito, então, desse projeto de poder. Se houve o polo passivo da corrupção; se houve aquele que mercadejou sua função pública, cumpre perguntar: quem era o polo ativo? Quem os corrompeu? Haverá de se contentar a nação com uma história da carochinha? Com que então os parlamentares que se deixaram corromper estariam a serviço do “corruptor” Marcos Valério, como se fosse ele o dono do tal projeto de poder? Ora… Na semana passada, numa indevida manifestação de partidarização do debate, o ministro Ricardo Lewandowski resolveu lembrar o mensalão mineiro, destacando (e já o fizera antes) que Valério atuou também naquele caso.
Muito bem! Eu não sou especialista em leis, é claro!, como não cansam de lembrar os petralhas — embora, vejam os arquivos e os vídeos da VEJA.com, eu tenha madado bem no mensalão, hehe. Mas sei ler, levo em conta o sentido das palavras e sou um apaixonado pela lógica. Não poderia haver melhor argumento do que o do próprio Lewandowski — eu sei que ele não quis prejudicar os petistas, claro! — para demonstrar que, por óbvio, o “ativo” de todos aqueles “passivos” não era Valério; não sozinho ao menos. O projeto de poder deste senhor, provavelmente, era ficar ainda mais rico. Quantos são os da sua espécie que se ligam a governos, a quaisquer governos, para prestar serviços? Os horizontes de alguém como ele não são dados pela ideologia, pelas convicções, pelas crenças… Ele é um caçador de oportunidades. Se, amanhã, o, digamos, PCO chegar ao poder, aparecerá alguém de sua estirpe para criar facilidades…
Quem detinha os arcanos do projeto petista? Quem se especializava — e gosta ainda hoje de brincar disso… — em interpretar os oráculos? Quem é que lia as entranhas do poder para tomar as decisões? Sim, dirão vocês, e estão certos nisto, o chefe era Lula. Ocorre que ele não é um dos denunciados — não ainda ao menos. Seu braço direito no controle da “máquina”, seu “primeiro-ministro”, era — e ele próprio fazia questão de alardear — José Dirceu.
Responsabilidade objetiva?Não se cuida aqui, por óbvio, de afirmar que se está diante da chamada “responsabilidade objetiva”, com a qual se podem cometer grandes injustiças. Não! Ao contrário até! Dirceu nem era, formalmente, o chefe do partido. Comandava a máquina que produziu aqueles horrores, em parceria com Lula, porque tinha, ATENÇÃO!, mais do que o poder objetivo de fazê-lo: ELE TINHA O PODER POLÍTICO. Por isso a banqueira Kátia Rabello mantinha encontros com o então chefe da Casa Civil. Porque, afinal de contas, era ele a tomar as decisões.
No tempo em que os petistas ainda apostavam que o processo do mensalão não daria em nada porque, afinal de contas, tudo estaria dominado, o próprio Dirceu fazia praça de seu poder. Atenção! Mesmo cassado pela Câmara por corrupção, mesmo formalmente fora do poder, mesmo atuando como lobista de empresas privadas, ela concedeu uma entrevista à revista Playboy em que se orgulhava da influência que mantinha no Palácio do Planalto. Leiam trecho:
PLAYBOY – O senhor não parece muito à vontade ao falar da sua atividade de consultor.
José Dirceu – 
A lei me obriga ao sigilo e à confidencialidade, tanto no escritório de advocacia como aqui. Fazem campanha para me prejudicar. A minha vida é pública, eu continuo fazendo política, então é natural que escrevam e falem de mim. A minha atividade como consultor está totalmente legal, faz dois anos que saí do governo. Eu esperei um ano e meio. Posso fazer qualquer atividade.
PLAYBOY – Ter passado pelo governo que continua no poder não ajuda?
José Dirceu –
 O Fernando Henrique pode cobrar 85 mil reais por palestra, e eu não posso fazer consultoria? No fundo, o que eu faço é isso: analiso a situação, aconselho. Se eu fizesse lobby, o presidente saberia no outro dia. Porque no governo, quando eu dou um telefonema, modéstia à parte, é um telefonema! As empresas que trabalham comigo estão satisfeitas. E eu procuro trabalhar mais com empresas privadas que com empresas que têm relação com o governo.
VolteiO que mais eu poderia acrescentar contra José Dirceu que ele já não o tenha feito melhor do que eu? Essa entrevista é de 2007, ano em que a denúncia foi aceita pelo Supremo. Então o consultor, o lobista, o deputado cassado por corrupção podia, segundo ele próprio, mobilizar a República com um simples telefonema? Do que não era capaz o superpoderoso chefe da Casa Civil, que não fazia questão nenhuma de esconder que se considerava o sucessor natural de Lula? Dirceu tem tanto orgulho dessa entrevista que a mantém em seu site pessoal.
No governo Dilma, seus telefonemas passaram a ter um pouco menos de importância, é fato. Para compensar, ele decidiu montar uma espécie de governo paralelo num quarto de hotel, em que recebia, à socapa, os líderes do governo no Congresso, ministros de Estado, presidentes de estatais, parlamentares… E o Zé poderia dizer: “Os meus clientes estão satisfeitos”.
Chegou a sua hora, Dirceu! Faço aqui essa reconstituição porque as minudências do processo são apenas a expressão, digamos, penal do fato histórico. Sem contar que, até hoje, fico aqui a me perguntar por que um certo Bob Marques, carregador de malas de Dirceu, tinha uma autorização — embora não conste que a tenha utilizado — para sacar R$ 50 mil do Banco Rural. Ou por que uma ex-mulher de Dirceu, quando foi arrumar um segundo emprego, foi parar justamente no BMG, um dos bancos que “emprestaram” dinheiro ao PT (segundo um dos diretores da empresa, foi a pedido de Valério). Ou por que essa mesma ex-mulher, ao vender um apartamento (e receber R$ 20 mil adiantados, em espécie), encontrou como comprador justamente Rogério Tolentino, um dos braços direitos de… Valério!
Às vezes, um mundo que parece pequeno demais é apenas promíscuo demais.
Chegou a sua hora, Dirceu! Que a Justiça lhe seja… JUSTA!
*Texto por Reinaldo Azevedo
Por Reinaldo Azevedo

Cotas raciais.



Por que fazem tantas questão por cotas raciais?
Os defensores das cotas raciais nas Universidades alegam uma "indenização histórica" ao povo negro. Mas o fato é que a dívida do governo é com o povo pobre deste país, seja preto, branco ou amarelo.
Por que não implementam programas de ensino decente para todo o povo pobre do país?
E mais, por que os partidários das cotas não estudam e não incentivam ao povo a estudar como fez o Eminente Ministro do Supremo Tribunal Federal,  Joaquim Barbosa?
Ministro Joaquim Barbosa, sincero, sóbrio e sábio e merece todo o respeito do povo brasileiro.
Este está na cota, mas na cota do povo decente e honesto deste país!

A aliança dos amorais.




"O país nasceu por engano, balançou no berço da safadeza e agora é controlado pela aliança dos amorais" *Augusto Nunes

Políticos que são "uma droga"!


Alerta foi dado por cães farejadores especiais importados da Jamaica

Tudo ia normal em mais uma operação antidrogas da PM no Rio. De repente, ao passar em frente a um comitê eleitoral do candidato à reeleição Eduardo Paes/PMDB, cães farejadores especiais, vindos da Jamaica, ficaram muito alvoraçados e deram sinais efusivos com os focinhos e latidos de que lá havia droga. Por dever de ofício, o comandante teve que investigar. 
Não econtraram nada, mas os cães ficavam cada vez mais irritados
Após minuciosa busca, sob os olhares espantados do próprio candidato a prefeito e de seus assessores, ficou constatado que não havia droga convencional nenhuma. Nem mesmo whisky tinha. No entanto, os cães se mostravam cada vez mais irritados e, por pouco, não deram mordidas nos políticos.
Foi então que o comandante percebeu que tipo de drogas os cães estavam denunciando. E retirou-se do local às pressas com os cachorros.
Por ordem do governador, os cães foram mandados de volta ao seu país de origem.
*Por Guilhermo Bonottappa e Gléssio Safanal (extrahora.com)

terça-feira, 2 de outubro de 2012

PT terá 'derrota histórica' em Recife.


O prefeito de Recife, João da Costa (PT), disse nesta terça-feira (2) que o candidato do partido na capital, Humberto Costa, e seu vice na chapa, João Paulo (PT), "estão protagonizando a maior derrota política do PT no Brasil".
"Uma derrota histórica", afirmou o prefeito. "Começaram com 40% [nas pesquisas] e podem terminar com menos de 15%. Não tem candidato do PT no Brasil que tenha tido essa trajetória", declarou.
João da Costa disse ainda que, "como analista político", acredita que a tendência é que a eleição seja definida ainda no primeiro turno, com a vitória do candidato do PSB, Geraldo Julio.
O prefeito também declarou voto no socialista no caso de um eventual segundo turno reunir Geraldo Julio e Daniel Coelho (PSDB), primeiros colocados nas últimas pesquisas.
"Mesmo que eles não queiram, vou apoiar Geraldo Julio", disse João da Costa. "Vou para a rua, vou fazer campanha, vou de porta em porta, porque esse é meu campo político, onde eu militei durante 30 anos, e vou defendê-lo", afirmou.
Para o prefeito, uma possível derrota do PT em Recife, administrado pelo partido há 12 anos, seria fruto do "erro de estratégia" que o impediu de tentar a reeleição.
"Quem errou foi quem montou essa estratégia, que não está dando resultados nem políticos nem eleitorais", afirmou.
O veto ao nome de João da Costa partiu da cúpula nacional do PT, que o considerou sem condições políticas de comandar o processo eleitoral na cidade.
A crise no partido levou o PSB a romper a aliança que mantinha com os petistas em Recife e a lançar o nome de Geraldo Julio, com o apoio do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).
"A candidatura de Humberto e João Paulo foi imposta pela direção nacional do partido, violentando a democracia interna", disse o prefeito.

A corrupção que deforma.


Ministro de Dilma na berlinda do Mensalão.




A Polícia Federal concluiu o trabalho de rastreamento de dinheiro distribuído por Marcos Valério, em 2011, cinco anos após a Procuradoria apresentar a denúncia que deu origem ao processo que está em julgamento no STF.
Investigando o caminho do dinheiro distribuído pelo empresário, a polícia chegou a Rodrigo Barroso Fernandes, em Belo Horizonte. Segundo a polícia, na época do repasse, em 2004, ele era coordenador financeiro do comitê da campanha de Fernando Pimentel à Prefeitura de Belo Horizonte.
O inquérito, conduzido pelo delegado federal Luís Flávio Zampronha, apontou que Fernandes recebeu R$ 247 mil da agência SMP&B, de Marcos Valério, em agosto de 2004.
*Mino Pedrosa 

Belo Monte e trem-bala vão custar o dobro.



Os projetos de construção da usina de Belo Monte, no Pará, e do trem-bala brasileiro, que geram muitas controvérsias e discussões, vão custar bem mais caro do que o estimado.
Um levantamento feito por um colunista da revista Veja revelou que o projeto da polêmica usina de Belo Monte, estimado há três anos pelo governo sob o custo de R$ 16 bilhões, subindo no ano passado para R$ 26 bilhões, já alcança hoje R$ 35 bilhões — embora ainda não tenha sido divulgado.
Já o custo do trem-bala, outro polêmico e controverso projeto, também vai ultrapassar — e muito — as previsões iniciais. Embora estimado pelo governo em R$ 45 bilhões (no início eram R$ 30 bilhões), cálculos das grandes empreiteiras apontam para um custo duas vezes maior.

PT comprou votos...


Provas são “torrenciais” em relação a Dirceu, diz procurador-geral.


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou na manhã desta segunda-feira (1º) no Rio que continua convencido da atuação do ex-ministro José Dirceu na operação do caso de corrupção mais conhecido como mensalão


“Continuo absolutamente convencido da participação dele [José Dirceu]. A prova é mais que abundante, a prova é torrencial em relação ao ministro José Dirceu”, disse, após ser indagado pela imprensa das versões que serão apresentadas pela defesa do réu. 

“A posição da defesa é legítima, mas será difícil convencer os ministros porque as provas são suficientes”, completou Gurgel. 

O procurador-geral disse ainda acreditar que o STF (Supremo Tribunal Federal) afirmará a existência de formação de quadrilha apontada por ele nos autos do processo e que nesta semana espera ver o início da análise dos ministros sobre os denunciados por corrupção ativa.
(…) 
*Por Venceslau Borlina Filho, na 


Para ministro, conduta de réus maculou espírito republicano



Na 30ª sessão do julgamento do mensalão, realizada nesta segunda-feira (1º), o ministro Celso de Mello disse que a "conduta dos réus maculou o próprio espírito republicano". O STF (Supremo Tribunal Federal) condenou 12 réus ligados a partidos da base aliada do primeiro governo de Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2007). Os condenados eram do PP (Partido Progressista), PL (Partido Liberal, atual PR), PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro) e da corretora Bônus-Banval (veja os nomes abaixo), que auxiliou o PP a receber os recursos ilegalmente.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Fim de linha.



Por  Ucho.info

Não faz muito tempo, logo no começo do período eleitoral, o abusado Luiz Inácio da Silva disse que, se preciso fosse, morderia a canela dos adversários para fazer do “lulodependente” Fernando Haddad o próximo prefeito da capital paulista.

É óbvio que Lula não chegará às vais de fato, mas no sentido figurado esse ataque ganhou força nos últimos dias. 

No último sábado (29), durante comício na Zona Lesta da cidade de São Paulo, Lula, ao lado de um inerte Haddad, disse que o tucano José Serra deveria se aposentar e não concorrer à prefeitura paulistana.

“Serra está usando São Paulo como cabide de emprego. Ele devia requerer a aposentadoria, não a Prefeitura”. 

Responsável pelo período mais corrupto da história nacional, Lula não tem moral para atacar qualquer um, sob pena de aumentar ainda mais o descrédito que ora o emoldura. Apenas a sua claque, sempre disposta a ser enganada, é capaz de acreditar em palavras tão falaciosas. 

Lula apela à ousadia ao falar em “cabide emprego”, pois é sabido que o governo do PT aparelhou a máquina federal de forma escandalosa, a ponto de um candidato oposicionista, se eleito presidente, precisar de pelo menos dois anos para promover uma assepsia e mandar de volta para casa a horda de apaniguados do PT palaciano. 

Mas a insensatez de Lula, que sempre aflora de forma violenta no período eleitoral, foi maior na última sexta-feira (28), quando o ex-metalúrgico esteve em Campinas, no interior de São Paulo, para reforçar a campanha do companheiro Mário Pochmann, candidato do PT à prefeitura local.

Sobre um carro de som que foi transformado em palanque, Lula voltou a atacar o PSDB e disparou: “Essa cidade que sempre votou contra tucano, sabe que tucano é um bicho político predador”. 
Como sempre destaca o ucho.info, política não é uma reunião de inocentes e bondosos monges tibetanos, mas se predadores implacáveis existem nesse meio, o topo da cadeia é dominado por petista. 

O abuso de Lula é tamanho, que tal declaração se deu no vácuo do julgamento do Mensalão do PT (Ação Penal 470), cujas condenações já começam a preocupar os réus e a movimentar o mundo jurídico. 

Ou seja, o Supremo Tribunal Federal tem provado seguidas vezes que o PT é o mais predador dos animais políticos do País, pois desviou dinheiro público para financiar o maior escândalo de corrupção que se tem notícia no Brasil. 

Entre o teatro que Lula faz sobre os palanques, diante de câmeras e microfones, e a realidade que tem vivido na intimidade há uma enorme e conceitual distância.

De acordo com o que apurou o ucho.info, o ex-presidente, quando está entre familiares e poucos amigos, tem se queixado, com o direito a choramingo, do caminho pelo qual enveredou o julgamento no Supremo. 

Até a primeira condenação ser confirmada. Lula ainda acreditava que a quadrilha do mensalão poderia sair ilesa. 

Se ele próprio não se cuidar, evitando declarações desconexas com a realidade, poderá acabar no banco dos réus, pois por dever de ofício o Ministério Público Federal investigará as denúncias feitas por Marcos Valério.