sábado, 27 de fevereiro de 2010

As mentiras de Dilma

Dilma disse que era mestre pela Unicamp no site da Casa Civil e na Plataforma Lattes: MENTIRA!
A VERDADE: Dilma Rouseff não obteve o título de mestre, confirmou a Unicamp.
Dilma disse que era doutoranda pela Unicamp no site da Casa Civil e no Sistema Lattes : MENTIRA!
A VERDADE: Dilma não é doutoranda, pois teve sua matrícula cancelada em 2000, por falta de inscrição, e acabou jubilada pela Unicamp.
Dilma disse na Plataforma Lattes que obteve o mestrado da Unicamp com uma dissertação sobre “Modelo Energético do Estado do Rio Grande do Sul”: MENTIRA!
A VERDADE: Dilma não apresentou dissertação nem obteve mestrado na Unicamp.
Dilma disse que não concluiu o mestrado porque assumiu a Secretaria da Fazenda da Prefeitura de Porto Alegre: MENTIRA!
A VERDADE: Dilma só assumiu o cargo de secretária da Fazenda em 1986, três anos depois de ter deixado o curso de mestrado, segundo informou oficialmente a Casa Civil.
Dilma disse que não sabia das informações mentirosas em seu currículo: MENTIRA!
A VERDADE: Pelo menos em duas ocasiões, quando foi entrevistada pelo programa Roda-Viva, da TV Cultura, Dilma ouviu impassiva as mesmas mentiras sobre seu currículo acadêmico publicadas pelo site da Casa Civil e pela Plataforma Lattes.Dilma disse que foi presa por crime de opinião: MENTIRA!
A VERDADE: Como lembra o jornalista Elio Gaspari, “presos e condenados por crime de opinião foram o historiador Caio Prado Júnior e o deputado Chico *****, Dilma Rousseff militou em duas organizações que, programaticamente, defendiam a luta armada para instalar um Governo Popular Revolucionário (Colina, abril de 1968) ou um Governo Revolucionário dos Trabalhadores, expressão da Ditadura do Proletariado (VAR-Palmares, setembro de 1969).”
Dilma disse que não participou da luta armada, que não foi terrorista: MENTIRA!
A VERDADE: O também ex-guerrilheiro Darcy Rodrigues testemunha que uma das funções de Dilma era indicar o tipo de armamento que deveria ser usado nas ações e informar onde poderia ser roubado. “Só em 1969 ela organizou três ações de roubo de armas em unidades do Exército, no Rio”.A própria Dilma que contou, em entrevista: “Eu e a Celeste [Maria Celeste Martins, hoje sua assessora] entramos com um balde; eu me lembro bem do balde porque tinha munição. As armas, nós enrolamos em um cobertor. Levamos tudo para a pensão e colocamos embaixo da cama. Era tanta coisa que a cama ficava alta. Era uma dificuldade para nós duas dormirmos ali. Muito desconfortável. Os fuzis automáticos leves, que tinham sobrado para nós, estavam todos lá. Tinha metralhadora, tinha bomba plástica. Contando isso hoje, parece que nem foi comigo”.
Dilma disse que não tinha feito um dossiê sobre gastos pessoais da dra. Ruth Cardoso e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso: MENTIRA!
A VERDADE:Dilma informou, em um jantar com trinta empresários, que o governo estava colecionando contas de FHC consideradas incriminatórias. O jantar ocorreu um mês antes da ministra tentar justificar como “banco de dados” o dossiê produzido pela Casa Civil.
Fonte:http://www.gentequemente.org.br/2009/07/30/santinha-as-mentiras-de-dilma-rousseff/Sobre o que mais mente Dilma Rousseff?

A verdade sobre o mensalão do PT

O processo que investiga o Mensalão do PT no Supremo Tribunal Federal (STF) tem 69 mil páginas. São 147 volumes e 173 apensos. Entre os documentos, há 50 depoimentos inéditos colhidos pela Justiça Federal em todo o País ao longo de 2008 e 2009, laudos sigilosos da Polícia Federal, relatórios reservados do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), pareceres da Receita Federal e outras representações criminais que tramitam sob segredo de Justiça em vários Estados. O calhamaço faz a mais ampla e fiel radiografia do maior esquema de corrupção do País. Tudo isso, até hoje, estava sob sigilo de Justiça. Agora não mais. ISTOÉ teve acesso a todos esses documentos. O conteúdo empresta ainda mais gravidade ao escândalo. Além de lançar luz sobre novos personagens – até aqui eram 40 réus –, a investigação derruba a versão de que o dinheiro público estava ileso do esquema de caixa 2 do PT. Chegou-se a levantar essa hipótese durante a CPI, mas não havia provas. Agora, os novos documentos e testemunhas asseguram a origem estatal dos recursos. Essas novas provas também jogam por terra a desculpa petista de que tudo foi feito para pagar despesas de campanha. Não. Diante de juízes e procuradores, testemunhas contaram em detalhes como atividades privadas de interesse partidário foram custeadas com as mesmas notas de dólares, euros e reais que circularam em cuecas e malas e ainda compravam apoios no Congresso.
Leia mais na Revista IstoÉ

Bandalheira larga

Arte publicada no blog LILICARABINA
A cada enxadada, uma minhoca. Natural da cidade de Passa-Quatro, no sul de Minas Gerais, José Dirceu certamente conhece esse dito popular, segundo o qual basta procurar para encontrar. E minhocas não parecem faltar quando o assunto são os negócios de consultoria a que passou a se dedicar o ex-ministro do governo Lula. Desde que deixou a Casa Civil e teve o mandato de deputado cassado pela Câmara, em 2005, acusado de ser o mentor do mensalão, Dirceu tem se mostrado uma figura equívoca. A militância política e a atividade profissional, os contatos no mundo privado e as incursões pelos porões do poder público se misturam nebulosamente na vida deste personagem anfíbio. O próprio Dirceu, vale dizer, alimenta uma certa mitologia em torno de seu personagem, sem que se saiba quanto disso é lobby de si próprio e quanto corresponde à influência que ainda exerceria sobre setores do Estado e da máquina petista. Em 2007, numa longa entrevista à revista “Playboy”, a certa altura ele explicava seu trabalho nos seguintes termos: “No fundo, o que eu faço é isso: analiso a situação, aconselho. Se eu fizesse lobby, o presidente saberia no outro dia. Porque, no governo, quando eu dou um telefonema, modéstia à parte, é um telefonema! As empresas que trabalham comigo estão satisfeitas. E eu procuro trabalhar mais com empresas privadas do que com empresas que têm relações com o governo”. Primeiro, há esses telefonemas com exclamação, que mais mereceriam pontos de interrogação. Segundo, há o fato incontestável de que Dirceu trabalha, sim, com empresas que têm relações com o governo. Como revelou esta Folha, é o caso da consultoria que prestou ao empresário Nelson Santos entre 2007 e 2009, pela qual recebeu R$ 620 mil. Dono de uma “offshore” num paraíso fiscal, Santos adquiriu em 2005, por R$ 1, uma participação na Eletronet, empresa em processo de falência que o governo Lula planeja recuperar para usar seu principal ativo -uma rede de 16 mil km de fibras óticas- na oferta de internet a 68% dos domicílios até 2014. É no mínimo uma coincidência sugestiva o fato de que a massa falimentar da Eletronet tenha sido convertida em ouro pelo governo meses depois da contratação de Dirceu por Santos. Qualquer que seja o desfecho dessa história, ela constitui o mais recente capítulo do que se tem procurado ocultar sob a retórica do “Estado forte” lulo-petista: a aliança entre empresas privadas favorecidas pelo poder e grupos de interesse aninhados no Estado e no partido. A operação de compra da Brasil Telecom pela Oi/Telemar, que demandou mudanças importantes na legislação e contou com forte injeção de dinheiro do Banco do Brasil e do BNDES, é um exemplo acabado do neopatrimonialismo em curso no país. Com seu maquiavelismo de almanaque, Dirceu apenas mostra de maneira mais didática o que se tornou diretriz de governo. *Li no blog do Reinaldo Azevedo

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher

A bela atriz Barbara Paes

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Mazelas do Judiciário: Caso da Venda de sentenças em Alagoas vai ao STF

O Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL) deverá encaminhar ao Supremo Tribunal Federal (STF) fitas com gravações importantes sobre suposto esquema de venda de sentenças envolvendo um desembargador do Judiciário estadual alagoano. Segundo a assessoria da presidência do TJ-AL, a desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento vai aproveitar a presença dos ministros Gilmar Mendes e Gilson Dipp, presidente e corregedor-geral do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), durante o encontro de presidentes de Tribunais de Justiça Estaduais, em São Paulo, para entregar a eles cópias das fitas com as gravações.

PSDB deverá lançar Serra presidente, em Março

José Serra, provável candidato da oposição a presidência do Brasil
Partido de oposição ao governo Lula, posicionado como o principal partido das forças oposicionsitas, o PSDB deverá confirmar a candidatura do atual governador de São Paulo, José Serra, como candidato à Presidência no mês março, segundo o presidente do partido, O senador Sérgio Guerra ( PSDB-PE).
O senador ainda afirmou que José Serra, caso vença a eleição predidencial, deste ano, deverá envidar esforços para aperfeiçoar a disciplina fiscal limitando os gastos correntes, além de manter o regime de câmbio flutuante e fortalecer as agências reguladoras.
Ainda, segundo Guerra, não há dúvifa que o candidato será Serra.
*Com informações da agência Reuters.

O regime assassino que Lula apoia

A Conferência de Bispos Católicos de Cuba disse quinta-feira, 25, que tentou por várias vezes visitar o preso político Orlando Zapata Tamayo, que morreu na terça-feira após 85 dias de greve de fome e foi enterrado nesta quinta. Segundo o Jornal O Estado de São Paulo, os bispos pediram às autoridades que tomem medidas necessárias "para que situações como essas não se repitam". Em um comunicado no qual afirmam que ficaram sabendo da morte do dissidente pela imprensa internacional, os religiosos também disseram que a Igreja é contra o uso de "métodos de reclamação que coloquem a vida em perigo, o que é uma forma de violência que a pessoa exerce sobre si mesma".
Talvez seja, na minha opinião, uma questão não de minimizar mas de precaver-se diante da violência das autoridades cubanas. Segundo a nota, "a Igreja solicitou em várias ocasiões visitar o senhor Zapata, o que não pôde ser realizado".
Este é o regime político que Lula apoia. Sem democracia, sem respeito à opinião e a liberdade de escolha política. Um regime totalitário onde não se deve, sequer, viver profeçando a fé na liberdade e na democracia.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Os negócios incomuns da República Lulista

Na Folha Online:
A Oi negocia a compra da dívida da Eletronet com seus credores por cerca de R$ 140 milhões, quase 20% do valor total, estimado em R$ 800 milhões.
O objetivo é retirá-la da falência e, como contrapartida, explorar comercialmente a rede da companhia.
Caso seja concretizado, será outro negócio controverso da Oi envolvendo o governo.
Em 2005, a operadora investiu R$ 5 milhões na Gamecorp, empresa que tem como sócio Fábio Luis Lula da Silva, filho do presidente. Três anos depois, o governo aprovou a mudança na legislação do setor de telecomunicações para que a Oi comprasse a Brasil Telecom.
Desse negócio surgiu a atual Oi, dona de uma rede comparável à da Embratel e à da Eletronet em cobertura nacional.
COMENTÁRIO DE LA GUARDIA:Tráfico de influência, negócios comprometedores, conflito de interesses, falta de dignidade no cargo que ocupa. falta de honestidade, falta de moral, falta de vergonha na cara.
E o pior é que muita gente acha que isto é normal e aceitável da parte de nossos políticos.
O Brasil passa pela maior crise de ética de sua história.
Só depende de nós. Precisamos promover uma limpeza geral no Brasil

Os papa-defuntos

Vejam aí que imagem admirável: Raúl Castro, Lula, o Coma Andante Fidel Castro e ele, Franklin Martins, o primeiro-ministro do Brasil, que, consta, já não vive mais com Dilma a fase Claudinho & Buchecha: aquela coisa “só love, só love” dos “irmãos em armas”, como diria Dirceu. Desta vez, a candidata não seguiu o ex-metalúrgico e o ex-chefão do MR-8 ao Parque dos Dinossauros. Pena! A VAR-Palmares ficou sub-representada.
Todos vocês viram na TV, creio, o assassino Raúl Castro se antecipando aos jornalistas, ao lado de Lula, a anunciar: “Eu sei o que vocês estão querendo”. E desandou a falar sobre a morte de Orlando Zapata, preso político condenado a mais de 30 anos por defender os direitos humanos em Cuba. Culpou os EUA. Escrevi ontem a respeito. Obediente, sem nenhum constrangimento, Lula, o “grande líder da América Latina”, assistia à pantomima do tirano. Agora entendemos por que não há imprensa livre em Cuba. Raúl já sabe o que os jornalistas querem perguntar… Foi um espetáculo grotesco, e Lula, quero crer, superou todos os limites da abjeção. Já tinha se revelado, conforme escrevi, na tal reunião de Cancún, quando havia atacado a ONU e os americanos. Ontem, superou-se. Falando a linguagem própria da tirania, Lula acusou a vítima de ser responsável por sua própria desgraça. A política externa brasileira jamais conheceu esse pântano. Agora, com efeito, ela assumiu a cara de Marco Aurélio Garcia.
Lula tem uma característica política particularmente perigosa. No Brasil, aproveita a sua popularidade para mandar às favas a Lei Eleitoral, para atropelar o TCU e para transformar instâncias do Estado em braços operativos do seu partido; nas relações globais, usa o prestígio crescente do Brasil — obra de seus empreendedores — para se aliar ao que o mundo pode produzir de pior. Foi longe demais ao acusar Zapata pela própria morte e banalizá-la?
Foi! Mas ele sempre pode se superar.
*Extraído do texto de Reinaldo Azevedo

Ex-presidente da UNE, Serra a reputa,hoje, como entidade partidarizada

De Carolina Freitas, Agência Estado:
O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), acusou nesta quinta-feira, 18, a União Nacional dos Estudantes (UNE) de ter ligação com partidos políticos.
"A UNE era super politizada e muito atuante, diferente do que é agora. Hoje é mais partidarizada e diluída", disse, em entrevista após evento de governo na capital paulista.
O tucano foi presidente da entidade estudantil nos anos 60, na época do golpe militar. "Os líderes estudantis eram líderes porque eram líderes, não por questão de partido", disse Serra.
A lembrança dos tempos de estudante surgiu quando o governador inaugurava em Heliópolis, zona sul da cidade, uma escola estadual que ganhou o nome do ex-secretário da Educação paulista Carlos Estevam Martins. "Conheci Carlos quando eu tinha 20 anos e ele era presidente do Centro Popular de Cultura da UNE. Naquela época, a UNE era menor, mas tinha outro conteúdo", disse a uma plateia de cerca de 200 pais e professores e de 150 crianças. Serra evitou avaliar a pesquisa de intenção de voto do Ibope/Diário do Comércio, divulgada ontem. O possível candidato do PSDB à Presidência limitou-se a dizer que o levantamento era uma "fotografia do momento" e que o cenário eleitoral muda a cada pesquisa. Os dados mostram Serra com 36% das intenções de voto e a ministra-chefe da Casa Civil Dilma Rousseff, provável candidata do PT, com 25%. O atual secretário da Educação, Paulo Renato Sousa, aproveitou o evento para reclamar de uma declaração recente do ministro da Educação, Fernando Haddad, que disse planejar um programa de promoção de professores por mérito no âmbito federal. "Achei excelente o ministro dizer isso, mas ele não falou que São Paulo já está fazendo isso", alfinetou.
"Somos pioneiros e estamos enfrentando a oposição do sindicato dos professores, dominado por correligionários do ministro."

Ciro muda discurso e admite candidatura em SP

Depois de criticar o governo Lula, Ciro agora volta a servir ao "seu senhor"
A indicação de que o deputado federal Ciro Gomes (PSB-SP) poderá desistir da disputa pelo Palácio do Planalto, nas eleições de outubro, para atender aos apelos do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que prefere sua candidatura ao governo de São Paulo, pode ser identificada na mudança de tom do presidenciável socialista.
Segundo o Jornal O Estado de São Paulo, após reunião com líderes aliados nesta quarta-feira, 23 de fevereiro, Ciro fez declarações que contraria todas as anteriores: "Eu estou decidido, mas só o tempo vai dizer se minha decisão (de ser candidato à sucessão de Lula) vai se manter ou se serviremos o País deslocando a candidatura para São Paulo" "De repente, o projeto nacional que o presidente Lula representa precisaria ter como uma engrenagem modesta que eu aceitasse esse desafio (disputar São Paulo). Nesse caso, a serviço do Brasil, a serviço dessa fração de São Paulo eu não titubearia em ir"
COMENTO: Parece que Lula está acertando a metodologia para amansar Ciro. Não deve ter sido de graça esta reviravolta. Possivelmente, o dragão bolivariano ganhará um apoio mais direto do "boca alugada" de Lula.
É preciso que nossa memória se mantenha atenta. Ciro Gomes também é a favor da teoria bolivariana-lulista de controlar a imprensa. Em entrevista, na edição de Maio/2006 da Revista Caros Amigos, o boca rota afirmou:
"Deveríamos criar cooperativas de jornalistas financiados pelo Estado para pulverizar a informação."
E foi mais adiante:
"No fundo a gente tem que se concentrar em educar o povo, tem que se concentrar em qualificar nossa militância política, mostrar para a população coisas que estão acontecendo. Aí não pode ter rabo de palha."
É este, ainda, seu conceito de imprensa "candidato"???

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Terra para quem maltrata a terra


Sabem quantos hectares já foram destinados a assentamentos de “sem-terra” no Brasil nos governos Lula e FHC? 80 milhões!
Trata-se de dado incontestável, técnico. Sabem quantos são destinados, no Brasil inteiro, à produção de grãos? 65 milhões.
Vocês entenderam direito. Há mais terras, hoje, sob os “cuidados” do MST no Brasil do que destinadas à produção de alimentos em larga escala.
O que se planta naqueles 80 milhões?
Ninguém sabe direito. Ou se sabe: mistificação, ideologia, leninismo caboclo. Nos outros, nada menos de 141 milhões de toneladas de comida!
Deu pra entender? O agronegócio brasileiro tem sido o ÚNICO setor superavitário da economia brasileira há muitos anos. É o responsável pelos US$ 240 bilhões de reservas de que Lula se orgulha tanto, como se fossem obra sua. Não obstante, o setor rural vive cercado pelo banditismo ideológico, pelo preconceito de certa imprensa que imagina que comida barata nasça no Carrefour e no Pão-de-Açúcar e, obviamente, pelo amarelão mental que separa o Brasil entre as “vítimas pobrezinhas” do MST e os “tubarões do agronegócio”. A senadora Kátia Abreu (DEM-TO) escreve hoje um artigo na Folha intitulado “A banalização das invasões”. Merece ser lido e mantido sempre à mão. Dá conta da realidade do campo e de certa loucura metódica que toma conta do país. Os nossos esquerdistas sempre tão dedicados ao estudo da “produção social da riqueza”, acreditam, por alguma razão, que O SETOR QUE GARANTE A ESTABILIDADE DA ECONOMIA não produz “riqueza social”. A comida mais barata do mundo — a brasileira!!! — parece ser obra de algum milagre, uma espécie de maná com que nos presenteia o Altíssimo, ou mesmo Lula, nem tão altíssimo assim. E vamos ver quanto tempo vai demorar para que mobilizem contra ela a máquina de enlamear reputações. A mesma lavanderia que transforma antigos “inimigos do povo” em flores do progressismo — a exemplo do que o PT faz com José Sarney ou Delfim Netto — também se mobiliza para sujar biografias. E a máquina é poderosa, com ramificações na Polícia Federal, no Ministério Público, no Legislativo, no Judiciário e, SEM DÚVIDA NENHUMA, na imprensa. Na semana passada, um aiatolá do PT, Dalmo Dallari, já saiu atirando contra Kátia Abreu. Ele considera um absurdo que ela seja senadora e presidente da CNA. Mas acha muito normal que o governo Lula seja, na prática, conduzido pelos sindicalistas da CUT e que o Incra seja um aparelho do MST. Entenderam a lógica do gigante? A luta é longa e renhida.
*Extraído do texto de Reinaldo Azevedo

Lula foi sentir cheiro de defunto fresco em Cuba

Lula viajou a Cuba. No dia da morte do preso político Orlando Zapata Tamayo, que estava em greve de fome desde 3 de dezembro. O presidente brasileiro pode sentir o cheiro fresco do cadáver.
A Anistia Internacional conseguiu comprovar a existência de 67 prisioneiros de consciência em Cuba — isto é, gente que está na cadeia só por discordar do regime. Os que combatem a tirania dos irmãos Castro dizem que passam de 200.
Tamayo, que lutava por direitos humanos, foi detido em março de 2003, durante a chamada Primavera Negra, quando Fidel Castro ordenou a prisão de 75 dissidentes — 27 jornalistas entre eles. As condenações variavam de 14 a 27 anos. Tamayo foi tendo ampliada a sua pena, que já passava de 30 anos.
Seu crime? Nenhum! Em outubro de 2009, ele foi espancado por policiais na prisão de Holguín. Teve de se submeter a uma cirurgia na cabeça em decorrência dos ferimentos. No dia 3 de dezembro, deu início à greve de fome e foi transferido para uma prisão ainda mais rigorosa.
Os dissidentes cubanos afirmam que o major Filiberto Hernández Luis lhe negou mesmo a água durante dias seguidos, o que levou seus rins ao colapso. Só foi enviado ao hospital em meados de janeiro, e dali para outro hospital, só que este no presídio Combinado del Este, em Havana, sem a menor condição técnica de tratamento. Morreu. Não! Foi assassinado.
Dissidentes cubanos chegaram a enviar mensagens a Lula, pedindo que intercedesse em favor de Tamayo. Tudo em vão. No Congresso do PT, Dilma Rousseff fez uma conferencia fechada a esquerdistas de varias ditaduras — cubanos entre eles. No mesmo congresso, fez uma homenagem a pessoas que, a exemplo dela, participaram de movimentos terroristas no Brasil. Disse que lutavam pela… democracia!!!
Tamayo, sim, lutava pela democracia! Está morto. Lula e Marco Aurélio Top Top Garcia abraçam seus assassinos.
*Li no blog do Reinaldo Azevedo

Zé Dirceu pelado na playboy

O DIA EM QUE ZÉ DIRCEU FICOU PELADO NA PLAYBOY : Zé Dirceu, o rei da fibra ótica, concedeu uma entrevista em 2007 à revista Playboy. Ele já era só um “consultor de empresas”. E revelou para os jornalistas Tom Cardoso e Fernando Barros de Mello:
“No governo, quando eu dou um telefonema, modéstia à parte, é um telefonema!”
Sem dúvida! O Zé tá virando o ”ó do borogodó” dos telefones!!! Eu imagino ele a dizer essa frase, arregalando um tanto os olhos e fazendo um menear de cabeça como quem diz:
“Você está entendendo, né?”
Sim, os repórteres certamente estavam entendendo tudo. Escrevi um post à época, publicado no dia 7 de agosto de 2007. Quem já leu vai gostar de reler. Quem não leu ficará sabendo um pouco mais sobre este patriota.
Leia mais no blog do Reinaldo Azevedo

Telebrás ou telegangue?

Indícios de maracutaia de milhões na Telebrás

Por Denise Madueño, no Estadão:
O líder do DEM na Câmara, deputado Paulo Bornhausen (SC), protocolou esta noite na Mesa da Casa um requerimento de informação para que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, preste esclarecimentos sobre operações envolvendo ações da Telebrás. O parlamentar pede dados sobre os 30 principais detentores de ações preferenciais da empresa atualmente e os 30 que tinham ações preferenciais da Telebrás nos anos de 2005, 2006, 2007 e 2008. O deputado argumenta que há alguns anos tem havido uma oscilação anormal nos preços das ações da empresa e procura, com o requerimento de informação, verificar eventuais irregularidades. “Há evidências de que alguns participantes do mercado acionário ganharam somam vultosas, ao sabor das especulações, boatos e rumores e, pior, de informações privilegiadas”, argumenta Bornhausen.
COMENTÁRIO DE REINALDO AZEVEDO:Paulo Bornhausen havia expressado a intenção de fazer um requerimento para colher assinaturas para fazer uma CPI. Eu o desaconselho. O PT já adquiriu a tecnologia necessária para desmoralizar qualquer investigação. A coisa não daria em nada. Sugiro outro procedimento. Agora mesmo, os petistas estão pensando numa maneira de transformar o lupanar acionário da Telebras numa guerra entre privatistas e estatistas. Dirão qualquer coisa como: “Os neoliberais não querem banda larga para os pobres…” E mentiras afins. A guerra, vamos explicitar a coisa, tem de ser é de propaganda mesmo. Nesse caso como em qualquer outro. É preciso chamar larápio de “larápio”, safado de “safado”, bandido de “bandido”, laranja de “laranja”, essas coisas… E levar a questão à opinião pública por todos os meios possíveis. Vale dizer: uma propaganda para vender o produto segundo aquilo que ele é.
*Texto original
aqui

Tribunal pune juiz com aposentadoria, por reincidir em faltas graves

Foto do site sertao24horas.com.br
Por cinco votos contra três, o Juiz de Direito André Luiz Tenório Cavalcante, foi condenado pelo Tribunal de Justiça de Alagoas a aposentadoria.
Segundo o site de notícias Cada Minuto, ele já respondeu processo por adquirir uma arma que constava no processo como prova material de crime e por ter trancado 60 processos no armário durante as férias, impedindo o trabalho da Corregedoria. Agora, o juiz André Luiz Tenório Cavalcante, de Santana do Ipanema, teve contra si o terceiro processo por manter um preso ilegalmente.
O juiz foi acusado de demorar 2 anos e 10 dias para ouvir um acusado de tráfigo de drogas, o que afronta a lei. O Tribunal de Justiça decidiu puni-lo com a aposentadoria forçada.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

O dragão do socialismo chavista não agrega nem no PT


Segundo o Jornal O Estado de São Paulo, o ex-ministro da Saúde Humberto Costa (PT-PE) admite, mas relativizou as críticas feitas à ministra Dilma Rousseff durante reunião reservada do grupo setorial do partido, na última sexta-feira, 19.
De acordo com Humberto, são "opiniões pessoais dentro do partido".
Na reunião, que foi gravada, a pré-candidata do PT à Presidência foi alvo de diversas críticas. O grupo revelou temor pela fragilidade com que Dilma discute a Saúde e pela "vulnerabilidade" como o partido está entrando no debate eleitoral.
De acordo com Humberto Costa, "aquela não foi uma reunião formal do setorial, não tinha caráter deliberativo". "Aquelas eram opiniões as mais pessoais, diversas e minoritárias possíveis dentro do partido", alegou. "A opinião do setorial é de que temos mais realizações do que o governo anterior", afirmou. A próxima reunião formal para discutir o plano de governo será em abril. Para justificar as críticas e temores dele e de outros integrantes do encontro em relação à candidatura de Dilma, Costa declarou que "essa é a eleição mais importante das nossas vidas. Pela primeira vez não teremos o presidente Lula como candidato", disse. A capacidade administrativa da ministra na área foi muito questionada durante o encontro. "O José Temporão (ministro da Saúde) já ficou quatro horas conversando sobre saúde com a Dilma", disse um dos participantes. Nem o plano de governo foi poupado: "Acho que não preciso dizer para todo mundo aqui que isso que aprovaram há pouco não vale nada. Esse programa só vai ficar pronto mesmo lá por agosto. Esse encontro é para agradar a militância", avaliou outro dos participantes da reunião. A distância entre o ministério e o partido é outro motivo de preocupação: "Precisamos marcar encontro com ela e com Lula. O presidente vai sair com essa dívida conosco? Como vamos fazer a discussão do setor da saúde com quem não é do PT se não reconhecemos nossos méritos?". "É essa discussão que temos de fazer, porque o Lula tá pouco se lixando para a gente (petistas)", disse uma filiada. "Acho que a Dilma não representa, nem de perto, o governo Lula."

Petrobras volta a importar gasolina após 40 anos

Gabrielli cruza os braços e sua inércia causa desabastecimento de gasolina no país.

Após quarenta anos de autonomia, a Petrobras voltou a importar gasolina. Prejudicada pela crise do etanol, a estatal foi obrigada a comprar o combustível da Venezuela, que já recebeu encomendas futuras.
A gasolina importada vai chegar ao Brasil ainda em fevereiro. Segundo a Petrobras, foram importados 270.000 metros cúbicos do combustível – o equivalente a 2 milhões de barris. "Para os meses subsequentes, a Petrobras está avaliando a necessidade de importação e, se existente, estimará o volume a ser importado", informou a estatal. As fortes chuvas de verão interromperam a colheita de cana-de-açúcar no país, o que prejudicou a produção do etanol. Além disso, parte da cana colhida para a produção do combustível precisou ser usada na produção de açúcar, que tem excelente cotação no mercado internacional. Dessa forma, a oferta do bicombustível tornou-se inferior à demanda.
Na verdade há uma falha de gestão no que concerne aos estudos e previsões de mercado. A direção da petrobras se preocupa mais em patrocinar as aspirações políticas de Lula e seus áulicos e esquece de administrar a empresa.

Kassab permanece no cargo de prefeito de São Paulo

O juiz da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Aloísio Sérgio Rezende Silveira, decidiu na tarde desta segunda-feira (22) garantir a permanência do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), no cargo até o julgamento final do processo de cassação de seu mandato. Silveira é o mesmo juiz que determinou na última quinta-feira (18) a cassação do mandato de Kassab, acusado pelo Ministério Público de receber doações irregulares. O efeito suspensivo é automático assim que o político cassado entra com recurso. O advogado de Kassab, Ricardo Penteado, protocolou o documento no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na tarde desta segunda-feira.

Aécio diz está "feliz" por Dilma dar continuidade a política econômica do PSDB

Aécio ainda é uma incógnita na caminhada de Serra rumo ao planalto

Segundo reportagem na Folha Online, o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), disse nesta segunda-feira ter ficado "feliz" com o discurso da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) sobre os rumos da economia no país, durante o lançamento da pré-candidatura da petista à Presidência, no último sábado (20). "Li com atenção o discurso da ministra Dilma e fico muito feliz ao ver que ela assume o compromisso de manter a condução macroeconômica do país, com metas de inflação, com juros flutuantes, com superavit primário, construídas e concebidas no governo do PSDB", disse o governador durante inauguração de obra em Sabará (MG). Aécio afirmou também que está "à disposição" do possível candidato tucano à Presidência, o governador de São Paulo José Serra (PSDB), com quem deve se encontrar em breve.
Entretanto, ressaltou que não quer fazer dessa conversa um espetáculo. "Não pretendemos fazer de mais uma conversa nossa, um grande acontecimento, um grande fato político. Tenho conversado com o governador Serra, conversamos sempre e vamos continuar conversando", disse. Perguntado se o governador paulista não está demorando muito a anunciar sua pré-candidatura, Aécio afirmou: "No momento certo, o governador vai se manifestar. Cabe a ele, agora, encontrar o caminho e o momento adequado para essa manifestação. Continuo tendo grande confiança nas suas possibilidades eleitorais".

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Mentiras e metáforas do dragão

Ela diz o que quer, fala o que não existe, o que não vai realizar jamais e para o povo óóóó!!

Não sei quem redigiu o discurso de Dilma, no lançamento de sua candidatura, e criou um mix de mentiras e metáforas. Mas, em particular, uma metáfora de gosto duvidoso dá o mote do provável tom da campanha e serve de síntese da forma como o petismo conta a história do Brasil e é emblema das mentiras essenciais que marcam a propaganda oficial.
Disse Dilma: "Outros milhões acenderão as luzes de suas modestas casas, onde reinava a escuridão ou predominavam os candeeiros. E estes milhões de pontos luminosos pelo Brasil a fora serão como uma trilha incandescente que mostra um novo caminho."
Nos surpreende a poesia que o inspirado redator impingiu ao texto, afinal, poesia e sensibilidade não condizem - ou combinam - com Dilma Roussef. O leitor poderá, também, se surpreender com o texto que fez Dilma afirmar que os “pontos luminosos serão uma trilha incandescente que mostra um novo caminho”. Sinceramente - e Deus me perdoe por tanta sinceridade - sensibilidade e poesia não combinam com o dragão do socialismo.
Como afirmou Reinaldo Azevedo: "Cumpre considerar os números da chegada da luz elétrica aos lares brasileiros:
1996 - 79,9%
2002 - 90,8%
2008 - 96,2%
Como se vê, em 1996, já havíamos avançando bem nessa área. E um grande salto se deu entre aquele ano e 2002, durante o governo FHC: 10,9 pontos percentuais — ou crescimento de 13,6%; no governo Lula, 5,8 pontos percentuais — ou 6,3% de crescimento.
Tivessem os petistas avançado “nos pontos luminosos da trilha incandescente” o mesmo que avançaram os tucanos, já não haveria brasileiro sem luz elétrica. E ainda sobraria um bicos para a gente emprestar a alguns países das fronteiras… "
É, cada vez mais, acho que mentir tem se tornado algo rotineiro e "digerível" pela imprensa brasileira.
Os jovens jornalistas socialistas e comunistas ( que povoam as redações dos jornalões) devem se regozijar de tanta "mentirinha" ou "bravatas" bem ao gosto de Luiz Inácio.
O povo, ora o povo, foi deseducado durante ste anos para quê? Para cair, novamente, no conto do Luiz Inácio.
De resto, "tá tudo dominado".Sites, blogs,jornais, Tvs, Rádios, etc
O dinheirão das estatais, dos bancos e das empreiteiras "felizes" e abastadas patrocinam a mentira que está corroendo o país.

A garota da capa

Do site do Reinaldo Azevedo:
Dilma Rousseff, candidata a presidente da República, pelo PT, é capa da VEJA desta semana. Em primeiríssimo lugar, se há alguém que gostaria de determinar o que VEJA dá ou deixa de dar na capa, que adoraria definir o conteúdo do que a revista publica ou deixa de publicar, bem, essa pessoa não sou eu. Essa ambição talvez seja de Marco Aurélio Garcia. Coordenador do programa do PT, ele vê severos monstros da dominação ideológica no Dr. House… Eu o imagino, instantes antes de dormir, delirando com uma batalha naval contra a Quarta Frota e com a substituição de Two and a Half Men por uma palestra de Tereza Cruvinel sobre como fazer uma televisão que dê traço de audiência… Em segundo lugar, e não em ordem de importância, Dilma é a capa obrigatória da semana. Fosse eu a decidir, teria feito a mesma coisa, ora essa. A oficialização da candidata do partido que está no oitavo ano de poder, com chances reais de vitória, tem de ser o destaque da maior revista do país — revista que tem princípios, mas que não tem partido. A reportagem, de Otávio Cabral e Gustavo Ribeiro, está no ponto certo: trata da crise que acabou levando Lula a escolher a novata (no petismo) Dilma para a tarefa — já que outras lideranças foram calcinadas pelo mensalão —; evidencia como o partido, a despeito da pressão dos radicais, tem, na economia, optado pelo centro; expõe as tentações totalitárias que remanescem em certas correntes e em certas lideranças — algumas de expressão, como Marco Aurélio Garcia — e trata do esforço feito por Lula para amaciar a figura de Dilma. Em suma, o PT não mudou a democracia; a democracia é que mudou o PT, apesar do PT — essa conclusão é minha, não da revista. A edição traz também a resposta de Dilma a 10 perguntas formuladas por VEJA. Tudo por e-mail e sem direito a réplica, como quis a ministra. Destaco uma e comento: -John Maynard Keynes, que a senhora admira, dizia alguma coisa equivalente a “se a realidade muda, eu mudo minhas convicções”. Como sua visão de mundo mudou com o tempo e com a experiência de ajudar a governar um país?
-O Brasil superou uma ditadura militar e está consolidando sua democracia. A realidade mudou, e nós com ela. Contudo, nunca mudei de lado. Sempre estive ao lado da justiça, da democracia e da igualdade social. Replico: Faço uma réplica a essa resposta, e a ministra poderia, mas não vai, treplicar. E eu publicaria com gosto a rua resposta. Até onde sei, o Brasil não está “consolidando a sua democracia”. Ela está consolidada. Ou, então, eu gostaria de saber o que falta para que o Brasil, aos olhos da candidata, seja realmente democrático. Nessas horas, as esquerdas costumam sacar do embornal de inutilidades e idéias velhas, a chamada “democracia social”. É alguém meter um adjetivo na democracia, leitor, e o melhor que você tem a fazer é sair da sala, antes que o doido tente jogá-lo pela janela. Todos os que tentaram matizar a democracia, acrescentando-lhe rabichos e penduricalhos, tinham em mente, de verdade, uma ditadura. Caso Dilma afirmasse que a democracia só se consolidará quando não houver mais pobres no país, será o caso de lembrar à ministra que “democracia” não é um modelo de distribuição de renda ou de construção da igualdade — as ditaduras também podem fazer isso. A democracia é um regime que garante as liberdades públicas e os direitos individuais. O resto é lixo autoritário. Quanto a afirmar que “nunca mudou de lado” e que “sempre” esteve do “lado da justiça, da democracia e da igualdade social”, sou obrigado a observar que se trata de uma inverdade verificada pelos fatos. Que queira dizer isso de si mesma hoje, vá lá… Aquele “nunca” e aquele “sempre” é que complicam a resposta. Sou obrigado a lembrar que as pessoas que o Colina, a VPR e a VAR-Palmares mataram não lustram um passado de “justiça” e que essas organizações jamais quiseram “democracia” — ou me apresentem um miserável texto em que as três organizações, pelas quais Dilma transitou, defendiam “democracia”. O “sempre” e o “nunca” são inverdades históricas. Para uma ex-militante daquelas organizações, disputar eleições num regime democrático corresponde a mudar de lado. Se é de coração ou não, pouco importa. O que importa é que as instituições democráticas sejam preservadas das tentações totalitárias de quem quer que seja e que a mudança de lado não seja só uma tática para tentar por meio das urnas ou não se conseguiu fazer por meio das armas. *Para ler a íntegra da reportagem clique aqui

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Os gols do bi-campeão da taça Guanabara

video

Clique e assista.

Fogão campeão

Quem rir por último...
Parecia o roteiro de um filme. Em menos de um mês, o Botafogo saiu literalmente do fundo do poço para a glória. Na tarde deste domingo, o Botafogo venceu o Vasco por 2 a 0 no Maracanã e conquistou a Taça Guanabara pela sexta vez em sua história. Empurrados por sua torcida, Botafogo iniciou o jogo com muita disposição.
Longe de inspiração, mais uma vez o setor ofensivo do Bota ficou dependente das bolas áreas vindas da defesa. Apesar da luta, Loco Abreu e Herrera pouco produziram. Ainda assim, mais organizado em campo, o Glorioso saiu em busca do resultado. Em um dos tantos cruzamentos na área, Alessandro pegou firme na bola após falha da defesa vascaína e só não saiu para o abraço porque Herrera tentou desviar para a rede e ao invés de marcar, impediu a festa alvinegra.



Se a ordem era buscar a bola aérea, Marcelo Cordeiro foi outro jogador que apareceu bastante, sempre presente nas jogadas de perigo. Em geral, a primeira etapa deixou a desejar na parte técnica, apesar da vontade.
Na volta do vestiário, a partida continuou morna e ambas as partes dividiram as honras no ataque. Entre as chances perdidas, Herrera recebeu sozinho dentro da área e tentou encobrir Fernando Prass, mas o goleiro realizou bela defesa, aos dois minutos. Em dificuldade, Joel Santana buscou seu talismã no banco de reservas e assim como nas semifinais contra o Flamengo, trocou Lucio Flavio, apagado em campo, por Caio. Na base da velocidade, a mudança surtiu efeito e mais uma vez, o atacante fez a diferença. Mais presente ofensivamente, Caio sofreu falta que posteriormente, resultou em escanteio. Na cobrança de Marcelo Cordeiro, Fábio Ferreira subiu mais alto que os zagueiros vascaínos e de cabeça, fez explodir a galera do Fogão no Maraca. Mais tranquilo com o gol, o Bota ainda ganhou um fôlego a mais com a expulsão de Nilton, aos 26 da segunda etapa, após carrinho desleal em Caio.
Em lance infantil, Titi recebeu cartão amarelo em falta na linha lateral e na jogada seguinte, puxou Loco Abreu dentro da área. Marcelo de Lima Henrique marcou a penalidade, expulsou Titi e deu a chance para o uruguaio marcar na decisão. De frente para Fernando Prass, El Loco colocou no canto esquerdo do goleiro e decretou de uma vez o dono do título.