sábado, 28 de março de 2009

No Brasil, as leis só alcançam o caixa dois do camelô


Penetrando no Castelo de Areia da Camargo Corrêa, o Ministério Público proporcionou a Justiça Federal a oportunidade de tornar público e por que não, punir, a utilização da famosa torneira do caixa dois. É comum, no Brasil, aqui e alhures, surgirem escândalos de toda espécie, envolvendo o famoso uso do caixa dois, rebatizado pelos petistas, sob a luxuosa assessoria de Delúbio, de "Receitas não contabilizadas".
Belo nome para o famigerado ato que faz jorrar o dinheiro da corrupção política no país onde acontecem todo tipo de crime relacionado a corrupção, nas barbas de seu Presidente, que nada vê e de nada sabe,e o "por fora" não resulta em punição.
É um tipo de crime tratado à base de leis informais. Ambas alheias aos códigos penal e tributário do país, como bem diz Josias de Souza, um jornalista e blogueiro de primeira linha, a quem tento imitar e não consigo, dadas as minhas limitações.
Pois é, neste país de belezas e crimes mil, o próprio Presidente da República declarou, em entrevista em rede de televisão, para todo Brasil, que caixa dois é coisa que “todos os partidos fazem”.E parece que é mesmo, Presidente! E os criminosos quando flagrados silenciam tal qual vossa excelência. Parecem não saberem de nada, não viram nada.
Na última quinta-feira, quando veio à tona certas conversas gravadas por meio dos grampos na Camargo Corrêa, FHC reapareceu e, em tom galhofa, diante do fato de não constar comentários sobre doações ao PT, disse:"Terá sido a única empresa grande que não deu dinheiro para o PT. Acho que o PT deve protestar".
Especialistas e políticos, insinuam que a única forma de acabar com o “por fora” é a reformulação da legislação eleitoral, com o financiamento público de campanha. Será????
Evidentemente que alguma coisa deve ser feita.O que é o caixa dois? Dinheiro sujo. Entra e sai "por fora", não paga imposto ( crime de sonegação fiscal ) e cai na mão de políticos sem escrúpulos.Passeia por várias mãos sujas, caracterizando diversos crimes contidos no nosso Código Penal.Como diz Josias de Souza, os tais cometem a mesma infração tributária de que são acusados os milhares de camelôs que vendem contrabando à bugrada nas ruas das grandes cidades brasileiras.E, eles, que recorrem à informalidade para encher a geladeira são tratados com os rigores da Lei.Os envolvidos no "Mensalão" torcem pela prescrição do crime no STF. Os tucanos, evidentemente, acompanham na arquicancada.
Estamos portanto, diante de um Estado, que vê em míseros camelôs de ruas e becos, transgressores que devem ser castigados por buscarem, na informalidade, o feijão com arroz, enquanto nos salões dos palácios, políticos e empresários se deliciam do caviar adquirido com o "por fora".
Elementar meu caro Mário!!!!

Dilma,aborto,choque elétrico,avião que balança e cartilha que mata

A ministra Dilma Rousseff, que é, no momento ao menos, a futura candidata do PT à Presidência da República, concedeu entrevista à revista Marie Claire. Como informa o Globo Online, ela defende a descriminação do aborto, diz-se distante da Igreja Católica e, parece, só reza quando há turbulência no avião. Entendo...Dilma também conta os horrores que teria sofrido na prisão: “Tomei choques em várias partes do corpo, inclusive nos bicos dos seios. Tive até hemorragia. Depois de apanhar, era jogada nua em um banheiro, suja de urina e fezes”.O texto não informa, mas creio que ela não conta que pertencia a um grupo que seguia uma cartilha que defendia ações terroristas e a eliminação física dos adversários. Também não deve ter falado que inocentes morreram em ações de seu grupo. Inocentes mesmo, gente sem qualquer vinculação com a luta política.Antes que infiram que penso o contrário, é claro que nada disso justifica aquele horror que ela diz ter sofrido. A questão é outra: se é para reavivar e reviver os episódios da ditadura, que a coisa não sirva apenas a um propósito eleitoral, não é? À exposição do martírio com fins eleitoreiros. Que Dilma, então, repudie a violência dos seus algozes, mas também a paixão homicida do grupo a que servia. PAIXÃO HOMICIDA, REITERO, REVELADA NUMA CARTILHA. E eu nunca a vi fazer isso. Ao contrário: ela já disse ter orgulho do passado. Como é que alguém pode sentir orgulho daquilo? Ela nem mesmo pode dizer que era o idealismo de quem queria a democracia. Ela não queria. Queria ditadura.Quanto ao aborto e à reza utilitária, só quando balança o avião, dizer o quê? A segunda parte, certamente o Altíssimo compreende e perdoa... Já deve ter lidado com oportunismos mais vulgares.

Na Veja - Carta ao Leitor: A lei vale para todos

A empresária paulista Eliana Tranchesi, dona da Daslu, sacerdotisa da moda para os ricos e poderosos de todas as regiões do Brasil, não pode ser demonizada como o símbolo da desigualdade e da injustiça social no país. Eliana foi condenada por uma série de crimes relacionados com a importação fraudulenta de produtos de luxo, que resultaram na sonegação de mais de 600 milhões de reais. Ela foi presa na semana passada e recolhida a uma penitenciária em São Paulo. Seu irmão e o principal importador da Daslu também foram presos, acusados dos mesmos crimes. Eliana e seus sócios, porém, devem ser punidos apenas por seus desvios de conduta. É preciso desestimular as tentativas de enxergar na punição da dona da Daslu uma condenação também a todos aqueles que, apenas por desfrutar uma boa situação material, parecem aos olhos do populismo rasteiro cidadãos privilegiados e inimputáveis. A caça aos ricos é uma tentação suicida que, como demonstra a história, só produz mais miséria moral, política, econômica e social.Deve-se refrear também o impulso de ver no comércio de artigos caros e requintados apenas mais uma demonstração viciosa das classes abastadas. As pessoas que fabricam e vendem essas mercadorias, desde que respeitem as leis, são cidadãos tão úteis à comunidade quanto quaisquer outros. Como toda indústria, a do luxo cria empregos, produz riqueza e qualifica a mão de obra – e permite que as pessoas exerçam sua liberdade individual também na maneira como dispõem de seu dinheiro. Se a condenação de Eliana Tranchesi a 94 anos e seis meses de prisão tem algum significado maior – fique ela efetivamente presa ou não –, é o de marcar, talvez, o fim da era em que os ricos e com boas conexões em Brasília podiam tocar seus negócios livres dos impostos, fora do alcance das leis e ao arrepio de todas as regras comerciais, em prejuízo flagrante para os concorrentes – e, consequentemente, para o bom funcionamento da economia de mercado. O Brasil daria também um passo gigantesco na luta contra os que roubam dinheiro público se aos corruptos do mundo oficial fosse dispensada a mesma e diligente orquestração de esforços de polícia e Justiça que levou à condenação e prisão da dona da Daslu.

Para sentir na pele

Vaga pela internet uma corrente do bem. Trata-se de uma corrente de e-mails na rede de computadores que pede apoio ao projeto 480/2007, do senador Cristovam Buarque, na sua eterna (e sempre oportuna) cruzada pela educação. Determina a "obrigatoriedade de os agentes públicos eleitos matricularem seus filhos e demais dependentes em escolas públicas até 2014".
A ideia, claro, é obrigar os políticos a, finalmente, trabalharem pela melhoria do ensino público, após experimentar em casa as agruras que o povo pobre está cansado de conhecer. O projeto está parado desde maio do ano passado numa comissão, mas a esperança, no mundo virtual, não morre jamais.

Pacote habitacional exclui 60,4 milhões de pessoas


Segundo o Jornal O Estado de São Paulo - Estadão - o pacote habitacional lançado pelo governo deixará de atender a mais de 60,4 milhões de pessoas que vivem em cidades que foram excluídas do programa federal. A soma dos moradores nos municípios que serão beneficiados chega a 111,5 milhões de pessoas, de acordo com levantamento da CNM (Confederação Nacional dos Municípios). A promessa do governo é construir 1 milhão de moradias em cidades com mais de 100 mil habitantes, que estão em regiões metropolitanas ou capitais. Das mais de 5.000 cidades brasileiras, 573 se enquadram nesse perfil.
"Só 120 dos municípios elegíveis ao programa estão em condições de assinar contratos. Os outros 453 estão inscritos no cadastro de inadimplentes do governo federal. O pacote é fundamental, mas é preciso ver como aperfeiçoar o programa", afirma o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.
O número de excluídos pode subir para 70 milhões, se for somada a população dos 254 municípios que têm entre 50 mil e 100 mil habitantes. O programa federal prevê que apenas em situações especiais, como o caso de cidades que tenham crescido muito por causa do impacto de grandes obras, esses municípios sejam atendidos.
O percentual da população brasileira que mora nas cidades atendidas pelo programa federal é de 59%. Outros 9% dos brasileiros estão em municípios com 50 mil a 100 mil habitantes, e 32%, em cidades com menos de 50 mil pessoas.
Mas a intenção do governo pode ficar só no papel. O Congresso, que tem de aprovar a MP do pacote habitacional, deu sinais de que estenderá o plano para todos os municípios.
O relator do projeto, Henrique Alves (RN), líder do PMDB na Câmara, quer beneficiar as cidades de até 50 mil habitantes. A oposição também já apresentou emenda para ampliar o pacote para todas as cidades e suspender a oferta de contrapartidas pelas prefeituras.

Ataque a ‘brancos’ foi de caso pensado

Foi minuciosamente discutida a frase em que o presidente Lula atribuiu a crise global a “brancos de olhos azuis”, por ocasião da visita do primeiro-ministro britânico Gordon Brown. Fonte do Palácio do Planalto revelou a coluna do Jornalista Claudio Humberto Rosa e Silva, que assessores de Lula, responsáveis por seus discursos e suas frases de efeito, convenceram-no de passar ao eleitorado - o “povão” - a impressão de que “passou um pito” em um “poderoso” gringo.
A frase de Lula, espécie de racismo às avessas, foi criticada ontem pelos principais jornais europeus, que a consideraram “preconceituosa”.
Não se faz Ministério Público Federal como antigamente: o ataque à “gente branca” enquadra Lula na lei 7.716, de racismo contra raça ou cor.
A frase “essa raça do PT” rendeu processo do ativista Emir Sader ao ex-senador Jorge Bornhausen.
A frase de Lula não estimula o ódio racial?
Vai além do preconceito racial a fala de Lula sobre "gente branca": a ignorância se estende também às vítimas da crise no mundo. Há muitos brancos de olhos azuis entre elas.
O presidente americano Barack Obama, branco, negro e asiático, se elegeu pregando a união multiétnica. Lula, ao contrário, dissemina o racismo “no país de todos”, como prega a propaganda do governo.

Os dois patos e a tartaruga

Relaxe, se aquiete e leia atentamente este conto sobre uma tartaruga que vivia numa enorme lagoa de águas frescas e cristalinas. Quer dizer, até algo muito estranho acontecer! O que poderia ser? Vamos ver se você descobre!
Há muito tempo, a tartaruga morava numa terra distante, onde fazia um calor forte. Durante anos, ela viveu feliz nadando preguiçosamente e tomando sol nas grandes folhas de lírio d'água que cobriam a superfície da lagoa. Às vezes, abocanhava uma libélula, ou tentava capturar um gordo e suculento besouro para comer.
A vida era agradável para a tartaruga... até que, num verão extremamente quente e seco, a chuva parou e o sol brilhou tão ferozmente que a água fresquinha e transparente da lagoa começou a secar. Pouco a pouco, a lagoa diminuía; a cada dia estava mais seca. Um dia, havia tão pouca água que a tartaruga decidiu procurar uma nova casa, antes que a lagoa sumisse de vez. Mas como ela faria isso?
De manhã cedo, quando o sol apareceu no céu, a tartaruga se preparou para buscar ajuda. De repente, ouviu dois patos gritando - qüéim, qüéim, qüéim -, enquanto voavam por cima dela. Sem pensar duas vezes, a tartaruga os chamou:
- Patos! Ei, vocês aí em cima! Por favor, me ajudem! Minha casa está secando. Vocês gentilmente me levariam para outra lagoa cheia de água?
- Mas como podemos fazer isso? - responderam os patos. - Nós estamos voando no céu aberto e você está aí no chão.
No momento em que tudo isso acontecia, a tartaruga tropeçou num galho bem comprido que estava no meio do caminho. E teve uma idéia:
- E se vocês carregassem esse galho entre os seus bicos? - sugeriu. - Assim eu poderia segurar nele com a boca e vocês me carregariam até uma outra lagoa.
- É uma boa solução - concordaram os patos, e aterrissaram perto da tartaruga. - Mas você deve prometer não abrir a boca enquanto a transportamos.
E assim ficou combinado. Os patos colocaram o galho entre os dois bicos, como uma barra, na qual a tartaruga se segurou pela boca. Eles levantaram vôo e carregaram a amiga pelo céu em direção a uma lagoa cheia de águas cristalinas e frescas que brilhava no horizonte.
No caminho, passaram por sobre um campo onde algumas crianças brincavam ruidosamente. Ao ouvirem asas dos patos batendo, as crianças olharam para cima e caíram na gargalhada com a cena estranha.
- Que ridículo! - zombou uma menina. - Dois patos carregando uma tartaruga num galho! Não é uma bobagem?
Hum... a tartaruga fi cou muito zangada com aquilo. A cena poderia mesmo parecer muito esquisita, mas havia uma boa razão para tudo aquilo. Irritada, ela esbravejou com as crianças:
- Vocês é que são estúpidos! Não entendem naaaaaada!
Assim que abriu a boca para falar, a pobre tartaruga soltou o galho e caiu pelo céu ensolarado até estatelar-se na grama.
- Ui! - exclamou ela, esfregando a cabeça dolorida. - Se pelo menos eu não tivesse escutado essas crianças... Agora vou pensar duas vezes antes de responder com raiva a alguém.
Muitas vezes, nos expressamos com raiva, sem refletir sobre o que pode acontecer depois. Uma pessoa sábia pensa antes de falar e, se não pode dizer nada gentil, opta por ficar em silêncio.

Incêndio atinge supermercado do grupo Wal-Mart na zona sul de São Paulo

Um incêndio atinge o supermercado Sam's Club, do grupo Wal-Mart, em Santo Amaro (zona sul de São Paulo), na noite deste sábado.
De acordo com o Corpo de Bombeiros, uma pessoa teve 60% do corpo queimado. Ao menos seis carros da corporação estão no local para apagar as chamas.
Os bombeiros não informaram qual o setor do supermercado, que fica na rua Benedito Fernandes, é atingido pelas chamas.

Deu em água Operação Castelo de Areia

A Justiça Federal concedeu neste sábado seis habeas corpus beneficiando os dez presos pela Polícia Federal durante a Operação Castelo de Areia, deflagrada na última quarta-feira.
Foram beneficiados pela decisão da desembargadora federal Cecília Mello os diretores da Camargo Corrêa Pietro Francesco Giavina Bianchi, Fernando Dias Gomes, Dárcio Brunato e Raggi Badra Neto, as secretárias Darcy Flores Alvarenga e Marisa Berti Iaquinto, e os supostos doleiros José Diney Matos, Jadair Fernandes de Almeida, Kurt Paul Pickel e Maristela Sum Doherty.
Segundo Ministério Público Federal e PF, a Camargo Corrêa é suspeita de remessa ilegal de dólares para o exterior, superfaturamento em obra pública, doação ilegal para partidos políticos e lavagem de dinheiro. A empresa nega as acusações.
Escutas telefônicas apontam que a empreiteira fez doações ilegais a partidos, segundo a polícia. O relatório da PF cita PSDB, DEM, PPS, PSB, PDT, PMDB e PP, que negam caixa dois. A Fiesp é apontada na investigação como intermediária das doações da empresa a políticos. A federação nega.
Beneficiária de empréstimos milionários do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), a empresa é parceira do governo federal em algumas das principais obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e integra consórcios responsáveis pela expansão do metrô e do Rodoanel, em São Paulo, e pela construção do Centro Administrativo de Minas Gerais. Também detém a concessão de serviços públicos em vários Estados, como administração de rodovias, transmissão de energia e limpeza urbana.
Com informações da Folha On line-http://www1.folha.uol.com.br/

ONGs ligadas ao MST receberam 152 milhões do Governo Federal

Um grupo de 43 entidades ligadas ao MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) já recebeu pelo R$ 152 milhões em repasses federais, informa Marta Salomon, em reportagem que será publicada na edição deste domingo da Folha.
Segundo a reportagem, algumas dessas entidades foram criadas depois que os principais braços jurídicos do movimento dos sem-terra se tornaram alvo de investigações do TCU (Tribunal de Contas da União), por supostos desvios de recursos.
Algumas dessas investigações já resultaram no bloqueio dos bens de entidades, como o caso da Anca (Associação Nacional de Cooperação Agrícola), suspeita de repassar ilegalmente recursos federais para o MST e que foi alvo de decisão da 14ª Vara Cível Federal de São Paulo no início deste mês.
A polêmica em torno do assunto voltou à tona depois do presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, chamar de ilegal o repasse verbas públicas para o MST.
Criado em 1984, o MST não tem CNPJ e não pode receber recursos públicos diretamente, o que o levou a criar entidades para isso, como Anca (Associação Nacional de Cooperação Agrícola) e Concrab (Confederação das Cooperativas de Reforma Agrária).

Porque hoje é Sábado: Uma homenagem a uma bela mulher

Elizabeth Taylor, no início e hoje aos 76 anos

Em entrevista, Serra conta detalhes de sua vida e fala de Aécio, banqueiros e leitura

RIO - Em entrevista ao programa "Conexão Roberto D'Ávila", que vai ao ar na TV Brasil domingo, às 20h, José Serra fez essas e outras revelações a respeito de sua infância pobre e do início da carreira política:
INFÂNCIA: "Morava numa vila construída por empresas para operários. Meu pai era vendedor de frutas. Nossa casa tinha um quarto, sala, cozinha e o banheiro do lado de fora. A gente tinha de sair no frio para ir ao banheiro."
BAGUNCEIRO: "Estudei quase a vida toda em escola pública. Eu era estudioso, mas a nota em comportamento vinha sempre em vermelho. Eu fazia barulho na sala de aula".
LEITURA: "Comecei a ler Nelson Rodrigues nos jornais, achava o máximo do erotismo. Lia jornal todos os dias. Depois, vieram os livros. Nossa família não tinha livros em casa, mas ganhei de uma professora "Conto de Natal", de Charles Dickens. Depois, pedi para minha mãe ficar sócia do Clube do Livro. Li toda a obra de Machado de Assis, até as correspondências. Foi como aprendi a escrever, pois não conhecia nada de gramática".
DIVERSÃO: "Eu era bom de matemática. Ficava dividido entre ler e fazer exercícios de matemática para me divertir. Na época, a escolha era entre medicina, direito e engenharia. Medicina não dava, porque eu não podia ver sangue. Direito também não, porque não sabia latim. Escolhei engenharia porque era bom em matemática".
POLÍTICA: "Entrei na política cedo, acompanhava desde criança. Com 10 anos, já era bem politizado, tinha opiniões sobre tudo. E já passava pela minha cabeça fazer política. "Na faculdade, fui um dos líderes da greve que reivindicava uma representação estudantil na direção das universidades. Acabei me destacando e fui para a direção da UEE (União Estadual dos Estudantes). Depois é que fui para a UNE".
ATOR: "Fui diretor do grupo teatral da Poli (Escola Politécnica da USP), de onde saíram profissionais importantes. Fiz uma peça de José Celso, "Vento forte para um papagaio subir".
HIPOCONDRIA: "Tenho fama de hipocondríaco, mas é fama. Tem gente que fala isso e é mais hipocondríaco do que eu. Fernando Henrique, por exemplo. (...) Além da fama de hipocondríaco, tenho outra fama injusta: a de ser centralizador. Eu sou controlador, acompanhador, mas dou liberdade para o pessoal trabalhar".
ESCOLA DE BRASIL: "A UNE foi a minha primeira escola de Brasil. Eu nunca tinha viajado, exceto para uma pensão em Santos, para onde a gente ia três ou quatro vezes por ano".
MINEIROS: "Aprendi a fazer política no Rio, em Pernambuco e em Minas. Em Minas, ajudei a fundar a Ação Popular (grupo político de esquerda). Aprendi a lidar com mineiro, sem procurar fazer graça, desde aquela época. Mineiro é duro de mostrar o que está pensando".
AÉCIO: "Aécio não pensa diferente (é contra a antecipação da campanha). Já fomos a eventos juntos, mas isso não é campanha e nem estou disposto a deixar minha responsabilidade de governador para me envolver em campanha. Ano que vem é outro momento".
ELOGIOS: "Aécio faz excelente governo em Minas. O bom governante tem de saber escolher gente, e Aécio tem esse talento. Ele tem todos os títulos para eventualmente se apresentar como candidato. (...) Tenho certeza de que não ganho de Aécio em matéria de simpatia. Nesse aspecto, ele é imbatível".
MEGALOMANIA: "Tenho um pouco de megalomania no sentido de achar que dá para consertar as coisas no mundo. Eu acredito no poder da razão, o que está fora de moda".
MST: "Acabou virando um movimento político. (...) Tem uma característica quase de partido não declarado. Isso acaba trazendo instabilidade no campo. Quando se politiza, acaba virando instrumento da política".
PERFIL POLÍTICO: "Posso ser tudo, menos conservador em termos de posições políticas".
BANQUEIROS: "Não acho que banqueiros tenham medo de mim. Fala-se isso, mas eu nunca constatei pessoalmente. Não falo especificamente dos banqueiros, mas, em geral, você ter ideias próprias assusta. Defender o interesse geral da sociedade, e não de grupos, às vezes preocupa". Leia mais:http://oglobo.globo.com/pais/

O bronzeado, o cheiro e a xereca peluda

Uma amiga me liga e diz que um determinado Centro de estética, tem “bombado” na prestação de serviços de bronzeamento artificial.
Pergunto, se é o caso da tal máquina, que mais parece um forno.
Ela ri e explica que trata-se de uma aplicação de spray pelo corpo, e que deixa uma cor uniforme e bonita.
Indaguei por que me dizia tal coisa.
Ela, rindo, disse-me que eu estava tão branco que teria que optar entre correr riscos do bronzeado ao sol, ou me submeter ao bronzeado artificial, bom e sem riscos.
Parei para pensar e quase aceitei o desafio. Mas relutei e...não quis.
O que me surpreende, de certa forma, é a capacidade das pessoas em buscarem a beleza pela aparência.
Desde a minha adolescência vejo, principalmente as mulheres, buscarem a beleza exterior às vezes a um alto custo, visto que há estudos que indicam que os tais métodos de embelezamento como cremes, sprays, etc provocam o embelezamento a curto prazo e envelhecimento da pela a longo prazo.
Mas isso, de buscar a beleza pela aparência, vem da antiguidade, e não podemos atribuir a mulher moderna esta espécie de compulsividade.
Na antiguidade já havia “águas de cheiro” e “pós coloridos” para acentuar a beleza das mulheres.
Às francesas, que nunca foram chegadas a um bom banho, foram oferecidas opções de perfumes que, ao longo do tempo, tornaram-se famosos e caros.
Aliás, a mulher européia, em razão do clima raras vezes quente, sempre foi adepta do uso de essências perfumadas.
Dizem até, alguns historiadores, que o ato dos serviçais de abanar seus senhores não seria apenas para lhes proporcionar conforto em razão da alta temperatura mas, sobretudo, para minimizar o odor que exalavam dos corpos raras vezes banhado pela forma mais tradicional: Com água.
Conversei com minha amiga sobre este assunto. Ela riu e disse-me que os centros de estética são, em geral, lugares “maravilhosos” onde se pode entrar cabisbaixo e sair com alto astral, tendo uma aparência “linda e maravilhosa”, segundo ela.
E ainda acrescentou: Lá freqüentam mulheres e homens também, que se cuidam através de massagens e depilações.
Achei engraçado, homem se depilando?
-É sim, respondeu ela, tem homem fazendo tratamento de beleza como mulher faz. São os belos metrossexuais, que se cuidam e valorizam suas aparências.
-E se depilam mesmo? Perguntei.
-Claro, Mario Jorge, muitos até, como fazem as mulheres, depilam-se por completo.
-Puxa, macho depilado, é o fim do mundo!
Com essa exclamação, e diante de tal informação, pasmem, fiquei sem palavras.
Mas num ímpeto de quem quer encerrar a conversa, falei:
-Com essa eu desligo viu! Mulher ainda admito alguma coisa depilada, mas não tudo, afinal, logo eu que gosto de xereca peluda, como poderia achar isso, digamos,normal?
Ambos rimos e antes de desligarmos os telefones eu comentei:
-Cá pros meus botões, como diriam os Portugueses, acho que xereca pelada é de bebê, e eu não sou pedófilo.
Rimos de novo, e nos despedimos com o velho e maravilhoso desejo de um final de semana feliz.

sexta-feira, 27 de março de 2009

Xuxa diz que tem orgasmos múltiplos

Xuxa falou, em entrevista ao "Altas Horas", ontem, em SP, que tem orgasmos múltiplos e dorme sem calcinha. Ela também reafirmou que viu um duende. E contou detalhes. Disse que uma vez tinha um debaixo de sua cama, puxando o edredom. Ivete Sangalo gravou o programa de Serginho Groisman com Xuxa. A cantora negou que esteja grávida. Vai ao ar neste sábado, na Globo. (Colaborou Miguel Arcanjo Prado)

Justiça concede habeas a dona da DASLU

O desembargador Luis Stefanini, do TRF (Tribunal Regional Federal), acatou nesta sexta-feira o pedido de habeas corpus de soltura de Eliana Tranchesi, dona da Daslu. Ela está presa desde ontem após receber, em primeira instância, a condenação máxima de 94,5 anos por crimes de sonegação fiscal em importações fraudulentas.
Junto ao habeas corpus, a advogada Joyce Roysen entregou laudo médico que aponta que a empresária já sofre com a metástase do câncer pulmonar que enfrenta e que demanda "cuidados médicos diários".
Logo depois de ter sido presa, Eliana Tranchesi foi levada para o IML (Instituto Médico Legal) e examinada por um médico. Em seguida foi levada para a Penitenciária Feminina da Capital, no Carandiru (zona norte de São Paulo). Segundo a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), justamente por conta do estado de saúde considerado delicado, Tranchesi está na enfermaria do local.
Além do habeas corpus, a defesa da empresária pediu a reconsideração da sentença da juíza Maria Isabel do Prado, da 2ª Vara da Justiça Federal, em Guarulhos (Grande SP),que deu pena máxima aos réus.
Também foram presos Antonio Carlos Piva de Albuquerque, irmão de Eliana e ex-diretor da butique de luxo, condenado a 94,5 anos, e Celso de Lima, da importadora Multimport, condenado a 53 anos. Eles estão no Centro de Detenção Provisória em Pinheiros.
Ao todo são sete mandados de prisão expedidos --Roberto Fakhouri Junior (da importadora Kinsberg) está no exterior, enquanto André Beukers (Kinsberg), Rodrigo Nardy Figueiredo (Todos os Santos) e Christian Polo (By Brasil). Todos já são considerados foragidos.
Os sete foram acusados de formação de quadrilha, falsidade ideológica e descaminho tentado e consumado --importar ou exportar mercadoria lícita sem os devidos pagamentos de impostos.
A Justiça considerou o grupo "uma quadrilha que cometeu crimes financeiros de forma habitual e recorrente, mesmo após a denúncia do Ministério Público Federal" --o grupo foi desmontado em 2005, após operação da Polícia Federal e Receita. Apesar da condenação, no Brasil, ninguém pode permanecer preso por mais de 30 anos.
Sentença
Nas 500 páginas da sentença, a juíza destacou que houve "ganância" e que Tranchesi "demonstrou ter personalidade integralmente voltada para o crime".
A defesa, por sua vez, alegou que a prisão não poderia ter sido decretada porque a decisão da 2ª vara é de primeira instância e ainda cabe recurso.
De acordo com o procurador Matheus Baraldi Magnani, do Ministério Público Federal, porém, a designação de organização criminosa faz com que os réus percam o direito de recorrer em liberdade, o que aconteceria no caso dos crimes cometidos pelo grupo. Além disso, Magnani citou o fato de os crimes continuarem sendo cometidos em outros locais, mesmo após descobertos.
Por causa dessas operações fraudulentas, a Daslu já foi autuada pela Receita Federal e a Secretaria da Fazenda paulista em R$ 1 bilhão. A loja negocia os valores das dívidas, mas informa que paga parcelas.

Marolinha na Ford

Ford anuncia plano de demissão voluntária no Brasil após queda nas exportações
A Ford anunciou nesta sexta-feira um plano de demissão voluntária em seus três complexos fabris instalados no Brasil: o de Camaçari (BA), o de São Bernardo do Campo (região metropoliatana de São Paulo) e o de Taubaté (SP). O motivo apontado foi a queda nas vendas ao exterior.O objetivo é "ajustar o seu efetivo aos níveis de produção atuais, relacionados principalmente à redução significativa nos volumes de exportação", afirmou a empresa em comunicado.

Projeto habitacional de Lula

Charge de Sponhol

Empresa da Camargo bancou o PT-SP

A Camargo Corrêa Equipamentos e Sistemas, que já foi subsidiária da empreiteira investigada na Operação Castelo de Areia, da Polícia Federal, só financiou candidatos do PT de São Paulo, segundo prestação contas à Justiça Eleitoral. Foram doados R$ 49 mil a Arlindo Chinaglia, R$ 44 mil a José Eduardo Cardozo e R$ 43 mil a Cândido Vacarezza. Receberam R$ 42 mil Devanir Ribeiro, Carlos Zaratini e Vicentinho.

Senado investiga doações da Camargo

O corregedor do Senado Federal, Romeu Tuma (PTB-SP), afirmou hoje (26) que investigará as denúncias de doações ilegais feitas pela construtora Camargo Corrêa a partidos políticos. As acusações vieram a público com a Operação Castelo de Areia, da Polícia Federal. Tuma disse ter conversado com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), sobre a investigação e ter o seu aval. O senador pretende pedir à Polícia Federal e ao Ministério Público informações sobre o envolvimento de supostos parlamentares no caso. O corregedor disse que fará os pedidos até segunda (30). Ele afirmou que, caso encontre algum indício de irregularidade contra qualquer senador, encaminhará as denúncias ao Conselho de Ética.

Lobão pede que seu Ministério informe ligações com a Camargo Correa

O ministro Edison Lobão (Minas e Energia) determinou que todos os órgãos ligados à sua pasta, que mantêm vínculos com a construtora Camargo Corrêa, se manifestem e prestem esclarecimentos públicos sobre as denúncias de suposto crime financeiro. A Operação Castelo de Areia, da Polícia Federal, desarticulou uma quadrilha especializada em crimes financeiros e lavagem de dinheiro, envolvendo funcionários e diretores da construtora. Nas investigações, a Camargo Corrêa aparece como uma das empresas que mantêm contratos com a Petrobras - ligada ao Ministério de Minas e Energia. O ministro, no entanto, negou ter detalhes sobre tais ligações entre esses órgãos e a construtora.

Ativistas protestam peladas

Ativistas protestaram peladas nesta sexta-feira (27) pelas ruas de Seul, na Coreia do Sul, contra o uso de roupas feitas com peles de animais. “Prefiro andar pelada que usar pele de animal”, diz uma das faixas empunhadas pela canadense Ashley Fruno, a americana Shawn McRae e a sul-coreana Park Ki-Hyun. Em outro cartaz, lê-se a mensagem, “dê as costas para as peles de animais”. Elas são ligadas ao Peta, organização internacional que luta pelo tratamento ético de animais. O protesto durou cerca de 20 minutos, em frente ao local que abriga um evento de moda na cidade.

Imprensa destaca a frase de Lula sobre 'brancos de olhos azuis'

A frase do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a crise financeira ter sido provocada por "gente branca de olhos azuis" provocou perplexidade entre os britânicos. A declaração foi destacada pela imprensa do país por ter sido feita durante a entrevista coletiva de Lula ao lado do premiê britânico Gordon Brown. De acordo com a maioria dos grandes jornais britânicos, Brown ficou claramente "constrangido" com a frase do brasileiro. O tabloide Daily Mirror usou outro termo ao relatar a declaração de Lula: "bizarra".
"As declarações de Lula ameaçaram ofuscar o anúncio da proposta de uma injeção de 100 bilhões de libras de financiamento para impulsionar o comércio mundial", diz reportagem publicada nesa sexta-feira pelo jornal The Times. "Os esforços de Gordon Brown para amaciar o caminho para um acordo internacional na reunião do G20, em Londres, encontraram um 'quebra-molas' no Brasil", completou o diário, ainda em referência à frase. Já o Financial Times destacou o fato de que o premiê Brown tentou se distanciar das delcarações de Lula.
Conforme o The Guardian, os comentários de Lula "animaram a viagem de cinco dias de Gordon Brown pelas Américas do Sul e do Norte". "Enquanto eles esperavam na entrada formal do palácio presidencial, Brown teve que assistir enquanto o combativo ex-líder sindical embarcou em uma de suas conhecidas tiradas", relatou o diário. O Independent também diz que o premiê ficou "constrangido" ao ouvir a fala de Lula, mas afirmou que os comentários foram mais para "consumo doméstico" do que qualquer outra coisa.
Na entrevista de quinta, Lula afirmou que a crise financeira internacional foi causada e fomentada por "gente branca, de olhos azuis", em referência a especuladores estrangeiros, de países do primeiro mundo. Depois, rebateu afirmações de que tinha sido preconceituoso ao fazer aquela avaliação. "Não existe questão ideológica. Existe um fato: mais uma vez percebe-se que a maior parte dos pobres que sequer participava da globalização estava sendo uma das primeiras vítimas da crise. O preconceito é contra os imigrantes nos países desenvolvidos."

Incendio,em São Paulo, deixa pelo menos cinco ficam feridos

São Paulo - O incêndio que atingiu na manhã de hoje uma fábrica de produtos químicos em Diadema, no Grande ABC, deixou pelo menos cinco feridos, segundo informações do Corpo de Bombeiros. Não há informações sobre para quais hospitais as vítimas foram levadas. Cerca de 19 equipes dos bombeiros da cidade, com apoio das equipes de São Paulo, tentam controlar o fogo, que começou por volta das 7h15.
As labaredas atingiram a fiação elétrica e um produto químico se espalhou pelas ruas e pelos bueiros, fazendo com que o fogo também se espalhasse pelas ruas no entorno. Várias explosões ocorreram no local e alguns imóveis vizinhos e casas das ruas no entorno já foram atingidos pelo fogo.

Marolinha do Lula:Migração dos planos de saúde para o sus

São Paulo - A elite paulistana migrou dos planos de saúde para os hospitais públicos, em busca da alta complexidade muitas vezes disponível só na medicina gratuita. Pesquisa Ibope feita durante o mês de janeiro - encomendada pela Secretaria de Estado da Saúde - avaliou 1.600 pacientes (usuários de 34 unidades estaduais) e identificou que um em cada cinco deles é de famílias classes A e B, ou seja, tem renda mensal superior a R$ 7 mil.
“O levantamento mostrou que o Sistema Único de Saúde (SUS) está atraindo um novo perfil de pacientes, um público extremamente exigente. Provável reflexo da crise econômica, que tem levado as pessoas a reduzirem os gastos com planos de saúde, o fenômeno pode ser extremamente positivo para o sistema, já que nos leva a aprimora mais os serviços”, avalia Nilson Paschoa, secretário interino de Estado da Saúde.
José Luiz Gomes do Amaral, presidente da Associação Médica Brasileira, acredita que o índice de 21% encontrado na pesquisa evidencia a característica desta parcela da população. “A classe média atual perdeu o status de conseguir financiar questões fundamentais como saúde e educação”, diz. “Isso faz com que o SUS precise estar preparado para um público que pressiona e exige qualidade.”
As informações são do Jornal da Tarde.

Se e quando funcionar, plano de habitação de Lula é igual ao de SP

O secretário estadual de Habitação de São Paulo, Lair Alberto Soares Krähenbühl, afirma que o pacote habitacional do governo federal está baseado nos mesmos princípios que o programa estadual para o setor, mas destaca que o plano tem qualidade e inovações e diz que São Paulo vai reivindicar participação direta dos Estados.Segundo Krähenbühl, São Paulo e outros Estados vão reivindicar que os governos estaduais recebam diretamente recursos para acelerar as construções. Ele afirma que, com a verba, São Paulo tem condições de começar imediatamente a construção de 20 mil casas populares.Entre as semelhanças entre o pacote federal e o plano estadual está o registro da casa no nome das mulheres. A medida é adotada para evitar que os companheiros se desfaçam da propriedade quando o casal se separa.Krähenbühl diz que o incentivo para usar aquecedor solar, a proteção contra inadimplência e a redução de taxas de registro do imóvel são medidas já adotadas, assim como o subsídio. "Na CDHU, as pessoas pagam 15% da renda. Não tem nada a ver com o valor do imóvel. O governo federal fez parecido."Krähenbühl afirma que, apesar do modelo semelhante, o governo federal avançou no subsídio. "Está melhor porque haverá subsídio pleno. O pacote tem qualidades, estamos aqui para apoiá-lo, mas há aperfeiçoamentos que devem ocorrer, e queremos participar do processo."Ele também cita o sistema proposto de cobrança dos tributos federais, que criará uma espécie de Simples da Construção, como um dos pontos positivos do pacote.

quinta-feira, 26 de março de 2009

O pseudo-mega projeto habitacional de Lula


Charge de Sponhol

Crise é culpa de 'gente branca e de olhos azuis', diz Lula

Ao lado do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou, nesta quinta-feira, os países ricos pela crise. Ele defendeu a reforma de organismos multilaterais e disse que os problemas financeiros mundiais foram causados por "gente branca de olhos azuis".
- A crise foi causada por comportamentos irracionais de gente branca de olhos azuis, que antes pareciam saber de tudo, e, agora, demonstram não saber de nada - disse Lula.
Comento:É incrível como um homem que preside um país e quer ser encarado como estadista, pode emitir um conceito tão discriminatório e sem respaldo algum. Melhor seria ficar calado, ou limitar-se a fazer como fez e sempre faz, atribuindo a culpa aos países desenvolvidos. Acho que Gordon Brown já sabia, mas com essa, deve ter atentado para a "coisa" que estava a seu lado.

Protógenes, depois das mancadas, está com medo!!!

O delegado Protógenes Queiroz ainda não foi intimado pela CPI do Grampo da Câmara dos Deputados para voltar a depor ali no início de abril.
Mas seus advogados preparam desde já um habeas corpus preventivo a ser impetrado no Supremo Tribunal Federal.
Com ele, pretendem livrar Protógenes do risco de ser preso caso diga alguma coisa ou tenha alguma atitude considerada ofensiva pela CPI. E garantir seu direito de não responder a perguntas que possam incriminá-lo.
Até os próprios advogados de Protógenes têm dificuldade de localizá-lo quando precisam. Protógenes não usa mais celulares. Se quer falar com alguém, se vale de orelhões. Tem medo de ser grampeado. Segue disposto a revelar fatos novos quando for ouvido na CPI - mas ainda não é certo que o faça.
Além dele e do banqueiro Daniel Dantas, a CPI quer interrogar novamente o delegado Paulo Lacerda, ex-diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência. Lacerda deu toda a cobertura a Protógenes para que ele investigasse Dantas e sua turma.
Ocorre que Lacerda está de mudança para Portugal, onde será adido da embaixada do Brasil. A mudança começou a ser apressada nos últimos dias para evitar que ele ainda esteja no Brasil quando a CPI decidir intimá-lo.
Lacerda quer escapar de responder à inevitável pergunta sobre se foi "a presidência da República" quem encomendou a Operação Satiagraha, como revelou Protógernes um dia desses.
Em conversa com amigos, Protógenes insiste em repetir que ouviu de Lacerda que "a presidência da República" estava interessava na operação. E Protógenes diz que mais gente na Polícia Federal sabia disso.

Apenas, uma declaração???

"Há recibo de tudo o que recebemos. Não temos caixa dois. Esse é um problema que há no PT e no governo. O partido não recebeu qualquer dinheiro da Camargo Corrêa e não temos relação com isso.”
Roberto Freire, presidente do PPS

Quando a descortesia é acintosa

Brasília, 25 de março de 2009. Vemos na foto, Emília Fernandes, ex-ministra das Mulheres, ex-senadora e atualmente deputada pelo Rio Grande do Sul em solenidade no Palácio do Itamaraty.
É Impressionante como uma simples fotografia possibilita a análise dos costumes da sociedade e de uma época. É o caso dessa aí, feita pelo Jornalista e Fotógrafo Orlando Brito, na manhã de ontem em uma cerimônia à qual compareceram em torno de mil convidados. Mostra que a Secretaria Especial de Política para as Mulheres realmente enfrenta problemas. O primeiro deles é a descortesia. É só reparar na falta de cavalheirismo vista durante o evento. Emília Fernandes, uma das poucas mulheres presentes, ficou em pé quase duas horas, enquanto nenhum dos marmanjos confortavelmente assentados teve a elegância de ceder-lhe a cadeira.

Camargo é a ‘doadora-mãe’ de campanhas

A empreiteira Camargo Corrêa, alvo da Operação Castelo de Areia, da Polícia Federal, foi a “doadora-mãe” da campanha de 2006, financiando candidatos de todos os partidos. A construtora gastou perto de R$ 7,3 milhões em doações para figuras ilustres do PSDB (R$ 1,7 milhão para 25 candidatos), PFL (R$ 1,5 milhão, treze campanhas). PT e PMDB (R$ R$ 1,3 milhão cada) para 14 e 16 candidatos, respectivamente.
A Camargo Corrêa ajudou a eleger uma bancada e tanto: 46 deputados federais, 26 estaduais e o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE).
Alguns petistas receberam doações da empreiteira: Arlindo Chinaglia (R$ 120 mil), Janete Pietá (R$ 250 mil) e Cândido Vacarezza (R$ 43 mil).
O ex-ministro da Educação de FHC Paulo Renato Souza (PSDB) recebeu R$ 100 mil da Camargo Corrêa para sua última campanha.

"Ele não está tão a fim de você"

"Ele não está tão a fim de você" (He's Just Not That Into You), é uma bela comédia que estreia nesta sexta (27) nos cinemas.
No elenco estão a linda Drew Barrymore, Jennifer Aniston, Ben Affleck, Jennifer Connely e Scarlett Johansson.
No filme, a romântica incorrigível Gigi sai com Conor, que simplesmente não telefona no dia seguinte. Quando ela vai à casa do bonitão, conhece Alex, colega de quarto de Conor, que se empenha em mostrar a verdade para Gigi numa viagem ao complicado mundo da mente dos homens. Para complicar, Conor está namorando uma cantora chamada Anna, que gosta mais de Ben, que é casado com Janine, que trabalha com Gigi!
Parece complicado? É, mas é divertido e uma boa opção para o final de semana.

Dona da Daslu pega pena total de 94 anos e meio de prisão

A juíza Maria Isabel do Prado, da 2ª Vara da Justiça Federal, em Guarulhos (Grande SP), por entender que a butique Daslu e importadores ligados à empresa faziam parte de uma organização criminosa, determinou em sentença condenatória pena total de 94 anos e 6 meses de prisão, por crimes como formação de quadrilha, descaminho (importação fraudulenta de produto lícito) e falsidade ideológica a Eliana Tranchesi, dona da loja.
A condenação é em primeira instância e cabe recurso. No total, sete pessoas foram condenadas à prisão pela Justiça Federal envolvidas com irregularidades na Daslu. As informações sobre a sentença foram divulgadas pelo Ministério Público Federal.O irmão de Eliana e ex-diretor financeiro da loja Antonio Carlos Piva de Albuquerque também pegou um total de 94 anos e 6 meses de prisão na sentença. No Brasil, o réu só pode cumprir no máximo 30 anos de prisão, de acordo com a legislação.Eliana Tranchesi, seu irmão e o empresário Celso de Lima, da importadora Multimport, foram presos na manhã de hoje pela Polícia Federal, em cumprimento da sentença da Justiça Federal. As outras quatro pessoas condenadas no mesmo caso são André de Moura Beukers, da importadora Kinsberg, Christian Polo, da importadora By Brasil, Roberto Fakhouri Júnior e Rodrigo Nardy Figueiredo (ambos da importadora Todos os Santos). Também foram expedidos mandados de prisão contra eles.Eliana Tranchesi foi condenada pelos crimes de formação de quadrilha, descaminho consumado (pegou seis condenações por esse crime, pela quantidade de vezes que o mesmo foi cometido), crime de descaminho tentado (três vezes) e crime de falsidade ideológica (nove vezes).Antonio Carlos Piva de Albuquerque foi condenado pelos mesmos crimes que ela, cometidos a mesma quantidade de vezes, segundo a sentença.
A condenação a Celso de Lima (53 anos de prisão, no total) foi pelos crimes de formação de quadrilha, descaminho (três vezes), descaminho tentado (duas vezes) e falsidade ideológica (cinco vezes). André de Moura Beukers (25 anos de prisão, no total), da importadora Kinsberg, foi condenado por formação de quadrilha, descaminho consumado (duas vezes) e falsidade ideológica (duas vezes).Contra Christian Polo (14 anos, no total), da importadora By Brasil, a condenação é por formação de quadrilha, descaminho consumado e falsidade ideológica.Roberto Fakhouri Júnior, da importadora Todos os Santos, cometeu, de acordo com a sentença condenatória, os crimes de formação de quadrilha, descaminho tentado e falsidade ideológica. Pelos mesmo crimes foi condenado Rodrigo Nardy Figueiredo, da mesma importadora. Fakhouri e Figueiredo pegaram, cada, 11 anos e 6 meses de prisão, de acordo com a sentença.Fakhouri, segundo o Ministério Público Federal, está no exterior, e os outros três condenados ainda não foram localizados, mas não podem ser considerados foragidos.A condenação do grupo foi pedida em abril de 2008 pelo Ministério Público Federal, por sonegação fiscal (descaminho), formação de quadrilha e falsificação de documentos, depois da conclusão das investigações da Operação Narciso, deflagrada em 2005.Em março do ano passado, o Superior Tribunal de Justiça já havia negado pedido da defesa da Daslu que alegava que não existia organização criminosa.
A advogada de Eliana Tranchesi, Joyce Roysen, marcou uma entrevista coletiva para a tarde desta quinta-feira em São Paulo.Em um bilhete divulgado pela assessoria de imprensa da Daslu, repassado por Eliana Tranchesi à advogada, ela afirma que sua vida foi "revirada" e nega ser um "perigo para a sociedade".
Segundo reportagem da Folha Online, a defesa da empresária entregará à Justiça um laudo médico sobre a gravidade do estado de saúde de Eliana Tranchesi, na tentativa de obter um habeas corpus. Tranchesi está sob tratamento de quimioterapia para combater um câncer.
Comento: Evidentemente que uma pena de 94,5 anos, para este caso, demandará o competente recurso e, com a recente decisão do STF, a condenada estará livre em breve tempo e só poderá ser presa com condenação definitiva. Parece-nos que, a princípio, a Justiça fez a sua parte, mas ainda falta muito para que se faça, concretamente, Justiça.
Com informações:http://noticias.uol.com.br/

A construtora Camargo Correa recebeu 129 milhões do "PAC"

A construtora Camargo Corrêa, alvo da operação Castelo de Areia, deflagrada ontem pela Polícia Federal para investigar crimes financeiros, recebeu do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) cerca de R$ 129,5 milhões nos últimos três anos. O valor coloca a construtora em 15º lugar na lista das 20 empresas mais bem contempladas com a prestação de serviços à União, por meio de obras e projetos do PAC. No total, essas empresas receberam R$ 5,5 bilhões para tocar obras do programa desde 2007 (veja a lista). O levantamento não inclui obras pagas com recursos de empresas estatais, estados e prefeituras.
Só no ano passado, a construtora do Grupo Camargo Corrêa recebeu R$ 102,7 milhões para executar obras do PAC, enquanto em 2007 recebeu apenas 20% desse valor por projetos do programa. Dentre as obras mais importantes tocadas pela empresa está a participação na construção da Ferrovia Norte-Sul, no estado de Goiás, em especial no trecho Anápolis-Uruaçu. Em 2008, por essa obra, a Camargo Corrêa recebeu R$ 44,1 milhões do Ministério dos Transportes. No ano anterior, R$ 20,6 milhões foram pagos à empresa por meio de obras do PAC, dos quais 98% eram relacionados à ferrovia. Já este ano, até o último dia 17, mais R$ 5,8 milhões foram pagos por serviços prestados nesta mesma obra.A Ferrovia Norte-Sul deverá possuir extensão total de 2,2 mil quilômetros, cortando os estados de Goiás, Maranhão, Pará e Tocantins. O projeto tem R$ 1,7 bilhão previsto no orçamento 2009. Nos últimos dois anos, período de existência do PAC, a União desembolsou R$ 1,2 bilhão dos recursos do pacote econômico com a ferrovia, que deverá ser entregue em 2011. Até lá, a previsão de investimentos é de R$ 6,8 bilhões com a obra, tocada quase que integralmente pela Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A., empresa pública vinculada ao Ministério dos Transportes.Parte da implantação do perímetro de irrigação Platôs de Guadalupe, no estado do Piauí, também é tocada pela Camargo Corrêa. Pouco mais de R$ 4,9 milhões foram pagos por essa obra no ano de 2008. Outra grande obra sob responsabilidade do grupo é a construção do edifício-sede do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília. No ano passado, R$ 7,8 milhões foram pagos à Camargo Corrêa por esta obra, que não está incluída no programa de aceleração do governo federal. O edifício está orçado em aproximadamente R$ 500 milhões e a conclusão das obras está prevista para 2012.

PF prende dona da Daslu e mais 2 envolvidos em esquema de sonegação

A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira, além da dona da Daslu, Eliana Tranchesi, outras duas pessoas acusadas de descaminho e sonegação fiscal: Antonio Carlos Piva de Albuquerque, irmão de Eliana, e Celso de Lima, da importadora Multimport. As prisões foram realizadas em cumprimento de sentença judicial condenatória da 2ª Vara da Justiça Federal, em Guarulhos (Grande SP).
Segundo informou um oficial de Justiça ao todo são sete mandados de prisão expedidos, mas apenas três foram efetuados até as 10h30. O Ministério Público Federal pediu a condenação do grupo em abril do ano passado, após a conclusão das investigações da operação Narciso, deflagrada em 2005.
Por meio de nota, a defesa da empresária informou que deve entrar ainda nesta quinta-feira com um pedido de habeas corpus. De acordo com a advogada da Daslu, Joyce Roysen, a defesa ainda procura ter acesso à sentença.
"Estamos certos de que Eliana Tranchesi terá sua liberdade imediatamente devolvida pelo Poder Judiciário", disse Roysen, por meio de nota.
A Polícia Federal confirmou os nomes de outros dois acusados, donos de importadoras envolvidas no esquema, mas que ainda não foram presos: André Beukers (Kinsberg) e Roberto Fakhouri Junior (Todos os Santos).
O IML (Instituto Médico Legal) confirmou que Tranchesi fez exame de corpo de delito na manhã desta quinta-feira. Depois disso, ela foi conduzida ao Carandiru, para um presídio feminino na zona norte da capital paulista.
Entenda o caso de fraude e sonegação na Daslu segundo o Jornal Folha de São Paulo.

Polícia investiga morte de bebê de 2 meses no Acre

Criança teve traumatismo craniano, fraturas e hematomas.Suspeito de agredir a filha, pai nega o crime.
A polícia investiga a morte de uma menina de 2 meses em Rio Branco. A criança morreu na terça-feira (24), depois de ficar dois dias internada na UTI de um hospital. Segundo a polícia, a agressão ocorreu no sábado (21). A criança teve traumatismo craniano, múltiplas fraturas e foi mordida em várias regiões do corpo. Médicos disseram que ficaram chocados com o estado da menina, que foi levada pela família ao hospital. O pai, suspeito da agressão, está preso e nega o crime. A mãe da menina também nega que o pai tenha agredido a filha e afirma que a criança se machucou ao cair da cama.

PF apreende cocaína diluída em produtos de beleza

Uma mulher de 48 anos foi presa com cocaína no aeroporto de Fortaleza, nesta quarta-feira. Ela tentava embarcar para Moçambique, na África. A droga estava diluída em produtos de beleza, como sabonetes líquidos, espumas de banho e xampu. Os policiais federais desconfiaram e decidiram fazer um teste de laboratório. O resultado deu positivo para cocaína. Ao todo, havia 11 quilos de produto misturado com a droga. A mulher foi presa em flagrante e vai responder por tráfico internacional de drogas.

quarta-feira, 25 de março de 2009

Video da Quinta-Feira:Perhaps Love

John Denver & Placido Domingo

Investigações apontam que Camargo Corrêa fez doações ilegais a sete partidos

As investigações da Operação Castelo de Areia, deflagrada nesta quarta-feira pela Polícia Federal, menciona sete partidos políticos que podem ter recebido doações ilegais da empreiteira Camargo Corrêa nas eleições de 2008.
A polícia gravou legalmente a conversa do diretor da Camargo Corrêa, Pietro Francisco Brunato Giavina Bianchi, com assessores e funcionários de alto escalão da empresa. Nos diálogos, eles tratam da distribuição de dinheiro a diversos partidos políticos nas eleições do ano passado.
São mencionados o PSDB, PS, PPS, PSB, PDT, DEM, PP e o PMDB do Pará, que, de acordo com a investigação, teria recebido R$ 300 mil. Os valores supostamente recebidos pelos demais partidos não foram mencionados. O PS ainda não tem registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
De acordo com o texto, a entrega desse dinheiro foi intermediada "direta ou indiretamente" pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).
"Os diálogos monitorados revelam em princípio tratativas e possíveis entregas de numerários supostamente a políticos e a partidos políticos oriundos, em tese, da empresa Camargo Corrêa, com a suposta intermediação da Fiesp", diz o texto.
Além das doações a partidos políticos, a operação investiga a remessa de dinheiro ilegal do Brasil para o exterior feita por meio de diretores da empreiteira e doleiros que atuam no Brasil e no exterior. Eles teriam criado um sofisticado sistema, que inclui operações de câmbio e transferências bancárias responsáveis pela evasão de, pelo menos, R$ 20 milhões.
O DEM, o PPS e o PSDB negaram nesta quarta-feira envolvimento no suposto esquema que repassou contribuições irregulares da construtora Camargo Corrêa para partidos políticos.
"A Direção Nacional do PPS esclarece que não recebeu nenhuma doação da construtora Camargo Corrêa e repudia o uso político da Polícia Federal pelo governo Lula para tentar atingir os partidos de oposição", afirma o PPS em nota oficial.
Já o DEM se manifestou por meio do líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), que também justificou a doação de R$ 300 mil recebida pelo partido da construtora Camargo Corrêa no ano passado nas eleições municipais.
Ele apresentou recibo que comprova a doação ao partido --encaminhada para o diretório regional do DEM no Rio Grande do Norte, sem qualquer ligação pessoal com o seu nome.
"Eu sou presidente do diretório regional, a doação foi para o partido. O dinheiro foi depositado na conta do partido em Natal. É evidente que esses recursos foram declarados ao TRE [Tribunal Regional Eleitoral]. Se tem alguém manchado, não sou eu", disse.
O PSDB também se justificou por meio de nota oficial. "Em diversas campanhas eleitorais, o PSDB recebeu doações da empresa Camargo Corrêa. Todas dentro do que determina a lei e declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral, conforme prestações de contas que estão disponíveis inclusive na internet", diz o texto. "O PSDB desconhece que qualquer empresa ou doador tenha atuado fora dos limites legais e condena tal procedimento."
Os demais partidos não se manifestaram, segundo o Jornal Folha de São Paulo.
Leia mais em:http://www1.folha.uol.com.br/

Brasileiro poderá comprar imóvel de R$ 500 mil com FGTS

O Conselho Monetário Nacional (CMN) colocou em pauta nesta quinta-feira, 26 a aprovação da ampliação do teto dos imóveis financiados pelo FGTS. O valor deve ser elevado de R$ 350 mil para R$ 500 mil.
De acordo com o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, a medida não foi incluída no plano de habitação, anunciado nesta quarta-feira, 25, por não se tratar de habitação popular.
A entrada dos imóveis financiados pelo Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) cairá de 20% para 10%. Nos imóveis financiados com recursos do FGTS, a entrada cairá de 10% para zero.
Enquadram nessa categoria as moradias avaliadas em até R$ 130.000,00 (se estiverem nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro ou Distrito Federal), R$ 100.00,00 (nos municípios de até 500.000 habitantes) ou R$ 80.000,00 (nas demais regiões).
( Com informações do Jornal O Estado de São Paulo )

Com a alegria de sempre

As comemorações do aniversário de Hebe Camargo se prolonga, desta feita nos parques do Magic Kindoon, em Orlando.Com pique incansável, Hebe deu trabalho. Foi difícil acompanhá-la durante o dia nos parques, depois das festas que aconteciam à noite. A explicação estava em cada gargalhada: ''Voltei a ter cinco anos. Se soubesse que fazer 80 era tão bom, teria feito antes!'', repetia a apresentadora na saída das atrações.Carrossel, voo no Dumbo, tiro ao alvo com os personagens de Toy Story, show de habilidades em carros cenográficos e ela levava o grupo para todos os cantos em busca de novas emoções. Mas Hebe não encarou apenas os brinquedos leves, não. Logo na primeira manhã em Orlando, quarta (18), os amigos deram a largada às 10h30 no assustador The Twilight Zone Tower of Terror, do Disney's Hollywood Studios, um elevador de 13 andares, todo escuro, que despenca repentinamente, volta a subir e despenca de novo. Na saída, a adrenalina estava a mil: ''Maravilhoso, dá um pouquinho de medo, mas é bárbaro! A gente tem a impressão de que vai ser muito violento, mas é gostoso, não?'', perguntava Hebe, muito empolgada.Difícil mesmo era andar pelas avenidas sem ter de parar a cada passo. Dezenas de fãs a reconheciam e os pedidos de fotos a todo momento eram inevitáveis. O assédio era tanto que até quem nunca tinha ouvido falar em Hebe Camargo acabava cumprimentando-a. A equipe de produção de seu programa no SBT aproveitou para gravar um especial no lugar (previsto para ir ao ar no dia 30). Entre um brinquedo e outro, muita cerveja gelada. Na hora da fome, cachorro-quente, batata frita, hambúrguer ou pizza!No Universal, parque que fica fora do complexo Disney e que Hebe visitou na quinta (19), ela assitiu a Shrek em quatro dimensões e encarou o Revenge of the Mummy, atração em que, a bordo de um carrinho em alta velocidade num ambiente escuro, você enfrenta bolas de fogo, enxames de escaravelhos e múmias guerreiras. Trégua mesmo só no fim da tarde, hora de voltar para o hotel, tomar um banho e seguir para a maratona de festas.Além de muita brincadeira, a viagem teve também homenagens. Hebe recebeu convite de honra para abrir a parada do Magic Kingdom (veja reportagem na página 60) e se emocionou em jantar com a presença do casal mais fofo da Disney, Mickey e Minnie. Um presente para qualquer idade. ''Parece que estou sonhando. Jamais vou esquecer esses momentos. Não preciso de foto, de nada, porque sempre vou ter essas imagens no meu coração'', dizia a aniversariante, no fim da viagem. Antes de voltar ao Brasil, o grupo recebeu lembrancinhas da empresária Fabiana Trench e da empresa Rei do Mate.

Dívida pública chega a R$ 1,3 trilhão em fevereiro


O Tesouro Nacional divulgou nesta terça-feira os números de fevereiro das dívidas públicas brasileiras. Em termos nominais, a Dívida Pública Federal avançou 2,13% ante janeiro, chegando a 1,38 trilhão de reais. Já a Dívida Pública Monetária Federal interna, em títulos, cresceu 2,15% passou a 1,247 trilhão de reais no mesmo período. O saldo da Dívida Pública Federal Externa fechou o mês em 133,6 bilhões de reais, o que representa um crescimento de 1,87%.

Senado ainda não exonerou nenhum dos diretores

Uma semana depois de anunciar a redução pela metade dos 181 cargos de diretores, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), não exonerou ninguém até agora. Nem mesmo os 50 diretores que tiveram seus nomes divulgados na última sexta-feira foram afastados. A maquiagem nos cortes de pessoal e de gastos do Senado deverá continuar: "quatro ou cinco" diretores da lista de 50 exonerados serão mantidos e parte dos cargos de direção será "transformada". Os seus ocupantes continuarão recebendo gratificação, mas com valor inferior ao pago hoje aos diretores.
Em nova versão sobre o enigmático organograma, anunciada na terça-feira, o Senado não tem mais 181 diretorias: agora são 38 secretários com status de diretor, além de cinco cargos da cúpula administrativa da Casa. O restante, 138 cargos, são mesmo de "diretorias de fantasia", conforme definiu o primeiro-secretário, Heráclito Fortes (DEM-PI). Segundo ele, a ideia é reduzir para 20 secretarias, no máximo, o número de diretorias no Senado. Esse seria o quadro em 2001. "Esse número de 181 nunca existiu. Estamos falando em números reais de 38 diretorias", disse Heráclito.
Apesar de participar da reunião da Mesa Diretora que decidiu pelo corte, Sarney mantém-se distante da imprensa e avisou que não falará mais sobre problemas administrativos. Além de identificar 203 cargos de confiança na diretoria-geral do Senado, a faxina que está sendo feita na Casa descobriu que o ex-diretor Agaciel Maia reservou 150 dessas vagas para os senadores preencherem. Parlamentares atribuem ao uso dessa cota o aval concedido pela Mesa Diretora às propostas de multiplicação de cargos levadas adiante nos 14 anos em que Agaciel comandou a máquina administrativa da Casa.
Vagas - A distribuição de cargos está na origem do poder do ex-diretor. É o caso do aumento dos cargos de diretoria, a ponto de a instituição superar uma multinacional de grande porte, com 181 postos, sendo mais de 70% deles criados na segunda gestão de Sarney na presidência da Casa (2003-2005). O resultado é que a capacidade de contratação do Senado é de mais de 13.000 servidores. Isso é possível graças a mecanismos que permitem multiplicar as atuais 2.864 vagas oficialmente ocupadas por comissionados. Cada um desses cargos pode ser desdobrado em outros de salários menores.
Os ocupantes dessas vagas comissionadas não são submetidos a concurso público nem precisam apresentar grau de escolaridade. A única exigência é que atendam às expectativas do senador que o contrata e de seu gabinete. As resoluções autorizam, por exemplo, cada um dos gabinetes dos 81 senadores a contratar 88 servidores: 79 comissionados e 9 efetivos. Já os gabinetes extras, dos líderes e dos componentes da Mesa podem empregar 92 servidores. O número de contratados aumenta na presidência do Senado, chegando a 194. O primeiro-secretário pode contratar 100 pessoas.
(Com informações da Agência Estado)

Operação contra crimes financeiros na Camargo Corrêa

A Polícia Federal realizou nesta quarta-feira uma operação de combate a crimes financeiros e lavagem de dinheiro para desarticular uma quadrilha que atua na construtora Camargo Corrêa, informou uma fonte ligada às investigações. De acordo com a PF, foram expedidos 16 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão. Quatro diretores e duas secretárias da construtora seriam presos, além do articulador do esquema e dos doleiros envolvidos, segundo comunicado da PF. Não foi divulgado, no entanto, o nome dos investigados.
A operação, que ocorre simultaneamente no Rio de Janeiro e em São Paulo, recebeu o nome de Castelo de Areia por investigar crimes cometidos dentro de uma "grande construtora nacional". De acordo com a PF, a quadrilha movimentava dinheiro "sem origem lícita aparente" por meio de empresas de fachada e operações com doleiros. Em nota, a PF informou que os principais crimes investigados são evasão de divisas, operação de instituição financeira sem a competente autorização, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e fraude a licitações. Somados, esses crimes podem resultar em penas de até 27 anos de prisão.
As investigações atingiram também diversos clientes dos doleiros, que podem responder por crime de evasão de divisas, com pena de até 6 anos de prisão. A PF vai instaurar inquéritos policiais para apurar esses crimes. Conforme informações da Agência Estado, a operação deflagrada na manhã desta quarta está apurando também suposta contabilidade paralela para doações ilícitas a campanhas políticas. A Polícia Federal informa também que a quadrilha movimentava dinheiro sem origem lícita aparente, por meio de empresas de fachada.
Resposta - Em nota divulgada à imprensa, a Camargo Corrêa se disse "perplexa" e afirmou que até o momento não teve acesso ao teor do processo que autorizou a ação dos policiais. "A Camargo Corrêa vem a público manifestar sua perplexidade diante dos fatos ocorridos hoje pela manhã, quando a sua sede em São Paulo foi invadida e isolada pela Polícia Federal, cumprindo mandado da Justiça", disse o comunicado. A Camargo Corrêa ressalta na nota que "cumpre rigorosamente com todas as suas obrigações legais, gerando mais de 60.000 empregos no Brasil e em 20 países em que atua".
A empresa alega também "que confia em seus diretores e funcionários e que repudia a forma como foi constituída a ação, atingindo e constrangendo a comunidade Camargo Corrêa e trazendo incalculáveis prejuízos à imagem de suas empresas". A Camargo Corrêa atua nos setores de construção e engenharia, calçados, têxteis, infraestrutura e imóveis. Segundo a consultoria Boston Consulting Group (BCG), a empresa "dobrou de tamanho entre 2005 e 2007, e a estimativa para suas receitas no exterior é de um crescimento ainda mais rápido".
(Com agência Reuters e Agência Estado)

Um plano politiqueiro ou bravata habitacional

BRASÍLIA - Depois de anunciar um suposto pacote habitacional que ensejaria a construção de um milhão de unidades, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quarta-feira, 25, durante o lançamento do programa de habitação do governo federal em Brasília que a construção das 1 milhão de casas previstas no pacote pode não terminar em seu mandato.
Para se justificar, aliviando sua nova bravata eleitoreira, ele simplesmente joga, sutilmente, a culpa nos gestores estaduais e municipais, afirmando:"Se tudo tivesse pronto, se soubéssemos quais os terrenos dos estados e das prefeituras iríamos usar, poderíamos fazer em dois anos. Mas não tem limite de tempo, portanto não me cobrem".
Mas não perdeu tempo e, logo, como de costume, soltou nova bravata em termos de crítica aos gestores anteriores:"O governo federal nunca tinha dinheiro para emprestar.Neste programa não teremos problema de gastar. Queremos gastar, quanto antes melhor", disse.
De acordo com Lula o programa é uma resposta, um lado para os efeitos da crise mundial no País, e em parte dos problemas de moradia dos brasileiros.
O presidente ainda prometeu criar um comitê de gestão para agilizar a execução do programa. Lula prometeu que no dia 13 de abril, o projeto começará "a todo vapor".
A verdade é que o Lula jamais mudará, e manterá um discurso que simboliza o que de pior existe na política nacional.

Mendes: Lula sabia de grampos da PF

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Gilmar Mendes, afirmou hoje (24) ter avisado ao Lula, desde o início da Operação Satiagraha, sobre suas suspeitas em relação as interceptações telefônicas ilegais da Polícia Federal (PF), realizadas com a assessoria informal da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Segundo ele, Lula também teria se mostrado incomodado com a “falta de controle” da corporação. Mendes atribuiu ao ex-diretor da Abin Paulo Lacerda uma tentativa de “instalar o estado policial” no País. O presidente do Supremo voltou a apontar “conotação política” na prisão do sócio-fundador do Banco Opportunity, Daniel Dantas, em 2008, por determinação do juiz do Tribunal Regional Federal (TRF) de São Paulo, Fausto De Sanctis. Duas vezes De Sanctis mandou prender Dantas e duas vezes Mendes mandou soltá-lo. Segundo Mendes, o único objetivo de De Sanctis foi “desmoralizar o STF”.

Onde morar melhor

Sempre achei o Brasil mas, pelo mapa, Argentina e Chile parecem melhor localizados.

terça-feira, 24 de março de 2009

Mensaleiros e aloprados tentam pegar carona no perdão a Delúbio

Ex-petistas envolvidos em escândalos recentes do governo Luiz Inácio Lula da Silva vão pedir isonomia ao partido em caso de anistia ao ex-tesoureiro Delúbio Soares, personagem central do mensalão.
A Folha apurou que pelo menos dois acusados em casos rumorosos já fizeram chegar à direção petista que o perdão a Delúbio vai abrir um precedente.
São eles Silvio Pereira, ex-secretário-geral do PT, também abatido pelo mensalão, e Hamilton Lacerda, um dos coordenadores da campanha do senador Aloizio Mercadante ao governo de São Paulo. Lacerda é um dos "aloprados", na definição de Lula, envolvidos na tentativa de compra de um dossiê contra tucanos na campanha presidencial de 2006.
Pereira e Lacerda se desfiliaram do PT, mas mantêm uma extensa rede de amizades na cúpula petista e estão prontos para pedir suas próprias anistias. Lacerda continua atuante na política em sua cidade, São Caetano do Sul (SP).
Outros acusados no dossiegate, como Osvaldo Bargas e Jorge Lorenzetti, ainda não manifestaram desejo de voltar, mas é provável que também tentem um retorno caso Delúbio vire um precedente.
Nesta terça-feira, a Executiva Nacional do PT iniciou o processo que pode resultar na anistia ao ex-tesoureiro. Seu pedido de anistia foi formalmente recebido e encaminhado para o diretório nacional, que deverá decidir o assunto em 23 de maio.
Conforme revelou na edição desta terça-feira a Folha, menos de um terço do diretório se coloca claramente contra a volta do ex-tesoureiro. O futuro de Delúbio está nas mãos de cerca de 30 indecisos.
Deve pesar contra a anistia a oposição do presidente Lula, que considera um tiro no pé o partido discutir esse assunto nesse momento, em que a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) inicia sua pré-campanha presidencial.
Delúbio também já está campanha, enviando e-mails e dando telefonemas aos 84 membros do diretório. Frequentemente chora ao telefone. Ele diz que irá apresentar sua defesa pessoalmente.

Um bar é a fronteira entre a Croácia e a Eslovênia

Os clientes da Kalin, uma taverna rústica de 180 anos, podem saborear jantares à base de carne de porco aqui na Eslovênia, andar alguns metros pela sala até a Croácia para usar o banheiro, voltar à Eslovênia para pagar a conta e terminar a refeição em solo croata com um jogo de bilhar e uma dose de brandy de pera local. Isso é possível devido aos caprichos da história e a um acidente geográfico. Para evitar qualquer confusão, Sasha Kalin, 36, o proprietário da taverna, pintou uma linha amarela fluorescente no assoalho para demarcar o local exato, perto da mesa de bilhar, onde a fronteira entre a Eslovênia e a Croácia corta a propriedade.
Fregueses embriagados que saem da estalagem e acidentalmente cruzam uma fileira de plantas em recipientes de concreto que assinala a fronteira são abordados por guardas de fronteira croatas de cara fechada e armados. "Isto aqui são os Bálcãs, de forma que qualquer pedacinho de terra é importante", afirma Kalin, que tem pai esloveno e mãe croata, e que acordou um dia em maio de 2004 e descobriu que a metade eslovena do seu restaurante ficava na União Europeia, mas que a metade croata estava fora da organização. Determinar onde a Eslovênia termina e a Croácia começa dava a impressão de ser uma questão regional sem qualquer significado prático. Mas isso adquiriu subitamente uma importância política e, atualmente, uma disputa de fronteira que remonta à época do colapso da Iugoslávia, na década de 1990, ameaça paralisar a expansão para leste da União Europeia e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).O conflito envolve uma fronteira marítima com o comprimento de vários campos de futebol e alguns pequenos vilarejos no norte da Península Ístria.

Soldado de Renan, Almeida Lima chefiará Orçamento

O senador Renan Calheiros estabeleceu, nesta terça (24), mais um ponto na costura que engendrou para retomar o controle da cena política.
Líder do PMDB, Renan (AL) indicou para presidente da comissão de Orçamento, a mais importante do Congresso, o senador peemedebista Almeida Lima (SE).
Vem a ser um dos mais destacados soldados da milícia congressual que livrou Renan de dois processos de cassação, em 2007.
A eleição dos mandachuvas do Orçamento –presidente, três vice-presidentes e relator— foi realizada a partir das 14h30 desta terça (24). O apadrinhado de Renan foi eleito vai à reunião e presidirá a confecção do Orçamento da União para 2010, o ano da sucessão presidencial.
Ao comentar a indicação de Renan, Almeida Lima disse: “Sinto-me honrado”. Prenhe de humildade, acrescentou:
Agora, já esboça os planos. Diz que a crise econômica não será empecilho à confecção do Orçamento.
“Não temos por que nos apavorar diante dessa crise, mas buscar as alternativas que permitam ao país superá-la o mais rapidamente possível”.
Ao Emplacar Almeida Lima no Orçamento, Renan terá as digitais impressas nos principais pólos de poder do Senado.
Foi decisivo na articulação que deu a José Sarney (PMDB-A) o terceiro mandato como presidente da Casa.
Plantou na comissão de Infraestrutura, por onde escoam os projetos do PAC, o aliado Fernando Collor (PTB-AL).
Empurrou para a vice-presidência da poderosa comissão de Constituição e Justiça o senador suplente Wellington Salgado (PMDB-MG), outro soldado de sua tropa de Renam.
Wellington Salgado é, aliás, o autor da frase que resume os métodos utilizados por Renan para voltar à vitrine do Senado. Ele a pronunciou numa reunião da comissão de Infraestrutura.
Deu-se no dia em que Collor prevaleceu sobre Ideli Salvatti (PT-SC) na disputa do comando da comissão que cuida do PAC.
Com 12 senadores, o PT invocava a praxe da proporcionalidade das bancadas para alegar que a cadeira era sua, não do PTB de Collor (sete senadores).
Diante das câmeras, Salgado fez troça. Invocando Tim Maia, disse: “Aqui só não vale dançar homem com homem nem mulher com mulher. O resto vale tudo”.
É na base do vale-tudo que Renan se impõe no Senado, reconvertendo-se em interlocutor incontornável do governo Lula.

Senado aprova lei que tipifica sequestro-relampago

Depois de uma paralisia de 50 dias, o Senado retomou nesta terça (24) o ritmo de votações no plenário.
Entre os projetos aprovados está o que inclui no Código Penal brasileiro, uma lei da década de 40, a tipificação do crime de sequestro-relâmpago.
O projeto, que já havia passado pela Câmara, vai à sanção de Lula. Fixa pena de prisão de seis a 12 anos para o crime de sequestro-relâmpago.
Se o sequestro resultar em lesão corporal grave da vítima, a pena pode será elevada: de 16 a 24 anos.
Em caso de morte da vítima, a pena será ainda maior: de 24 a 30 anos.
Os senadores aprovaram também um projeto do ex-deputado Clodovil Hernandes, que morreu na semana passada, vítima de um AVC.
Autoriza os enteados a requerer na Justiça a adoção dos sobrenomes dos padrastos e madrastas.
Também neste caso, a proposta já havia passado pela Câmara. Vai à mesa de Lula, que tem 15 dias para decidir sobre a sanção.
De resto, o Senado aprovou um PLV (Projeto de Lei de Conversão). Um texto que introduziu modificações na medida provisória 447.
Essa MP é uma das que Lula editara para combater os efeitos da crise global sobre a economia brasileira.
O texto, também aprovado pela Câmara, estica os prazos de pagamento de impostos e contribuições federais. Um refresco para as empresas.
Na prática, as votações desta terça (24) marcam o reinício do funcionamento do plenário no ano legislativo de 2009.
Desde que retonaram das férias, em 2 de fevereiro, os senadores encontravam-se envoltos numa atmosfera de crise.
Uma crise que começou no campo político, a partir da disputa que opôs José Sarney e Tião Viana. E descambou para a seara administrativa.
Só nesta terça, depois de quase dois meses de gestão, Sarney reuniu os líderes partidários. Foi à mesa um cronograma de gestão da crise.
Decidiu-se, por exemplo, reduzir o número de diretores do Senado para, no máximo 20. Eram 181 na semana passada. Exoneraram-se 50. Hoje, são 131.
Sarney delegou ao primeiro-secretário Heráclito Fortes (DEM-PI) a tarefa de conduzir a reformulação administrativa do Senado.
Quer se liberar para tratar de política. Acertou com os líderes a retomada das votações. Daí o destravamento do plenário.

Para recordar: Butch Cassidy and Sundance Kid

Em números, o PAC é uma falácia.Ou uma mentira?

Preocupado em eleger Dilma Roussef, a qualquer preço, o governo Lula apregoa realizações da execução orçamentária ( que eles apelidaram de PAC ), tentando impressionar os leigos com comícios ( ou inaugurações como eles dizem ) onde a tônica é o ufanismo em relação pseudo realizações.
Os relatórios de execução, do tal PAC, são peças publicitárias muito bem ilustradas com fotos que impressionam e um gigantesco “embróglio” de números que confundem prosperidade econômica conjuntural com a efetiva prestação de contas do PAC.
Segundo o último relatório PAC - Balanço 5 até o momento o PAC conseguiu concluir:
53 km de extensão da ferrovia Norte–Sul;
3.343 km de pavimentação de rodovias;
54 embarcações novas para a Marinha Mercante;
a geração de mais 1.314 MW de energia elétrica;
a extensão de 2.824 km de linhas de transmissão;
a descoberta de novas reservas de petróleo e gás;
o aumento da produção de combustíveis renováveis e
o eixo de integração Orós-Feiticeiro, no Ceará, obra complementar ao Programa de Integração do rio São Francisco com as bacias do Nordeste Setentrional.
Talvez esses números anunciados com grande alarde, isoladamente impressionem um leigo que não tenha noção da infraestrutura de um país de dimensões continentais como o Brasil.
A título de comparação, seguem alguns dados da infraestrutura do país.
Extensão da malha ferroviária: 28.522 km (fonte: Atlas do Transporte 2006)
Extensão da malha rodoviária: 1.610.075,9 km (fonte: http://www.dnit.gov.br/)
Frota de Marinha Mercante brasileira: 1.116 embarcações de cabotagem, longo curso e apoio (Fonte: Agência Nacional de Transportes Aquaviários)
Geração de energia elétrica: 39.753 MW (fonte: Ministério de Minas e Energia)
Extensão do sistema de transmissão de energia: 57.000 km (fonte: Ministério de Minas e Energia)
O único número mais expressivo é o aumento de embracações. Mas esse número precisa ser conhecido com mais detalhe pois o relatório do PAC não menciona quais as classes de embarcação incluidas em seu relatório. Se forem embarcações de longo curso ou cabotagem, esse número de fato representaria um avanço importante. Na prática todos esses números teriam que ser comparados em termos de evolução histórica e principalmente com as metas decorrentes de necessidades futuras identificadas em estudos prospectivos. Se essa comparação fosse feito, descobriríamos que o grande PAC pouco representa. Fora a gigantesca rede de corrupção ligada aos programas do PAC e já identificada pela Polícia Federal em mais de 150 municípios, os demais resultados são tão insignificantes que não há o que comentar. Para finalizar, existe algo extremamente inconsistente ou muito mal explicado no PAC. No resumo (http://www.fazenda.gov.br/portugues/releases/2007/r220107-PAC.pdf) do programa seriam aplicados em quatro anos R$ 503,9 bilhões em infra-estrutura. Passados dois anos o governo conseguiu um desempenho ridículo conforme mostra o quadro abaixo.
ANO Empenhado (R$) Pago (R$)2007 7,7 bilhão 4,4 bilhão2008 10,4 bilhão 8,2 bilhão
Se em dois anos os empenhos somados chegaram a R$ 18,1 bilhões e a execução chegou a ridículos R$ 12,6 bilhões, só por mágica, milagre ou corrupção conseguirão executar os R$ 503,9 bilhões.
Mas a candidatura de Dilma Rousseff tem seu lado interessante. O fato dela ser medíocre e de ser a única aposta de Lula é uma chance impar do Brasil se livrar dessa esquerda corrupta que durante décadas minou a política fazendo oposição cega ao país e a qualquer iniciativa que pudesse trazer resultados positivos.
Além disso, foi por terra de vez o mito fabricado que a esquerda é honesta. O governo Lula mostrou que a essência da esquerda é o aparelhamento do estado e que seu único projeto político é a corrupção em todas as esferas e amplitudes.
Queria o destino que não seja possível fabricar outro candidato menos medíocre e que Dilma não passe da insignificância política que efetivamente representa. Contudo existe um risco.
A oposição, ou melhor, aquilo que se autodenomina oposição, dorme com as cobras. Ou seja, é possível que, com ou sem Dilma, tenhamos mais quatro anos do mesmo.