sábado, 25 de junho de 2011

Quem tem medo da história?

"Infeliz é o povo que precisa de heróis." Bertold Brecht
Por Silvio Tendler, no O Globo:
Estamos assistindo, perplexos, à enorme conspiração contra a verdade, a História e a memória.
O Ministério da Defesa, o Ministério das Relações Exteriores, dois ex-presidentes da República, políticos de diferentes matizes, se unem para que o Brasil não conheça a sua verdade.
Já é difícil fazer filmes, livros e peças de teatro sobre personagens reais - mesmo os de vida pública -, sem autorização do próprio ou de familiares e herdeiros. Agora, a pá de cal chega com a intenção de trancafiar documentos para que a verdadeira História não se revele.
E quem orquestra essa trama contra o futuro do Brasil? Sim, porque povo sem memória é povo sem futuro, e estaremos sujeitos eternamente a sermos alimentados por contos da carochinha. Mas, afinal, o que querem esconder de nós? Quem bateu, torturou, mandou prender e arrebentar? Quem negou passaportes, quem expedia os tenebrosos atestados ideológicos, que impediam o acesso à escola ou ao emprego?
Querem nos impedir de saber a verdade sobre a Guerra do Paraguai, ao que parece, uma verdadeira carnificina praticada para atender a interesses de poderoso banqueiro inglês.
Resistirão almirantes, generais e marechais à lupa da História? Suas biografias corresponderão às narrativas descritas nas pinturas das grandes batalhas?
Os que nos negam conhecer a verdadeira História do país são cúmplices das carnificinas, dos torturadores, dos alcaguetes a soldo do Estado; dos que ordenaram censurar jornais, revistas, peças de teatro e músicas.
Não podemos nos calar e aceitar como fato consumado essa violência da censura que tentam nos impor. Construir um país livre representa lutar para conhecer a História. Não queremos cultivar falsos heróis e, a partir de hoje, personagens da História oficial estarão sob suspeita, enquanto não nos deixarem conhecer os documentos que abrigam verdades, que, mesmo dolorosas, devem ser reveladas.
*SÍLVIO TENDLER é cineasta.

A morte do comunismo.


Eu penso que o PT, seus coligados de esquerda e os arquitetos  ideológicos dos dois grupos não pensam como passarão para a história. Passarão como passaram diversos homens que representaram o erro, em antigos paises socialistas.
Fidel Castro escreveu o livro, A história me absolverá, e será que absolverá mesmo?
Como é conhecida, hoje, Cuba e como são conhecidos os antigos paises socialistas? Como experimentos fracassados. Ainda bem que no caso específico da antiga URSS forjou-se um outro tipo de mentalidade, criando homens próprios; nova mentalidade que mostrou que o que estava       havendo era o pior. E com isso ruíram-se também os satélites daquela União de Repúblicas. Bem, é assim que a humanidade aprende, infelizmente. Ainda vamos sofrer muito por causa da destemperança das esquerdas, mas como tenho fé na humanidade que quer abraçar o melhor       caminho, e é maioria, sou otimista com o processo histórico. Crer no sucesso final desse processo, digamos, nos deixa mais confortável para lutar.
Em cada época cada um contribui da maneira que pode, como o faz Conde  Loppeaux de la Villanueva, com sua aguçada inteligência.
O comunismo 'morreu' por falência múltipla de seus órgãos e instituições por sua praxis (a) (i) moral contrária a Natureza Humana.
Pero, os filhotes estão aí e já se proclama que o carniceiro do Caribe foi 'absolvido pela História' (como todos eles se imaginam) em razão do ‘sucesso’ de sua implantação a partir da matriz ideológica cubana: Venezuela, Bolivia, Equador, Nicarágua e seus avanços na Argentina, Paraguai e, inclusive no Brasil, embora se saiba que por traz da intensa propaganda midiática venha inexoravelmente a tragédia, como já está acontecendo na Venezuela onde o processo está mais avançado.
*CarmenGomes, por e-mail, via resistência democrática

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher.

A bela atriz Gabriela Carneiro

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Acusado de corrupção, prefeito petista foge.

Lauriberto Braga, especial para o Estado de S. Paulo:
FORTALEZA - O prefeito de Senador Pompeu, no Ceará, Antônio Teixeira de Oliveira (PT), está foragido desde o último domingo, 19, quando deixou a cidade em um ônibus alugado levando outros 36 suspeitos de corrupção. A Justiça cearense fez o pedido de prisão preventiva deles, mas até agora somente um funcionário da Prefeitura foi preso.
O prefeito, vice-prefeito, secretários e assessores são acusados pelo desembargador Darival Bezerra de fraude em licitações, desvio de dinheiro público, envolvimento em crimes de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores, falsidade ideológica, peculato e formação de quadrilha. Além da prisão, o magistrado determinou o afastamento de Antônio Teixeira de Oliveira, do vice Luís Flávio Mendes de Carvalho, e do vice-presidente da Câmara Municipal, vereador Tárcido Francisco de Lima Baia.
Conforme a representação criminal feita pelo Ministério Público eles cometeram em 2008 desvio de recursos públicos, pagamentos indevidos, emissão de cheques para pagamentos de empresas não idôneas que fornecem notas fiscais frias e outras "condutas criminosas", causando "dano de grande monta ao erário municipal".
O clima em Senador Pompeu, a 275 quilômetrosde Fortaleza, é de incerteza. Os moradores fazem plantão em frente ao Paço Municipal, que está fechado. O petista foi reeleito em 2008 com a promessa de fazer um novo mercado público e um calçadão próximo a linha férrea. As obras estão paradas. O presidente da Câmara, vereador Ibervan Ramos, está só esperando a determinação judicial para assumir. Ele está preocupado em logo nomear seu secretariado.
O advogado do prefeito, Paulo Quezado, afirmou que vai provar em juízo a inocência do gestor. Segundo Quezado, não houve desvio de verbas em Senador Pompeu. O advogado prometeu entregar o prefeito à Justiça na tarde desta quarta-feira, 22, mas até às 17 horas não tinha cumprido a promessa.
Antônio Teixeira sofre ameaça de expulsão do PT. A prefeita de Fortaleza e presidenta estadual do PT, Luizianne Lins, já foi comunicada do pedido, que foi encaminhado ao Conselho de Ética.

Indio quer curtir!!!

Índio da Costa faz beicinho mas perde carteira em blitz da Lei Seca
Presidente regional do PSD, Antonio Pedro Índio da Costa teve a carteira de motorista apreendida nesta madrugada pela operação Lei Seca, no Rio.
Ex-DEM, ele foi candidato a vice-presidente de José Serra (PSDB) na última eleição.
A apreensão da carteira foi decidida após Índio da Costa se recusar a fazer o teste de alcoolemia com o bafômetro.
A Hilux, que ele dirigia, foi parada pelos fiscais na Avenida General San Martin, esquina com Bartolomeu Mitre, no Leblon, zona sul do Rio.
Índio da Costa só foi liberado após a apresentação de um motorista habilitado. (Folha.com)

Brasil é a principal rota de passagem da cocaína rumo à Europa.

Do Portal G1:
Um relatório da agência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre Drogas e Crime (UNODC), divulgado nesta quinta-feira (23), aponta que o Brasil foi o principal país usado por traficantes para transportar a cocaína produzida na região dos Andes para a Europa. Segundo o Relatório Mundial sobre Drogas, o número de carregamentos de cocaína advindos do Brasil interceptados na Europa saltou de 25 (o que totaliza 339 quilos), em 2005, para 260 (o que totaliza 1,5 tonelada), em 2009.
O documento afirma que o Brasil foi citado pela Organização Mundial das Aduanas como um dos mais importantes centros de distribuição mundiais de cocaína, ao lado da Venezuela, do Equador e da Argentina, tendo registrado ‘crescente importância’ no transporte da droga para a Europa em 2009. Ainda de acordo com o órgão, o Brasil foi o único país sul-americano de onde partiram carregamentos de cocaína interceptados na África em 2009.
O maior uso do Brasil como rota de passagem de cocaína para a Europa também se traduz no crescimento das apreensões da droga no território brasileiro, que passaram de oito toneladas, em 2004, para 24 toneladas, em 2009. Destas, 1,6 tonelada foi apreendida em cinco interceptações de aviões. O relatório aponta ainda que o Brasil foi o país que registrou maior apreensão de crack nas américas. Em 2009, foram interceptados 374 quilos da droga no Brasil, número superior aos do Panamá, onde foram apreendidos 194 quilos, Estados Unidos, com 163 quilos, e Venezuela, com 80 quilos.
No início deste mês, o governo lançou o Plano Estratégico de Fronteira. O objetivo é desenvolver uma ação coordenada entre as Forças Armadas, Polícia Federal, Força Nacional e Polícia Rodoviária Federal nas divisas do Brasil com os países vizinhos, para combater o tráfico de drogas e os crimes de fronteira.
Plantio em queda
Apesar do aumento nas apreensões e cocaína no Brasil, o relatório indica que o plantio de coca (matéria-prima da droga) na região andina caiu 32% nos últimos dez anos, e 16% entre 2007 e 2010. No ano passado, a planta foi cultivada em 149.100 hectares, ante 221.300 hectares em 2000. O documento atribui o declínio principalmente à queda na produção na Colômbia, que, ao lado de Peru e Bolívia, concentra quase todas as áreas de plantio da coca no mundo.
A redução das áreas cultivadas de coca foi acompanhada pelo declínio nas apreensões de cocaína na América do Norte, principal mercado da droga. Houve queda de 43% nas interceptações entre 2005 e 2009, o que, segundo a UNODC, reflete ‘a redução generalizada do mercado de cocaína na região’. Por outro lado, no mesmo período, houve na América do Norte aumento das apreensões de anfetaminas (87%), ecstasy (71%), maconha (32%) e heroína (19%).
Anfetaminas e ecstasy
O relatório aponta ainda diminuição nos fluxos de anfetaminas e de ecstasy da Europa para a América do Sul, já que a produção local dessas drogas estaria crescendo. A UNODC afirma que frequentes carregamentos de metanfetamina de países da África Ocidental (especialmente a Nigéria) para vários destinos no Leste e Sudeste asiático vêm se tornando uma preocupação internacional.
Também segundo o órgão, a Ásia tem se transformado numa das principais conexões para a produção e o tráfico de estimulantes sintéticos do grupo das anfetaminas (ATS), tendo registrado 64% de todas as apreensões mundiais em 2009.
*Transcrito do site de Reinaldo Azevedo

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Ministério Público quer explicações sobre uso de aeronaves das Forças Armadas.

O Ministério Público Federal da Bahia quer investigar o uso de aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) para transportar os corpos das vítimas do acidente com helicóptero em Trancoso, sul da Bahia, na última sexta-feira, 17 .
A ação pediria explicações apenas sobre o transporte do corpo de Mariana Noleto, 19 anos, namorada de Marco Antonio Cabral, filho do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, mas decidiu-se por estender o objeto da apuração para o traslado de seis das sete vítimas do acidente.
- Apesar de solidarizar com a dor das famílias em luto, o MPF, considerando seu dever de zelar pelo bom uso da coisa pública, tem a obrigação constitucional de apurar o ocorrido - afirmou o Procurador da República em exercício, André Batista.
Ainda não foram confirmadas irregularidades no processo, mas a ação quer justificativas para a utilização dos aviões da FAB, já que existem voos comerciais de Porto Seguro para o Rio - e que as vítimas não estavam em exercício de função pública.
Fonte: O globo - A tarde

Cabral é pior do que Palocci.

Este Blog
Link daqui
A web
Este Blog
Link daqui
A web
 

Se Antônio Palocci Filho usou a sua influência para auferir vantagens pessoais, escondendo estes fatos, não se pode afirmar que foi o autor direto de ações em seu benefício. Seu crime foi interferir junto ao poder público em busca de decisões favoráveis para os seus clientes, sem revelar de onde veio a fortuna que amealhou em tão pouco tempo. O caso de Sérgio Cabral (PMDB-RJ), governador do Rio de Janeiro, autoridade máxima de uma estado, com poder total de veto, é muito mais grave: ele pode ter usado a sua poderosa caneta para beneficiar amigos íntimos, que lhe emprestam aviões luxuosos e que com ele convivem festivamente em resorts de luxo, mas que, no fundo, podem estar envolvendo esta autoridade em fatos muito mais graves. Se Palocci influencia, Cabral beneficia. Não há explicação para um governador viajar para lá e para cá em avião de empresário beneficiado com exclusivas isenções fiscais. Não há justificativa para um governador conviver na intimidade com um construtor que detém contratos milionários com o estado, obtidos sem licitação.
Este jogo nojento de influência é, talvez, a pior mazela da herança maldita de Lula. Há alguns dias atrás, o ex-presidente andava pelo mundo no jatinho da Odebrecht, intermediando com sucesso a cobrança de uma dívida de R$ 1 bilhão de Chávez para com a empreiteira brasileira. Agora é Sérgio Cabral quem se enreda com a Delta Construções, curtindo junto com o seu dono as benesses do luxo e da riqueza obtida em obras sem concorrência. Finalmente, Dilma Rousseff também quer a sua cota e força aprovar no Congresso uma Medida Provisória para favorecer um seleto grupo de empreiteiras, que poderão tocar obras da Copa e das Olimpíadas sem ter o orçamento inicial auditado pelo TCU, debaixo de um sigilo suspeito, criado para esconder a corrupção e a roubalheira. O exemplo vem de cima. E depois acham ruim que oito entre dez wallets roubam as moedinhas nos carros que estão manobrando. O milagre é ainda termos dois honestos, diante de tanta corrupção quem vem de cima.
Clique aqui e leia matéria do Estadão informando que deputados querem fazer devassa nas obras do Governo Cabral.
Última, que vem da Coluna do Ancelmo Góis
Lula faz palestra no dia 1o. de julho em Luanda, no Centro de Estudos Estratégicos de Angola. O evento é patrocinado pela Odebrecht... Complementando: como todos sabem, Lula cobra U$ 200 mil por palestra.

Ministro estará sentando, o mais breve possível.

O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) deixou o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, às 13h20 desta quarta-feira. Ele havia sido internado na segunda-feira (20) para realização de cirurgia de hemorróidas.
De acordo com a assessoria de imprensa do hospital, o ministro se recupera bem.
A cirurgia transcorreu sem intercorrências e Cardozo não precisou se recuperar na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).
Essa foi a segunda internação do ministro neste mês. Na semana passada, ele foi internado em Brasília vítima de uma anemia e passou três dias afastado do cargo.
Pessoas próximas também afirmam que ele não teve como descansar desde a campanha, porque logo após a vitória de Dilma passou a integrar a transição de governo.
Único remanescente no governo dos chamados "três porquinhos" da campanha de Dilma à Presidência, Cardozo passou a ser alvo de brincadeiras de amigos desde a saída de Antonio Palocci da Casa Civil. No dia da saída do então ministro, Cardozo brincou com o apelido: "Já tem um espetinho pronto para me espetar no Ministério da Justiça".
Além de Palocci e Cardozo, o ex-presidente do PT José Eduardo Dutra integrava a coordenação da campanha. Ele se afastou do comando da sigla por problemas de saúde.

Pedido perdido no ar...

Simon faz apelo para que Dilma resista à pressão de aliados por cargos
O senador Pedro Simon (PMDB-RS) leu nesta quarta-feira uma "carta aberta" à presidente Dilma Rousseff no plenário do Senado para pedir à petista que resista à pressão de aliados para a ocupação de cargos e maior espaço no governo. Ao citar nominalmente o próprio partido, o PMDB, Simon disse que a sigla tem direito de reivindicar um "quinhão" no governo --mas sem querer tirar vantagens do cargo."Quando se diz que as várias áreas do PT, junto com o PMDB e outros partidos, brigam para ter um quinhão, não é por aí. Brigar é um direito. Mas quinhão para tirar vantagem, não pode ser. A presidenta Dilma tem o direito de pedir a biografia de quem vai ser escolhido. O PMDB vai indicar alguém, e é uma indicação do PMDB. Mas quem é ele? Qual é a sua história?", disse Simon.
O discurso de Simon ocorre em meio à pressão do PMDB para a indicação de afilhados políticos para cargos no segundo e terceiro escalão do governo. O partido também pressiona o Executivo pela liberação dos chamados "restos a pagar".

Santos é campeão da Libertadores após 48 anos

O primeiro tempo dava indício de que o jogo seria morno. Nem tinha cara de decisão e, apesar de ter o Santos dominando na maior parte do tempo, acabou 0 a 0.
O Santos manteve o jogo sob controle, mas criou pouco e teve dificuldades para finalizar com qualidade. Mérito também da zaga uruguaia, que desarmou Ganso, Elano e Neymar muitas vezes com pressão e atenção.
Ganso, craque santista tão esperado para o duelo, mostrou que está recuperado da lesão na coxa direita e aguentou a o jogo duro. O craque santista sofreu com a forte marcação e com a falta de ritmo do árbitro argentino Sergio Pezzota, que fingiu não ver algumas faltas sofridas pela equipe santista.
A festa no Pacaembu começou aos 2min do segundo tempo com Neymar abrindo o placar. Depois disso, só deu o time da baixada e o desespero dos jogadores do Peñarol.
Danilo marcou o segundo gol aos 24min, com um chute preciso, de longe e certeiro.
Posse de bola, bons dribles e muita pressão no ataque já apontava que o Santos sairia vitorioso. O susto veio aos 35min, com um gol contra de Durval, que tentou tirar a bola e, com efeito, ela balançou as redes de Rafael.
Muricy Ramalho, ao fim da partida, disse que mereceu esse título. Ele arrumou a equipe do Santos e colocou os jovens jogadores brasileiros no caminho. Brilhou assim como Neymar, Ganso, Arouca e Elano, já que conseguiu manter a calma da equipe para desenvolver um futebol bonito, técnico e campeão.(Folha online)

Herança maldita é a institucio​nalização da impunidade​...

Se conseguisse envergonhar-se com alguma coisa, o ex-presidente Lula estaria pedindo perdão aos brasileiros em geral, por ter imposto a Dilma Rousseff a nomeação de Antonio Palocci, e aos paulistas em particular, por ter imposto ao PT a candidatura de Aloízio Mercadante ao governo estadual.
Se não achasse que ética é coisa de otário, trataria de concentrar-se nas palestras encomendadas por empreiteiros amigos para livrar-se de explicar o inexplicável, como o milagre da multiplicação do patrimônio de Palocci e a comprovação do envolvimento de Mercadante nas bandalheiras dos aloprados.
Se não fosse portador da síndrome de Deus, saberia que ninguém tem poderes para revogar os fatos e decretar a inexistência do escândalo do mensalão.
Como Lula é o que é, aproveitou a reunião do PT paulista, neste 17 de junho, para tratar de todos esses temas no mesmo palavrório.
Com o desembaraço dos condenados à impunidade perpétua e o cinismo de quem não tem compromisso com a verdade, o sumo-sacerdote da seita serviu a salada mista no Sermão aos Companheiros Pecadores, clímax da missa negra em Sumaré.
Sem união, ensinou o mestre a seus discípulos, nenhum bando sobrevive sem perdas.
Palocci, nessa linha de raciocínio, perdeu o empregão na Casa Civil não pelo que fez, mas pelo que o rebanho governista deixou de fazer.
Foi despejado não por excesso de culpa, mas por falta de braços solidários.
Para demonstrar a tese, evocou o escândalo do mensalão, sem mencionar a expressão proibida. “Eu sei, o Zé Dirceu sabe, o João Paulo sabe, o Ricardo Berzoini sabe, que um dos nossos problemas em 2005 era a desconfiança entre nós, dentro da nossa bancada”,disse o mestre a seus discípulos.
“A crise de 2005 começou com uma acusação no Correio, de R$ 3 mil, o cara envolvido era do PTB, quem presidia o Correio era o PMDB e eles transformaram a CPI dos Correios, para apurar isso, numa CPI contra o PT, contra o Zé Dirceu e contra outros companheiros.
Por quê?
Porque a gente tava desunido”.
A sinopse esperta exige o preenchimento dos muitos buracos com informações essenciais. Foi Lula quem entregou o controle dos Correios ao condomínio formado pelo PMDB e pelo PTB. O funcionário filmado embolsando propinas era apadrinhado pelo deputado Roberto Jefferson, presidente do PTB, que merecera do amigo Lula “um cheque em branco”.
O desconfiado da história foi Jefferson, que resolveu afundar atirando ao descobrir que o Planalto não o livraria do naufrágio.
Ao contar o que sabia, desmatou a trilha que levaria ao pântano do mensalão.
Ali chapinhava José Dirceu, chefe do que o procurador-geral da República qualificou de “organização criminosa sofisticada” formada por dezenas de meliantes.
Tais erros não podem repetir-se, advertiu o pregador. É preciso preservar a coesão do PT e da base alugada, contemplando com cuidados especiais os parceiros do PMDB. Para abafar focos de descontentamento, a receita é singela: “A gente se reúne, tranca a porta e se atraca lá dentro”, prescreveu.
Encerrada a briga de foice, unifica-se o discurso em favor dos delinquentes em perigo.
“Eu tô de saco cheio de ver companheiro acusado, humilhado, e depois não se provar nada”, caprichou na indignação de araque o padroeiro dos gatunos federais.
Aos olhos dos brasileiros honestos, figuras como o mensaleiro José Dirceu, a quadrilheira Erenice Guerra ou o estuprador de sigilo bancário Antonio Palocci têm de prestar contas à Justiça.
Para Lula, todos só prestaram relevantes serviços à pátria.
A lealdade ao chefe purifica.
“Os adversários não brincam em serviço”, fantasiou. “Toda vez que o PT se fortalece, eles saem achincalhando o partido”. É por isso que Mercadante está na berlinda: segundo Lula, os inimigos miram não no comandante de milícias alopradas, mas no futuro prefeito da capital. “Nunca antes na história deste país tivemos condições tão favoráveis para ganhar as eleições no Estado”, festejou no fim do sermão.
Se há pouco mais de seis meses o PT foi novamente surrado nas urnas paulistas, o que ampara o otimismo do palanque ambulante?
Nada.
É só mais um blefe.
O PSDB costuma embarcar em todos. Não conseguiu sequer deixar claro que o Brasil Maravilha esculpido em milhares de falatórios só existe na imaginação dos arquitetos malandros e na papelada registrada em cartório.
Cumpre à oposição mostrar que o homem que brinca de xerife é o vilão do faroeste de quinta categoria.
Os brasileiros precisam aprender que o câncer que corrói o organismo político nacional não é a corrupção simplesmente ─ essa existe em qualquer paragem.
É a certeza de que não haverá sanções legais.
Ao longo de oito anos, enquanto cuidava de promover a ignorância à categoria das virtudes, Lula institucionalizou a impunidade dos corruptos e acelerou a decomposição moral do país.
O Brasil deste começo de século lembra um grande clube dos cafajestes sustentado por milhões de eleitores para os quais a vida consiste em não morrer de fome.
Essa sim é a herança maldita.
* Texto por Augusto Nunes
..........................................................................................................................
Aos olhos dos brasileiros honestos, figuras como o mensaleiro José Dirceu, a quadrilheira Erenice Guerra ou o estuprador de sigilo bancário Antonio Palocci têm de prestar contas à Justiça. Para Lula, todos só prestaram relevantes serviços à pátria. A lealdade ao chefe purifica.

PSDB monta operação para barrar PSD

O partido adesista e servil de Kassab, terá o PSDB como obstáculo.
Por Catia Seabra, na Folha:
O PSDB deflagrou uma operação para impedir a criação do PSD, partido lançado pelo prefeito Gilberto Kassab, a tempo das eleições municipais do ano que vem. A manobra consistirá na apresentação de ações pulverizadas por todo o país para a contestação do registro da nova legenda. Para adiar o cronograma traçado por Kassab, as impugnações serão entregues a cada etapa sempre no último dia previsto por lei. A estratégia tucana prevê que apenas o DEM assuma a autoria das ações. O PSDB, com aval do presidente Sérgio Guerra (PE), dará assessoria jurídica ao partido.
A operação foi autorizada pela cúpula tucana na noite de anteontem, quando o prefeito de São Paulo admitiu, em sabatina da Folha, a hipótese de aliança com a presidente Dilma em 2014. “Vamos fazer o possível para enterrar esse partido”, decretou Guerra, segundo presentes à reunião. A legislação prevê a possibilidade de contestação em três fases do processo de registro de um partido: nos cartórios, nos TREs (Tribunal Regional Eleitoral) e no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Segundo cálculo da assessoria jurídica do PSDB, uma ação bem orquestrada pode atrasar em 15 dias cada uma dessas etapas. Kassab precisa reunir 500 mil assinaturas, distribuídas em pelo menos nove Estados, até 7 de outubro. Do contrário, não registrará candidatos para o pleito de 2012.
*Por Reinaldo Azevedo

"O Eike é um bom companheiro, o Eike é um companheiro!!!"

"Sou livre para selecionar minhas amizades", diz Eike
DO RIO: O empresário Eike Batista confirmou, em nota divulgada ontem, ter emprestado seu jato Legacy para que o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, viajasse na sexta-feira para um resort no sul da Bahia.
"Tive satisfação em ter colocado meu avião à disposição do governador Sérgio Cabral, que vem realizando seu trabalho com grande competência e determinação", afirmou Eike na nota.
A Folha perguntou à assessoria do empresário se o jatinho já havia sido emprestado ao governador em outras ocasiões, mas a nota não esclarece este ponto.
No texto, Eike diz que não tem qualquer espécie de contrato de prestação de serviços com o governo estadual e também não recebe pagamentos do Estado.
"Sou livre para selecionar minhas amizades, contribuir para campanhas políticas, trazer a Olimpíada para o Rio, apoiar a implantação das UPPs [Unidades de Polícia Pacificadora], patrocinar o RJX [time de vôlei masculino] e auxiliar a realização de diversos projetos sociais e culturais do Estado", disse o empresário.
De acordo com dados do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), Eike doou, como pessoa física, R$ 750 mil para a campanha de Sérgio Cabral no ano passado.
Em 2009, Cabral e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, usaram um jatinho do empresário para viajar para Copenhague, na Dinamarca, onde a cidade foi anunciada como sede da Olimpíada de 2016.
No ano passado, Eike também se comprometeu, com a Secretaria Estadual de Segurança Pública, a doar o equivalente a R$ 20 milhões para um fundo destinado a equipar as UPPs.
O patrocínio ao RJX, time de vôlei masculino, anunciado em abril de 2011, foi estimado em R$ 13 milhões. "Faço tudo com dinheiro do meu bolso e me orgulho disso", afirma o empresário.
FOLHA DE SÃO PAULO - 22/06/2011

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Hacker desvia 600 milhões da conta de Lula!

Polícia Federal e FBI procuram o hacker e Lula diz que se não se conforma com o fato
O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva está assustado com a ação de um hacker de computador, que conseguiu retirar cerca de 600 milhões de reais da sua conta bancária, e desviar para uma conta no exterior, em nome de outra pessoa. O dinheiro já foi sacado.
A Presidenta Dilma pediu a Polícia Federal que investigue o caso. Os policiais foram na manhã desta quarta-feira (22) até a casa de Lula, em São Paulo, para obter mais informações. E com lágrimas nos olhos Lula falou: “companheiro, estou chocado com essa tragédia, liso e sem nenhum centavo, como pode uma pessoa conseguir tirar o dinheiro que eu tinha no banco usando um computador? Não me conformo companheiro. Não me conformo!”, disse Lula.
Ainda não se tem pistas do hacker que praticou a mega operação de desvio. A Polícia Federal pedirá a ajuda do FBI e da CIA. E Dilma pediu ao Lula para não se preocupar, e se prontificou em lhe enviar uma mesada por mês, enquanto o dinheiro não aparece.

* Fonte: g17.com.br

Dirceu na área e promiscuidade total.

“O Cavendish é amigo íntimo do Sérgio Cabral. A promiscuidade é total”
Os engenheiros José Augusto Quintella Freire e Romênio Marcelino Machado eram donos da Sigma Engenharia, empresa adquirida pela Delta Construções, em 2008. Durante o processo de fusão, no entanto, os sócios se desentenderam — e o negócio encontra-se até hoje em litígio judicial. Foi nesse período que o empresário Fernando Cavendish contratou os serviços da JD Assessoria e Consultoria, do ex-ministro José Dirceu. E é do centro dessa disputa que surge a revelação sobre as verdadeiras atividades do ex-ministro.
Que tipo de consultoria o ex-ministro José Dirceu realizou para o grupo Delta?
Romênio - Tráfico de influência. Com certeza, é tráfico de influência. O trabalho era aproximar o Fernando Cavendish de pessoas influentes do governo do PT. Isso, é óbvio, com o objetivo de viabilizar a realização de negócios entre a empresa e o governo federal.
E os resultados foram satisfatórios?
Romênio - Hoje, praticamente todo o faturamento do grupo Delta se concentra em obras e serviços prestados ao governo.
A contratação de José Dirceu foi justificada internamente de que maneira?
Romênio - A contratação foi feita por debaixo do pano, através da nossa empresa, sem o nosso conhecimento. Um dia apareceram notas fiscais de prestação de serviços da JD Consultoria. Como na ocasião não sabia do que se tratava, eu me recusei a autorizar o pagamento, o que acabou sendo feito por ordem do Cavendish.
O que aconteceu depois da contratação da empresa de consultoria do ex-ministro?
Quintella - A Delta começou a receber convites de estatais para realizar obras sem ter a capacidade técnica para isso. A Petrobras é um exemplo. No Rio de Janeiro, a Delta integra um consórcio que está construindo o complexo petroquímico de Itaboraí, uma obra gigantesca. A empresa não tem histórico na área de óleo e gás, o que é uma exigência Ainda assim, conseguiu integrar o consórcio. Como? Influência política.
A Delta, por ser uma das maiores empreiteiras do país, precisa usar esse tipo de expediente?
Romênio - Usa. E usa em tudo. O caso da reforma do Maracanã é outro exemplo. A Delta está no consórcio que venceu a licitação por 705 milhões. A obra mal começou e já teve o preço elevado para mais de l bilhão de reais. Isso é uma vergonha. O TCU questionou a lisura do processo de licitação. E quem veio a público fazer a defesa da obra? O governador Sérgio Cabral. O Cavendish é amigo último do Sérgio Cabral. A promiscuidade é total.
*Leiam íntegra da entrevista na revista

Tá bom, Dilma, ok então…

Do blog Vespeiro.com:
O Regime Diferenciado de Contratação (RDC) entrou no Congresso valendo “exclusivamente para obras visando a Copa e a Olimpíada”.
Meia hora depois enfiaram no projeto também as cidades a mais de 350km das cidades sede. Mais meia hora e lá estava outra emenda do PDT incluindo nesse regime todas as obras envolvendo “portos, aeroportos e mobilidade urbana do país”. Aí juntaram ao caldo o direito de fazer aditivos aos contratos sem limites. Em seguida deram à Fifa e ao Coi a prerrogativa de exigir revisões desses contratos. Finalmente os governadores e prefeitos aderiram à idéia contanto que se tire esse tipo de obra dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal.
E então a presidente Dilma, ao lado de Temer, Sarney, Collor, Ricardo Teixeira e João Havelange veio a TV para lamentar essa estranha mania da imprensa de ver maldade em tudo…

Governistas e aliados querem minar a Petrobrás.


Partidos aliados do Planalto querem tirar proveito dos planos de negócios da estatal, que planeja investir pelo menos US$ 224 bilhões.
Por Denise Rothenburg, no Correio braziliense:
As dificuldades da Petrobras em aprovar os planos de negócios para 2011-2015 não se resumem à queda de braço entre o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli. No Palácio do Planalto já se admite que parte do atraso na definição dos investimentos de pelo menos US$ 224 bilhões programados pela companhia decorre de problemas políticos. Os partidos da base aliada da presidente Dilma Rousseff querem abocanhar cargos nas quase cem empresas controladas pela petrolífera e, se possível, interferir nos projetos a serem tocados, dos quais podem tirar dividendos eleitorais no ano que vem e em 2014.
A pressão dos políticos está tão grande que Graça Foster, diretora de Gás e Energia da Petrobras e uma das pessoas mais próximas de Dilma, dispôs-se a vir a Brasília na próxima semana conversar com deputados e senadores interessados no que a estatal tem a lhes oferecer. O PMDB, por exemplo, já comanda a área internacional da empresa, por meio de Jorge Zelada, e a diretoria de Abastecimento, com Paulo Roberto Costa, mas não tem conseguido fazer valer vários de seus projetos, como o de acelerar a construção de refinarias.
Os políticos têm dito, em conversas reservadas no governo, que precisam das obras antes de fecharem seus mandatos. Isso vale, especialmente, para os governadores amigos do Palácio do Planalto. No Ceará de Cid Gomes (PSB), há uma refinaria em construção. Em Pernambuco, outro governador socialista, Eduardo Campos, está sendo levantada a refinaria Abreu e Lima. No Rio de Sérgio Cabral (PMDB), estão em curso as obras de um complexo petroquímico, o Comperj. No Maranhão, da governadora Roseana Sarney (PMDB), há a refinaria Premium I, também em fase de construção.
Os assessores de Dilma reconhecem que os projetos da Petrobras realmente dão visibilidade política, devido ao porte gigantesco. Mas ressaltam que não há recursos suficientes nem cargos para atender a todos os pedidos. Pelo contrário. Com o intuito de conter a inflação e evitar que a estatal seja obrigada a aumentar em 10% os preços da gasolina para fazer caixa, o ministro da Fazenda está impondo que a empresa mantenha o mesmo volume de investimentos de 2010-2014 no período 2011-2015. "Não há recursos suficientes para finalizar todas as obras antes de 2014, quando todos esses governadores deixarão os mandatos em busca de outros cargos", disse um técnico do Planalto. Até o momento, apenas Cid Gomes declarou que não deseja se candidatar a outra função eletiva.
Refinarias
O plano dos políticos de inaugurarem obras nos próximos anos não casa com as necessidades de capitalização da Petrobras. Na visão de especialistas em petróleo, a estatal precisa investir mais em exploração e produção, áreas que sempre ajudam a turbinar o se caixa. As refinarias são projetos com retorno em longo prazo. Os mesmos profissionais ressaltam que a companhia precisa de aproximadamente US$ 90 bilhões por ano para bancar todos os seus empreendimentos — isso, sem falar do dinheiro necessário à exploração do pré-sal.
Para o mercado, é melhor que os políticos contenham o apetite. A Petrobras já está pagando um preço alto demais por causa da ingerência de Guido Mantega nos seus negócios. Como presidente do Conselho de Administração da empresa, foi dele os dois vetos ao plano de negócios apresentados nos últimos meses. Ontem, mesmo com a Bolsa Valores de São Paulo (Bovespa) cravando alta de 0,18%, os papéis ordinários (ON, com direito a voto) da estatal caíram 0,66% e as preferenciais ( PN), 0,60%.
Nada de exageros
O último adiamento do novo plano de negócios da Petrobras ocorreu na sexta-feira passada. A empresa propôs ampliar os desembolsos de US$ 224 bilhões para US$ 250 bilhões no próximo quinquênio. Mas o presidente do Conselho de Administração da companhia, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, alegou que, neste momento, os gastos são excessivos e podem pressionar a inflação, que vem sendo combatida pelo Banco Central por meio de constantes altas na taxa básica de juros (Selic).

A Africa é aqui?


Dados da Unicef, Fundo da ONU para a infância, revelam que o Brasil está só três pontos acima do Congo em analfabetismo: 17% x 14%.

O retrocesso da esquerda.

Os esquerdistas, contumazes idólatras do fracasso, recusam-se a admitir que as riquezas são criadas pela diligência dos indivíduos e não pela clarividência do Estado."
(Roberto de Oliveira Campos)

Marcha pela ética.

Vocês ficaram sabendo da MARCHA PELA ÉTICA? O NEGÓCIO ESTÁ BOMBANDO!!!!
Se quiserem se juntar a nós, vamos nessa!!!!
Estou comunicando que já existe um grupo formado no facebook MARCHA PELA ÉTICA!
O grupo nasceu com o objetivo de reunir cidadãos de todo Brasil indignados com a situação atual do Brasil e seus políticos ( a grande maioria) que, comprovamos todos os dias em escândalos que a imprensa nos revela, desconhecem a honestidade, seriedade, responsabilidade, a ÉTICA!
Hoje somos 3.600 cidadãos no facebook. Já realizamos um encontro, sábado dia 18 no Parque do Povo, quando pudemos manifestar esta indignação!!!
Lamentavelmente éramos menos de 100 cidadãos. Agora decidimos acompanhar o Dia do Basta que acontecerá em todo Brasil dia 02 de julho, em várias cidades simultaneamente. Destaco que nosso grupo/movimento é apartidário, sem Ongs, sem Sindicatos e sem Políticos.
Apenas CIDADÃOS!
Vocês ficaram sabendo da MARCHA PELA ÉTICA? O NEGÓCIO ESTÁ BOMBANDO!!!! Se quiserem se juntar a nós, vamos nessa!!!! Aquele abraço!!! Myrian Repassando... Boa tarde, estou escrevendo para contar do grupo formado no facebook MARCHA PELA ÉTICA! O grupo nasceu com o objetivo de reunir cidadãos de todo Brasil indignados com a situação atual do Brasil e seus políticos ( a grande maioria) que, comprovamos todos os dias em escândalos que a imprensa nos revela, desconhecem a honestidade, seriedade, responsabilidade, a ÉTICA! Hoje somos 3.600 cidadãos no facebook. Já realizamos um encontro, sábado dia 18 no Parque do Povo, quando pudemos manifestar esta indignação!!! Lamentavelmente éramos menos de 100 cidadãos. Agora decidimos acompanhar o Dia do Basta que acontecerá em todo Brasil dia 02 de julho, em várias cidades simultaneamente. Destaco que nosso grupo/movimento é apartidário, sem Ongs, sem Sindicatos e sem Políticos. Apenas CIDADÃOS!
No facebook podem nos encontrar em MARCHA PELA ÉTICA!
Para maiores informações: Ana Serra - email: alpserra@yahoo.com.br

Cabral e Eike, unidos em busca da grana?

O generoso empréstimo de um sofisticado jatinho Legacy para um passeio particular na Bahia, onde comemoraria o aniversário de um empreiteiro que tem R$ 1 bilhão em contratos com o governo do Estado do Rio de Janeiro, é apenas uma pista de um ambicioso plano de negócios que une o bilionário Eike Batista e o governador Sérgio Cabral.
Na verdade, ambos articulam um alto voo: a concessão do Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim.
Com Cabral de “padrinho” do meganegócio junto ao governo Dilma Rousseff, Eike já tem articulada uma parceria para abocanhar o Galeão junto com as empreiteiras Odebrecht, Camargo Correa (que está saindo da área de obras para ficar só com negócios de concessões de estradas e aeroportos) e OAS.
O amigo de Cabral e de Eike, empreiteiro Fernando Cavendish, também entraria no empreendimento com sua Delta Construções. Dilma postergou a decisão sobre o modelo de concessão para o Galeão por causa das pressões do PMDB, via Cabral, para abocanhar o aeroporto estratégico para o turismo brasileiro.
A Assessoria de Imprensa da Delta faz um convincente juramento:
" Sua atuação não é pautada pelo relacionamento pessoal do empresário Fernando Cavendish com o governador Sérgio Cabral".
A empresa alega que as concorrências das quais participa estão dentro da legalidade.
Mas dados vazados ao jornal O Globo por tucanos inimigos de Serginho Cabral revelam que a Delta foi contemplada somente este ano, até este mês, com R$ 58,7 milhões para a realização de obras, sem concorrências públicas.
O valor representa 24,8% - praticamente um quarto - do total de R$ 241,8 milhões empenhados (recursos reservados para pagamento) só para a construtora no primeiro semestre de 2011.
De 2007 até hoje, a construtora acumula contratos - com e sem concorrência - de R$ 1 bilhão com o estado.
A Delta participa de consórcios à frente de obras caríssimas, como a do Maracanã e a do Arco Metropolitano.
A empresa também se mostrou craque em reajustar valores de obras.
A reforma do Maracanã, inicialmente orçada em R$ 750 mil, foi reajustada para R$ 1 bilhão.
A Delta alegou que parte da cobertura original do estádio está seriamente danificada e precisa ser refeita.
*Texto por Jorge Serrão

terça-feira, 21 de junho de 2011

Dilmês erudito.


 Celso Arnaldo captura a presidente no show de dilmês erudito: ‘Não é possível chamar o governo de que está garantindo roubalheira’
Por Augusto Nunes
Direto ao Ponto
Num dos seus piores momentos em quase seis meses de governo, Dilma Rousseff foi capturada por Celso Arnaldo em Ribeirão Preto. Sorte dos leitores, presenteados com um dos melhores momentos do grande caçador de cretinices.Confira:
POR CELSO ARNALDO ARAÚJO
O nome da seção do Blog do Planalto já não é bom: “Atividades da presidenta”. Soa esquisito. Na verdade, quem soa sempre esquisito é a presidenta – mas esquisito mesmo é o assunto principal da entrevista dada em Ribeirão Preto: o “Regime de Contratação Especial para as Obras da Copa”, como ela diz. O nome da maracutaia é esse mesmo? Como a Professora Doutora que nunca foi, nem nunca poderia ter sido, pois só pôde ser presidente, ela começa a explicar o inexplicável com uma pergunta retórica de caráter pedagógico:
– O quiquié que foi chamado de, é, sigilo de orçamento?
Você quer mesmo saber por que a Câmara aprovou, a pedido do governo, a tática do “treino secreto” para o timaço que está na jogada da Copa de 2014? Ouça a presidenta com atenção, como o Tinga ouve a preleção do Felipão:
“Trata-se do seguinte. É inclusive integrante das melhores práticas do OCDE e da União Europeia. Pra evitar que a pessoa que está, o licitante, né, quem está fazendo a oferta, utilize a prática de elevação dos preços e de formação de cartel, qual é a técnica que se usa? Você não mostra pra ele qual o seu orçamento. Mas o, quem te fiscaliza sabe direitinho qual é o valor. Aí cê faz a licitação. Aí quiqui acontece? Ele não vai saber qual é o preço que cê acha que pode pagar. Isso significa que ele vai dar um preço menor. E se der fora de orçamento, o órgão de controle sabe que deu fora do orçamento. E além disso ocê explicita o orçamento na sequência. Eu lamento a má interpretação que se deram (sic) a esse ponto.”
Depois dessa explicação meridiana, cartesiana, republicana, é mesmo de se lamentar a interpretação que “se deram” ao Regime Diferenciado de Contratações. É verdade que, nessa defesa da tática RDC feita pela presidente, houve farta distribuição de caneladas, furadas e bolas murchas pelos craques que atendem pelos nomes de “pessoa”, “cê”, “ocê” e “ele”: quem é quem nesse jogo?
Mas só mesmo por má-fé, ou má informação, alguém poderia desconfiar da lisura na contratação no escuro de obras desse vulto no Brasil. Se nos Pan-Americanos de 2007 foi aquela roubalheira desenfreada, e era tudo às claras, que tal darmos uma chance ao não-sabido?
Ficou ainda algum lado do campo desguarnecido? Dilma reforça a defesa:
“Em momento algum se esconde o valor do órgão de controle, tanto interno quanto externo (…) Segundo: quem não sabe o valor é quem está dando o lance. Puqui que ele não sabe? Porque se ele souber que eu dou, vamos supor, vamos fazer uma hipótese, vamos supor que ele ache que é cem, um número cem, vamos supor que no orçamento do governo teja, esteja, 120. A hora que ele vê que é 120 o valor mínimo, ele vai pra 120. Este foi um recurso que nós usamos pra diminuir os preços das obras da Copa. Não há da parte do governo nenhum interesse em ocultá. Pelo contrário, de quem que não se oculta? Não se oculta da sociedade, depois que ocorreu o lance, e não se oculta, antes do lance, dos órgãos de controle.”
Transparência é tudo e mais um pouco. Tente superar as barreiras linguísticas quase instransponíveis do dilmês. Atenha-se ao conteúdo implícito nas entre(mal traçadas)linhas: pela primeira vez, um presidente da República admite que, pelo regime normal de concorrências públicas, já que o RDC é uma exceção absoluta, o que custa 100 sempre sai por 120, no mínimo. E o governo sempre paga. Agora, no escuro, o que é 100 vai custar 100 – e Jair Bolsonaro vai passar o domingo que vem todinho na Avenida Paulista.
Mas a confissão explícita não alivia Dilma. Ao contrário — a presidenta está indignada:
“Eu sinto muito essa, essa má interpretação daquele artigo. E acredito que nada, é, que pode ser corrigido, porque as pessoas conversando elas esclarecem e cada uma vai explicar do que que entendeu, aonde que tá o problema, aonde que tá, porque também tem limite, não é possível chamar (sic) o governo de que está garantindo roubalheira ou qualquer coisa assim. Isso foi negociado com o TCU”.
“Chamar” o governo de que está garantindo roubalheira?
Não conheço ninguém que fale português e tenha dito isso.
Terá sido o Joseph Blatter?

E agora Cabral?

A vida é engraçada mesmo.
Semana passada o governador Sérgio Cabral chamou os bombeiros que estavam em greve no Hellp de Janeiro de VÂNDALOS.
Hoje ele precisa da corporação para ajudar na busca dos corpos do acidente de helicóptero que vitimou a nora dele. E mais seis pessoas.
Não importa se os bombeiros que estão nas buscas sejam da Bahia, Maceio, Roraima ou São Paulo...
Talvez ele agora compreenda a importância do trabalho que eles fazem pela sociedade.
* ClaudiaS

Dilminha boazinha...

Veja como Dilma “demitiu” um aliado só para que ele tivesse direito a uma bolada de dinheiro… público!
Por Leandro Colon, no Estadão:
O vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, recebeu pelo menos R$ 280 mil dos cofres públicos ao sair em março da diretoria-geral da Alcântara Cyclone Space (ACS), uma sociedade dos governos do Brasil e da Ucrânia para gerir o principal programa espacial brasileiro, que passa por grave crise financeira. Amaral recebeu esse dinheiro porque conseguiu ser oficialmente “demitido” do cargo.
Em entrevista gravada ao Estado, o dirigente do PSB afirmou que foi ele quem decidiu sair da direção da ACS, ainda durante as eleições 2010. “Eu quis. Pedi e acertei com a presidente Dilma antes do processo eleitoral”, afirmou. Ele contou, porém, que negociou com o governo federal para ser demitido. “Eu pedi para ser demitido, todo mundo faz isso. Não posso ser crucificado por isso”, afirmou.
A receita da empresa é 100% de origem pública. Por ser uma parceria internacional, seus funcionários são contratados pelas regras da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) e têm carteira assinada. Ao ser atendido no desejo de ser demitido, o dirigente do PSB e ex-ministro de Ciência e Tecnologia fez um grande negócio, porque teve direito às indenizações de demissões sem justa causa - os R$ 280 mil foram pagos pela ACS incluindo, por exemplo, os 40% de multa sobre o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Esses valores ainda não incluem o saldo do FGTS que Amaral pôde sacar por ter sido demitido.
No mesmo dia da demissão, Amaral foi nomeado para integrar os conselhos da Itaipu Binacional e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), cujos salários somam cerca de R$ 25 mil. A chefe de gabinete de Amaral na ACS, Patricia Patriota, filha do deputado Gonzaga Patriota (PSB-PE), também conseguiu ser demitida e recebeu cerca de R$ 55 mil.
A assessoria da Presidência disse que não confirma a versão de Amaral sobre o acordo para ser demitido. Informou que a Presidência decidiu por sua saída e que ele “foi exonerado por ter cumprido uma missão e ter encerrado um ciclo na empresa”. A ACS, vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia, está paralisada. Criada em 2007, já recebeu R$ 218 milhões do governo brasileiro e R$ 98 milhões da Ucrânia num projeto orçado em R$ 1 bilhão.
Cortes. O Estado revelou na quinta-feira que o projeto empacou depois que a presidente Dilma Rousseff cortou seu orçamento e determinou auditoria nas contas da empresa e na execução da parceria. A exoneração de Amaral foi publicada no dia 28 de março no Diário Oficial da União com as assinaturas da presidente Dilma Rousseff e do ministro Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia). Ele ganhava R$ 30 mil mensais. Naquele dia, foram divulgadas as indicações para ele assumir uma vaga na Itaipu e outra no BNDES.
A assessoria de Mercadante disse que ele foi exonerado da ACS pelo governo, mas não sabia que ele receberia a indenização.
Em duas entrevistas ao Estado na quinta-feira (leia abaixo), Amaral entrou em contradição e acabou contando que a demissão foi um acerto com o governo. Num primeiro momento, quando a reportagem ainda não tinha a confirmação de que ele havia sido demitido, o dirigente do PSB afirmou, durante entrevista sobre a crise do programa espacial, que pediu para deixar o cargo de comando do projeto. Após essa entrevista, a ACS confirmou que demitiu Amaral, em cumprimento ao acordo dele com o governo. Ele então se negou a comentar os valores recebidos sob a alegação de que é um problema dele e da empresa. (estadão)

segunda-feira, 20 de junho de 2011

A volta da dupla aloprada.

Lula e Dirceu se pintam para a guerra e resolvem ressuscitar um “grande inimigo”: a imprensa!
Luiz Inácio Lula da Silva e José Dirceu resolveram pintar todas as suas caras para a guerra. Já estamos em ano pré-eleitoral, o PT bate cabeça, e companheiros são vítimas de fogo amigo. A oposição é pequena demais para criar constrangimentos ao governo, como se nota. As dificuldades todas do Planalto estão na própria base aliada, em especial no próprio PT, mas a Soberana não tem jogo de cintura para fazer política. Lula e Dirceu reuniram a petistada com três propósitos:
a) apelar à unidade do partido contra os terríveis inimigos;
b) satanizar a oposição, que esataria, mais uma vez conspirando;
c) ressuscitar a guerra contra “a mídia”, tão bem-sucedida no passado.
Vivemos uma era em que a militância de alguns estimula a covardia de outros.
Eu sei o quanto apanhei nos últimos anos por ter reafirmado aqui, a cada dia, a herança bendita do ex-presidente. Defender FHC está longe de ser a coisa mais difícil que faço. Muito mais trabalhoso tem sido, por exemplo, ter de lembrar ao Supremo que existe uma Constituição no país e que cabe, sim, a um tribunal constitucional tomar decisões que interpretem o espírito das leis, mas não lhe cabe, de modo nenhum, decidir contra a letra explícita da própria Carta ou dos códigos legais cuja caducidade ainda não foi declarada. Isso, sim, tem sido difícil. Apontar as óbvias conquistas de FHC é bico, ainda que, ao longo dos anos, tenha sido uma atividade quase solitária não nestes últimos dias, depois que a mensagem de Dilma foi tornada pública.
A farsa petista só se constituiu porque se permitiu que o partido e o governo Lula mentissem muito sobre si mesmos e, acima de tudo, sobre seus adversários. Há casos, em que setores da imprensa foram mais do que meros veiculadores da farsa; atuaram como partícipes.
Há, sim, os que se ocupam de fazer jornalismo e de lembrar os princípios de independência que devem orientar a imprensa. E, por isso mesmo, casos como a verdade sobre os aloprados ou o espantoso talento de Antonio Palocci para ficar rico vêm a público, para irritação dos companheiros.
Luiz Inácio Apedeuta da Silva esteve ontem no Encontro das Macro Regiões Estaduais do PT, na cidade de Sumaré, em São Paulo. Estava acompanhado de José Dirceu, aquele que a Procuradoria Geral da República diz ser chefe de quadrilha, o subcomandante do mensalão. Ambos fizeram, vocês viram num post abaixo, a defesa da administração de Campinas, depois de cobrados em cena aberta por Dr. Hélio, o prefeito. Só lhe faltou dizer: “Eu me lembro de vocês; vocês se lembram de mim?” Sim, eles se lembravam. E usaram o exemplo pessoal para provar como o mundo pode ser injusto, e os adversários, perversos.
Seguindo a linha de defesa do prefeito, atacaram o PSDB e politizaram a questão. Lula se disse de “saco cheio” de ver “companheiros acusados” sem provas etc e tal. Digamos que fosse verdade. A boca torta pelo uso do cachimbo desmoralizaria a sua crítica. De toda sorte, a verdade sobre o caso dos aloprados, por exemplo, revelada ontem por VEJA, demonstra que o PT é realmente singular: se não existem “provas” contra seus adversários, eles se encarregam fabricá-las. O método é tão disseminado que pode até vitimar um companheiro de partido, como aconteceu no Mato Grosso contra Serys Slhessarenko.
A unidade contra o inimigo é o trivial ligeiro de qualquer batalha. É pouco. Então foi preciso investir numa velha fantasia, que andava ausente dos discursos nesses quase seis meses de governo Dilma: o ataque à imprensa. A qual imprensa? Àquela que é subordinada do petismo e que decidiu ressuscitar o clima Don & Ravel e fazer a versão “jornalística”, e infinitamente mais pobre, de “Porque me ufano do meu país”, levando Afonso Celso a se remexer na tumba? Não! Lula e Dirceu atacam a imprensa que cumpre o seu papel.
O Babalorixá voltou à ladainha de seus oito anos de mandato. Fosse pela imprensa, disse aos petistas em delírio, não teria deixado o governo com 87% de aprovação popular. Só se esqueceu de dizer que essas medições de popularidade e sua própria divulgação foram feitas pela… imprensa. O Apedeuta deu a receita, segundo relato de O Globo:
“O ex-presidente falou da estratégia de seu governo de privilegiar os pequenos veículos de comunicação do interior do país, as chamadas mídias regionais, para se comunicar com o eleitorado. ‘Consegui criar outra forma de conversar com as pessoas que não fosse através dos grandes meios de comunicação, passando a falar nas rádios e jornaizinhos locais. Essa gente (do interior) não lê os grandes jornais, o que vale é a imprensa local, a rádio local”, ensinou.
O petista lembrou que essa bem sucedida mudança na comunicação oficial envolveu também a redistribuição das verbas publicitárias do governo. Segundo Lula, essas verbas eram destinadas a cerca de 378 veículos no início de sua gestão. E, no ano passado, eram oito mil veículos (entre rádios, jornais, revistas e TVs) que repartiam essa verba.”
Em suma, ele deixou claro que usou dinheiro público para comprar apoio da “boa imprensa”.
Se isso lhe parece pouco, é porque José Dirceu ainda não havia se pronunciado. Ainda segundo o relato de O Globo:
“Falando aos militantes logo depois de Lula, que deixou o evento após discursar, o ex-ministro e deputado cassado José Dirceu disse que hoje a mídia ‘faz o papel da oposição’ no país, organizando a agenda e pautando as ações da oposição. ‘O partido precisa responder aos ataques que já está sofrendo e vai sofrer. Se tem problema de corrupção, que se investigue’, disse. Segundo Dirceu, o partido não deve permitir o ‘uso político’ dessas denúncias: ‘Se hoje temos o Ministério Público e a Polícia Federal investigando, isso foi por conta do nosso governo. Por isso, não vamos permitir que se faça uso político desse tipo de denúncia’.”
Santo Deus!
Zé Dirceu não resiste nem à lógica pedestre. Se fosse verdade que a imprensa faz o papel da oposição, então haveria de se admitir que a oposição não desempenha o seu papel, certo? Se ele está descontente com isso, estamos diante da prova de que ele não suporta… oposição! Bem, isso é verdade mesmo sendo falsa a premissa. Vejam que adorável: “Se tem problema de corrupção, que se investigue”, mas não, entenda-se, os petistas! Porque aí passa a ser “ataque”. Ele também não quer “uso político da denúncia”. Surgindo uma falcatrua no governo, as oposições devem ficar em silêncio… Quanto ao Ministério Público… Bem, Palocci caiu sem que a PF e a Procuradoria-Geral tivessem movido uma palha. Não foi a oposição que o derrubou, mas a sua dinheirama. E Dirceu não precisa enganar ninguém: ele não está infeliz com isso. Qualquer oposicionista, escolhido aleatoriamente, tinha com o ex-ministro uma relação mais harmoniosa do que seu rival de consultoria.
Lula está onde sempre esteve — inclusive nos oito anos de mandato: em cima do palanque. Dirceu é figura ativa no petismo, mas, com Palocci na articulação política, ele se resguardava mais, ficava na sombra, roendo um tanto os cotovelos. O outro tolhia muito dos seus movimentos. Não é mera coincidência que tenha voltado a atuar com tanta saliência — está sendo saudado até como amigo das artes!!! Vai acabar virando o Edemar Cid Ferreira da ideologia!!!
Vai dar resultado?Consta que Dilma pediu que o PT, que vem lhe criando alguns problemas, tomasse um pito. Isso pode passar a impressão, errada, de que ela está no controle e de que ambos cumprem uma tarefa encomendada. Besteira! Os pronunciamentos de Lula e Dirceu correspondem a um esforço para encabrestar a mandatária e para lhe impor uma agenda, a que ela tem resistido: hostilizar a imprensa e anatematizá-la como “partido de oposição”.
Sabem o que é trágico? Isso já funcionou no passado — sim, sim, com exceção daqueles que não se deixam domesticar. Quando Lula começa com essa ladainha, tem início o esforço desesperado de muitos diretores de redação: “Precisamos de denúncias contra a oposição também”. A rede a soldo de blogueiros e chicaneiros começa a patrulhar os veículos — tentam fazer isso no meu blog; eu os chuto — e acabam emplacando as suas pautas; até porque a patrulha está presente de modo acachapante nas redações. Sim, pouco importa a camisa do malfeitor, notícia é notícia. Mas o PT não pode ser o tribunal a julgar a isenção do noticiário.
Eles estão de volta à sua natureza! Vem aí outra guerra contra a imprensa. Podem apostar.
* Extraído do texto de  Reinaldo Azevedo

Negócios da China, para inglês ver

Por Elio Gaspari, O Globo:
Durante a viagem de Dilma Rousseff à China a marquetagem do governo anunciou dois êxitos:
1) O governo de Pequim concordara em tirar a fábrica da Embraer de Harbin da geladeira, abrindo-lhe o mercado para a fabricação de jatos executivos Legacy. (O mercado de jatinhos chinês, deprimido pelo governo, é menor do que o paranaense, mas deixa pra lá.)
A comitiva brasileira voltou para o Brasil no dia 17 de abril. A fábrica da Embraer parou no dia 26. O repórter Fabiano Maisonnave mostrou que seus operários, sem o que fazer, jogam peteca na linha de montagem.
2) A empresa Foxconn montaria iPads no Brasil e, além disso, faria um investimento de US$ 12 bilhões em cinco anos, gerando 100 mil empregos.
O governo acabou com a maluquice que negava às tabuletas os benefícios dados aos computadores e as maquininhas da Apple começarão a ser produzidas em setembro, em Jundiaí.
Até agora não se conhece o plano de investimentos do US$ 12 bilhões da Foxconn. Sabe-se apenas que o velho e bom BNDES será chamado para botar algum no negócio.
Pelo jeito, a única coisa que a doutora trouxe da China foi uma gripe.

domingo, 19 de junho de 2011

Foto da semana.

Casal se beija durante protesto após partida de hóquei no gelo na cidade de Vancouver, Canadá.
Alexandra Thomas e Scott Jones protagonizaram uma cena surpreendente em meio a conflitos entre policiais e torcedores.
Alexandra Thomas, ex-estudante da Universidade de Guelph em Ontário, e o australiano Scott Jones, morador de Perth foram flagrados pelo fotógrafo Rich Lam, da agência Getty. A imagem mostra um contraste tão surpreendente entre a violência do confronto entre torcedores e policiais da tropa de choque e a intimidade do beijo do casal, que muitos suspeitaram que tivesse sido montada.

Esculhambou geral.

Sabe aquele ditado que diz: “se você não pode vencer o inimigo, una-se a ele”? Pois bem, essa parece ser a nova filosofia política-administrativa implantada nesse Brasil Tiririca, graças ao conluio das "otoridades" (Executivo, Legislativo e Judiciário), que perderam o mínimo de respeito que ainda mantinham em relação a opinião pública. Dois claros exemplos desse cínico pensar que agora domina as elites, foram dados recentemente: 1) A escandalosa liberação das tais marchas em defesa da descriminalização da maconha, sob o ridículo argumento de que estes atos não representam apologia ao crime, mas apenas e tão somente o livre exercício de opinião; 2) A cínica aprovação dessa desavergonhada Lei que "flexibiliza" os processos de contratação de obras para a Copa do Mundo de 2014, permitindo que tudo aquilo que os poderosos já faziam ilegalmente, metendo a mão no dinheiro público, através de licitações fraudulentas e obras superfaturadas, possam, a partir da entrada em vigência dessa "Lei das Maracutaias", ganhar contornos de legalidade. Assim fica fácil passar a idéia de que vivemos em um país onde as reis são respeitadas! Basta que, quando a Lei atrapalha os sórdidos planos de alguns poderosos, votem-se novas leis, legalizando o que é ilegal. Só espero que, na ânsia de continuar passando a "sensação" de normalidade, alguns dos calhordas que hoje mandam no Brasil, não pleiteiem algumas outras legalizações, tornando socialmente aceitável, através de votações viciadas, falcatruas tais como lavagem de dinheiro, sonegação de impostos, tráfico de influência e "otras cositas más".
* Júlio Ferreira - Recife - PE

Escolha seu papel.

Diante da degeneração moral do país – uma desordem de valores ampla, geral e quase irrestrita – já somos naturalmente induzidos, quase que compulsoriamente, a uma escolha do nosso papel nessa tragédia grega da prostituição da política.
Este é o final da Fraude da Abertura Democrática em que o país assistiu desgovernos civis e depois o petismo, juntamente com seus cúmplices, solidificarem um projeto de poder, que tem como essência ou natureza a constituição de uma burguesia público-privada em que os limites da desonestidade já foram abolidos e a Justiça passou a ser um instrumento de impunidade para os ricos e poderosos filiados ao petismo, e, alternativamente, de perseguição aos que não pertencem ao time que adotou o fascismo como ideologia de sobrevivência no Paraíso dos Patifes, governado por um Covil de Bandidos e Controlado por Sindicatos de Ladrões.
“A decretação do sigilo eterno para as provas dos crimes contra o país praticados em governos passados, e o projeto já aprovado pela Câmara que define como secretos os orçamentos para a Copa e para a Olimpíada, sob a responsabilidade do poder público, representam a absoluta falta de compromisso com a moralidade, com a decência, com a honestidade e com a dignidade, características que os fatos impõem, sem sombra de dúvida, aos desgovernos civis”.
No Circo do Retirante Pinóquio, doutor e professor Honoris Causa da patifaria da política, qual continuará sendo o papel padrão do contribuinte?
- Ser um palhaço,
- Ser um imbecil,
- Ser um cúmplice da destruição do país ou
- Ser um covarde e omisso?
 A escolha é livre e democrática,
 *Geraldo Almendra, por e-mail, via resistência democrática.

Aécio Neves caiu do cavalo.

O senador Aécio Neves PSDB-MG quebrou a clavícula e cinco costelas em um acidente, enquanto cavalgava na propriedade de sua família, na cidade de Cláudio, no Centro-Oeste de Minas Gerais. Segundo a assessoria do senador, o tombo foi no fim da tarde desta sexta-feira (17).
Ele estava com um amigo e um primo.
Neves foi atendido em um hospital de Belo Horizonte, onde ficou internado até a noite deste sábado (18). Ele fraturou a clavícula e cinco costelas do lado direito. Ainda de acordo com a assessoria, o senador sente dores, mas passa bem.
Ele vai ficar com o braço direito imobilizado de seis a oito semanas. O senador está em repouso absoluto por dez dias em casa, em Belo Horizonte, e só retorna a Brasília após esse período.
COMENTO: Estimo melhoras para o senador mas, sinceramente, acho que ele deve descansar por uns seis meses ou mais.
Ele, como senador e oposicionista, não faz a menor falta aos debates, quase inexistentes, no Congresso Nacional.
Aliás, a Dilma e seus asseclas é que legislam mesmo e Aécio concorda em tudo com eles...

O país das falcatruas ignoradas.

Serão tantas denuncias - Palocci - irmão do Mercadante - Roseana Sarney - que, como sempre ocorre com quase todas as aberrações nesse governo, acaba virando "carne de vaca" e tudo terminará em pizza.
Não se pode dizer que não ocorreu, mas "nunca na história desse país" políticos, ministros, magistrados e aparentados destes, tiveram tantas regalias e se enriqueceram.
Há pontos inexplicáveis. Há algumas semanas aniversariou a data que o delegado Romeu Tuma soltou Lula - que estava preso no DOPS - sem que ninguem soubesse. É lógico que Lula foi um fantoche criado por Golbery do Couto e Silva - pelo que se saiba, nenhum outro preso político gozou tal regalia.
Há decadas Lula vem se sustentando - vivendo - criando os filhos - bem sobrevivendo e fazendo fortuna - dizendo que é ajudado por amigos. Nunca ninguem procurou saber disso - se esta ajuda poupudada foi declarada nos impostos de renda - considerando ambos os lados (quem recebeu e quem doou) ao cúmulo de na época da denuncia do mensalão, o denunciante e políticos de partido contrários (principalmente FHC), pedirem encarecidamente que poupassem Lula.
Lula fez um governo medíocre, porem embora não se tenha escolas, hospitais, estradas e até serviços básicos, a maioria da população está satisfeita, e contrariando teorias e estatísticas - as custas de maquiagens e venda de ilusões - o país ainda não explodiu.
*Paulo Sérgio, por e-mail, via resistência democrática.

STF libera geral, e cortina de fumaça encobre Copa e passado.

Clique e vamos ler a reportagem: http://noticias.uol.com.br/ultnot/multi/?hashId=stf-libera-geral-e-cortina-de-fumaca-encobre-copa-e-passado-04020D183262C4B91326&mediaId=11711204