sábado, 22 de setembro de 2012

O inabalável Joaquim Barbosa.

No momento em que as pressões de partidos de governo e oposição voltam a conturbar o ambiente político, o relator do mensalão, Joaquim Barbosa, garante à ISTOÉ que fatores externos não irão interferir no julgamento.
 JOAQUIM-01-IE-2237.jpg
BLINDAGEM
O ministro Joaquim Barbosa diz que o relevante está nos autos do processo

Na semana em que o Supremo Tribunal Federal começou a decidir o destino do núcleo político do mensalão, a proximidade das condenações levou réus do processo a orquestrar reações que atiçaram tanto partidos da base do governo como da oposição. O ambiente político conturbado, no entanto, não deve mudar um centímetro os rumos do julgamento, garantiu à ISTOÉ o ministro-relator, Joaquim Barbosa. O ministro diz que os movimentos não surpreendem e que o cenário de pressões não preocupa. “Nada vai interferir. O que é relevante para nós está nos autos do processo”, afirmou Joaquim na quarta-feira 19. Como consequência da atmosfera pesada dos últimos dias, o próprio Barbosa, que fora ovacionado e aclamado como herói num restaurante japonês em Brasília, virou alvo de simpatizantes do PT nas redes sociais. Embora não se sinta confortável com a possibilidade de se tornar personagem de discursos inflamados em palanques eleitorais durante a campanha, o ministro se diz inabalável. A disposição é confirmada pelos votos contundentes que ele proferiu na semana passada.
COMENTO: Hoje a presidente tentou minimizar seu depoimento, citado por Joaquim Barbosa, durante o julgamento. No depoimento a própria presidente se disse surpresa com a rapidez com que as Medidas Provisórias sobre o marco regulatório do sistema energético brasileiro foram aprovadas. E foram em tempo recorde, "jamaisvistonestepaiz".
Ela soltou uma notinha sem deixar de incluir alguma coisa contra Fernando Henrique ( indubitavelmente o ídolo e grande pedra no sapato de Lula e Dilma que diante do ex presidente são duas nulidades ). A preposta de Lula  falou que a iniciativa foi para evitar o apagão que aconteceu no governo FHC. Só não disse a verdade ( eles nunca dizem a verdade ) que o apagão ( racionamento )  deu-se em razão de causas relativas a questões naturais ( pluviométricas ).
Mas a preposta de Lula teve, como sempre, uns panos quentes muito semelhante a defesa e/ou bajulação por parte dos Repórteres-comentaristas políticos do Jornal das Dez da Globo News ( nesta sexta-feira) e, como sempre, os mesmos.
Faltou a Cristiana Lobo e o Kennedy Alencar que, naquele momento, não estavam no ar...mas aguardem! O que será que eles dirão?
*Fonte: Revista IstoÉ, por Izabelle Torres

Jose Serra, ainda, é a melhor opção.

Às vezes a gente precisa se desarmar mas ser bastante incisivo ao encerrar certos debates, até com companheiros de grupo ( a exemplo  do Grupo Resistência Democrática ) com um certo desabafo.
É o caso dessa discussão cansativa sobre a falsa idéia de que Russomano é o novo para São Paulo e uma boa opção de voto.
Balela! Tolice!
Alegam, para começar, que Russomano era figura expoente do PSDB. Russomano jamais teve tanto conceito assim no PSDB.
Quando a utilização das "pechas" o "nice guy" e "bad guy", estes são termos que não fazem parte do histórico discurso do PSDB. É mera estultice.
Todos os partidos brasileiros tem bons e maus candidatos. 
Seja em relação a sua capacidade, experiência ou até por sua índole pessoal.
O Russomano é um imbecil, tanto é que não permaneceu no PSDB!
Há imbecís em outros partidos também. A quantidade é exacerbada no PT e demais da base aliada.
Há também os "sabidos". Estes estão em maior quantidade no PMDB ( Sarney, Renan,etc) dois no PT ( Lula e Zé Dirceu ) e alguns outros em partidos da base aliada.
Nem sabido o Russomano é. Se o fosse não se submeteria a ser um marionete do circo de Edir Macedo, sob o patrocínio "oculto" do Governo Federal, cujo objetivo inicial, ao incentivar a candidatura de Russomano, era apenas tirar votos do Serra.
Jose Serra, com todos os defeitos ( inclua-se a lerdeza) é um homem honesto, tem história de luta e militância, percebeu a tempo que esquerda e "burrice" tem semelhanças incontestáveis, daí hoje ser um liberal convicto. 
Já demonstrou ser um bom gestor público em todos os níveis, é educado, inteligente e é macho ( no bom sentido claro, aqui a conotação não é homofóbica, refere-se a coragem ) raridade entre os candidatos atuais.
Quem não quer votar no Serra não vota. Mas jamais poderá dizer que não seja o melhor candidato entre os demais.
Agora, sair arranjando defeitos para o cara até parece discurso petista.
Não quer votar no cara. Não topa com cara dele. Não gostou da sua lerdeza e da falta de agressividade na última eleição Presidencial... não vota e pronto!
Vota no bailarino ou no candidato do kit gay!
Só não contem estórias!!!

Ministros ingratos?

video

Polícia Civil diz que jovem Bárbara foi estrangulada por 'psicopata'

                                       Janaina Ribeiro e Regina Carvalho

A universitária Bárbara Regina Gomes foi assassinada com requintes de
 crueldade - estrangulada e com golpes de faca no peito - por um rapaz apontado
 como violento e psicopata. A vítima teria sido morta porque se recusou a ter 
relações sexuais. Essa foi a conclusão do inquérito da Polícia Civil, que, na tarde 
desta sexta-feira (21), concedeu coletiva para informar sobre o resultado das 
investigações. O acusado, Otávio Cardoso da Silva Neto, de 25 anos, já 
está com prisão decretada e é considerado foragido da Justiça.

“Acreditamos que a Bárbara foi assassinada porque teria se recusado a 
manter relações sexuais com o Otávio. Já sabemos que o próprio acusado 
confessou a um amigo que, inicialmente, estrangulou a universitária e, em 
seguida, desferiu vários golpes de faca no peito dela", declarou o delegado 
Antonio Nunes, da Divisão Especial de Investigações e Capturas (Deic). 

O carro usado por ele no dia do crime, um Corsa Sedan preto, pode ser de "estouro". 
No veículo, havia barro e fuligem de cana, o que para a polícia pode indicar que 
o corpo de Bárbara Regina está em local de difícil acesso, como matagal ou canavial. 


Confira o vídeo mostrando Bárbara deixando a boate acompanhada



Psicopatia 
De acordo com a polícia, Otávio Cardoso é doente. “Há suspeitas de que ele é 
psicopata. Inclusive, responde por uma acusação de estupro contra uma mulher. 
Temos ainda informações de que ele, sempre agindo com agressividade, teria 
esfaqueado também o pai e já fora preso por porte ilegal de armas”, acrescentou 
o delegado Paulo Cerqueira, delegado-geral da PC.



Segundo a polícia, o acusado, que é natural do município de Murici, mora no Centro, na Rua
 Dias Cabral e divide a residência com um homem homossexual, identificado como José Antônio. Ele está sumido desde o dia do crime.



A polícia informou que conseguiu desvendar o crime após ver as imagens da boate 
Le Hotel, onde Bárbara foi vista pela última vez saindo com ela. Depois colheu 
depoimentos e ouviu testemunhas que confirmaram o perfil supostamente criminoso 
de Otávio. "Estamos apresentando as imagens para que ele seja preso e o corpo 
de Bárbara seja localizado. O caso está elucidado", disse Paulo Cerqueira.


Uma prova da ligação de Otávio com o crime, segundo a polícia, é que no dia 1º deste 
mês ele pegou pegou o chip dele e colocou no aparelho celular dela (Bárbara) para 
fazer uma ligação.



A avó de Bárbara, Tereza de Jesus, disse que a família acredita que a jovem foi morta 
realmente por Otávio ao se recusar a ter relações sexuais. "Ele é um psicopata. 
A gente já estava esperando por isso. Agora quero pelo menos que encontrem o corpo 
dela para a gente poder enterrar", declarou.



Dona Tereza conta que a família continua sofrendo com o desaparecimento da 
universitária e a confirmação da morte trouxe ainda mais dor. "Só acho que o 
amigo dele sabe onde está o corpo e não contou a polícia", disse.

* Fonte: gazetaweb

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher.

A bela atriz Adriana Esteves

Brasileiro babaca.


Fala sério! O Governo Federal concedeu à FIFA isenção de impostos de "apenas" R$ 559.000.000,00 (quinhentos e cincoenta e nove milhões de Reais) para realizar a Copa do Mundo no Brasil.
Sabe o cidadão quantas casas populares, hospitais, escolas dariam para se fazer com esse dinheiro?
Isso é governar para o povo?
E ainda tem gente que se oferece para trabalhar como voluntário para essa multinacional da bola, sem receber porra nenhuma!
* Por e-mail, via grupo resistência Democrática.

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Joaquim pode desmontar o voto de Lewansowski.


Joaquim Barbosa usa a prerrogativa de relator e pode desmontar voto de absolvição dado por Lewandowski.
Pedra no caminho – A farsa em que se transformou o julgamento do Mensalão PT (Ação Penal 470) nesta quinta-feira (23), no Supremo Tribunal Federal, começou a ser desmontada pelo ministro-relator Joaquim Barbosa. Após ouvir o voto de Ricardo Lewandowski, ministro-revisor, Barbosa disse que na sessão da próxima segunda-feira (27) levará ao plenário todas as respostas aos questionamentos feitos pelo colega de tribunal, as quais constam de seu relatório. Com isso, o voto de Lewandowski, dependendo do poder de persuasão de Barbosa, corre o risco de ir pelos ares.
Inconformado com a decisão de Joaquim Barbosa, o revisor Lewandowski, que absolveu João Paulo Cunha, Marcos Valério e seus sócios, requisitou o mesmo tempo para a tréplica, mas o regimento do STF determina que o ordenamento do julgamento é prerrogativa do relator. Diante da resposta dada pelo presidente da Corte, Carlos Ayres Britto, o revisor sugeriu que poderá se ausentar do plenário durante a exposição de Barbosa.
Que Ricardo Lewandowski, que chegou ao Supremo apadrinhado pela ex-primeira-dama Marisa Letícia, facilitaria a vida dos petistas todos já sabiam, mas é preciso ressaltar que o ministro-revisor usou entendimentos distintos no julgamento de Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil, e de João Paulo Cunha. No caso de Pizzolato, o ministro centrou sua decisão no fato de o ex-diretor do BB ter autorizado os contratos do banco com a agência de Marcos Valério. Em relação a João Paulo Cunha, o ministro minimizou o fato de o ex-presidente da Câmara dos Deputados ter autorizado a SMP&B a subcontratar outras agências. Ou seja, o que vale para Pizzolato não vale para João Paulo.
Essa dualidade interpretativa pode ter colocado o deputado petista na alça de mira dos outros ministros, que devem seguir o relator e condená-lo por corrupção passiva e peculato, crimes que Lewandowski se esforçou para minimizar.
*Ucho.info

PT constrange partidos aliados a assinar nota de apelo golpista em favor de Lula e contra a imprensa, contra o STF e contra os fatos!



Circula por aí uma nota de espírito golpista — contra os fatos, contra a imprensa, contra o STF e, pois, contra a democracia — assinada por presidentes de seis partidos políticos.
O líder, claro, é Rui Falcão, chefão do PT.
 

Leiam o texto. Volto em seguida.
Por Reinaldo Azevedo


À SOCIEDADE BRASILEIRA


O PT, PSB, PMDB, PCdoB, PDT e PRB, representados pelos seus presidentes nacionais, repudiam de forma veemente a ação de dirigentes do PSDB, DEM e PPS que, em nota, tentaram comprometer a honra e a dignidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Valendo-se de fantasiosa matéria veiculada pela Revista Veja, pretendem transformar em verdade o amontoado de invencionices colecionado a partir de fontes sem identificação.

As forças conservadoras revelam-se dispostas a qualquer aventura. Não hesitam em recorrer a práticas golpistas, à calúnia e à difamação, à denúncia sem prova.

O gesto é fruto do desespero diante das derrotas seguidamente infligidas a eles pelo eleitorado brasileiro. Impotentes, tentam fazer política à margem do processo eleitoral, base e fundamento da democracia representativa, que não hesitam em golpear sempre que seus interesses são contrariados.

Assim foi em 1954, quando inventaram um “mar de lama” para afastar Getúlio Vargas. Assim foi em 1964, quando derrubaram Jango para levar o País a 21 anos de ditadura. O que querem agora é barrar e reverter o processo de mudanças iniciado por Lula, que colocou o Brasil na rota do desenvolvimento com distribuição de renda, incorporando à cidadania milhões de brasileiros marginalizados, e buscou inserção soberana na cena global, após anos de submissão a interesses externos.

Os partidos da oposição tentam apenas confundir a opinião pública. Quando pressionam a mais alta Corte do País, o STF, estão preocupados em fazer da ação penal 470 um julgamento político, para golpear a democracia e reverter as conquistas que marcaram a gestão do presidente Lula .

A mesquinharia será, mais uma vez, rejeitada pelo povo.


Rui Falcão, PT

Eduardo Campos, PSB

Valdir Raupp, PMDB

Renato Rabelo, PCdoB

Carlos Lupi, PDT

Marcos Pereira, PRB.


Brasília, 20 de setembro de 2012.


Voltei
Vamos ver. A maioria dos presidentes de partido foi constrangida a assinar a nota. Quem os mobilizou falou pessoalmente em nome de Lula. Ficou claro que era um favor de caráter pessoal.

Quanto ao mérito, dizer o quê? “Fantasiosas” são as convicções democráticas dos que promoveram essa peça patética — mais um desdobramento da loucura que vai tomando conta de Lula.

Golpista é roubar dinheiro do Banco do Brasil para financiar um projeto de poder. Golpista é tentar montar um Congresso paralelo, sustentado por uma propinoduto. Golpista é tentar intimidar o Supremo. Golpista é tentar calar a imprensa livre.

Golpismo, no entanto, inútil. Pela maioria de suas vozes, o Supremo deixa claro que zela por sua independência. A imprensa independente, por sua vez, continuará a fazer o seu trabalho: retratar os fatos, zelar pela verdade e vigiar os Poderes da República, tendo como referência a Constituição.

Golpistas de 1954? Golpistas de 1964? Essa nota é assinada pelo PMDB, de que José Sarney, aliado dileto de Lula, é um dos capas-pretas? Seria aquele mesmo Sarney que foi estrela da UDN, que fez oposição severa a Getúlio, e que presidiu depois o PDS (partido sucedâneo da Arena) e que comandou os votos governistas na rejeição da emenda das Diretas? Trata-se de uma apreciação, também ela, fantasiosa e ridícula.

Os signatários que apenas fazem um favorzinho pessoal a Lula não se dão conta de que põem sua assinatura num documento que tenta, a um só tempo, constranger a imprensa e a Justiça. Uma tentativa, acreditem vocês e os signatários, inútil.


Edir Macedo será o "dono" da Prefeitura de São Paulo...


Votar em Russomanno pode ser a fortificação de uma quadrilha de falsos evangélicos que já tem Marcelo Crivella no seu quadros político. Além de apoiarem a quadrilha de Lula em Brasília, são "abortistas" e fazem qualquer coisa por dinheiro. Trocar uma quadrilha (sindical) por outra (pseudo-evangélica) não me parece um bom negócio.

Candidato à prefeitura de São Paulo pelo PRB, Celso Russomanno, ao lado do presidente nacional de seu partido, o bispo licenciado Marcos Pereira. Foto: Fernando Borges/Terra
Candidato à prefeitura de São Paulo pelo PRB, Celso Russomanno, ao lado do presidente nacional de seu partido, o bispo licenciado Marcos PereiraFoto: Fernando Borges/Terra

PRB de Russomanno tem 66% dos dirigentes ligados à Universal

TIAGO DIAS
Na sabatina realizado pelo canal Record News, no último dia 13, o candidato à prefeitura de São Paulo pelo PRBCelso Russomanno, foi indagado pelo jornalista Heródoto Barbeiro se ele era candidato da igreja Universal do Reino de Deus (IURD) e da Rede Record. Russomanno, como já vinha enfatizando publicamente, respondeu: "Sou candidato de todas as igrejas". Sobre a Record, afirmou: "não existe isso. Se sou, não estou sabendo". Na prática, porém, o que pode ser percebido são laços estreitos que unem a emissora, a igreja e o partido. Um número significativo de lideranças do PRB, que participam do núcleo que determina os caminhos da legenda, são ou foram pastores, bispos e dono de afiliada da Record.
Segundo levantamento feito pelo Terra, por meio das informações disponíveis no site do partido, pelo menos 66% das lideranças do PRB têm ou já tiveram ligações com a igreja universal. Quando é levado em conta o envolvimento com o grupo Record, o número sobe para 73%, embora existam membros com ligação tanto na emissora quanto na igreja.
O levantamento levou em consideração os 18 membros da executiva nacional (55% deles têm ou tiveram participação na Universal e na Record) e os 26 presidentes estaduais do partido (onde a relação é mais abrangente: 85% dos membros já tiveram ou têm relação com a igreja, com a emissora ou com ambas) - o presidente do PRB em Pará, pastor Raul Batista de Souza, já foi contabilizado na lista da executiva, onde acumula a função de suplente. O Terra não conseguiu informações sobre sete dos membros da executiva nacional, por não terem, aparentemente, vida pública. Eles não foram contabilizados na pesquisa.
Tal ligação é chamada pelo cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP) Claudio Gonçalves Couto de "empreendimento". "Igreja, Record e PRB fazem parte do mesmo conglomerado, um empreendimento. E os laços são estreitos", opina. Couto realizou o mesmo levantamento e divulgou os resultados em um artigo publicado no jornal O Estado de S.Paulo no último dia 18.
O PRB afirma que não dispõe do número oficial de participantes (ou ex-integrantes) das duas organizações na executiva nacional e nas direções estaduais. O presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, que já foi vice-presidente da Record e é bispo licenciado da Universal, rechaça qualquer vínculo entre o partido, a igreja e a emissora. Para ele, a grande participação de bispos e pastores entre os dirigentes não é motivo para ilações entre as três partes, muito menos para um conflito ético: "Não há nenhum conflito. Se fosse um partido religioso, até seria. Mas a gente não tem ligação com a Universal. Não discutimos religião (no PRB), discutimos política", minimizou.
Em entrevista ao Terra, Pereira diz fazer um desabafo. "Estou cansado de responder sobre isso", avisou. "Pedi licença para a igreja em 1994. Há 18 anos eu venho exercendo atividades acadêmicas e como advogado. Daqui a pouco vão dizer que a Universal interfere nas minhas aulas", reclama. Pereira ainda afirma que há muitos integrantes da Universal que são candidatos por outros partidos, assim como no PRB, e dá exemplos de dirigentes que fogem do levantamento, como o suplente e presidente do PRB do Ceará, Miguel Dias de Souza. "Ele é um católico fervoroso. Encontro com ele e ele já chega beijando a santinha", conta. Miguel Dias é dono da TV Cidade, afiliada da Record no Estado e, segundo Pereira, é o único dirigente do partido a ter uma ligação atual com a Record. "O restante são pessoas que já tiveram ligação com a emissora. O tempo verbal faz toda a diferença", opina.
Ex-apresentador da Record, Celso Russomanno afirma categoricamente que seu partido é misto e que, assim como ele, 80% dos integrantes são católicos. Evangélicos somariam 20% e apenas 6% dessa faixa seriam da Universal - a informação também é reproduzida por Pereira. O candidato tem procurado dizer que defende o Estado laico, ao ser questionado sobre os apoios de igrejas em torno de sua candidatura, e sempre que possível afirma haver uma distância entre ele e a opinião de dirigentes.
Para o cientista político, a relação entre partido e candidato é intrínseca. "É claro que um prefeito tem até certa autonomia, mas não dá pra afirmar que ele (Celso Russomanno) fará uso dessa autonomia. Há um grau de lealdade do partido com suas lideranças, pode ser que uma gestão não contrarie algum tipo de interesse", explica. O especialista ainda questiona: "E sobre os ruídos dos templos, como será que a prefeitura do Celso Russomanno vai lidar com essas questões?"
Comissões Provisórias
Além de ser maioria na Executiva Nacional do partido, lideranças do partido ligadas à Record e, em sua maior parte, à Universal, aparecem em maior número nos Estados. Dos 27 presidentes, apenas 4 (15%) não têm ou não tiveram vínculo com a igreja Universal ou o grupo Record. O número dos dirigentes que são ou foram pastores é grande: 18. Bispos somam 4. Há ainda lideranças locais que trazem a ligação com a igreja e com a Record, ao mesmo tempo. 
É o caso de Jeronimo Alves Ferreira, presidente do PRB de Santa Catarina, que é bispo licenciado e, segundo Pereira, ex-presidente da Record no Rio Grande do Sul.
Segundo o professor Cláudio Gonçalves Couto, a presença massiva de bispos e pastores deve-se à estrutura do partido, que não possui diretórios, mas sim "comissões provisórias". "Em uma comissão, os membros são indicados pela executiva nacional, que possui total controle sobre eles. No caso de PRB, os presidentes estaduais foram indicados pelo centro. Uma esmagadora parcela deles faz parte da Universal, isso reflete uma diretriz do partido. Essa ligação é um fato", explica Couto. O presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, afirma a estrutura será revista, mas garante autonomia nos Estados. "Pergunte para cada um dos 27 presidentes. De preferência para aqueles que não são membros da Universal", pede.
Couto, porém, afirma que o modelo diminui até a participação dos filiados e outros integrantes dos partidos. "Os filiados podem ser apenas 6% da Universal, mas isso não importa, eles não conseguem definir os rumos do diretório, do partido"
Um candidato católico
O fato de Celso Russomanno ser católico é um "trunfo" para o PRB, na análise de Couto. Para ele, a escolha é mais palatável aos eleitores paulistas. "Os evangélicos ainda são encarados de forma pejorativa, há um preconceito disseminado. Quando uma pessoa diz que é católica, isso não quer dizer muita coisa, são pessoas que não necessariamente têm pra si os ideias da religião. Ter um candidato que se diz católico é um trunfo pro PRB."

O professor avalia que, se o candidato fosse da própria Universal, dificilmente teria os 35% das intenções de votos que Russomanno tem, segundo as últimas pesquisas. "É provável que ele não estivesse tão bem. Há uma rejeição. É só ver o do (ministro da Pesca, Marcelo) Crivella (PRB), que chegou a disputar o Senado no Rio de Janeiro, mas perdeu", explica.
Para ele, a escolha pelo candidato é encarada como um "negócio", assim como as escolhas na grade da emissora. "O negócio dos partidos é ganhar a eleição e exercer o poder. O maior instrumento que o PRB tinha era lançar o Russomanno. Do ponto de vista da Record, existe o reality show A Fazenda. Não é contraditório uma empresa da Universal ter um programa com apelo erótico? Da lógica empresarial, faz sentido", afirma.
O presidente nacional do PRB volta a rebater e pergunta: "Você acha que o Celso Russomanno e o vice dele, o (Luiz Flávio) D'Urso, um advogado respeitado, iam se submeter à igreja Universal?"
Os 6 mais importantes no PRB:
Marcos Antônio Pereira - Presidente Nacional do PRB
Ligação: Bispo licenciado da igreja Universal e ex-vice-presidente da Record
É coordenador de campanha de Celso Russomanno e se envolveu recentemente em uma polêmica com a igreja Católica. Em um artigo escrito em seu blog em 2011 - e divulgado nas redes sociais na semana passada -, Pereira criticava a igreja católica por influenciar decisões do governo federal.

George Hilton Cecílio - Presidente do Conselho de Ética
Ligação: Pastor da Universal
O deputado federal concorre à prefeitura de Contagem (MG). Em 2005, foi expulso do PFL após ter sido supostamente flagrado em um aeroporto transportando dinheiro proveniente de doações de fiéis da Universal. Em sua biografia no site oficial, consta que George Hilton é teólogo, mas não informa sua atividade na igreja como pastor. É também cantor e apresentador gospel.

Antônio Bulhões - Presidente do Conselho Político e líder do PRB na Câmara dos Deputados
Ligação: Bispo e ex-apresentador do Fala Que Eu Te Escuto, da Record
Bispo da IURD, apresentou o programa Fala que eu te escuto da igreja, transmitido pela Rede Record. Bulhões é deputado reeleito. Segundo sua biografia, dedicou-se à vida de pastor aos 15 anos. Aos 27, já era bispo.

Eduardo Lopes - 1º vice-presidente e líder do PRB no Senado
Ligação: Bispo licenciado da Universal
Suplente do senador e bispo Marcello Crivella, Eduardo Lopes assumiu a cadeira logo após a ida de Crivella ao ministério da Pesca. Se licenciou do cargo de bispo em março.

Heleno Silva - 2º Vice-presidente
Ligação: Pastor da Universal
Deputado federal, o pastor é acusado de formação de quadrilha e corrupção passiva por suposta participação no escândalo dos Sanguessugas. O processo tramita no STF em segredo de Justiça. No Twitter, ele avisa: "sou Pastor e Deputado Federal. Escolhido por Deus e eleito por seu povo"

Evandro Garla - Secretário-Geral
Ligação: Pastor da Universal
O pastor da IURD é o único deputado a fazer parte do bloco PT-PRB na bancada. Embora não seja divulgado em seu histórico e biografia, é pastor da IURD.

Fonte: terra.com.br

Genoíno e Celso Daniel.


Genoíno reclama da ação da Justiça buscando a  aplicação da Lei, está muito vivo!
Preso político no regime militar, o ex-presidente do PT José Genoino comparou a experiência do mensalão à da ditadura.
Só que, em vez de pau de arara, disse ele , o instrumento de tortura hoje é a caneta. Mas se bem me contaram , a verdade é que na época dos militares Genoíno escapou do pau de arara simplesmente abrindo o bico...e tenho certeza de que isso não é fábula de internet.
Celso Daniel quis que houvesse ação na Justiça e aplicação da Lei , mas foi assassinado!
Pois então, que use agora do mesmo estratagema e a caneta que dará paz!
Hum...pensando bem...concordo com ele que agora é pior que na época da ditadura, pois se hoje Genoíno abrir o bico...terá um encontro marcado com Celso Daniel, outro que também se tornou um estorvo para o PT.
*Mara Montezuma Assaf, por e-mail, via Grupo Resistência Democrática

Ricardo Lewandowski. Seu voto pode passar a mão na cabeça de corruptos.


Ricardo Lewandowski, a lavagem de dinheiro e por que seu voto, se triunfar, passa a mão na cabeça de políticos corruptos.


Por Reinaldo Azevedo

Ricardo Lewandowski deve absolver todo mundo do crime de lavagem de dinheiro. Segundo o ministro, para que pudesse haver lavagem de dinheiro, seria necessário que aquele que recebeu o dinheiro agisse de modo deliberado para escondê-lo. Sem isso, diz, seria punir alguém duas vezes pelo mesmo crime, o tal “bis in idem”. Diz ainda que o recebedor dos recursos teria de saber que o dinheiro tinha origem ilícita — e não haveria provas disso, diz ele. 

É uma consideração que tem consequências. Boa parte dos políticos é acusada de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Três condenações podem levar um réu à cadeia, mas duas não. Lewandowski deu ainda pistas de que pode inocentá-los também de formação de quadrilha. 

A tese de que aqueles que recebiam dinheiro não sabiam necessariamente de sua origem ilícita é, para dizer pouco, risível. Diz que se trata de mera ilação. Ora, se o dinheiro não tinha origem ilícita, por que todas aquelas heterodoxias para sacá-lo? Tenham paciência! 

Em tempo: Lewandowski condenou Pedro Correa por corrupção passiva, mas inocentou Pedro Henry. Só tratará da lavagem de dinheiro ao fim do seu voto. 

Seu voto, embora severo na questão da corrupção passiva — mas sempre deixando claro que está seguindo o tribunal, sugerindo que seu entendimento é outro —, se triunfante, passa a mão na cabeça dos políticos.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

É o amor por Dilma Roussef.


Edmeire Celestino da Silva, de 29 anos, tentou invadir a rampa do Palácio do Planalto no início da noite de terça-feira (11), dizendo que era "marido" da presidente Dilma Rousseff.

A segurança da Presidência da Repúblicaacionou a Polícia Militar do Distrito Federal na manhã desta terça-feira (18) ao perceber que a mesma mulher que tinha tentado invadir o Palácio do Planalto na última semana estava rondando as proximidades do Palácio da Alvorada, residência oficial de Dilma Rousseff.
Há uma semana, Edmeire Celestino da Silva, de 29 anos, tentou invadir a rampa do Palácio do Planalto se dizendo "marido" da presidente Dilma Rousseff. Na ocasião, ela foi imobilizada pelos seguranças da guarda presidencial e levada a um hospital de Brasília. Os médicos atestaram que ela não tinha alteração clínica.
Nesta terça (18), ao notar que Edmeire se aproximava do Palácio do Alvorada, a segurança da presidente optou por chamar a polícia. Uma viatura da PM foi até o local e conversou com a mulher. De acordo com a PM do DF, Edmeire disse que só deixaria o local quando a presidente Dilma Rousseff aceitasse se casar com ela.
A PM explica que policiais não detiveram Edmeire porque ela não estava cometendo nenhum delito e estava a uma distância regular da guarita do Palácio. Ela foi convencida pelos policiais a deixar o local, mas logo depois voltou e se sentou em uma calçada próxima.
*Fonte: g1 

Ministério Público pede bloqueio de bens de Lula.


O Ministério Público Federal (MPF) de Brasília pediu à justiça o bloqueio dos bens do ex-presidente Lula da Silva, a quem acusa de improbidade administrativa por ter usado verba pública com claro intento de promoção pessoal.

O bloqueio de bens tem como finalidade garantir a devolução aos cofres públicos de quatro milhões de euros que Lula, segundo o MPF, usou indevidamente.
A ação interposta pelo MPF refere-se ao gasto desses quatro milhões de euros com a impressão e o envio pelo correio de mais de dez milhões de cartas enviadas pela Segurança Social a reformados entre Outubro e Dezembro de 2004, segundo ano do primeiro mandato de Lula.
A missiva avisava os reformados que um convénio estabelecido entre a Segurança Social e o até então desconhecido Banco BMG lhes permitia a partir de então pedirem empréstimos a juros baixos e sem qualquer burocracia àquela instituição bancária, com o desconto das parcelas sendo feito directamente nas reformas.
 Até aí não haveria problema, não fossem dois detalhes, que chamaram a atenção dos promotores. O BMG, único banco privado a ser autorizado na altura a realizar esse tipo de empréstimo, conseguiu a autorização em menos de duas semanas, quando o normal seriam vários meses, e as cartas, simples correspondência informativa, eram assinadas por ninguém menos que o próprio presidente da República, algo nada comum para esse tipo de aviso.
Para o Ministério Público, não há dúvida de que Lula e o então ministro da Segurança Social, Amir Lando, que também assinou as cartas e é igualmente acusado na acção, usaram a correspondência para obterem promoção pessoal e lucro político e que a acção do presidente da República favoreceu a extrema rapidez com que o BMG conseguiu autorização para operar o negócio, desrespeitando as normas do mercado. A 13.ª Vara Federal, em Brasília, a quem a acção foi distribuída, ainda não se pronunciou sobre o pedido do MPF.
*Fonte: cmjornal

Só queria entender!


quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Ministro Joaquim Barbosa, retoma julgamento de núcleo político do mensalão.


O ministro Joaquim Barbosa, relator do processo do mensalão em julgamento noSupremo Tribunal Federal (STF), retomará nesta quarta-feira (19) seu voto sobre a acusação de que 23 dos 37 réus da ação penal participaram de esquema de corrupção no Congresso Nacional.
Barbosa já iniciou o voto sobre os réus ligados ao Partido Progressista (PP) eentendeu que houve o cometimento de crimes por parte do deputado federal Pedro Henry (PP-MT) e mais quatro acusados. O relator não chegou a proclamar o resultado parcial sobre condenações aos cinco réus, o que deve acontecer nesta quarta.
Joaquim Barbosa falou somente sobre o primeiro subitem do tópico 6 da denúncia, referente à participação do PP na negociação de apoio político. Nesta quarta, ele deve dar continuidade aos outros subitens, referentes a PL (atual PR), PTB e PMDB.
Além do deputado Pedro Henry, que liderou o PP na Câmara na época da suposta compra de votos e que está no quinto mandato consecutivo, o relator disse ver provas para condenação do ex-deputado e ex-presidente do partido Pedro Corrêa (PE) e do assessor parlamentar João Cláudio Genú, que trabalhava para o ex-deputado e ex-líder do PP José Janene, morto em 2010.
Todos foram acusados de corrupção passiva (receber vantagem indevida na condição de servidor), lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.
Em relação aos acusados Breno Fischberg e Enivaldo Quadrado, da Corretora Bônus-Banval, Barbosa também entendeu que houve a prática de irregularidades por, supostamente, terem utilizado a empresa para lavar dinheiro vindo das agências de Marcos Valério, apontado como o operador do mensalão, e repassado os valores para os integrantes do PP.

O PT está desesperado?


Bateu o desespero no PT – Marta, agora ministra, acusa Russomanno de “pilantragem” e ataca também a TV Record

A coisa parece complicada no mundo petista. Marta Suplicy partiu ontem pra cima do candidato do PRB à Prefeitura, Celso Russomanno, e também da TV Record, de Edir Macedo, que é aliado de Lula desde que este chegou ao poder, em 2003. Também tem sido um apoiador do governo Dilma. Mas parece que bateu o desespero nos petistas...
Na Folha:
Dois dias depois de assumir um ministério por entrar na campanha de Fernando Haddad (PT), a ex-prefeita Marta Suplicy tomou a linha de frente dos ataque aos adversários e afirmou que Celso Russomanno (PRB) faz “pilantragem” para atrair votos.
Em palanque com o candidato e com o ex-presidente Lula, ela disse que o rival é “lobo em pele de cordeiro”: “Vocês têm que entender que é pilantragem. Na TV a imagem é linda, mas não é assim. Ele faz comércio com a angústia do povo, com a infelicidade, com a dificuldade.”
Até o meio do ano, Russomanno comandava um programa de defesa do consumidor na TV Record, ligada à Igreja Universal e ao PRB. O candidato lidera as pesquisas com 31% das intenções de voto contra 16% de Haddad. Ele conta com votos da periferia, onde o PT historicamente leva vantagem.
Ontem, Haddad, Marta e Lula participaram de dois comícios no Capão Redondo e na Cidade Dutra, extremo sul da capital. Foram os dois primeiros comícios da campanha de Haddad com a dupla. Lula, que também discursou, evitou ataques a Russomanno no primeiro ato, mas ensaiou uma crítica no evento seguinte. Logo depois de dizer que “na TV parece bonzinho”, alertou que “há 500 anos a gente é enganado”.
(…)
Por Reinaldo Azevedo

Voto consciente.



A hora e a vez do núcleo político do "mensalão".



Ministros vão analisar os saques em espécie feitos na boca do caixa do Banco Rural

RIO - O Supremo Tribunal Federal (STF) começou nesta segunda-feira a julgar o núcleo político do esquema do mensalão. A parte central do processo consiste na análise dos saques em espécie feitos por deputados e assessores de políticos e de partidos na boca do caixa do Banco Rural. Em sua coluna de hoje, Ricardo Noblat informa que o publicitário Marcos Valério, acusado de ser o operador do mensalão, gravou quatro vídeos em que conta tudo sobre o esquema, para que sejam divulgados caso aconteça algo contra ele. 


Em entrevista à “Folha de S. Paulo’, o ex-ministro e deputado cassado José Dirceu diz que não vai fugir do país e que está preparado para qualquer resultado do julgamento. Ele é acusado de corrupção ativa, no item do processo que começa a ser analisado hoje, e de formação de quadrilha. De acordo com a Procuradoria Geral da República, Dirceu é o chefe da quadrilha.



Embora sem qualquer efeito legal ou prático sobre o julgamento em curso, as supostas declarações de Marcos Valério à revista Veja, de que o ex-presidente Lula sabia de tudo, devem ser assunto presente na sessão de hoje. Na sessão desta segunda-feira, os ministros também devem discutir a necessidade de sessões extras para agilizar o julgamento, previsto para acabar somente em novembro.



No item que começa a ser julgado hoje, o relator, Joaquim Barbosa, e o revisor, Ricardo Lewandowski, devem concordar em pelo menos um ponto: a condenação por corrupção passiva de políticos que receberam dinheiro do valerioduto. A polêmica será mais intensa na discussão sobre corrupção ativa — crime atribuído a José Dirceu, ao ex-presidente do PT José Genoino e ao ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares. Para o Ministério Público Federal, os três eram os cérebros por trás do esquema.



Segundo entendimento de pelo menos parte da Corte, no crime de corrupção passiva não é preciso comprovar que o corrompido fez algum favor em troca da vantagem indevida. Só o fato de receber o dinheiro com esse propósito já configuraria o crime. Comungam da posição o relator e o revisor.



Sobre a corrupção ativa, alguns ministros defendem a tese de que é preciso provar que o corruptor tinha a intenção de obter um favor em troca do dinheiro investido. Nesse caso, não haveria prova cabal para condenar. Outros ministros, no entanto, não exigem essa prova cabal e podem condenar os réus com base em depoimentos e na análise global dos fatos.



Voto do relator levará duas sessões



Os ministros vão opinar sobre a existência ou não do esquema de compra de apoio político no governo Lula. Os holofotes estarão sobre 23 réus. Além de Dirceu, respondem por corrupção ativa o núcleo de Marcos Valério. São acusados de corrupção passiva políticos do PP, PL, PTB e PMDB, que também serão julgados por formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.



O voto do relator deve durar duas sessões e meia. A expectativa é de que esse capítulo, o quarto de um total de sete, tome pelo menos duas semanas do plenário.



Ao julgar esse capítulo da denúncia, os ministros discutirão a necessidade de um ato de ofício para caracterizar os crimes de corrupção. Ou seja, vincular o recebimento da vantagem indevida a um ato que o servidor público tenha praticado em função de seu cargo. A questão é ainda mais complexa, porque os ministros vão discutir a possibilidade do voto de parlamentar em determinado projeto ser tratado como ato de ofício em troca de dinheiro. Levando em consideração o que disse em 2007, Barbosa já tem opinião formada:



— Quanto aos atos de ofício, estes se consubstanciariam na votação em plenário. Os documentos anexados à denúncia corroboram o teor da inicial acusatória, demonstrando os votos proferidos em votações importantes, ocorridas durante o mesmo período dos fatos narrados na denúncia.



Os deputados do PT que sacaram recursos do valerioduto vão ser julgados somente depois que os ministros terminarem de analisar a conduta dos parlamentares dos outros partidos.  

Ministério da Pesca entrega à Marinha mais lanchas compradas naquela maracutaia que não puniu ninguém,



O Ministério da Pesca e Aquicultura vai entregar cinco novas lanchas-patrulha à Marinha do Brasil. Segundo a assessoria de imprensa da Marinha, as embarcações serão usadas prioritariamente na fiscalização da atividade pesqueira e no combate à pesca ilegal, em conjunto com o ministério e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

A previsão é que as cinco lanchas já estejam em operação até o final deste mês. O termo de entrega das lanchas-patrulha está sendo assinado hoje, pelo ministro da Pesca, Marcelo Crivella, e pelo comandante da Marinha, almirante Julio Soares de Moura Neto, no Rio de Janeiro.

Em março, o Ministério da Pesca cedeu à Marinha 11 lanchas-patrulha. Segundo a Marinha, essas embarcações já estão em operação em vários pontos do país.

COMENTÁRIO:  Infelizmente, a matéria não cita que se trata daquelas famosas lanchas compradas na maracutaia pelo Ministério da Pesca no governo Lula. As embarcações não tinham utilização e a saída encontrada foi serem doadas à Marinha. Quanto ao escândalo, não aconteceu nada, ninguém foi preso, sequer processado. E la nave va...

Autor: Vitor Abdala.