sábado, 11 de agosto de 2012

Por quem merece os "louros da vitória".

A vitória da garra e do bom futebol.

Festa mexicana: Medalha de ouro no futebol masculino.
"O Brasil, atordoado pelo gol-relâmpago, demorou a entrar na partida, enquanto os mexicanos disputavam todas as jogadas como se fossem as últimas de suas vidas."
O parágrafo acima foi retirado do Jornal Online Folha de São Paulo, e representa, na minha opinião, o resumo da partida de futebol masculino entre  México e Brasil, quando o México, demonstrando conjunto, garra, coragem e um belo futebol, conquistou a vitória e a medalha de ouro nas Olimpíadas 2012.
Os jogadores brasileiros jogaram como em todas as partidas anteriores: "Um arroz com feijão sem sal e mal cozido."
Nem quero falar de como Mano Menezes conseguiu, em tão pouco tempo, destruir o trabalho de Ney Franco. Não é à toa que estamos no 13º lugar,no ranking de seleções,da FIFA.
Foi mais uma vez um fiasco. Perdemos a medalha, mas perdemos, acima de tudo, a oportunidade de demonstrar que estamos no caminho certo da renovação.
Os jogadores continuam de salto alto e sem a garra que caracteriza o patriotismo e a força de uma equipe que representa um país.
Parabéns ao México pela conquista de sua primeira medalha de ouro nos Jogos Olimpicos de 2012.

Ministro Toffoli, agride verbalmente o jornalista Ricardo Noblat

Dias Tóffoli, ministro do STF, me agride com palavrões e baixarias
Acabo de sair de uma festa em Brasília. Na chegada e na saída cumprimentei José Antônio Dias Tóffoli, ministro do Supremo Tribunal Federal.
Há pouco, quando passava pelo portão da casa para pegar meu carro e vir embora, senti-me atraído por palavrões ditos pelo ministro em voz alta, quase aos berros.
Voltei e fiquei num ponto do terraço da casa de onde dava para ouvir com clareza o que ele dizia.
Tóffoli referia-se a mim.
Reproduzo algumas coisas que ele disse (não necessariamente nessa ordem) e que guardei de memória:
- Esse rapaz é um canalha, um filho da puta.
Repetiu "filho da puta" pelo menos cinco vezes. E foi adiante:
- Ele só fala mal de mim. Quero que ele se foda. Eu me preparei muito mais do que ele para chegar a ministro do Supremo.
Acrescentou:
- Em Marília não é assim.
Foi em Marília, interior de São Paulo, que o ministro nasceu em novembro de 1967.
Por mais de cinco minutos, alternou os insultos que me dirigiu sem saber que eu o escutava:
- Filho da puta, canalha.
Depois disse:
- O Zé Dirceu escreve no blog dele. Pois outro dia, esse canalha o criticou. Não gostei de tê-lo encontrado aqui. Não gostei.
Arrematou:
- Chupa! Minha pica é doce. Ele que chupe minha pica.
Atualização das 3h52m - Imagino - mas apenas imagino - que o ataque de fúria do ministro deve ter sido desatado por um comentário que fiz recentemente sobre a participação dele no julgamento do mensalão. Segue o comentário:


* Blog do Noblat

"Argumentos santificantes"

A linha de defesa empregada pelos advogados dos principais réus do Mensalão é amoral, obscena e um insulto descarado à inteligência dos ministros do STF e à nossa, ao pretender transformar, pela farsa da palavra, delinquentes facinorosos em anjos da candura amarrados pela cintura.

Leiam as pérolas:

Dr Jose Lins Mendes de Oliveira Lima, advogado de José Dirceu: “Peço a absolvição de Dirceu porque ele é inocente. Concluindo e parafraseando a fala de Gurgel entende a defesa que o pedido de condenação de Dirceu é o mais atrevido e escandaloso ataque à Constituição Federal”.

Dr Arnaldo Malheiros Filho, advogado de Delúbio Soares: “Delúbio nunca se envolveu com a questão do jogo político. A responsabilidade dele era procurar dinheiro para custear campanha. Aí não há corrupção. A verdade é que a prova é pífia, esgarçada e não se presta a condenação de Delúbio.”

Dr. Marcelo Leonardo advogado de Marcos Valério: “Marcos Valério não é troféu ou personagem para ser sacrificado em altar midiático. Foi vítima de implacável perseguição pela mídia, sem direito de defesa até ridicularizado por ter corte de cabelo zero. Os recursos foram repassados para fins de ajuda constituindo, no máximo, caixa dois de campanha, jamais tendo havido repasse para parlamentares”.

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher.

A bela atriz, Giovanna Lancellotti

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Passividade que leva a derrota.

Serra começa mal, ao nao processar o PT pelas calunias!
Hoje pela manha ouvi pela JPan que Serra respondeu as difamaçoes lançadas no site do PT dizendo que ja esta acostumado com este tipo de ofensa e que isso so poderia partir de gente que nao tolera a democracia, ja o pangaré Fernando Haddad se negou a pedir desculpas a Serra. Acho isso muito pouco, é ser benevolente demais com quem nao merece.

Penso que isso é que dá margem para esta bandidagem deitar e rolar, agredir todo mundo e ficar por isso mesmo. Nao precisamos agir como eles de forma rasteira e cafajeste, mas é necessario que o enquadremos e os coloquemos no devido lugar, este tipo de agressao deve ser transferido a Justiça, bandido, marginal, salafrario deve prestar contas a justiça e ponto final.

Engraçado, esta gente se da ao direito de tentar evitar que a imprensa use a palavra mensalao porque segundo eles denigre o PT, esta semana mesmo vao entrar com uma representaçao contra o procurador Gurgel porque, segundo eles o STF montou uma cartilha que descaracteriza o PT (uai, mas quem se descaracteriza sao eles, eles ja estao na vala comum ha muito tempo).

O PSDB precisa entrar com uma representaçao crime urgente contra estas ratazanas,do contrario, pode se dar mal la na frente.

*Texto por Rui Marangoni, por e-mail, via Grupo Resistência Democrática

Reunião da turma.

Radicalismos, mentiras e contradições.

Líder do Hamas amaldiçoa Israel, nega-se a paz, prega a discórdia e a guerra,  enquanto sua irmã é bem atendida no hospital israelense Beilinson.
Enquanto os israelenses não pensam duas vezes em tratar até o cunhado do arquiterrorista do Hamas, o mesmo não vê problema em atacar e xingar o país neste momento
A irmã do primeiro-ministro de Gaza, Ismail Haniyeh, foi admitida recentemente ao Hospital Beilinson de Petah Tivka, conta uma reportagem do jornal Yediot Aharonot.
Quatro meses atrás, seu marido Ahmed Abdel Salam Suhila Hanyeh sofreu um ataque cardíaco sério, não podendo ser tratado em qualquer hospital e em Gaza. Depois de preencher um formulário solicitando uma internação de emergência de rotina para as autoridades israelenses, uma ambulância palestina os levou para a passagem de Erez, onde ele foi transferido para um veículo do Magen David Adom (Estrela Vermelha de Davi) e levado para o hospital em Petah Tikva com sua esposa.
O marido foi hospitalizado por uma semana, e sua condição foi estabilizada. Após o tratamento, o casal voltou para a Faixa de Gaza.
Recentemente, Haniyeh, acusou Israel de ter orquestrado o atentado jihadista na fronteira israelo-egípcia.

Conheça o relator do "Mensalão".

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

Ministro da Justiça de Dilma admitiu o "mensalão".

José Eduardo Cardozo, Ministro da Justiça de Dilma, admitiu que houve mensalão. O petista se quedou à realidade. Por quê os demais permanecem cínicos, mentirosos e desonestos em suas negativas?

Cínico e inconsequente, hoje o PT treme...

Vejam quem está reclamando de uso político do dinheiro público!!!
E a esgotosfera, financiada com o nosso dinheiro?
O núcleo lulo-dirceuzista do PT e seus acólitos e agregados — como o senador Fernando Collor (PTB), por exemplo, hoje um esbirro da turma — continuam empenhados em tentar desmoralizar o procurador-geral da República, Roberto Gurgel.
Lembram-se de Cândido Vaccarezza?
É aquele deputado do PT que, quando líder do governo na Câmara (vale dizer: era a voz de Dilma na Casa), encontrava-se secretamente com José Dirceu em quartos de hotel.
Outro conviva era Sérgio Gabrielli, então presidente da Petrobras.
Depois que ele saiu, se soube como andava, de fato, a empresa. Com uma oposição um pouco mais robusta, esse rapaz seria chamado às tintas. Com uma organização mínima dos acionistas minoritários, eles estaria em maus lençóis.
Adiante.
Pois Vaccarezza, o dirceuzista juramentado, resolveu entrar com uma representação contra o Gurgel no Conselho Nacional do Ministério Público. E qual é a razão? Uma suposta “cartilha” que o Ministério Público Federal elaborou para crianças e adolescentes, explicando em detalhes, numa linguagem acessível, o processo e seu andamento.
O deputado está muito bravo e manda ver. Diz que “custeada com recursos do erário, colhe-se propaganda pronta e acabada sobre os fatos em julgamento”.
Vocês entenderam: ele acusa o MPF de usar dinheiro público para fazer propaganda contra seus aliados.
Não é impressionante que ele seja do partido cujo governo financia uma rede de blogs sujos, alguns deles verdadeiramente criminosos, por meio de propaganda institucional e das estatais?
O material do Ministério Público está muito longe disso. Na linha “joguem pedra do Gurgel”, acusa-o de não ter agido com presteza no caso Cachoeira. Vocês conhecem essa ladainha.
Pois bem.
A página a que ele se refere está aqui.
Não se trata de uma cartilha.
Atenção!
Essa área do site do Ministério Público Federal está no ar desde 16 de outubro de 2009, como lá se informa.
Sua prática corriqueira, reitero, é tentar traduzir em linguagem simples as ações do órgão.
Até questiono se crianças realmente entendem o que lá vai. Alguns jornalistas, aliás, deveriam ler.
Recomendo a Janio de Freitas, por exemplo. Se, agora, existe uma área destinada a informar detalhes do processo do mensalão, é porque esse é o caso da hora.
Basta visitá-la para verificar que esse é apenas um nicho da página.
Se alguns petistas — não só eles — são protagonistas do mensalão, fazer o quê?
Perguntas diretas a Vaccarezza
– Deputado Vaccarezza, quantos milhões por ano as estatais põem nos blogs sujos destinados a puxar o saco de petistas, atacar oposicionistas e a imprensa independente?
– Deputado Vaccarezza, quantos milhões por ano o governo federal, as administrações petistas em outros níveis e alguns gestores da base aliada “investem” nesses mesmos veículos para difamar, caluniar, injuriar, mentir?
– Deputado Vaccarezza, o governo a que o senhor pertence não se envergonha, por exemplo, de sustentar uma publicação capaz de dar fé a uma lista elaborada por um falsário, que mente de forma desabrida para tentar desmoralizar um ministro do Supremo?
– Deputado Vaccarezza, com que autoridade moral acusa desvio de dinheiro público para propaganda quem, por vínculo partidário, está associado a esse tipo de sujeira?
– Deputado Vaccarezza, quantos milhões são empregados no que não passa de uma campanha de caráter partidário e, a depender do período, também eleitoral? Por que o senhor não pede uma investigação? Não o fazendo, então por que não se cala sobre o MPF?
ATENÇÃO, ATENÇÃO!
Eu não estou igualando as duas coisas! Eu não estou dizendo que são ações similares, porém com sinais invertidos. A linguagem a que recorre o site do MPF é objetiva e procura ser didática, sem baixarias e ofensas, é evidente!
Abraça o ponto do vista do procurador-geral, é óbvio — embora divulgue também a versão dos réus. Ora, um simples cotejamento de linguagem evidencia que, de um lado, está o esgoto moral a soldo e, de outro, uma tentativa de traduzir para crianças e adolescentes que diabos, afinal de contas, é esse processo.
É até possível que a página passasse quase despercebida, não fosse essa tentativa canhestra de usar o caso para, mais uma vez, atacar o procurador-geral. Mas por quê?
Avaliação ruim do quadro
Se a turma vai ser condenada ou não, isso eu não sei. Que os petistas estão com uma avaliação pessimista do quadro, isso é fato. Pessoalmente — eu e mais a torcida do Corinthians —, duvido que Marcos Valério se safe no tribunal.
E, com ele, devem ir Delúbio Soares e alguns operadores do núcleo financeiro do esquema. Lembrem-se de que o empresário já foi condenado pela Justiça Federal.
O fato de o processo estar unificado, por vontade expressa da esmagadora maioria do Supremo (9 a 2), impõe aos ministros algumas responsabilidades. Pensemos por hipótese: Valério, Delúbio e mais uns dois ou três são condenados pela lambança, e Dirceu se salva?
Alguém indagará: “Mas Lula não deveria estar lá também?”. É evidente que eu acho que sim! Já escrevi isso umas 300 vezes. Mas não está.
Considero, sinceramente, impensável um Valério inocente — com o devido respeito ao doutor Marcelo Leonardo, que fez uma defesa muito competente e técnica, mas até ele deixou a sugestão de que também o considera.
Pois bem: vai-se condenar o publicitário e deixar o comando político do PT livre e leve (não deveria nem ficar solto…)?
É MESMO?
MAS, AFINAL, VALÉRIO TRABALHAVA PARA QUEM E PARA QUÊ?
Era senhor absoluto de sua própria República?
O destino final da dinheirama era seu projeto pessoal de poder?
Ora…
Um ministro que condena Valério e absolve Dirceu pode até dizer que se apega aos autos de algum modo, mas é evidente que se despediu da lógica.
“Mas não serve Delúbio?”
A resposta seria “sim” caso a gente considere que aquele senhor realmente tinha autonomia para decidir.
E os líderes aliados que participaram da festança já disseram que acordo, para ser celebrado, só com o Zé.
E no Palácio do Planalto!
Petistas neuróticos
Os petistas estão ficando um tanto neuróticos porque o desenrolar do julgamento, que, em tese, lhes é favorável — afinal, são cinco horas de acusação para 38 da defesa —, também começa a evidenciar um lado perverso.
Nunca antes na história destepaiz tantos mártires e inocentes se juntaram, não é mesmo?
E para produzir o quê?
A gente viu.
Na retórica, advogados se esmeram na santidade do réu.
Duvido que o STF cometa suicídio moral — e legal!
A verdade, minhas caras, meus caros, é que o PT apostou tudo que esse julgamento não sairia neste ano.
E apostava que manobras várias poderiam empurrá-lo para uma data sem data.
Reavivado na memória, à luz dos fatos, o que foi o mensalão, assistimos àquele impressionante desfilar de inocentes em meio a empréstimos de fachada, saques na boca do caixa, dinheirama transportada em carro-forte, admissão de caixa dois…
Hoje, o PT está com medo!
*Reinaldo Azevedo

Defesas pífias dos mensaleiros.

Ministros do Supremo Tribunal Federal consideraram a primeira safra de defesa dos réus de mensalão incapaz de derrubar a tese do Ministério Público de que o mensalão existiu e era chefiado pelo ex-ministro da Casa Civil José Dirceu.
Cinco ministros ouvidos reservadamente pelo Estado apontaram que o papel de Dirceu no esquema, mesmo sem prova material, foi caracterizado e que a versão do caixa 2 não se sustenta.
Para que seja condenado, seis ministros precisam votar contra Dirceu. "O Zé Dirceu fazia navio voar", afirma um ministro do Supremo. "Se ele (Dirceu) for absolvido, sobe (a responsabilidade) para o Lula. O domínio era dele, é evidente que comandava." Para outro ministro, "ou você acredita que o esquema (mensalão) existiu ou não. Se acredita, é porque tem uma lógica e só tem lógica se você colocar o cérebro." (estadao.com.br)


Governo massacra aposentados.

Enquanto a CPMI do Cachoeira e o julgamento do mensalão tomam conta de mídia, os aposentados e pensionistas que recebem benefícios acima de um salário mínimo continuam amargando uma defasagem de 46,9% nos seus parcos rendimentos. O presidente da Câmara, deputado Marco Maia, continua engavetando os Projetos de Lei 01/07, 3299/08 e 4434/08, e o governo continua se beneficiando dessa subserviência da Câmara dos Deputados que não vota os projetos que põem fim a esse verdadeiro massacre.
Negar-lhes os nossos votos é preciso!

É preciso participar.

Paraguai quer rever acordo energético com o Brasil.

Parceiro do Brasil em Itaipu, o Paraguai tem direitos iguais, e irá reivindicá-los
Com fortes críticas ao acordo energético entre Brasil e Paraguai em relação à hidrelétrica de Itaipu, o presidente Federico Franco disse que pretende enviar, em breve, uma proposta de lei ao Congresso que revise o pacto.
"A decisão do governo é clara: não estamos mais dispostos a ceder nossa energia. Vejam que utilizo a palavra 'ceder'. Porque o que fazemos hoje é ceder energia para o Brasil e a Argentina, não vender", disse Franco, ao falar sobre a instauração de uma política de Estado para o setor energético do país.
Com fortes críticas ao acordo energético entre Brasil e Paraguai em relação à hidrelétrica de Itaipu, o presidente Federico Franco disse que pretende enviar, em breve, uma proposta de lei ao Congresso que revise o pacto.

"Existem pessoas que dizem que iremos entregar a soberania do país. Mas ela já está entregue. Ontem me reuni com o Conselho de Yacyretá, e foi a primeira vez que ele recebeu diretivas, por parte do presidente. Faremos o mesmo com Itaipu. Nossos conselheiros participarão de cada sessão para defender nossos interesses para que o Paraguai seja beneficiado."

Franco deu a entender que quer utilizar a energia produzida em Itaipu em indústrias que venham a se instalar no Paraguai: "Devemos trazer o que é nosso, de Itaipu e Yacyretá, criar fontes de trabalho e evitar mais migrações. A única maneira de fazer isso é criar condições que permitam a industrialização do país".
"Iremos chamar investidores nacionais e estrangeiros para que eles venham a San Pedro, [departamento de] Concepción, instalem suas indústrias, gerem mão de obra. Essa será a melhor maneira de acabar com a criminalidade e a insegurança que castigam essa região", disse o presidente.
A informação é do site oficial da Presidência do Paraguai. (Folha online)

No país da piada pronta, até tomada é inventada para beneficiar petralhas e seus asseclas.

Tomada elétrica novo modêlo - só no Brasil, parece piada!!!
Até a nós já vem causando problemas e custos.
Quem foi a "cabeça pensante" do petralhismo que bolou? Quem autorizou e quando ? Alguém pode responder a essa pergunta ??
Como é que os TURISTAS e profissionais da imprensa irão se virar durante a COPA do MUNDO de FUTEBOL?
Os turistas vão adorar isso durante a copa do mundo...
Acorda Brasil! Alguém (ou muita gente ) ganhou muito dinheiro para isso acontecer. Um modelo único só para o Brasil...é muito luxo!!!

Ataque cirúrgico.

video
Ataque aéreo - Bombardeiro A-10-dos Estados Unidos

Os alvos visíveis estão a 3 quilometros! Vídeo feito à noite, a partir do cockpit de um Bombardeiro A-10.
Os quatro "terroristas" nem sonham que estão sendo observados a 3 km de distância. O A-10 faz fogo com um canhão de 30mm sem ferir o cão que se encontra ao lado e que foge após as balas atingirem os alvos.
Nota-se a vibração da câmera de filmar no momento do tiro; após 4 segundos dá-se o impacto das balas a 3 km. (A velocidade de saída das balas de 30mm é de 740 metros por segundo).
Por cada 10 balas há uma traçante. O piloto disparou 200 tiros...

A óbvia suspeição de Toffoli

Ministro Toffoli, ex advogado do PT, amigo e indicado por Lula para o STF
Para evitar (pré) juízos, agrego:
A isenção e a imparcialidade do juiz são pressupostos processuais subjetivos do processo para que haja um julgamento justo, imparcial, independente, isento e neutro.
Com esse desiderato foram instituídos o impedimento e a suspeição no âmbito processual - regulados nos Códigos de Processo Civil (CPC) e de Processo Penal (CPP).
O impedimento é de caráter objetivo; a suspeição é subjetiva, relacionada com o subjetivismo do juiz; no impedimento há presunção absoluta (juris et de jure) de parcialidade do juiz em determinado processo por ele analisado; na suspeição há apenas presunção relativa (juris tantum).
No processo penal, as hipóteses de suspeição, de regra, referem-se a uma relação externa ao processo, ou seja, fora dos autos e que pode afetar a imparcialidade. As hipóteses de suspeição estão previstas no Art. 254 do CPP; já o impedimento – de regra, refere-se a uma relação interna com o processo, cujas hipóteses são as constantes do Art. 252 do CPP:
“Art. 252. O juiz não poderá exercer jurisdição no processo em que:
I - tiver funcionado seu cônjuge ou parente, consangüíneo ou afim, em linha reta ou colateral até o terceiro grau, inclusive, como defensor ou advogado, órgão do Ministério Público, autoridade policial, auxiliar da justiça ou perito;
II - ele próprio houver desempenhado qualquer dessas funções ou servido como testemunha;
III - tiver funcionado como juiz de outra instância, pronunciando-se, de fato ou de direito, sobre a questão;
IV - ele próprio ou seu cônjuge ou parente, consangüíneo ou afim em linha reta ou colateral até o terceiro grau, inclusive, for parte ou diretamente interessado no feito.
Art. 253. Nos juízos coletivos, não poderão servir no mesmo processo os juízes que forem entre si parentes, consangüíneos ou afins, em linha reta ou colateral até o terceiro grau, inclusive.
Art. 254. O juiz dar-se-á por suspeito, e, se não o fizer, poderá ser recusado por qualquer das partes:
I - se for amigo íntimo ou inimigo capital de qualquer deles;
II - se ele, seu cônjuge, ascendente ou descendente, estiver respondendo a processo por fato análogo, sobre cujo caráter criminoso haja controvérsia;
III - se ele, seu cônjuge, ou parente, consangüíneo, ou afim, até o terceiro grau, inclusive, sustentar demanda ou responder a processo que tenha de ser julgado por qualquer das partes;
IV - se tiver aconselhado qualquer das partes;
V - se for credor ou devedor, tutor ou curador, de qualquer das partes;
Vl - se for sócio, acionista ou administrador de sociedade interessada no processo.
Art. 255. O impedimento ou suspeição decorrente de parentesco por afinidade cessará pela dissolução do casamento que lhe tiver dado causa, salvo sobrevindo descendentes; mas, ainda que dissolvido o casamento sem descendentes, não funcionará como juiz o sogro, o padrasto, o cunhado, o genro ou enteado de quem for parte no processo.
Art. 256. A suspeição não poderá ser declarada nem reconhecida, quando a parte injuriar o juiz ou de propósito der motivo para criá-la.”
Código de Processo Civil:
Seção II
Dos Impedimentos e da SuspeiçãoArt. 134. É defeso ao juiz exercer as suas funções no processo contencioso ou voluntário:
I - de que for parte;
II - em que interveio como mandatário da parte, oficiou como perito, funcionou como órgão do Ministério Público, ou prestou depoimento como testemunha;
III - que conheceu em primeiro grau de jurisdição, tendo-lhe proferido sentença ou decisão;
IV - quando nele estiver postulando, como advogado da parte, o seu cônjuge ou qualquer parente seu, consangüíneo ou afim, em linha reta; ou na linha colateral até o segundo grau;
V - quando cônjuge, parente, consangüíneo ou afim, de alguma das partes, em linha reta ou, na colateral, até o terceiro grau;
VI - quando for órgão de direção ou de administração de pessoa jurídica, parte na causa.
Parágrafo único. No caso do no IV, o impedimento só se verifica quando o advogado já estava exercendo o patrocínio da causa; é, porém, vedado ao advogado pleitear no processo, a fim de criar o impedimento do juiz.
Art. 135. Reputa-se fundada a suspeição de parcialidade do juiz, quando:
I - amigo íntimo ou inimigo capital de qualquer das partes;
II - alguma das partes for credora ou devedora do juiz, de seu cônjuge ou de parentes destes, em linha reta ou na colateral até o terceiro grau;
III - herdeiro presuntivo, donatário ou empregador de alguma das partes;
IV - receber dádivas antes ou depois de iniciado o processo; aconselhar alguma das partes acerca do objeto da causa, ou subministrar meios para atender às despesas do litígio;
V - interessado no julgamento da causa em favor de uma das partes.
Parágrafo único. Poderá ainda o juiz declarar-se suspeito por motivo íntimo.
Art. 136. Quando dois ou mais juízes forem parentes, consangüíneos ou afins, em linha reta e no segundo grau na linha colateral, o primeiro, que conhecer da causa no tribunal, impede que o outro participe do julgamento; caso em que o segundo se escusará, remetendo o processo ao seu substituto legal.
Art. 137. Aplicam-se os motivos de impedimento e suspeição aos juízes de todos os tribunais. O juiz que violar o dever de abstenção, ou não se declarar suspeito, poderá ser recusado por qualquer das partes (art. 304).
Art. 138. Aplicam-se também os motivos de impedimento e de suspeição:
I - ao órgão do Ministério Público, quando não for parte, e, sendo parte, nos casos previstos nos ns. I a IV do art. 135;
II - ao serventuário de justiça;
III - ao perito; (Redação dada pela Lei nº 8.455, de 1992)IV - ao intérprete.
§ 1o A parte interessada deverá argüir o impedimento ou a suspeição, em petição fundamentada e devidamente instruída, na primeira oportunidade em que Ihe couber falar nos autos; o juiz mandará processar o incidente em separado e sem suspensão da causa, ouvindo o argüido no prazo de 5 (cinco) dias, facultando a prova quando necessária e julgando o pedido.
§ 2o Nos tribunais caberá ao relator processar e julgar o incidente.
RESUMINDO: o honrado ministro poderia dar-se por suspeito, porém, a o temor reverencial e a missão que lhe foi 'confiada' o impede de tomar essa decisão.
*Rivadávia Rosa, por e-mail, via Grupo Rsistência Democrática

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Senado aprova cota de 50% em universidades e escolas técnicas federais.

O Senado aprovou ontem o projeto de lei que prevê que 50% das vagas em universidades e escolas técnicas federais sejam reservadas a quem cursou o ensino médio integralmente em escolas públicas.
A autoria do projeto é da deputada federal Nice Lobão (PSD-MA), e deverá ser submetida a sanção da Presidente da República, que já demonstrou ser entusiasta da proposta.
A proposta ainda traz a exigência do percentual de 25% ( metade da cota estabelecida) para estudantes oriundos de familia cuja renda seja igual ou inferior a 1,5 salários mínimos por pessoa.
E ainda, dentro desse universo de vagas destinadas a alunos oriundos da rede pública, serão aplicados também critérios raciais.
Estudantes autodeclarados negros, pardos e indígenas terão cotas proporcionais ao número desse grupo de pessoas que vivem no Estado onde está localizada a universidade, com base em dados do mais recente censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), não importando a renda per capita do aluno – mas a exigência de terem cursado integralmente em escolas públicas permanece.
O projeto não é, de todo, mal, embora tenha objetivos óbvios de mascarar a baixa qualidade do ensino básico e médio no país e, por fim, o acesso ao ensino superior no Brasil.
Se o governo, paralelamente, estabelecesse critérios  para a melhoria da qualidade do ensino público no Brasil, seria um grande passo.
No entanto, estabelecendo cotas, estará selecionando por classe e por cor da pele, e jamais pela capacidade ou nível de aprendizado, metade do contingente que terá acesso ao ensino superior.
Não é à toa que vemos, não raramente, alunos nas Universidades que mal sabem ler e escrever. 

O circo.

"Caros amigos, está montado o circo do julgamento do “Caso Mensalão”.
Abaixo algumas das atrações:
Os Domadores = Acusados de formação de quadrilha;
Os Mágicos = Acusados de evasão de divisas e lavagem de dinheiro;
Os Animais Famintos = Acusados de corrupção passiva;
Os Palhaços = Todos nós amigos...
***na execução de alguns números, os participantes de uma atração podem fazer parte de outra.
Para quem espera alguma surpresa, más notícias: O presidente da AJUFE (Associação dos Juizes Federais), Nino Oliveira Toldo, declarou:
“...ter total confiança no Supremo Tribunal Federal, e certeza que ele executará um julgamento à altura de sua história...”.
História essa mostra que, nunca, nunca condenou um político desde a sua criação em 1969.
Lamentável."
* Do leitor THIAGO RAMOS, por e-mail - thramosmcz@gmail.com

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Na CPI dos babacas, "avião" deixa parlamentares a ver navios...

Andressa, calada, deixando os parlamentares a ver navios, apesar de ela ser um "avião".
Criada para dar ênfase a vingança de Lula contra Marconi Perillo e outros membros da frágil oposição brasileira, a CPI do "Cachoeira", assim chamada por, supostamente, ter o objetivo de investigar o  empresário e contraventor conhecido como "Carlinhos Cachoeira", por iniciativa boba de alguém chamou para depor a atual mulher de "Cachoeira", Sra. Andressa Mendonça, que agiu como a maioria e utilizou-se da prerrogativa legal de permanecer calada.
Alguns babacas que compõe a CPI acharam por bem passar a depoente à condição de investigada e, lógicamente, se não sabiam, fiquem desde sabendo, que ninguém é obrigado a responder perguntas dos parlamentares, como forma de não produzir provas contra si próprio.
Foi mais uma seção babaquice, onde preponderam os discursos vazios e as velhas e conhecidas infâmeas e mentiras petistas ( eles chamam de bravatas) e de seus asseclas e prepostos.
No final, pagamos tudo com nossos impostos.

Jader gasta R$ 100 mil para divulgar mandato.

Foto:Fabiopozzebom_ABr
Jader Barbalho não faz um discurso há 11 anos. Não apresentou nenhum projeto nem deu parecer em comissão. Mas o Senado ressarce suas despesas com empresa que divulga o que ele “faz” no Congresso
O ex-presidente do Senado foi o segundo senador que mais gastou com a divulgação de sua atividade parlamentar no primeiro semestre legislativo. Ficou atrás apenas de Ângela Portela (PT-RR), que despendeu cerca de R$ 110 mil para propagandear sua atuação. Somados os gastos com passagens aéreas, Jader teve mais de R$ 160 mil em despesas ressarcidas pela Casa desde o início do ano.
*Fonte: Congressoemfoco

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

A mulher bomba do mensalão

Mulher bomba durante a CPI dos Correios, a ex-mulher do deputado Valdemar Costa Neto, a publicitária Maria Christina Mendes Caldeira, afirma não se arrepender dos seus relatos, mas diz que, se tivesse passado por uma eleição na época do seu depoimento, teria outra visão sobre o mensalão.
Em 2005, no auge do escândalo, a ex-mulher do deputado, hoje réu no Supremo Tribunal Federal, afirmou ter presenciado conversas que atestariam a existência do suposto esquema.
Ela relatou também ter ouvido o ex-marido pedir diversas vezes ao ex-tesoureiro da legenda Jacinto Lamas para ir a Belo Horizonte buscar ''várias malas''. (Folha online)

É ouro!!!

O ginasta Arthur Zanetti, 22, acaba de entrar para a história da ginástica brasileira nos Jogos Olímpicos de Londres. 
O atleta conquistou a medalha de ouro nas argolas. Foi a primeira medalha do país na modalidade.

Se ele sabia de tudo, por quê não foi indiciado?

“Você acha que um sujeito safo como o presidente Lula não sabia?
O presidente se disse traído.
Foi traído por quem?
Pelo José Dirceu?
Pela mídia?
O presidente Lula sempre se mostrou muito mais um chefe de governo do que chefe de Estado.”
*Marco Aurélio Melo, Ministro do STF,



Dilma fora.

Circula nos bastidores da candidatura Haddad, que a presidente Dilma já teria avisado a seus aliados que não entraria de cabeça na campanha do petista, enquanto não houvesse chance de garantia da vitória no primeiro turno.
A justificativa petista é que Dilma não deseja, desta forma, prejudicar outro aliado, Gabriel Chalita(PMDB), tido como um "laranja fiel" já que estaria tirando votos de Serra, sobretudo de simpatizantes da Igreja Católica.

A estratégia petista é enfraquecer e desacreditar a candidatura de Celso Russomanno (PRB) , para tentar polarizar a eleição em torno de Serra e Haddad.
A tentativa petista já começou com um trabalho de espalhar infâmias contra Celso, na mesma proporção das acusações "construídas" contra Serra.
Ademais, a presidente já teria afirmado que Haddad possui fotos e videos, em demasiado, ao seu lado e poderá usá-los durante o primeiro turno.

Passado contestado.

José Dirceu, segundo o juiz aposentado Sílvio Mota, seu ex-companheiro no treinamento de guerrilha em Cuba, levou uma vida mansa, protegido e privilegiado por amigos de Fidel.
UM ZÉ DIRCEU DIFERENTE
O ex-ministro (acima), e hoje acusado de "chefe de quadrilha" pelo Ministério Público,passava o tempo no cinema, conforme o ex-companheiro Sílvio Mota (abaixo)
No fim de semana que antecedeu o início do julgamento do mensalão, o ex-ministro José Dirceu se recusou a participar de uma solenidade destinada a festejar um período obscuro de seu passado. O ato público, convocado por organizações de esquerda, pretendia relembrar o Movimento de Libertação Popular (Molipo), um grupo formado por 28 exilados brasileiros que treinavam guerrilha em Cuba nos anos 70. Dirceu, que era um deles, achou mais prudente evitar a aparição pública. Além do ex-ministro, só há mais dois sobreviventes do Molipo: o juiz aposentado Sílvio Mota e o mestre-de-obras, também aposentado, Otávio Ângelo ? todos os demais foram mortos pela repressão quando retornaram ao Brasil. Sílvio Mota, contemporâneo das andanças cubanas de Dirceu, acha que o ex-companheiro fez bem em evitar as homenagens: ?Ele nunca combateu de verdade?, diz Mota.Sílvio Mota sente-se à vontade para desconstruir a imagem combativa do petista em sua passagem pela ilha de Fidel Castro. Ele guarda na memória a figura de um militante indisciplinado e cheio de privilégios. Segundo Mota, enquanto os integrantes do Molipo participavam dos exercícios militares pesados, Dirceu levava uma boa vida, protegido por autoridades cubanas. ?Ele preferia passar seu tempo nas salas de cinema?, conta. José Dirceu refugiou-se em Cuba em 1969, depois de ter sido preso no Congresso da UNE, em Ibiúna, no interior de São Paulo, e trocado pelo embaixador americano Charles Elbrick. Em pouco tempo, tornou-se íntimo do então presidente do Instituto Cubano de Arte e Indústria Cinematográfica, Alfredo Guevara, amigo de Fidel Castro. De acordo com o relato de Mota, Dirceu passou, então, a se aproveitar dos poderes de seu protetor para fugir do treinamento guerrilheiro. ?Dirceu era indisciplinado. Não combateu no Molipo, como também não havia combatido na ALN (Aliança Libertadora Nacional) no Brasil?, diz Mota.Segundo o juiz aposentado, Dirceu logo conseguiu abandonar em definitivo o treinamento. Alegava dores nas costas. Assim, pôde livrar-se das horas seguidas de marchas na selva, sem alimentos na mochila e cantis vazios. Em condições insalubres, os militantes do Molipo passavam semanas sem banho, participavam de cursos de tiros e aprendiam a montar explosivos. Todos, menos o ex-ministro, réu do mensalão. ?O projeto de Dirceu sempre foi pessoal. E quis o destino que terminasse aparecendo essa sua verdadeira face oportunista?, diz Mota. O juiz voltou ao Brasil em 1979, quatro anos depois de Dirceu. Depois da temporada em Cuba, os dois se viram poucas vezes. Mota chegou a se filiar ao PT, mas não seguiu carreira política. De Dirceu, prefere manter distância.
*Por Adriana Nicacio

domingo, 5 de agosto de 2012

Quadrilha arrogante

"QUADRILHA EXTREMAMENTE ARROGANTE"
Roberto Gurgel

Provas e Rastros: Eu entendi muito bem o que ele falou. Quem sabe como máfia funciona, sabe que não deixa “prova gravada ou fotografada,” mas que deixa rastros, ah se deixa... e os contratos dos carros fortes?
Os empréstimos sem retorno que iam para a SPMB que não prestava os serviços, emitia notas falsas, pagava os carros fortes para tirar dinheiro do Rural e do BMG e o Lula enviou cartas aos aposentados antes disso incitando o povo emprestar dinheiro do BMG que certamente veio do Banco Central ou BNDES e os juros altíssimos pagaram o desfalque do mensalão.
Lembrem-se de que só o BMG teve autorização da “presidência” de fazer empréstimos consignados para os aposentados pagar o mensalão com juros.
Cada loja do BMG tinha de ser apedrejada e fechada.
Juntando as coincidências das datas das operações e dos pagamentos do mensalão por testemunhas (visíveis e anônimas), agendas com números de contas, e algumas provas que o próprio Marcos Valério apresentou, isso tudo são vários pedaços de um quebra-cabeças que poderá ficar com umas peças faltando, mas ao olhar o tamanho da figura, dá para perceber as faces dos envolvidos.
De fato, máfia não deixa prova direta, mas deixa rastros por onde passa.
Senão PF, FBI, CIA, Interpol não teriam razões de existir.
*Por Cristiano Arruda - Campo Grande, MS.