quarta-feira, 26 de abril de 2017

Palocci contrata advogado para delação. Má notícia para o molusco.

Ex-ministro dos Governos Lula e Dilma, preso desde setembro na Operação Omertà, Antonio Palocci fecha acordo com Adriano Bretas, de Curitiba, que já atuou na defesa de outros alvos da Lava Jato que decidiram romper o silêncio para escapar da prisão; a informação foi revelada pelo site O Antagonista. (Foto: Reprodução )
O ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda e Casa Civil-Governos Lula e Dilma) decidiu contratar o escritório de advocacia Adriano Bretas, de Curitiba, para negociar delação premiada com o Ministério Público Federal. A informação foi revelada nesta quarta-feira, 26, pelo site O Antagonista. 

Preso desde setembro de 2016 na Operação Omertà – desdobramento da Lava Jato -, Palocci vinha sendo defendido pelo criminalista José Roberto Batochio. 

Veterano da advocacia, Batochio é conhecido por sua rígida posição contrária à delação premiada. Não há delatores entre seus clientes. 

Acuado, na iminência de ser condenado pelo juiz federal Sérgio Moro em ação penal por corrupção e lavagem de dinheiro, o ex-ministro parece mesmo disposto a fazer delação. 

Na semana passada, interrogado pelo juiz da Lava Jato, Palocci já acenou para essa possibilidade – ele disse que tem revelações a fazer, inclusive nomes, que podem levar a Lava Jato a trabalhar por ao menos mais um ano. 

No processo em que é réu, Palocci é apontado como o personagem ‘Italiano’, que consta da planilha de propinas da empreiteira Odebrecht. Os investigadores suspeitam que ele recebeu R$ 128 milhões da construtora e repassou parte da fortuna ao PT. 
                    *Com O Antagonista e O Estadão 

domingo, 23 de abril de 2017

O caldeirão da Odebrecht ferve e fede.

 Ex-ministra do STJ, Eliana Calmon, também está na Lista da Odebrecht.


A ex-ministra do STJ, Eliana Calmon, disse ao jornal Folha de S. Paulo que a Lava Jato também pegará o Judiciário.
Já pegou.
A própria Eliana Calmon foi citada na Lista da Odebrecht como beneficiária de R$ 300 mil, dinheiro usado na sua campanha para o Senado, 2014 (PSB), antes de ser nomeada ministra.
Claro que a ex-ministra não pegou o dinheiro diretamente. "Veio pelo Partido", avisou.
Por suposto.


Assim como as empresas "X", a Odebrecht também caminha para uma possível falência.


​​Esquecido no chão do Cárcere Eike Batista vive rezando para ver "Dom Lulone" preso.

E a estória se repete! O empresário, Eike Batista, no auge do governo petista tornou-se um dos homens mais ricos do mundo, mas de tanto ouvir as baboseiras de Lula e levá-lo em seus aviões, quebrou feio! Terminou na prisão com a cabeça raspada e comendo a gororoba da penitenciária.
Duvidando da praga, Emilio Odebrecht e seu filho Marcelo, também aceitaram a convivência fatídica com o ex- presidente “Lula Brahma” e, acreditando que iriam tomar conta do mundo usando a estratégia da corrupção, também se deram mal. Hoje, Marcelo está preso delatando "Deus e o mundo". Emílio, pai de Marcelo, amicíssimo do espertalhão e pé frio Lula da Silva, conhecido como “Amigo”, nas planilhas de propinas da Odebrecht, também está carregando na perna, uma tornozeleira e, desesperado, sem opção para salvar o filho, resolveu delatar quase toda a Republica apodrecida do Brasil.
Enquanto isso, o responsável por toda essa catástrofe por que passa o maior país da América do Sul, continua jurando inocência e dando a entender, que tudo o que vem sendo delatado a seu respeito, é muita mentira.
Hoje, segundo li na imprensa, um juiz norte-americano condenou a Odebrecht a pagar 2,6 bilhões de dólares em multas relacionadas ao escândalo gerado pela operação Lava Jato, assinando acordo entre a empresa e autoridades brasileiras, norte-americanas e suíças.
Os acordos com os Estados Unidos foram assinados porque parte do dinheiro da propina paga pela Odebrecht foi destinada a bancos norte-americanos e a projetos da empreiteira no país. Há, ainda, a suspeita do governo americano de que cidadãos ou empresas daquele país tenham cometido crimes em acordos com a Odebrecht.
No caso da Suíça, grande parte das propinas pagas no esquema de corrupção foi transferida e movimentada em bancos no país europeu.
Algumas destas propinas circularam por bancos dos EUA, disseram os promotores. A condenação desta segunda-feira veio enquanto a Odebrecht tenta negociar acordos com outros países, incluindo Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru, República Dominicana, Venezuela, Panamá e Portugal.
As acusações contra a Odebrecht são resultados de uma investigação de quase três anos no Brasil sobre corrupção na estatal Petrobras, que levou a dúzias de detenções e agitação política brasileira. Depois disso, a empresa nunca mais será a mesma.

*Via blog alfocunha

sábado, 22 de abril de 2017

O “bon vivant” do agreste.


  Carlos José Marques,diretor editorial IstoÉ

Foi o amigo dileto, Emílio Odebrecht, que o ajuda desde os idos de 70 com presentes, agrados e muita propina, quem assim o classificou: “Lula é um bon vivant, não tem nada de esquerda, gosta de coisa boa!”. 

Mimos como uma conta aberta em seu nome no valor de R$ 40 milhões, com saques à disposição em dinheiro vivo na hora desejada, reformas de sítio, palestras regiamente pagas em troca de vantagens, apartamento, jatinhos, terreno, qualquer coisa. Era só o “chefe” mandar. Ou pedir. Ajuda meu filho, meu irmão, meu compadre, meu partido. Valia a pena. No universo idílico que ronda Lula tudo é fruto de uma benevolência extrema. Do toma-lá-da-cá. Dos favores. 

Nos idos dos anos 80, o memorável “Senhor Diretas” Ulysses Guimarães já diagnosticava com uma precisão cirúrgica: “o mau de Lula é que ele parece gostar de viver de obséquios”. Os fatos teimaram em demonstrar. Estavam certos Ulysses e o patriarca do grupo que agora faz a “delação do fim do mundo”. 

O petista sempre deu sinais nesse sentido. Quando da primeira vitória nas eleições presidenciais, lá foi ele comemorar com uma garrafa de vinho Romanée-Conti, ao custo de US$ 5 mil (paga por outro amigo, naturalmente). Lula jactava-se pelos ventos da sorte e pelas boas relações com os amigos.

Não há como negar: ele também é um fiel e generoso amigo. Ao menos dos ricos amigos, numa convivência tão estreita como promíscua. Fez mais por eles que recebeu. Não há dúvida. Foi capaz de prejudicar estatais e o povo que recolhe impostos em prol dos negócios da empresa do amigo Emílio.  
Seguiu sempre a surrada máxima “para os amigos, tudo!”. Com o patrimônio alheio – de cada um de nós, brasileiros. Você bancou a farra. Mas isso é detalhe. Não seria da conta de ninguém, é verdade, se o deplorável hábito de pedir tudo a todos ocorresse estritamente na platitude das relações desinteressadas.  
Infelizmente não foi bem assim. O que ele fez chama-se corrupção. Em benefício próprio e dos seus. Com a quebra inexorável das finanças de um País. Está evidenciado. Lula instaurou a corrupção como política de Estado. Em suas gestões, e na da sucessora Dilma , os desvios ganharam conotação de praga endêmica, institucionalizada e alastraram-se para cada departamento, autarquia ou organismo federal.  
Às favas com os escrúpulos. Lula hoje diz que as acusações são mentira. Só ele fala a verdade. Seria a história mais fabulosa do mundo um conluio tão bem arquitetado de delatores, que contam em requintes de detalhes as tramoias do grande líder, com o intuito exclusivo de condená-lo. 
Quem não se condói de tamanha injustiça? Lula agora reclama das noites insones, temerário de ser preso a qualquer momento. Os companheiros ideológicos desembarcam. O marxista Noam Chomsky, admirador de primeira hora, reclamou do partido e do seu criador que “simplesmente não pode manter as mãos fora da caixa registradora…que está roubando o tempo todo”.  
A alternativa do retirante nordestino que virou presidente – e acredita estar sendo penalizado por essa condição – é reagir no grito. Insistir na nauseabunda mentira. Seus convictos aliados – detentores de uma fé incondicional, que enxergam o homem quase como uma divindade, a despeito de seus reincidentes pecados – convocam a militância para armar um verdadeiro circo de protestos em frente à sede da Polícia Federal, em Curitiba, onde no próximo dia 3 acontece o que já vem sendo chamado como o “embate do século” entre o paladino da justiça, Sergio Moro, e o cacique objeto da cega veneração.  
Os mais extremados abarrotam as redes sociais com ameaças de “guerra civil”, num tom belicoso que extrapola para o crime, sem receio de reprimendas. A lei, ora a lei, não vale para o grande comandante. Quando você nasce como a alma mais honesta que existe, qualquer um precisa respeitar. Ele está acima dos demais. 
Não podem pairar dúvidas sobre seus atos. É preciso louvar a santidade. Ela não mente, não erra, não comete faltas. Onipotente, onisciente, acima do bem e do mal, não pode ser alcançada pelas infâmias da raia miúda, nem condenada pela justiça dos mortais. De forma alguma.  
Por esse modo muito peculiar de visão dos fatos, Lula não pediu nada a ninguém. Lula não levou propina. Não armou quadrilha de desvios. Muito menos costurou esquemas que lesaram o Tesouro. Aquele sítio, com notas frias, ora bolas, era do amigo. O tríplex, de outro amigo. O apê onde mora, também. Se de 2006 para cá uma empresa quis dar mais de R$ 10 bilhões, como confessou, em propinas para Lula e sua turma do poder, o problema é dela. Se ganhou como contrapartida grandes obras públicas, foi sorte. 
O Estádio do Corinthians, sonho de mais de R$ 1 bilhão de Lula, era merecido. Maldosos, os brasileiros! Há de se perguntar aos áulicos seguidores do petista se por acaso tiveram tempo e o cuidado de ouvir os depoimentos dos delatores, gravados em áudio e vídeo e mostrados a quem quisesse ver? 
Atentaram para o volume de informações, para a avalanche de evidências e provas já colhidas? É esse o País que desejam para si e para os seus, sob o julgo de um esquema de bandalheira sem fim? 
A ladroagem ilimitada e a arrogância populista não podem virar exemplo. Destruiu recentemente a Venezuela nas mãos do caudilho Hugo Chaves. Não podem se repetir pela ambição desmedida do “bon vivant” Lula. 
                             * Por Carlos José Marquesdiretor editorial da IstoÉ 

Alexandre Garcia comenta o fim de Lula e ironiza a CUT com medo de Bolsonaro.

video

Porque hoje é Sábado, uma linda mulher.

A bela modelo Rose Rocha

O arsenal de Léo Pinheiro.

Léo Pinheiro vai entregar mais coisas.
Matheus Leitão, do G1, diz:
"Nas conversas com o Ministério Público Federal, Léo Pinheiro prometeu ainda mais informações do que aquelas apresentadas em depoimento ao juiz Sergio Moro.
O centro das tratativas do acordo diz respeito ao Lula, como já ficou demonstrado quando Léo Pinheiro disse que o ex-presidente o orientou a destruir provas. Mas também perpassa pela relação da companhia com o PT e seus tesoureiros".
Dezenas de provas colhidas pela Lava Jato demonstram que a cobertura no Guarujá sempre foi de Lula.
Merval Pereira, na GloboNews, debochou do argumento da defesa do Brahma:
"A denúncia de Léo Pinheiro tem documentos que comprovam a propriedade do apartamento do Guarujá. Inclusive, com documentos apreendidos no apartamento do ex-presidente Lula, quando ele foi levado coercitivamente para depor. Tem até uma certidão de compra, com o número do apartamento rasurado. O próprio advogado de Lula forçou Léo Pinheiro, no depoimento ao juiz Sergio Moro, a responder que pagara com propina a cobertura para o ex-presidente." 
* Via O Antagonista

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Lula tenta enrolar Sergio Moro.

O molusco é um pândego, até com a Justiça ele quer fazer brincadeiras sem sentido.
   
 Indicar 87 testemunhas é um exagero. Afinal, Lula não fez nada em praça pública.
Lembrando o que já ocorrera quando do julgamento do “Mensalão do PT”, que levou o então ministro Joaquim Barbosa a reclamar pela demora da conclusão do processo, os advogados do ex-presidente Lula arrolaram nada menos que 87 testemunhas em um dos processos que ele responde na Operação Lava-Jato, sob a alegação de era para garantir o amplo direito de defesa, um dos pontos altos da democracia. 
No entanto, tudo não passa de um deboche e uma atitude leviana, apenas para atrasar a decisão final sobre uma de suas falcatruas. Quebraram a cara, e já estão esperneando, visto que o juiz Sérgio Moro determinou que Lula comparecesse a todas as 87 audiências. Um autêntico golpe de mestre, e agora a defesa do petista está protestando e apelando, porque Lula queria atrasar o julgamento e ficar fazendo campanha eleitoral viajando pelo país. 
Agora, vamos tirar um dúvida. Se os crimes pelos quais Lula é acusado não foram cometidos em praça pública, por quê ele apresentou 87 testemunhas? Ele mesmo disse um dia que era uma jararaca, e cobra não costuma deixar rastros. É bom que o ex-presidente fique atento, porque é certo que o juiz Sérgio Moro já deve ter suas convicções sobre as denúncias, motivo pelo qual Lula esteja tão desesperado e tente adiar tanto quanto possível seu julgamento. Não é nada improvável que após sua audiência com moro no dia 3 de maio ele seja obrigado a mudar de residência de São Bernardo do Campo para Curitiba.

sábado, 15 de abril de 2017

Que Justiça é essa? Que país é este?

"Era ele ou eu" disse a mulher condenada a 30 anos de prisão por matar estuprador de sua filha!
A mulher presa, Naomi de 30 anos , matou o estuprador de sua filha foi condenada em regime fechado a cumprir pena de 30 anos pelo assassinato do homem que estuprou sua filha deficiente de 03 anos de idade.
O juiz condenou a mulher por : HOMICÍDIO CRUEL E SEM POSSIBILIDADE DE DEFESA PARA A VÍTIMA.
Naomi  não conseguindo conter se ao ver as fotos do abuso no celular do agressor , ela enfrentou e esfaqueou com requintes de crueldade , como diz o EXTRA , o sujeito agredido acabou por morrer no hospital após ser socorrido pela policia. O que  todo mundo diz , é que eles é que também teriam matado o homem que teria feito o  estupro
Ela continua presa, apesar de a advogada ter apresentado provas que justificariam a legítima defesa. Sua detenção é ilegal, uma vez que o código penal  Federal estabelece legítima defesa quando a vítima “repele um agressão real, atual ou iminente e sem razão”. Isso quer dizer que, pela lei, essa pessoa não somente não pode ser condenada, mas sua conduta não é reprovável.
Ao se comprovar a legítima defesa, ao não ser considerado um delito o crime contra seu agressor, ela teria de ser imediatamente libertada, mas a Procuradoria Geral de Justiça do Distrito Federal (PGJDF) ainda não acredita no estupro, declarando, por meio do procurador, que ainda estão coletando provas e fazendo diligências.
* Via gazetapop.com

Porque hoje é Sábado, uma linda mulher.

Minha linda amiga Leandra Aparecida, curtindo Sábado

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Delator diz que Aécio Neves recebeu 30 milhões de reais da Odebrecht.

Henrique Valladares, na sua delação à PGR, disse que Aécio Neves recebeu 30 milhões de reais da Odebrecht.
De acordo com ele, o dinheiro foi depositado em contas no exterior -- de amigos e de offshores --, como pagamento pelo empenho de Aécio em favor da Odebrecht na obra da Usina Hidrelétrica de Jirau, em Roraima.
Segundo o delator, Alexandre Acciolly é um dos amigos que receberam dinheiro em nome de Aécio.

"Conta amigo" beneficiava Lula.

Marcelo Odebrecht contou à PGR que uma vez disponibilizado "o valor global" solicitado por Antonio Palocci, ele "não questionava os usos" do dinheiro.
"Ele (Palocci) me dizia assim: 'Ó, Marcelo, o Juscelino Dourado ou o Brani (que sucedeu JD) vai procurar seu pessoal e acertar uns pagamentos'."
MO reforçou que a maior parte dos valores descontados da conta "Amigo" eram pagos em dinheiro.

Veja um trecho do depoimento de MO:

A Odebrecht deu dinheiro ao filho de Lula em troca de favores do poder.

Emílio Odebrecht detalhou o apoio do grupo a Luís Cláudio Lula da Silva, o Luleco. Foi uma troca, mas o patriarca da Odebrecht não estava muito seguro do "investimento".
"Eu queria ter certeza de que estava investindo na pessoa, perceber se ele queria, se tinha potencial. Ainda era imaturo etc."

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Terroristas do Estado Islâmico voltam a atacar cristãos.

Explosões em igrejas cristãs no Egito, deixam mais de 40 mortos, pessoas que estavam em orações de agradecimento a Deus por todas as bênçãos recebidas ou pela necessidade que todos nós temos para uma oração. Nada contra refugiados em busca de paz e de trabalho, mas sim o que virá com eles, terroristas sanguinários que não respeitam a religião dos outros, não é só falta de respeito, é puro ódio, a ignorância e o ódio são tamanhos que não há como combater, são verdadeiros dementes que conscientemente o governo brasileiro quer que venham para o Brasil para vivermos no caos e no pânico, Foi tudo calculado friamente pelos nossos governantes e temos que lutar contra isso. Quando eu era pequena, um muçulmano perguntou ao meu pai sua religião (já sabendo porque Zeidan é sobrenome cristão), quando meu pai falou ele cuspiu no chão e com o pé, ofensivamente e em cima do cuspe, fez o sinal da cruz. Fomos embora. Essa é a religião da paz. ( Samira Zeidan )

domingo, 9 de abril de 2017

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Pá de cal no PT.

Pá de cal PT - Rui x Gleisi - Perua sabe demais - Lula cede. Agora vai!...

Rui Falcão, discreto na política e na vida pessoal. Calado, na dele, avesso à câmeras, administrador por excelência, pensa muito antes de falar e agir.
Respeitado pelos que o cercam, indiferente à imagem de figura decorativa, trabalha em silêncio e veste a camisa.
Falcão quer o bem do PT. Lula só pensa nele. Falcão tem o título. Lula é quem manda.

Implosão do PT deixou de ser mera semântica de Opositores, Teoria da Oposição, conforme amantes da Estrela tentam transparecer. O Partido está minguando, diante de desfiliação histórica.
Falcão tem segurado o pouco que resta com mão de ferro, mas perdeu a paciência com Lula e abandonou postura obediente.
Rusgas entre eles passaram a fazer parte de rotina interna, com Falcão surpreendendo e falando no mesmo tom com o chefe.
Partido hoje está dividido entre os que apoiam Linha do Presidente, baseada em conceito muito repetido ultimamente:
- Primeiro os interesses do PT, depois individuais, O Partido é de todos, não de um só.
E os "Fanáticos por Lula", prontos a segui-lo, até os confins do Inferno.
Consenso:
Não há mais como manter Rui Falcão na Presidência. Foi colocado ali pra ser "Cordeirinho", não pra impor regras de conduta ao Patrão.
De repente a bomba.
Lula de braços dados com a desequilibrada do Paraná. 
Indicação de Gleisi pra ocupar cadeira Maior no PT, não é novidade.
Detalhes dos Bastidores poucos conhecem.
Desavisados concluiram ser jogada de Lula, pra fortalecer a legenda, na "Moro Land"...
Doce ilusão!... 

Gleisi é Perua, vaidosa, gananciosa e não abre mão de um flash. Mata se necessário for, pra pousar na foto. Barraqueira de salto. Madame da laje. Paga caro pra participar de festas da "granfinagem" e botar a latinha em colunas sociais.

Segundo vizinhos, água oxigenada só não cozinhou o cérebro, por ser impossível cozinhar o inexistente. 
Gleisi está em crise existencial, sentindo-se desprestigiada e injustiçada, depois de dedicação explícita à Estrela Menor (O Partido).
Totalmente queimada e sem ambiente no Paraná, certeza de não se reeleger senadora em 2018, levou a deslumbrada à crises de pelanca.
Contar com o Poder do Marido, nem pensar. Decadente, o velho sonha em poder vestir o pijama da aposentadoria, longe da Prisão.
Sem alternativas, procurou apoio em Lula e ele, com a sutileza peculiar, a aconselhou se candidatar pra Deputada Federal.
Verdadeira bofetada. Fora de questão um ego exacerbado cogitar rebaixamento.
Jamais daria esse gostinho às invejosas do Batel, Jardim Social, Água Verde, Cabral, Champagnat!!!
Glicerina Pura.
Gleisi surtou e começou a jogar substâncias mal cheirosas no ventilador. Ela sabe demais.
Ao perceber a "caca" que fez, mais uma para o imbecil que usa a boca como orifício anal, não sobrou outra alternativa ao Gran Czar Bolivariano.
Entre o PT e ele, fod*-** o Partido.
Indicou a desvairada como nome ideal, pra substituir Rui Falcão.
Teoricamente, tacada de gênio. Duas numa só.
Garante "Lealdade" de Gleisi e se livra do problema Falcão.
Na prática, é se livrar da solução e criar um problema gigantesco para um futuro próximo.
Se Lula não conseguiu segurar o sereno Falcão, o que dizer da Barbie ligada no 220?
Não dá nem pra imaginar estragos que vem por aí... 
Agora que a debandada dispara. Definitivamente Lula assinou o atestado de óbito do PT, em nome de preservar sobrevida ao próprio umbigo.

VOU ALI VOMITAR E JÁ VOLTO
Coisas de um País que virou uma coisa. E Assim o Mundo Gira e o brasil se Afunda


quarta-feira, 5 de abril de 2017

Será que tem esquema aí Pimentel?

Acredite se quiser: governador petista quer pagar aluguel por imóveis que já são do estado. Sabe qum é? É o de Minas Gerais, Fernando Pimentel.

Em tempos de eficiência na gestão e contenção de gastos, o governador de MG, Fernando Pimentel (PT), resolveu inovar. Mas de uma forma nada positiva; na verdade, de uma forma inacreditável.
A ideia é a seguinte, em resumo: transferir a propriedade dos bens estatais para um fundo, também estatal. O governo passaria então a pagar aluguel a esse fundo e a verba resultante será transferida a um OUTRO fundo, esse sim com as cotas passíveis de serem vendidas.
Busca-se, na operação, levantar dinheiro. A oposição, claro, não apenas considera a ideia estapafúrdia como mencionou o fato de, na prática, ser operação de crédito que acabaria empurrando o problema.
Sejamos todos francos, é um rolo danado. Para sair do sufoco, o estado precisa rever suas contas, antes de tudo. Fazer operações de crédito é a fórmula comprovadamente equivocada; e chegar a isso alugando imóveis estatais chega a ser bisonho.
*Via site O implicante

terça-feira, 4 de abril de 2017

Ministro Fachin homologa as delações dos marqueteiros de Dilma, João Santana e Mônica Moura.


Os marqueteiros João Santana e Mônica Moura, que fecharam acordo de delação premiada. (Paulo Lisboa/Folhapress)

O publicitário João Santana e a mulher dele, Mônica Moura, fecharam acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR). O anúncio foi feito nesta terça-feira pelo vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, durante o julgamento da chapa Dilma-Temer no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ainda nesta terça, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin homologou o acordo e remeteu os autos à PGR. Os depoimentos citam autoridades que têm foro privilegiado — por isso, precisavam da autorização do Supremo. 

O casal foi responsável pelo marketing da campanha de Dilma Rousseff (PT) nas eleições de 2010 e 2014. Apesar de estar em sigilo, a informação foi anunciada para justificar a inclusão de depoimentos do casal de publicitários no processo em que o PSDB pede a cassação da chapa formada pela petista e pelo presidenteMichel Temer (PMDB), decidida no julgamento de hoje.

“Se afigura não menos importante que se inquiram também o senhor João Santana, a senhora Mônica Moura e o senhor André Santana [auxiliar do casal]. Digo isso diante da recentíssima notícia de que as pessoas agora nominadas celebraram acordo de colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República, acordo esse que se encontra submetido ao Supremo Tribunal Federal (STF)”, disse Dino no julgamento. 

Santana e Mônica Moura foram presos na 23ª fase da Operação Lava Jato, em fevereiro do ano passado, por determinação do juiz federal Sergio Moro, mas foram soltos após pagarem fiança de 31,4 milhões de reais e ficarem proibidos de atuar em campanhas eleitorais até uma nova decisão sobre o caso. 

Durante as investigações, em depoimento ao juiz, Mônica, que era responsável pela parte financeira da empresa de marketing do casal, informou que recebeu 4,5 milhões de dólares em uma conta offshore na Suíça. Segundo ela, o repasse era referente a uma dívida por serviços de marketing político prestados ao PT durante a campanha de Dilma em 2010. 

Após o depoimento, o PT garantiu que todas as “operações do partido foram feitas dentro da legalidade”. O partido também ressaltou que as contas de campanha eleitoral de 2010 foram aprovadas pela Justiça Eleitoral. 

( Veja.com com Agência Brasil

Brincando com fogo.


O de que vou falar não é brincadeira. Já tratei do assunto quatro vezes, “O Brasil servo”, “Clamando no deserto” (18-2-16), “Tumores de estimação” (2-4-16) e “Ocultando a realidade ameaçadora” (17-10-16).

Volto hoje ao tema. O Estadão de 3 de março estampa em manchete: “Shangai Electric fará proposta para assumir obras de R$ 3,3 bi da Eletrosul”. Em destaque gráfico o jornal recorda fatos relacionados: “Últimas compras feitas por chineses: CPFL. Em julho de 2016 a State Grid comprou fatia de 23% da Camargo Corrêa na CPFL por R$ 5,8 bilhões. 
Neste ano, concluiu a compra do controle por R$14 bi. Estrela. Em agosto de 2015, a China Three Gorges (CTG) comprou duas hidrelétricas da Triunfo Participações e Investimentos por quase R$ 2 bilhões. Leilão. Em novembro de 2015, CTG venceu o leilão da Ilha Solteira e Jupiá (CESP), por R$ 13,8 bilhões. Em 2016, comprou a Duke Energy por US$ 1,2 bilhão”.
Informa a reportagem assinada por Renée Pereira, a Shangai Electric deve apresentar até 10 de março proposta para assumir várias concessões de linhas de transmissão de energia da Eletrosul, subsidiária do grupo Eletrobrás.
Em nenhum momento, o texto elucida que a Shangai Electric é controlada pelo governo chinês. Também não esclarece que a China Three Gorges e a State Grid são estatais chinesas. Outro modo, são empresas controladas pelo Partido Comunista Chinês (PCC). 
Nenhum leitor terá visto o PT condenar a tomada paulatina do setor elétrico brasileiro pelo capital estrangeiro (no caso, o capital comunista chinês). Convém-lhe o fato.
Passo agora à reportagem de agosto de 2016, revista Exame, assinada por Maria Luiza Filgueiras. Título “O setor elétrico brasileiro caiu no colo dos chineses”
A jornalista lembra que a State Grid fatura 340 bilhões de dólares por ano, tem 1,5 milhão de funcionários. Outra empresa gigantesca, a Huadian gera o equivalente a toda a energia elétrica produzida no Brasil. Está negociando a compra da Santo Antônio Energia. A reportagem ainda menciona a SPIC e a CGN, ainda de origem chinesa.
State Grid tem hoje no Brasil 7 mil quilômetros de linhas em funcionamento e 6,6 mil quilômetros em construção. É o sintoma de um fenômeno em estágio inicial, a dominação do mercado por empresas chinesas, afirma a citada jornalista. 
“Eles vão comprar tudo”, disse a ela um banqueiro de investimentos. Nos últimos cinco anos (matéria de agosto de 2016), os chineses investiram 40 bilhões de dólares no setor elétrico brasileiro.
Todas essas empresas são estatais chinesas (na grande maioria das vezes, fato ocultado do leitor brasileiro). A diretoria delas, nomeada pelo governo, tem o aval do PCC, que governa ditatorialmente em regime de partido único aquele desventurado país. De outro modo, está caindo no colo do Partido Comunista Chinês o setor elétrico brasileiro.
Adiante. O governo brasileiro começa a discutir a venda de terras para estrangeiros. Em entrevista à GloboNews, 15 de fevereiro, o ministro Henrique Meirelles afirmou que o governo liberaria nos próximos 30 dias a venda de terras brasileiras para estrangeiros. 
“O Brasil precisa de crescimento e de investimento. O agronegócio foi a área que mais cresceu em janeiro. Temos que investir, gerar mais empregos”. É tema delicado, requer debates de entendidos, do livro e da prática. Que se ouça com especial atenção o produtor rural, aqui também quem trabalha em terras arrendadas, que poupa na esperança de comprar seu pedaço de terra. 
Li em fontes várias, a proposta do governo virá com nota demagógica: 10% da terra comprada por estrangeiro terá que ser dedicada a projetos de reforma agrária. Soa como barretada ao MST, CNBB, e entidades similares, medida na certa prejudicial ao campo e à produção, e que em nada ajudará o trabalhador rural. 
Exprimo o temor de que o PCC, por meio de estatais e fundos de investimento, acabe comprando centenas de milhares de hectares, se não milhões. E a imprensa na certa vai noticiar na cantilena: “grupos chineses”, “investidores chineses”.
Relembro abaixo o que adverti meses atrás. A compra de gigantescos ativos pelas estatais chinesas traz o Partido Comunista Chinês para dentro da economia brasileira; para dentro da política brasileira. T
ais empresas serão instrumentos para alinhar o Brasil aos interesses do comunismo chinês, no caso, de imediato, fortalecer na região os intuitos de Pequim e minar a influência norte-americana. Os mesmos objetivos, com métodos iguais, estão sendo levados a cabo na Argentina, Venezuela, Equador, Peru, Bolívia. E em outros países.
Por que tanto silêncio? Ponho a nu razão que morde no bolso. Em razão de longa política exterior de hostilidade aos Estados Unidos e à União Europeia, a China hoje é o maior parceiro comercial do Brasil, cerca de 20% de nosso comércio exterior. 
Vendemos em especial matérias-primas (commodities), sobretudo minério de ferro, soja, óleos brutos do petróleo, em geral por volta de 80% do total, itens com pouco valor agregado. E compramos mercadorias com alto valor agregado, máquinas, aparelhos elétricos, aparelhos mecânicos, produtos químicos orgânicos, em torno de 60% do total. 
Conta ainda na pauta de exportações a presença crescente de produtos do agronegócio, como carnes, couro, açúcar. É um imenso universo de fornecedores, de cujo vigor depende a sanidade da balança comercial brasileira.

De alguma maneira nos tornamos reféns da China. Ela pode trocar fornecedores, contratá-los em outros países, caso Brasília e setores privados não atuem eficazmente contra sua crescente presença, sobretudo econômica, entre nós. 
Concebível, setores privados e autoridades governamentais então prefeririam, para salvar vantagens econômicas, o silêncio confrangido (acovardado) sobre o avanço imperialista chinês dentro de nossa casa. No fato, conveniências de momento seriam fatores determinantes para conduta que deságua na independência condicionada e na limitação da soberania. 
Nenhum país sério tolera arranhões em sua independência e em sua soberania. A omissão a respeito caracteriza descumprimento dos deveres de defesa nacional. Se não for cortado esse passo de forma sensata, com lucidez e determinação, no horizonte, já antevisto, desenha-se para nós o estado vergonhoso de protetorado efetivo.( Pericles Capanema )

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Atitudes que nos envergonha.

Ao O Antagonista, a senadora Ana Amélia afirma que o rolo compressor em defesa dos corruptos está pronto para esmagar a Justiça. Veja os principais trechos da entrevista:
O Antagonista – É possível recuperar o objetivo inicial das Dez Medidas, o de combater a corrupção, e não o de endossá-la?
Ana Amélia – Vamos fazer a nossa parte. Temos um grupo de parlamentares que está lutando para isso. Já há, no Senado, um projeto do Ataídes Oliveira, que resgata o texto original. É evidente que teremos que trabalhar nisso, junto com o texto da Câmara.
O Antagonista – Dez Medidas desfiguradas, lei do abuso de autoridade, foro privilegiado, anistia ao caixa 2. O Congresso resolveu proteger os corruptos?
Ana Amélia – A sociedade tem uma percepção muito clara dessas manobras. O argumento é que elas servem para proteger as instituições, mas, na verdade, as enfraquecem. A anistia ao caixa 2 é um tapa na cara de todos. A lista fechada hoje une a oposição e o governo. É de arrepiar. O foro privilegiado é um desserviço às instituições. Mas os outros poderes também vivem dias de perplexidade. A Carne Fraca, por exemplo, revelou divergências agudas dentro da Polícia Federal.
O Antagonista – A mobilização popular foi chamada, pelo Deltan, de escudo da Lava Jato. A baixa adesão às manifestações do último domingo mostra que o escudo caiu?
Ana Amélia – Esse é o grande temor que tenho, como cidadã e como parlamentar. Não podemos fragilizar a Lava Jato. É por isso que eu defendo a necessidade de que o Ministério Público Federal, a Justiça e a Polícia Federal estejam unidos. Se a chama da mobilização morrer, estaremos num mato sem cachorro.
O Antagonista – Alguns leitores dizem que a Lava Jato precisa dar um sinal claro de vigor, como a condenação de Lula, para que continuem acreditando nela.
Ana Amélia – Não posso dizer por que o povo não está mais nas ruas. O que percebo é que a oposição também reacendeu sua capacidade de mobilização, com bandeiras como a resistência à reforma da previdência e trabalhista. Essas bandeiras neutralizaram o processo e, na rua, quem grita mais alto ganha.
O Antagonista – Tudo isso somado, a senhora acredita que o Congresso aprovará medidas que realmente combatem a corrupção?
Ana Amélia – Não é uma tarefa fácil. Sou realista sobre isso. Essa é uma Casa política, e as pessoas estão assumindo suas posições. A sociedade não pode esmorecer. Precisa continuar a defender a ética na política. Espero que o Brasil aprenda e não tenhamos um terceiro episódio de corrupção, depois do mensalão e do petrolão, que nos envergonhe.

O TSE e o espetáculo da cassação.

Para acomodar os curiosos e os 170 jornalistas cadastrados, o TSE reservou dois auditórios com telões, de onde será possível acompanhar o julgamento da cassação da chapa Dilma-Temer.
O esquema de segurança contará com detectores de metais e exame de bolsas e mochilas por raio-X.
Segundo o Portal G1, uma UTI móvel ficará estacionada no pátio do tribunal para qualquer emergência.
Tomara que Gilmar Mendes, desta feita, não venha falar de "espetacularização".

A era PT.

O pobre não entrava na faculdade. O que o PT fez? Investiu na Educação? Não, tornou a prova mais fácil.
Mesmo assim, os negros continuaram a não conseguir entrar na faculdade. O que o PT fez? Melhorou a qualidade do ensino médio? Não, destinou 30% das vagas nas universidades públicas aos negros que entram sem fazer as provas. Querendo dizer que eles não tem capacidade. 
O analfabetismo era grande. O que o PT fez? Incentivou a leitura? Não, passou a considerar como alfabetizado quem sabe escrever o próprio nome.
A pobreza era grande. O que o PT fez? Investiu em empregos e incentivos à produção e ao empreendedorismo? Não. Baixou a linha da pobreza e passou a considerar classe média quem ganha R$ 300,00.
O desemprego era pleno. O que o PT fez? Deu emprego? Não. Passou a considerar como empregado quem recebe o bolsa família ou não procura emprego.
A saúde estava muito ruim. O que o PT fez? Investiu em hospitais e em infraestrutura de saúde, criou mais cursos na área de medicina? Não. Importou um monte de cubanos que sequer fizeram a prova para comprovar sua eficiência e que aparentemente  nem médicos são. (Um já foi identificado como capitão do exército cubano).
*Via http://vindodospampas.blogspot.com.br/2017/03/a-era-pt-texto-de-joao-alves.html

sábado, 1 de abril de 2017

Lula, o "valentão", pede aos amigos que implorem para Sergio Moro não prende-lo.

Lula, o frouxo pede arrego.
Desde que Teori Zavascki devolveu o processo de Lula para o Juiz Sérgio Moro, que Lula busca por meio do coitadismo e da vitimização CONVENCER, o Juiz Sérgio Moro de que é vítima de uma terrível perseguição. Lula busca uma justificativa que seja razoável para explicar os crimes em série cometidos pelo PT, mas também os crimes que possa ter cometido durante seus dois mandatos presidenciais.
O bandido que semana passada chegou ao ponto de ameaçar a vida do Juiz Moro durante um encontro de petistas em Brasília, parece outro. Anda cabisbaixo, finge tristeza e depressão e tem evitado bater de frente com os jornalistas para não ter que dar muitas explicações. A teatralização de Lula não convence, principalmente depois do bandido desferir um violento e odioso discurso em Brasília quando disse que Moro até poderia prende-lo, mas não estaria vivo para comemorar.
Lula é a esfinge mórbida do valentão/covarde. Na verdade, um frouxo que embute em sua personalidade, a fama de valentão, principalmente quando está cercado de amigos e militantes. Mas basta estra sozinho com sua ínfima existência, para que Lula só falte chorar como uma criança. Um verdadeiro canalha. Sem muitos argumentos, o patife elabora novos discursos e abordagens para os problemas judiciais que irão surgir em seu caminho. Segundo alguns amigos, Lula não dorme direito, não pode ouvir uma sirene soar de madrugada que já acorda desesperado. Lula conta os dias, as horas e os minutos que ainda lhe restam e teme pelo momento que possa arruinar sua vida.
Lula tem conversado com seus amigos na tentativa de traçar uma nova estratégia de vitimização para tentsensibilizar o Juiz Sérgio Moro. Lula tem pedido aos amigos que tentem convencer o Juiz Sérgio Moro de ser mais “misericordioso” com ele, em nome de “tudo o que ele, Lula, fez pelo país” e desta forma, preservar a instituição do “Presidente da República”. Ou seja, ele “manda e pede” que os amigos intercedam e implorarem por ele. É tão cara de pau e mau caráter, que não tem moral para ser humilde e corajoso o suficiente para enfrentar sua dura realidade.ar 
Segundo Lula, sua prisão pode manchar a “democracia” de forma definitiva e abrir um grave precedente no sistema político do país. Em outras palavras. A prisão de Lula poderia manchar a esquerda comunista de forma definitiva e arruinar com o sistema político do país, um sistema corrupto, sórdido, manipulável, corrupto e injusto que beneficia esquemas de corrupção, regalias, mordomias e impunidade. Tudo o que a Lava Jato quer derrubar e que o povo apoiou quando optou pelo impeachment.
Lula recomendou aos seus amigos e comparsas que quer ser TRATADO como uma “INSTITUIÇÃO SAGRADA”, e pediu que seus amigos peçam para Moro ser mais condescendente com a democracia. Ou seja: O bandido que ser tratado com um “Deus, um homem santo”, sagrado e intocável. Segundo rumores, Lula até estaria disposto a contribuir com as investigações mediante um “salvo conduto” de que ele e seus familiares não fosse PRESOS e seus processos fossem arquivados. Só faltava essa!
Quem quiser mandar Lula para a p…que pariu, fique á vontade.

*Créditos jornaldopais.com.br