domingo, 11 de janeiro de 2009

Bolsa-ditadura já nos custou R$ 2,5 bilhões

O governo Lula já obrigou os cofres da União a liberar R$ 2,5 bilhões em indenizações a supostos "perseguidos" ou "prejudicados" pela ditadura. A conta ainda é modesta, porque a Comissão de Anistia do Ministério da Justiça examinou apenas 38 mil dos 60 mil pedidos. Se o montante fosse dividido igualmente, cada anistiado teria ganho cerca de R$ 65 mil de indenização, mas há aqueles que foram contemplados individualmente até com R$ 2 milhões.
Críticos das malfeitorias com o dinheiro público, os cartunistas Ziraldo e Jaguar, ex-Pasquim, foram indenizados em R$ 1,2 milhão e R$ 1 milhão.
Fundador do Pasquim, o jornalista Millôr Fernandes recusa a boquinha: "...então eles não estavam fazendo uma rebelião, mas um investimento?"diz.
Já o fundador do PT, o jornalista Hélio Doyle é contra enormes indenizações. Lembra que suas cinco prisões políticas não o impediram de trabalhar.
Fonte: http://www.claudiohumberto.com.br/

Um comentário:

Daniela disse...

Deveriam utilizar esse dinheiro para areas mais deficientes como a saúde e a educação, esse país não tem jeito mesmo.