sábado, 9 de julho de 2011

Pagot vai abrir o bico?

Tudo indica que Pagot pediu férias para esperar "baixar a sujeira", o povo e a imprensa esqueça os últimos episódios, e ele, inclusive, não seja vítima da degola no ministério.
E, pasmem,"a seu favor", a rádio corredor apurou que ele possuiria informações tão quentes quanto devastadoras contra muitos petistas.
Dizem até, que ele avisou: Se cair vai abrir o canhão denunciando petistas.. As fraudes no DENIT se estendem por todo país e têm a "marca petista de governar".
Em privado, Pagot recorda que, até bem pouco, afora a supervisão direta da ex-ministra Dilma, lidava com a pressão de expoentes do petismo.
Menciona explicitamente o casal Gleisi Hoffmann e Paulo Bernardo, hoje acomodados respectivamente na Casa Civil e no Ministério das Comunicações.
Afirma que a dupla o pressionava pela execução de obras do Dnit no Paraná, Estado que mandou Gleisi ao Senado na eleição do ano passado
Quem viver...verá! 

O divórcio, à jato, de Cabral.

Cabral consegue na Justiça do Rio o divórcio mais rápido da história. Em 4 dias já estava homologado.


Por Carlos Newton, na Tribuna da imprensa:
Foi um divórcio-relâmpago, que levou apenas quatro dias úteis. Apresentados os papéis dia 30 (na quinta-feira da semana passada), na terça-feira seguinte a  Justiça do Rio já homologava o divórcio do governador Sérgio Cabral e da advogada Adriana Ancelmo. Os dois estavam formalmente casados desde abril de 2004 e têm dois filhos, de 9 e 5 anos.
Segundo a Folha de S. Paulo, de acordo com o presidente do Tribunal de Justiça do Rio, desembargador Manoel Alberto Rebêlo dos Santos, a homologação do divórcio seguiu os trâmites normais do tribunal: “Quando não há disputas ou divergências, o divórcio é concedido rapidamente”.
O juiz que homologou o divórcio-relâmpago, Gerardo Carnevale da Silva, justificou a presteza alegando que, por ser governador, Cabral tem direito a foro privilegiado – no caso, prioridade de julgamento. Mas não é bem assim, porque o foro privilegiado se refere a outros tipos de processo, nada tem a a ver com Direito de Família.
Os dois foram representados por um só advogado, Alexandre Ghazi, e o divórcio foi consensual, sem disputa de bens, pagamento de pensão e guarda e visitação dos filhos. Mas os termos do acordo de separação não foram divulgados, porque ações que tramitam nas Varas de Família são protegidas por segredo de Justiça.
Mas como em sociedade tudo se sabe, as informações são de que Adriana Ancelmo ficou com o luxuoso apartamento do Leblon, que vale mais de 7 milhões, e com uma das duas mansões de Sérgio Cabral no Condomínio Portobello, em Mangaratiba.
Os dois estavam formalmente separados desde 16 de junho, véspera do acidente com helicóptero na Bahia, e desde então Adriana só apareceu publicamente ao lado de Cabral uma vez, na cerimônia do velório de Jordana Kfuri Cavendish, mulher do empresário Fernando Cavendish, dono da empreiteira Delta Construções e amigo íntimo do governador. Adriana não quis aparecer nas outras cerimônias fúnebres, inclusive no velório de Fernanda Kfuri, cunhada de Cavendish.
A ocasião em que se realizou o divórcio favoreceu os interesses da Adriana Ancelmo. Fragilizado com as múltiplas denúncias de ligações com empreiteiros e outras irregularidades no governo, Cabral nem quis discussão na Justiça sobre os bens milionários que amealhou nos últimos anos, quando ainda não havia “Código de Conduta Ética” no Estado.  E como dizia Vinicius de Moraes, o amor é a coisa mais triste quando se desfaz”.

Empresa de Blairo Maggi é abastecida com dinheiro público.

Por Jailton de Carvalho, em O globo:
MANAUS - O Conselho Nacional do Fundo da Marinha Mercante, vinculado ao Ministério dos Transportes, aprovou em maio deste ano um financiamento de R$ 113,5 milhões para a Hermasa Navegação da Amazônia, empresa do grupo controlado pelo senador Blairo Maggi (PR-MT) - que foi sondado pela presidente Dilma Rousseff para assumir o cargo de ministro dos Transportes .
O diretor do departamento que administra os recursos do fundo é Amaury Ferreira Pires Neto, indicado para o importante cargo pelo deputado Valdemar Costa Neto, secretário-geral do PR, partido do senador.
Segundo o líder do PR na Câmara, Lincoln Portela (MG), a generosa e milionária transação entre aliados do senador com o fundo teria sido um dos motivos que inviabilizaram a nomeação dele para o comando do ministério em substituição ao colega Alfredo Nascimento.
Nascimento deixou o cargo na quarta-feira, depois das denúncias de corrupção no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).
Nesta sexta-feira, quando começaram a circular as primeiras informações sobre o generoso financiamento do Fundo da Marinha para a Hermasa, Blairo anunciou que não aceitaria o convite para comandar o Ministério dos Transportes.
Os vínculos entre aliados do senador e o negócio não se limitam a Valdemar e Amaury Ferreira.
Um dos ex-diretores da Hermasa é Luiz Antonio Pagot, diretor afastado do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).
Antes de ser indicado por Maggi para comandar o Dnit, Pagot trabalhou por três anos na Hermasa.
*Leia mais aqui

Nunca antes neste país os larápios federais roubaram tanto.

Nunca antes neste país os larápios federais roubaram tanto e tão descaradamente quanto nos últimos oito anos e meio, confirmam as revelações que precipitaram a troca do ministro Alfredo Nascimento por outro figurão do bando liderado pelo deputado federal Valdemar Costa Neto. Em junho de 2002, quando presidia o Partido Liberal, foi o parlamentar paulista quem celebrou o acordo com o PT que resultou na dupla formada por Lula e pelo senador José Alencar, eleito pelo PMDB mineiro mas já a caminho do PL.
As investigações sobre o escândalo do mensalão revelaram que o aluguel do partido custou R$10 milhões. Mais o Ministério dos Transportes, sabe-se agora. Desde janeiro de 2003, Costa Neto administra pessoalmente a formidável cachoeira de contratos bandalhos. Hoje secretário-geral do Partido da República, nascido há cinco anos da fusão do PL com o Prona, o sócio do PT faz mais que indicar ministros: ele nomeia prepostos. (Augusto Nunes)

Gurgel: "José Dirceu era o chefe da quadrilha".

José Dirceu, o chefe da quadrilha, segundo Gurgel.
O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, não poupou a cúpula do PT e pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a condenação de 36 réus da ação penal 470 pelos crimes cometidos durante o mensalão do PT - o maior escândalo do governo Lula. Gurgel foi enfático ao falar do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, demitido no auge das denúncias: "As provas coligidas no curso do inquérito e da instrução criminal comprovaram, sem sombra de dúvida, que José Dirceu agiu sempre no comando das ações dos demais integrantes dos núcleos político e operacional do grupo criminoso. Era, enfim, o chefe da quadrilha".
O procurador afirma que o ex-ministro foi o mentor do esquema de compra de votos de parlamentares da base em troca da aprovação de projetos encaminhados pelo Palácio do Planalto ao Congresso Nacional. Dirceu, ressalta Gurgel, agia tanto nas negociações com os líderes partidários quanto na obtenção de recursos a serem entregues ao deputados.
* Leia, na íntegra, na Veja.com

Porque hoje é sábado, uma bela mulher.

A bela atriz Alinne Moraes

Síndrome da saúva.

A aprovação do Regime Diferenciado de Contratações para as obras da Copa e da Olimpíada sem resistência nem debate no Senado e a manutenção da cota do PR no Ministério dos Transportes, depois da comprovação de que as indicações do partido foram todas deletérias, dizem quase tudo a respeito da promiscuidade nas relações entre Executivo e Legislativo. 

sexta-feira, 8 de julho de 2011

O bom aluno do lula.

Não há político no Brasil que tenha aprendido tanto com Luiz Inácio Lula da Silva como Sérgio Cabral, governador do Rio: imita-o na falta de limites, na disposição de afrontar a ordem legal, na marquetagem pessoal, no destemor com que desafia o ridículo. Todos o viram há pouco a lançar uma espécie de código de ética para o governo do estado. Seria uma iniciativa meritória não estivesse em questão o comportamento do próprio Cabral, chegado a receber favores de bilionários com sólidos interesses na administração.
A promiscuidade, há muito conhecida, ganhou tinturas dramáticas com o acidente de helicóptero que matou piloto, duas crianças, uma babá e três mulheres: Mariana Noleto, namorada de um filho de Cabral do primeiro casamento; Jordana Kfuri, mulher do empreiteiro Fernando Cavendish, e Fernanda, irmã de Jordana e namorada de Cabral, que se divorciou só ontem de sua segunda mulher. No Rio, todos sabem disso, mas preferem falar do barquinho que vai e da tardinha que cai. Estavam reunidos na Bahia para comemorar o aniversário de Cavendish, um homem de trajetória empresarial, como dizer?, um tanto conturbada. A Delta toca obras de mais R$ 1 bilhão no estado do Rio, mais de R$ 200 milhões desse total sem concorrência.
A proximidade do governador Sérgio Cabral com Cavendish, dono da Delta, e favores outros recebidos de Eike Batista, somados ao drama pessoal vivido pelo homem Sérgio Cabral lançaram o seu governo numa espécie de crise de credibilidade. De súbito, o político que consegue dosar com grande competência, admito, fanfarronice, dramaticidade, populismo e até certos ecos daquela estereotipia do “malandragem” carioca se viu sorumbático, um tanto abatido, atropelado pela sua falta de senso de medida, como uma espécie de ressaca que sobreviesse à alegria que leva um jovem a exagerar na dose. Foi, assim, nesse seu momento taciturno, que o tal código veio à luz, como se não houvesse leis que desaconselhassem Cabral a usar o jatinho de um ou a participar do convescote de outro…
Pois bem. Ontem, a presidente Dilma Rousseff foi ao Rio inaugurar o teleférico no Complexo do Alemão. Em um mês, a presidente teve de demitir dois ministros: Antonio Palocci saiu no dia 7 de junho, e Alfredo Nascimento, no dia 6 de julho. Embora os dois estejam envolvidos em casos de natureza distinta, pode-se dizer que uma coisa os une: a falta de liturgia ao lidar com o interesse público. O caso de Nascimento é mais grave para o governo porque envolve uma fatia da base de apoio no Congresso. Muito bem.
Cabral ainda está na sua fase de recolhimento. O grande orador do governo do Rio foi o vice-governador, Luiz Fernando Pezão. E ele não hesitou: “Ninguém sabe no Brasil mais do que a senhora (Dilma Rousseff) o que é fazer obra pública neste País (…) Eu queria aqui dividir esse momento (…) por nós estarmos celebrando de vencer a burocracia toda, de vencer os ministérios públicos, de vencer todas as dificuldades que existem num processo como esse”. Em seguida, metendo os pezões pelas mãos,  mostrou-se grato às empreiteiras, inclusive à Delta, a empresa de Cavendish, também citada nominalmente.
Eu sempre me emociono quando vejo um governante falar das enormes dificuldades legais que os patriotas enfrentam para governar o Brasil, como se todos eles nos fizessem um enorme favor, abrindo mão dos próprios interesses para defender os nossos. Eu estou entre aqueles que, de vez em quando, enroscam com uma exigência ou outra do Ministério Público, mas eu posso! A homens públicos não cabe fazer proselitismo contra órgãos encarregados de fiscalizar a conduta de… homens públicos! Essa era uma das peças de resistência de Lula, que atacou de modo sistemático, nos seus oito anos de governo, o Tribunal de Contas da União, por exemplo.
São dias realmente muito especiais estes que vivemos. Uma presidente que acaba de demitir a cúpula de um Ministério diante de evidências gritantes de corrupção ouve um vice-governador ser grato às empreiteiras — inclusive àquela que é pivô da crise que enfrenta o governador — e atacar os “ministérios públicos”. Esta mesma presidente impôs ao Congresso um regime de concessão de obras públicas para a Copa do Mundo que poderá, por comparação, fazer gente como Valdemar Costa Neto parecer um coroinha. Na prática, o texto devolve o país à selvageria pré-lei de licitações.
Estamos sendo governados por heróis que descobriram as virtudes revolucionárias de jogar no lixo as leis.
* Texto por Reinaldo Azevedo

Petista é responsável por 90% das obras do Dnit, diz Pagot !

Por Catia Seabra, na Folha:
Depois de perder o comando do Ministério dos Transportes sob acusações de corrupção, o PR manda ao governo seu recado: não quer pagar sozinho pelas denúncias que abalaram a pasta e já faz ameaças a petistas que estão na estrutura do órgão, informa reportagem de Catia Seabra, publicada na edição desta sexta-feira da Folha.
O diretor afastado do Dnit, Luiz Antonio Pagot, que entrou de férias após suspeitas de corrupção.
Afastado após ter o nome envolvido nas acusações, o diretor-geral do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Luiz Antonio Pagot, deu ontem uma prévia de como será seu depoimento sobre o escândalo, programado para terça e quarta-feira no Congresso.
"O Dnit é um colegiado. O Hideraldo manda tanto quanto o Pagot", disse, em referência ao petista Hideraldo Caron, diretor de Infraestrutura Rodoviária do Dnit, e listando, em seguida, todo o colegiado do órgão.
Pagot e outros três nomes da cúpula do Ministério dos Transportes tiveram o afastamento determinado pela presidente Dilma Rousseff após reportagem da revista "Veja" sobre um suposto esquema de superfaturamento de obras e recebimento de propina envolvendo servidores e órgãos ligados à pasta.
Comentario de Reinaldo Azevedo: O mais engraçado nessa historia é que até agora, ninguem se atreve a desmascarar o salafrario  responsavel por esta "herança maldita", esta quadrilha de ladroes e corruptos infiltrados em todos os ministerios.
Ontem li que o pres. do TCU ou CGU (nao lembro agora), disse: gostaria de saber o que pensa Lula de tudo o que esta acontecendo, ja que nós tinhamos denunciadas todas estas falcatruas (ha dois anos atras) e ele (Lula) sempre deu de ombros, ou seja (como sempre), nao acreditou e empurrou com o barriga, alias nenhuma novidade até aqui, seu governo sempre pautou pela impunidade, pelo pouco caso, pelo deboche, pela safadeza, para quem afirmou que o mensalao nao existiu (ontem o procurador Gurgel reafirmou que o mensalao existou sim e que todos os envolvidos, devem ir para julgamento, nao fez mais que sua obrigaçao) nao se tem o que comentar, é um caso de psiquiatria, ou o cara é um sociopata ou um crapula mesmo!
Outra coisa, porque só agora o pres. do TCU esta falando (criticando o salafrario), quando deveria ter feito la atras, quando todos sabiam que aquele vigarista, nunca respeitou nem mesmo a Constituiçao?

Sobrinho de deputado receberia propina de empresas prestadoras de serviços ao DNIT.

Inquérito da Polícia Federal revela que um sobrinho do deputado federal João Maia (PR-RN) recebia propina de 5% em cima dos valores pagos a uma empresa contratada pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), revela reportagem de José Ernesto Credendio, publicada na edição desta quinta-feira da Folha (íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).
Este é um dos 74 inquéritos abertos pela PF para investigar desvio de verbas no órgão, vinculado ao Ministério dos Transportes, comandado até esta quarta-feira pelo PR.

Relações perigosas: Influência de escritórios nos tribunais é "câncer nacional".

Alvo de ataques vindos de diferentes frentes do Poder Judiciário devido a sua atuação na Corregedoria Nacional de Justiça, a ministra Eliana Calmon criticou dessa vez a influência dos escritórios de advocacia nos tribunais do país. Trata-se de "um câncer nacional", disse a ministra no julgamento que aposentou compulsoriamente o desembargador Antônio Fernando Guimarães, do TRT-3 (Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região-MG). Ele é acusado de receber favores do escritório de advocacia Vilhena & Vilhena, em troca de decisões que beneficiaram clientes da banca —levantamento do CNJ mostrou que Guimarães decidiu a favor do escritório em 81% de suas decisões.

Menos um encosto.

A bem da verdade Dilma Roussef jamais simpatizou com Alfredo Nascimento. Conviver com o ex-ministro sempre foi para a presidente um sacrifício para satisfazer um dos caprichos de seu mentor Luiz Inácio.
É certo que para fazer de seu dileto amigo João Pedro senador, Luiz Inácio impôs a Dilma aceitar Nascimento no ministério.
Dilma que sempre o achou incompetente e duvidade de conduta ética, sentiu-se obrigada  a engolir Nascimento em sua equipe.
Com este último escândalo, levado a público pela imprensa, Dilma vislumbrou a oportunidade de se livrar do "encosto".
É menos um. Mas restam mais algumas peças, no ministério, legado de Luiz Inácio, que agora se mostra como uma herança das mais mal cheirosas.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Dilma, Cabral e Pezão inauguram o teleférico do morro do alemão.

Cabral, Dilma e vice-governador Pezão no teleférico
(Foto: Roberto Stuckert Filho / Presidência)
A presidente Dilma Rousseff inaugurou, nesta quinta-feira (7), o primeiro sistema de transporte de massa por cabo do Brasil, o teleférico do Conjunto de Favelas do Alemão, na Zona Norte do Rio. Ela estava acompanhada do governador do Rio, Sérgio Cabral, e do prefeito Eduardo Paes. A comunidade foi pacificada no final do ano passado.
Eles seguiram no teleférico do Morro do Alemão até o Morro do Adeus.
O teleférico deve atender a cerca de três mil pessoas por hora, em média 30 mil por dia. O transporte tem 3,5 quilômetros de extensão e contará com 152 gôndolas. Seis estações foram construídas entre Bonsucesso e Fazendinha, mas inicialmente apenas três entrarão em funcionamento: Bonsucesso, Adeus e Baiana.
"O teleférico será visto por todos com olhos da boa inveja", disse Dilma, explicando que a obra além de necessária, é bonita e mostra respeito aos moradores.
Na cerimônia de inauguração, a presidente afirmou ainda que faltava a presença do ex-presidente Lula, que tinha muito carinho e respeito pelo projeto.
A presidente Dilma agradeceu a parceria feita com o governador Sérgio Cabral e também com o vice-governador Luiz Fernando Pezão, a quem chamou de "pai do PAC". (Portal G1)
COMENTO: O trio, na foto acima, inaugurou um teleférico que custou aos cofres públicos a módica quantia de R$ 220 milhões.
O teleférico foi construido pelo Consórcio Rio Melhor, formado pelas Construtoras Norberto Odebrecht (Empresa Líder), Construtora OAS e Delta Construções.
A promoção de inauguração poderia ser: compre um teleférico, ganhe um jatinho de graça e mais finais de semana em resorts de luxo no Sul da Bahia...ou mais!!!

Brasil, paraíso do superfaturamento.

Há uma semana, o   governo da China  inaugurou a ponte da baía de Jiaodhou, que  liga o   porto de Qingdao à ilha de Huangdao. Construído em quatro anos, o colosso   sobre o mar tem 42 quilômetros de extensão e custou o equivalente a R$2,4   bilhões.
Há uma semana, o DNIT   escolheu o projeto da nova ponte do Guaíba, em Ponte Alegre, uma das mais   vistosas promessas da candidata Dilma Rousseff. Confiado ao Ministério dos   Transportes, o colosso sobre o rio deverá ficar pronto em quatro anos. Com 2,9   quilômetros de extensão, vai engolir R$ 1,16   bilhão.
Intrigado, o   matemático gaúcho Gilberto Flach resolveu estabelecer algumas comparações   entre a ponte do Guaíba e a chinesa. Na edição desta segunda-feira, o   jornal Zero   Hora publicou o espantoso confronto númerico resumido no   quadro abaixo:
Os números informam   que, se o Guaíba ficasse na China, a obra seria concluída em 102 dias, ao   preço de R$ 170 milhões. Se a baía de Jiadhou ficasse no Brasil, a ponte não   teria prazo para terminar e seria calculada em trilhões. Como o Ministério dos   Transportes está arrendado ao PR, financiado por propinas, barganhas e   permutas ilegais, o País do Carnaval abrigaria o partido mais rico do   mundo.
Corruptos existem em   qualquer lugar. A diferença é que o Brasil institucionalizou a impunidade. Se   tentasse fazer em outros países uma ponte como a do Guaíba, Alfredo Nascimento   e seus parceiros saberiam que o castigo começa com a demissão e termina na cadeia.
* Augusto   Nunes

A crise quase se alastrou por mais setores do governo Dilma.

A crise no Ministério dos Transportes ameaçou alastrar-se para outras áreas do governo, atingindo de forma direta a presidente Dilma Rousseff e o secretário-geral da Presidência, ministro Gilberto Carvalho.
Na terça-feira, 5, enquanto Dilma visitava as obras da Usina de Santo Antonio em Rondônia, Carvalho reunia-se com Luiz Antonio Pagot para dar uma aparência de normalidade ao pedido de férias do afastado diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).
Ao tomar conhecimento do que ocorrera, Dilma mostrou-se irritada.
No sábado, 2, ela havia ordenado o afastamento de quatro dirigentes da área dos Transportes, entre eles Pagot .
Carvalho e Pagot, apadrinhados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tinham redigido uma nota, que chegou a ser divulgada, mas logo foi suspensa.
Nela, o Dnit assegurava que as férias de Pagot não eram uma manobra e que ele estava encaminhando as explicações necessárias.
Já informada da operação, Dilma desembarcou em Brasília cerca das 19 horas e seguiu para o Planalto, onde mandou dizer aos jornalistas que Pagot seria sumariamente demitido assim que retornasse das férias.
Toda a operação causou forte desconforto no Planalto.
A ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, foi a primeira a estrilar.
Telefonou para o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, questionando-o sobre a nota que estava sendo divulgada, segundo a qual 'por decisão da Casa Civil da Presidência da República, corroborada pelo Ministério dos Transportes', o diretor-geral do Dnit estava cumprindo programação de férias.
'Como vocês divulgam informação com nome da Casa Civil sem falar comigo?', reclamou Gleisi.
Nascimento explicou que a nota resultava de um acerto entre Pagot e Gilberto Carvalho.
Por ordem do Planalto, a nota foi abortada.
Carvalho negou que estivesse tentando salvar Pagot.

Seu dinheiro promove o arraiá da verba pública.

Os R$ 22 milhões prometidos (empenhados) pelo Ministério do Turismo para a organização de festas juninas e julinas no país têm como destino mais de 130 cidades (veja a lista abaixo) espalhadas por 16 estados. Esses recursos, como mostrou o Congresso em Foco, foram direcionados do orçamento federal por iniciativa de 66 congressistas e ex-congressistas, por meio das chamadas emendas parlamentares.
Os estados da Paraíba, do Ceará e da Bahia foram os mais agraciados com esse tipo de recurso.
Em todos os convênios, além da verba federal, as prefeituras e os governos estaduais entraram com diferentes valores de contrapartida. Em alguns casos, o valor aceito é inferior ao reivindicado por deputados e senadores. Há casos também em que o Ministério do Turismo complementou os recursos por iniciativa própria. A lista pode aumentar com a aprovação dos últimos convênios. O levantamento do Congresso em Foco foi concluído na última sexta-feira 01/07.

Argentina empata outra vez.

Sem imaginação, burocrática e com seu astro Lionel Messi apagado, a Argentina voltou a decepcionar na Copa América. Em Santa Fé, no Brigadeiro Estanislao López, estádio conhecido como o "Cemitério dos Elefantes", os hermanos não passaram de um magro 0 a 0 diante da Colômbia, pela segunda rodada do Grupo A, na noite de ontem, quarta-feira.

Seis por meia dúzia?

A queda de Alfredo Nascimento do Ministério dos Transportes, suspeito de integrar um esquema de corrupção, abre espaço para que o senador Blairo Maggi (PR-MT) assuma a pasta. Outra opção avaliada é Paulo Sérgio Passos, atual secretário-executivo do ministério.
Maggi foi sondado discretamente pelo Planalto no começo da semana, no mesmo dia em que a Presidência da República emitiu uma nota manifestando "confiança" no ministro. Na primeira conversa, Maggi teria dito a interlocutores que se trata de um ministério problemático. Em conversas seguintes, porém, mandou sinais de que poderia ocupar a vaga pelo PR, que comanda os Transportes. (Folha.com)

Os bueiros cariocas.

O que vai pela minha cabeça...e por onde anda meus pés! Eduardo Paes prefeito do Rio de Janeiro e os bueiros! Nada de providências!
Se você vem visitar a cidade Maravilhosa do Rio de Janeiro, traga capacete e botas de obra, capa impermiável e reza forte!
Pois é, destesto que falem mal injustamente de minha cidade, mas quando existe motivo justo sou a primeira a apontar, e agora existe:
Está difícil andar pelas ruas do Rio de Janeiro, a pouco tempo andaram caindo marquises antigas, agora as tampas de bueiros da empresa de energia da cidade, resolveram explodir!
Então pergunto?Como andar pelas ruas da cidade e desviar deste perigo?
Impossível!!
Os bueiros são colocados em espaços mínimos, difíceis de desviar, ou melhor, não tem como desviar.
Pelas minhas contas já explodiram 6 bueiros, e com 4 vítimas, sendo uma muito grava.
Já pensaram como andamos pela cidade?
-Temos que ter cuidado para não passar embaixo das marquises, estão caindo!
-Ao atravessar a rua a noite temos que olhar bem mesmo quando o sinal está a nosso favor, porque podem não respeitar!
 -Desviar dos buracos deixados pela obra da NET, já teve gente que caiu lá dentro!
 -E agora passar longe de bueiros ( esta é impossível), porque você pode ser jogado longe e queimado!
-Sem falar no caos quando chve muito!
Ou seja quem vê o carioca andando nas ruas, pensa:
Que povo brincalhão, eles pulam amarelinha o tempo todo!
Mas é simples saber porque isto ocorre, existe uma coisa chamada "MANUTENÇÃO", deve ser feita com regularidade, e não está sendo feita de forma nenhuma, nunca foi feita, por isso estas coisas ocorrem, e isso se arrasta dede outros governos e prefeitos e nestes nada mudou!
As empresas combram uma nota preta pelos seviços, sem falar nos impostos,  ou políticos só acham que segurança é combater o crime,  e em troca acontece isto.Mas isto não é crime também?
Que venha a Copa do Mundo e as Olimpíadas...quem sabe até lá resolvam consertar tudo!
Agora que a violência dos ladrões e traficantes diminuiu bastante, enfrentamos os bandidos do colarinho branco, que só recebem e não fazem.
Enquanto isso...
Que São Sebastião nos proteja... quando a gente sai, nunca sabe o que vai acontecer!
Porque pela nossa cabeça pode vir uma marquise, e pelos nossos pés...um bueiro em chamas!!!
E tem gente aque acha que privatizar é o certo...
* Guta Melo, por e-mail, via resistência democrática.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Onde está Cabral?

Rio teve 58% de aumento no número de casos graves de dengue
O Estado do Rio de Janeiro lidera as estatísticas de mortes, casos graves e notificações de dengue nos primeiros seis meses deste ano. De janeiro a junho, foram registradas 85 mortes, 3.232 casos graves e mais de 137 mil notificações de dengue, conforme balanço divulgado nesta quarta-feira pelo Ministério da Saúde. O número de mortos pela doença cresceu 157% em relação ao primeiro semestre de 2010. O de casos graves, 58%, enquanto o de notificações aumentou 513% na mesma comparação.
Os números do Rio de Janeiro vão de encontro à média nacional, que caiu no mesmo período. De acordo com o ministério, as notificações da doença este ano caíram 18% e as de mortes e os casos graves registraram queda de mais de 40%. Foram registradas em todo o país 310 mortes por dengue contra 554 em 2010. Os casos graves caíram de 14.685 para 8.102. As notificações, de 874 mil para 715 mil.

Fotos da obra da casa do ex-chefe de gabinete do Ministério dos Transportes.

Lula Marques/Folhapress
Obra da casa do ex-chefe de gabinete do ministro dos Transportes, o engenheiro civil Mauro Barbosa da Silva, que está em área nobre de Brasília; a construção custará cerca de R$ 2,1 milhões, segundo a Folha online.

Caiu!

Como já era previsto, no meio político, e comentado nos bastidores do Planalto, Alfredo Nascimento  não resistiu às acusações de superfaturamento de obras e recebimento de propina envolvendo servidores e órgãos ligados à pasta e pediu demissão do cargo de Ministro dos Transportes nesta quarta-feira.

Minha mansão, minha vida!

Foto: Celso Junior
Mauro Barbosa da Silva , funcionário de carreira, ex-chefe de gabinete do Ministério dos Transportes, que no recente escândalo do Ministério foi afastado por envolvimento em suposto esquema de cobrança de propina, pode ver ruir o seu acalentado sonho de novo rico: Concluir a construção de sua mansão ( foto ) no Lago Sul, reduto dos milionários do Distrito Federal, que se concluida poderia valer até 4 milhões de reais.

Marcha à ré!!!

Uma cortina de mentiras ocupa o poder. O marketing de um país de "todos" devora verbas inacreditáveis numa esquizofrenia que se reflete nos juros mais altos do planeta, em obras sem licitação, tráfico de influência, e a previsivel repetição de escândalos semanais!
E os mafiosos, Dirceu, Franklin Martins, e Lula, principalmente, "orientando" o biombo- Dilma, completamente atônita, sem saber que rumo imprimir a um governo à deriva!
Nenhum projeto a não ser o da permanência indefinida no poder! A luta antropofágica da "base aliada" por cargos, o "fogo amigo do PT" minando o que possa restar de autoridade da Dilma, que não é nenhuma "vitima", pois todo o esquema era de seu conhecimento!
Criou-se a burguesia sindical sem obrigações de prestar contas de seus gastos: a verdadeira elite que conta com a total cumplicidade de Lula, mais preocupado com suas "palestras", não por coincidência, com empresas que têm relações mais que "amistosas" com o governo!
Em pouco teremos a marcha final: a da insolvência do Brasil!
* Texto por Carlos Vereza

O bolsa familia dos bilionários.

A reação negativa provocada pela notícia de que o BNDES resolveu abençoar com R$4 bilhões a fusão do Pão de Açúcar com o Carrefour pode ter matado, ainda no berço, o mais audacioso programa social entre todos os que ajudaram a construir o Brasil Maravilha registrado em cartório.
Como Lula acabou com a pobreza, como Dilma já começou a acabar com a miséria, como a classe média existe para pagar as contas do governo, só faltava o programa que ─ aperfeiçoado depois do teste bem sucedido com Sílvio Santos ─ seria lançado oficialmente com a entrega do dinheiro e de um diploma a Abílio Diniz.


É o Bolsa Família dos Bilionários.

*Fonte: Blog do Augusto Nunes - VEJA

Filho de ministro enriquece aos 21 anos.

Filho do ministro Alfredo Nascimento (Transportes), Gustavo de Morais Pereira é um assombro ou seu pai é do tipo que faz milagres.
O garoto se tornou empresário aos 18 anos de idade e aos 21 já era sócio de uma das mais importantes empreiteiras do Amazonas, a Forma Construções Ltda.
Dois anos depois, os ativos da Forma, cujo capital social não passa de R$ 60 mil, já somavam amazônicos R$ 52 milhões.
Aos 21, Gustavo comprou por R$ 300 mil um Centro de Estudos que era dono de um terreno de 51 mil metros avaliado em R$ 30 milhões.
A oposição desconfia que o filho seria uma espécie de “laranja” do ministro dos Transportes, por isso querem investigar o caso em CPI.
Mas um servidor, José Erasmo Souza, pediu ao Ministério Público Federal em Manaus para investigar a fortuna do filho de Alfredo Nascimento. (Coluna CH)

Senado aprova nome de Márcio Fortes na APO.

Por 41 votos a favor e sete contra, o Senado aprovou nesta terça-feira o nome do ex-ministro Márcio Fortes para presidir a APO (Autoridade Pública Olímpica), consórcio responsável pela organização e monitoramento da Rio-2016.
A indicação de Márcio Fortes passou pelo Senado sem dificuldades. Pela manhã, o nome dele também foi aprovado pela Comissão de Assuntos Econômicos, numa sabatina rápida e tranquila. (Folha.com)

Cielo recusa entrevista a Patrícia Poeta para o 'Fantástico',

Fotos:Mastrangelo Reino/Alexander Klein/Folhapress/France Presse
Campeão olímpico e mundial da natação, Cesar Cielo recusou o convite da TV Globo para dar uma entrevista de cinco minutos no "Fantástico" à apresentadora Patrícia Poeta, revelou à Folha nesta terça-feira o treinador do atleta, Alberto Pinto.
O espaço foi cedido para que o atleta falasse sobre o resultado de exame antidoping a que se submeteu em maio, quando foi encontrado o diurético furosemida, substância proibida na lista da Wada (Agência Mundial Antidoping). Cielo e três companheiros de equipe foram punidos com uma advertência pela CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos).
Desde que o caso foi trazido a público, na sexta-feira (dia 1º), Cielo teve contato com a imprensa apenas uma vez, no mesmo dia. Leu um comunicado, que havia sido distribuído à imprensa horas antes por e-mail, e não permitiu perguntas dos jornalistas.
Ao recusar um convite de entrevista em um dos programas de maior audiência da Globo, Cielo vai na contramão de outros nomes do esporte brasileiro que se utilizaram do espaço no "Fantástico" para falar sobre casos polêmicos, como Neymar, Ronaldo e Adriano.

Câncer de Chávez pode voltar em 6 meses e letal.

O chanceler Nicolás Maduro pode reinventar a medicina quantas vezes quiser, mas para pelo menos dois dos mais experientes cirurgiões cariocas – com especialização em cólon e reto – ele esgotou com rapidez um impressionante estoque de bobagens a cada entrevista em que falou da saúde de Hugo Chávez. O mesmo fez o presidente, na repentina volta de Cuba, quando a Venezuela já tentava entender a gravidade de seu estado e a necessidade de ficar em havana por seis meses.
Agora, depois que o discurso oficial aposentou a versão do tumor de próstata (como se tumor de próstata fosse coisa simples), todas as informações convergem para um quadro bem mais grave da saúde de Chávez. Abcesso pélvico não casa com câncer de próstata, mas tem tudo a ver com um câncer avançado de reto ou de sigmóide, que é a seção final e descendente do intestino grosso.
Tumores nessas duas áreas costumam ser resultado de câncer agressivo e, de acordo com especialistas consultados, com elevado índice de recidiva. Mais grave, talvez, tenham sido as condições em que Chávez foi operado. A emergência anunciada oferece duas indicações, ambas ruins: a doença é antiga e o abcesso perfurou. Como isso ocorreu na região pélvica, as células doentes se espalharam por todo o peritônio, a membrana que envolve o conteúdo do abdome.
A afirmação de Maduro, segundo a qual em nova cirurgia, dois dias depois, foram retiradas “todas as células cancerígenas” é mentira em estado bruto. Primeiro porque céulas são estruturas microscópicas, o que torna a remoção praticamente impossível. Depois, porque centenas (milhares?) delas já teriam penetrado na corrente sanguínea. A segunda cirurgia também pode ter sido feita em busca de metástases não obrigatoriamente percebidas na urgência em que o presidente foi operado.
Pode ser que não existissem mesmo e que doença estivesse concentrada em tumor único. De qualquer maneira, asseguram os médicos brasileiros, a medicina cubana não é a melhor que Chávez poderia ter nessa especialidade. Menos pelo médicos, que têm recebido apoio e ensino espanhol, e mais pela falta de equipamentos e tecnologia. A estatística, sempre implacável, registra que em 95% das ocorrências os cânceres de reto e sigmóide são letais. Nos casos de contaminação da cavidade abdominal a recorrência costuma se apresentar em seis meses sob a forma de peritonite carcinomatosa.
* http://xicovargas.uol.com.br/index.php/2372

Defunto caro.

O SUS (Sistema Único de Saúde) pagou cerca de R$ 14 milhões em cirurgias e internações para pessoas que já estavam mortas na data dos atendimentos. De acordo com o relator do processo, ministro José Jorge, boa parte das internações realmente ocorreu, mas em períodos diferentes dos que foram informados. "Em outros casos, pode ter ocorrido burla mesmo", disse o ministro. (Folha.com)
Pode até ser que haja erros nos registros como alega o Ministro. Mas nosso sistema de saúde pública é tão ruim que quando chega a hora da cirurgia ou da internação muitas vezes o paciente realmente já faleceu.
É impressionante o desrespeito do governo para com o povo.
Quanto é que vamos acordar e fazer valer os nossos direitos?
Ou o Brasil acaba com o PT ou o PT acaba com o Brasil!
* gracialavida, por e-mail, via resistência democrática.

Acusar as imposturas de Lula é uma questão civilizatória.

Por Reinaldo Azevedo:
Poderia deixar passar, mas não vou.
Acusar as imposturas de Lula é uma questão civilizatória.
A cada vez que ele brutaliza a verdade, é um dever moral acusar a mentira.
Na Folha de hoje, o Babalorixá de Banânia afirma que foi preciso Itamar Franco morrer para que lhe reconhecessem o mérito do Plano Real.
É uma forma indireta e vigarista de atacar FHC, como se este houvesse sequestrado a obra daquele.
O tucano sempre reconheceu, e o fez ainda outra vez há dois dias, que Itamar era o presidente à época da decretação do Real.
Mas também é fato notório que este não tinha a exata noção do problema.
Quem não reconhece as virtudes do real é Lula.
Tanto é assim que seu partido votou contra a lei que o instituiu.
Os petistas diziam que o plano seria um desastre para o Brasil.
Quem satanizou Itamar foi Lula, especialmente durante a privatização da CSN.
Quem hostilizou Itamar foi Lula, tanto é que o PT se negou a fazer parte da base de apoio ao governo e puniu Luiza Erundina, que aceitou ser Ministra da Administração.
Vai ver Lula fala de si mesmo.
Enquanto Itamar era Presidente da República, o PT, na oposição, fez o que sabe fazer: sabotar o governo.

A presidente se maculou.

No Estadão:
A decisão da presidente Dilma Rousseff de manter o senador amazonense e presidente (licenciado) do PR, Alfredo Nascimento, no comando do Ministério dos Transportes imprimiu à sua passagem pelo Planalto uma indelével marca negativa. No sábado, quando a revista Veja noticiou que a corrupção corria solta na cúpula da pasta, Dilma mandou Nascimento afastar de imediato os quatro servidores de sua confiança que teriam ligações com o esquema - o que criou a expectativa de que o próprio ministro perderia o cargo em seguida. Seria a ordem natural das coisas, ainda que ele não figurasse entre os envolvidos por atos alegadamente praticados do outro lado da parede do seu gabinete e não fizesse por merecer o que dele afirmou há tempos o governador Cid Gomes, do Ceará: "Inepto, incompetente e desonesto".
Ontem cedo, porém, o Planalto informou que Nascimento não só continua contando com a confiança da presidente, como ainda foi por ela incumbido de chefiar a apuração das malfeitorias no núcleo central do Ministério. Em vez de dar motivo para se evocar a metáfora da raposa e do galinheiro, esperava-se de Dilma que mandasse os órgãos apropriados investigar as denúncias e, no mínimo, adotasse o método Itamar, lembrado nos necrológios do ex-presidente: afastem-se os suspeitos enquanto as acusações contra eles são apuradas e sejam reempossados se a sua inocência for provada. A decisão de Dilma foi um baque para quem quer que imaginasse que, contrastando com as hesitações expressas nas suas idas e vindas em questões de interesse do governo, ela não vacilaria diante de uma denúncia de corrupção na sua administração - o primeiro escândalo do gênero a vir à luz neste seu meio ano de mandato.
*Leia a íntegra Aqui

terça-feira, 5 de julho de 2011

"Eles não são ladrões!"

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que chamar um político de ladrão será uma ofensa contra a nação, e quem fizer deverá indenizar o governo moralmente. A multa para quem desobedecer varia de 46 a 171 mil reais. A decisão do STF valerá também para os internautas que chamam os políticos de ladrões pelas redes sociais Orkut, Facebook, Twitter, e outras.
“Nenhum político pode ser considerado ladrão enquanto não for condenado pelo STF, e até agora o STF inocentou todos”, disse os ministros do Supremo.
A próxima etapa do Supremo é decidir sobre a extinção da prisão temporária e preventiva para políticos envolvidos em escândalos. “Se todo político será no futuro inocentado pelo STF, não há motivos para prendê-los então”, diz a nota da assessoria do STF.
COMENTÁRIO: Na minha ignorância, acentuada nos ultimos anos quando me vi diante da dificuldade de entender certas decisões do STF, a decisão a que se refere este post, soa-me como se fora uma declaração tal qual seu título.

Por que Dilma hesita em demitir Alfredo Nascimento.

Dilma soube que estava havendo superfaturamento em obras tocadas pelo Ministério dos Transportes. Soube também que licitações ali eram fraudadas e que empresas contratadas contribuíam para o caixa 2 do Partido da República (PR, presidido por seu ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento).
Foi por isso que no último fim de semana ela mandou afastar a cúpula do ministério, toda ela formada por auxiliares de confiança do ministro. Não esperou, sequer, a volta de Nascimento, que viajara para o Amazonas, seu Estado.
Se Nascimento tiver um pingo de vergonha na cara pedirá demissão. Ou porque foi conivente com a roubalheira. Ou porque foi um administrador leniente, descuidado, omisso. Não mandava, de fato, no seu pedaço. Desconhecia o que se passava em torno do seu gabinete.
Caso Nascimento não peça para sair, Dilma só tem uma atitude a tomar para ser coerente com seus atos recentes: demitir o ministro. Bancar a babá dele, jamais.
O PR não sairá da barra da saia de Dilma se Nascimento perder o emprego. Não terá para onde ir. Continuará refém das migalhas do poder. Quando nada porque tais migalhas significam alguns milhões de reais aqui e acolá.
Dilma só enfrentará um problema se demitir Nascimento: ele voltará para o Senado. E João Pedro, o suplente que assumiu a vaga dele, voltará para o Amazonas.
João Pedro é amigo de longa data e de farras inesquecíveis de Lula. Comeram muitos tambaquis juntos com as águas do rio Amazonas pela cintura.
Virou suplente de Nascimento por imposição de Lula.
 E foi por isso, e só por isso, que Nascimento virou ministro - antes de Lula, agora de Dilma.
* Texto via Blog do Noblat

Justiça mantém condenação a Palocci por improbidade administrativa.

A 5ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) decidiu, em sessão realizada nesta segunda-feira (4), manter a sentença que condenou o ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci ao pagamento de multa por improbidade administrativa referente ao período em que ele foi prefeito de Ribeirão Preto pela segunda vez, em 2001. A multa, no entanto, foi reduzida de 50 para 10 vezes o valor do salário que ele recebia na época.
De acordo com o TJ-SP, Palocci foi acusado de “celebrar um acordo para alienação ou permuta de bem público em desacordo com a Lei Complementar nº 670/97, que regulariza reformas, ampliações e construções residenciais no município”. O ex-ministro foi acusado de permitir a regularização de imóvel sem exigir pagamento da multa legalmente determinada, além de deixar de cumprir as exigências técnicas para a normalização.
O desembargador Xavier de Aquino, relator da apelação, afirmou que, ao agir em desacordo com a lei, Palocci “distanciou-se dos princípios da legalidade e probidade, desbordando para pessoalidade, e nessa condição, guiado único e exclusivamente por seu arbítrio, fez o que quis, conduzindo-se com total indiferença em relação ao primado do Estado Democrático de Direito, que constitui o fundamento da República".
Apesar de votar para manter a condenação, o desembargador afirmou que o valor da multa foi excessivo. Para ele, a redução para 10 vezes o salário da época “é suficiente para repressão e prevenção da improbidade".
 *Portal G1

Nunca antes....

Em Cuba : O Coma Andante!.....
Na venezuela O Coma Falante !!
Nunca antes neztaestoria um mal foi tao benigno !!
*Punto e Basta - 05/07/2011 - 00h 13m

Impunidade?

A presidente Dilma Rousseff optou por manter o ministro Alfredo Nascimento no comando do Ministério dos Transportes.
De acordo com a assessoria do Palácio do Planalto, Dilma já conversou com Nascimento e pediu que ele conduza as investigações do suposto esquema envolvendo servidores do ministério e de órgãos ligados à pasta em superfaturamento de obras e recebimento de propina de empreiteiras e consultorias.
Segundo assessores, o governo "reitera apoio ao ministro".
Nascimento foi obrigado a afastar a cúpula do ministério.
Sua permanência não estava assegurada e dependia do encontro com a presidente.

Super safra de bandidos.

A safra de bandidos continua betendo recordes. Quando se pensa que acabou, surge uma nova leva. Realmente, rato é uma praga de difícil controle. Quatro integrantes da cúpula do Ministério dos Transportes, foram afastados por cobrarem 4% de propina sobre o valor das licitações. O chefe escapou, provavelmente por ser amigo do rei. Um dos afastados tem sobrenome bem sugestivo, Pagot, "pagô... levô". Todos iriam direto para a cadeia se o Brasil fosse um país sério. Para completar o arastão da semana, sabe-se que um outro patriota meteu a mão em R$ 57 mi da Petrobrás. A roubalheira, a pouca vergonha e a desmoralização reinante na cúpula do governo é tão institucionalizada que o picareta que faz dos cofres da Petrobrás seu fundo de reserva, é senador, faz parte da base alugada do governo e, acreditem, presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ). Até quando vamos aceitar tudo isso passivamente?
Humberto de Luna Freire Filho
 

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Ele também não sabia?

O Ministro Alfredo Nascimento."Ele não sabia..."
O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento (PR-AM), após receber por telefone ordens da presidente Dilma Rousseff e da denúncia da revista Veja deste final de semana, exonerará importantes integrantes da cúpula do ministério.
Na marca do pênalti estão o diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antônio Pagot; o presidente da Valec, José Francisco das Neves, o Juquinha; o chefe de gabinete do Ministério dos Transportes, Mauro Barbosa; e o assessor Luiz Tito.
Antes de anunciar por meio de nota o afastamento dos assessores, o ministro Alfredo Nascimento conversou com a presidente Dilma. No texto, o ministro “rechaça, com veemência, qualquer ilação ou relato de que tenha autorizado, endossado ou sido conivente com a prática de quaisquer ato político-partidário envolvendo ações e projetos do Ministério dos Transportes”. Segundo as denúncias, os órgãos do ministério cobravam um “pedágio político” de 4% sobre o valor das faturas recebidas. A contrapartida era a garantia de fornecedores nas licitações, permitindo superfaturamento de preços, bem como os aditamentos, elevando o valor das obras a níveis estratosféricos.
Arrogante e prepotente, Luiz Antônio Pagot, que tem no Senado Federal uma horda de irresponsáveis defensores, faz uso de ameaças para intimidar aqueles que questionam a sua conduta à frente do órgão (Dnit) que substituiu o não menos polêmico Departamento Nacional de Estradas de Rodagem, um conhecido antro de corrupção e desmandos. Uma das vítimas de Pagot é a blogueira Adriana Vandoni, que em queixa-crime teve a prisão requerida pelo agora ex-diretor do Dnit.
Dono de truculência típica de fazer inveja aos déspotas que frequentaram o lado oriental do outrora Muro de Berlim, Luiz Antônio Pagot procurou a Justiça de seu estado, Mato Grosso, porque se sentiu ofendido com análise fita por Adriana Vandoni sobre relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), que encontrou irregularidades das mais diversas no Dnit. De agora em diante o presunçoso Pagot terá tempo suficiente para refrescar a memória e apelar ao mea culpa, se é que ditadores se permitem a atos de grandeza.
COMENTÁRIO: O que espera para sair o ministro dos Transportes? Se desconhecia as maracutaias que levaram a presidente Dilma Rousseff a mandar afastar os ocupantes da cúpula do seu ministério, Alfredo Nascimento (PR-AM), ministro dos Transportes, deveria pedir demissão por incompetência. Não é possível que se roubasse nas suas barbas e ele não soubesse.
Se sabia, deveria se demitir por ter sido cúmplice.
Caso não tenha a iniciativa de ir embora, Dilma deveria despachá-lo
* Ucho.info com comentário do BlogdoNoblat

Jader Barbalho é barrado por Ricardo Lewandowski.

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, negou liminar em Ação Cautelar para deferir o registro de Jader Barbalho, candidato ao Senado pelo Estado do Pará. O registro foi indeferido com base na Lei Complementar 135/2010 (Lei da Ficha Limpa). O Pleno do STF já decidiu que a lei não pode ser aplicada ao pleito de 2010.
Em sua decisão, o ministro frisou que, “diante do contexto fático e da natureza satisfativa da pretensão, não se afigura razoável, a meu sentir, que, em juízo monocrático, seja deferida a antecipação dos efeitos da tutela requerida para reverter entendimento firmado pelo Plenário desta Corte, uma vez que, em face da relevância da questão constitucional, somente a ele compete revê-lo”.
A decisão que indeferiu o registro de Barbalho foi mantida pelo STF no julgamento do Recurso Extraordinário 631.102, em 27 de outubro do ano passado. Contudo, ao julgar o RE 633.703, em março deste ano, o Pleno do Supremo decidiu que a LC 135/2010 não devia ser aplicada às eleições 2010.
Jader Barbalho interpôs Embargos de Declaração para tentar mudar a decisão no RE 631.102. Segundo ele, a demora no julgamento dos embargos causa dano irreparável, já que ele é detentor de mandato de senador da República, tendo permanecido afastado do cargo por quase cinco meses.
O caso chegou às mãos do ministro Lewandowski porque o relator original da Ação Cautelar, ministro Joaquim Barbosa, está afastado por licença médica. (As informações são do STF.)

Falácias e sandices petistas.

Na homenagem aos 80 anos de Fernando Henrique, realizada pelo Senado na quinta-feira (30.06), o senador Paulo Paim (PT-RS) leu uma carta em que Tarso Genro rasga elogios ao tucano. Em seguida, a senadora Ana Amélia (PP-RS), fez questão de lembrar que o Tarso Genro que agora elogia FHC é o mesmo que em 1999 pediu a sua renúncia.
E sabem por quê? É que naquela oportunidade o dólar estava cotado a R$ 1,558 e Tarso alegava, em sua sandice discursiva, teses econômicas que hoje deve ter esquecido. Disse o petista, naquela ocasião, que a reeleição de FHC se deu no vácuo da valorização do Real.
A cotação do dólar americano, esta semana, em pleno governo petista, chegou a exatamente R$ 1,558, mas Tarso  manteve-se calado. O recuo da moeda norte americana é explicado pelos especialistas como consequência  do interesse maior dos investidores por risco no exterior e a expectativa de um aumento mais prolongado das taxas de juro. Exatamente o que ocorrera, em 1999, guardadas as devidas proporções.
Esses petistas são assim: Ora incoerentes, ora demonstram que têm memória extremamente curta.

Tido como ridículo e babaca pelos petistas, Itamar virou herói.

Padre se recusa a celebrar casamento de noiva sem calcinha.

Padre Jonas Mourinho, 68 anos, responsável pela paróquia ‘Sagrada Família’ no Bairro do Vergel, localizado na periferia de Maceió em Alagoas, surpreendeu os 230 convidados de uma celebração de casamento religioso ao cancelar o evento devido à ausência de vestimenta íntima da noiva.
Padre Jonas já não havia gostado de notar o imenso decote nas costas do vestido de noiva da professora Enislene Alcântara, de 25 anos. Imediatamente após sua chegada no altar, quando se colocou de frente para o noivo o padre percebeu que o decote traseiro da moça permitia ver o derrière absolutamente desnudo.
Neste instante o padre solicitou que a noiva acompanhasse uma ministra da eucaristia até a sala de sacristia para averiguação. A ministra confirmou a suspeita do padre e o informou sobre o veredito. Depois de comunicar aos pais dos nubentes a decisão, Padre Jonas foi até ao altar avisar aos convidados que o casamento não seria realizado, pois a noiva ‘não estava respeitando o altar sagrado’.
Padre Jonas informou que é uma profanação a pessoa subir ao altar sem vestimentas íntimas. Ele ainda disse que a ministra da eucaristia havia notado que a noiva estava totalmente depilada na região pubiana, o que para o pároco é um flerte com a pedofília.
Segundo Padre Jonas “os pêlos pubianos marcam a transição entre a infância e a vida adulta, portanto retirá-los seria realizar apelo pedófilo para a prática sexual”. A noiva confirmou que estava sem calcinha e disse que se o padre notou este detalhe é porque “ao invés de celebrar ele estava pensando em ‘taradice’ comigo”.
O casal pretende agora celebrar o casamento em um terreiro de umbanda e assim homenagear a família do noivo que pratica esta religião. Padre Jonas deixou afixado na apostila do curso de noivas dois avisos: ‘noiva sem calcinha é satanás na cabecinha’ e ‘vagina careca é o diabo na boneca’. Assim ele espera não mais viver este tipo de constrangimento no altar.
* Tramadopormulheres.com.br

O substituto de Itamar.



A reportagem foi no dia 03.06.2011, antes,portanto, do falecimento de Itamar.

domingo, 3 de julho de 2011

O timinho do Mano.

"Levanta e joga bola Brasil!"
A seleção brasileira "ofensiva" que Mano Menezes imaginou para brilhar na Copa América, decepcionou em seu teste inicial. 
O ataque e o "esquema da moda", o tal  o 4-2-3-1, não funcionou, errou muito, e ficou num frustrante empate por 0 a 0 com o humilde, mas esforçado, time da Venezuela neste domingo, em La Plata, na Argentina.
Agora o time pode se complicar pois tem à frente dois times de qualidade infinitamente superior a Venezuela: O Paraguai e o Equador.
Com apenas um ponto, a equipe brasileira tem que vencer para se classificar em primeiro lugar na chave, pois,assim, terá o privilégio de encarar na semi-final o 2º melhor terceiro colocado entre os grupos.
A verdade é que foi dada a largada com Argentina e Brasil decepcionando, com uma diferença: A Argentina está num grupo muito mais fácil que o Brasil.
O timinho do Mano ou melhora ou vai se dar mal.

Sergio Cabral pode responder por crime de responsabilidade.

Cabral pode dançar:

A notícia abaixo está no site do jornalista Claudio Humberto. A Farra fiscal Feita pelo Sérgio Cabral é algo inédito:

Foram R$ 50 bilhões concedidos a empresas de amigos de Cabral e outras, como o iate e o restaurante chinês do Eike Batista, o cabeleleiro da esposa do governador, e por aí vai.
Podemos estar diante de um dos maiores escândalos de desvio de dinheiro público da história, basta as autoridades quererem investigar.
E como bem salientado pelo site, o Sérgio Cabral por causa dessa FARRA poderá ser processado por crime de responsabilidade.
A conferir.
Em tempo, lugar de VAGABUNDO e POLÍTICO LADRÃO é na CADEIA.
(Ricardo Gama)