sábado, 29 de agosto de 2009

Porque hoje é sábado, uma bela mulher

A bela atriz Megan Fox

A gripe suina no Brasil

Fonte: Folha de São Paulo

Justiça volta a analisar liberdade à Suzane Von Richthofen

A Justiça de São Paulo voltou a analisar o pedido de progressão de Suzane von Richthofen ao regime semiaberto, suspenso no último dia 12 após o Ministério Público abrir uma investigação para apurar supostos perfis da jovem no Twitter. Condenada a 38 anos de prisão em regime fechado por participar do homicídio dos pais, ocorrido em 2002, a ex-estudante tenta cumprir o restante da pena no regime semiaberto. Ela está presa na penitenciária em Tremembé (a 147 km de SP).
No entanto, a juíza Sueli Armani de Menezes, da 1ª Vara de Execuções Criminais de Taubaté (a 140 km de São Paulo), decidiu suspender a análise da solicitação da progressão até que o Ministério Público concluísse as investigações sobre os supostos perfis de Suzane na internet.
Nesta semana, porém, o advogado Denivaldo Barni --que afirma ser favorável à apuração sobre os perfis de Suzane no Twitter e no Orkut (rede de relacionamento)-- reiterou o pedido de liberdade à jovem na Justiça.
"Nós insistimos nessa investigação para saber quem está se passando por ela na internet. É do nosso interesse saber de quem são se estes perfis", afirmou o advogado à Folha Online. Ele defende, contudo, que a apuração seja feita paralelamente à análise da progressão de regime.
O promotor Paulo José de Palma VEC (Vara de Execuções Criminais) de Taubaté, concordou que a juíza analisasse o pedido mesmo sem a conclusão das investigações --que não têm prazo para serem concluídas.
Apesar de concordar que a Justiça dê continuidade à avaliação do pedido, a Promotoria já se posicionou contra a concessão do regime semiaberto a Suzane, por considerá-la "dissimulada".

Eros Grau nega pedido de reabertura de ações contra Sarney

Na Folha Online:
O ministro Eros Grau, do STF (Supremo Tribunal Federal), negou no fim da noite desta sexta-feira, a reabertura dos processos que envolvem o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). A decisão do ministro do STF para o mandado de segurança (MS/28213) impetrado por um grupo de sete senadores é em caráter liminar (provisório). O julgamento definitivo do caso ocorrerá em data ainda não definida. O teor da decisão não foi divulgado pelo Supremo.
O relator do caso é o ministro Joaquim Barbosa, que não analisou o pedido por estar de licença médica desde o último dia 10. A previsão é que Barbosa retome suas atividades no Supremo na próxima semana.
Leia mais aqui

Professora da Bahia é demitida após vídeo sensual cair na web

video

Uma professora de ensino fundamental, de 28 anos, foi demitida após um vídeo ( veja acima ) em que ela aparece dançando sensualmente ao lado de um grupo de pagode, em Salvador, cair na internet. As imagens foram registradas, em meados de junho deste ano, por várias pessoas que estavam na plateia de uma casa noturna e usaram câmeras de celular. O 'flagrante' aconteceu durante uma apresentação do grupo de pagode O Troco, que costuma convidar as espectadoras para subir ao palco e fazer a coreografia da música "Todo enfiado". O vídeo já teve mais de 100 mil acessos. A professora é formada em pedagogia e faz pós-graduação na área e ministrava aulas de alfabetização para crianças de 5 anos em uma escola particular da capital baiana. Após a divulgação do vídeo na internet, ela disse que passou a sofrer retaliações no bairro onde morava. "Ela teve de mudar de endereço e agora está na casa de familiares. Depois disso, ela foi demitida", disse Antonio Leite Matos, advogado da educadora.

Dom Paulo Evaristo Arns: "Corrupção inacreditável no senado"

No Estadão:
O arcebispo emérito de São Paulo, d. Paulo Evaristo Arns, referiu-se à “corrupção inacreditável do Senado” no telegrama que enviou ao senador Flávio Arns (PT-PR), seu sobrinho, cumprimentando-o pela “atitude coerente” de se desligar do PT depois que o partido seguiu as ordens do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de arquivar as denúncias contra José Sarney (PMDB-AP). O senador Pedro Simon (PMDB-RS) leu o texto em plenário logo que Arns comunicou sua desfiliação do PT. Em cinco linhas, d. Paulo cumprimenta o sobrinho pela atitude, pede a ele que transmita “votos de apoio benemérito à senadora Marina Silva” - que também deixou o PT -, a Pedro Simon e “aos demais colegas que defendem a ética e decoro dos chamados pais da Pátria”. Arcebispo de São Paulo durante 28 anos, de 1970 a 1998, d. Paulo Evaristo Arns é considerado por Simon “a pessoa mais importante na criação do PT”, por ter permitido, como criador das comunidades de base, que prosperassem “as ideias de dignidade, correção e capacidade de lutar defendidas inicialmente pelo partido”.
Em seu comunicado de desfiliação, Flávio Arns afirmou no plenário que mais grave do que o partido ter arquivado as denúncias contra Sarney, foi a iniciativa de seu presidente, deputado Ricardo Berzoini (SP), de orientar o voto dos senadores petistas no Conselho de Ética. “Como se tivesse autoridade, em primeiro lugar, para orientar, orientando senadores a votarem pelo arquivamento do processo.” Arns disse que a atitude de Berzoini criou mal-estar não só entre a bancada do partido na Casa, mas principalmente na militância. O senador também criticou o ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, que chegou a dizer que a decisão de afastar Sarney da presidência era “de um ou dois senadores petistas” e não da quase totalidade da bancada. Mas poupou o líder Aloizio Mercadante (SP), que recuou de sua decisão “irrevogável” de renunciar a liderança em protesto pelo apoio do Planalto a Sarney.

O Acre não tem Heliporto mas tem Helicóptero

Do blog da Amazônia, de Altino Machado:
O governador do Acre Binho Marques (PT) recebeu nesta quarta-feira, 26, em Brasília, o helicóptero Esquilo AS 350, que o Estado comprou da Helibras por R$ 7,9 milhões. A solenidade foi prestigiada, entre outros, pelo ex-govenador Jorge Viana, presidente do Conselho de Administração da Helibras. O Acre, que não dispõe ainda de heliporto, assinou em novembro de 2008 o contrato de compra, o que ocorreu dois anos após Jorge Viana ter deixado o governo do Acre e assumido a presidência do Conselho de Administração da Helibras, maior montadora de helicópteros da América do Sul. - O helicóptero que o Binho acaba de receber para o Acre eh lindo - escreveu o senador Tião Viana (PT-AC) no Twitter.
Leia mais aqui

E agora, será que há previsão do que pode acontecer???

Deu no O Globo:
O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal (STF), será o relator da ação apresentada pela oposição contra a decisão da Mesa Diretora do Senado de rejeitar o recurso que contestou o arquivamento das 11 denúncias contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), pelo Conselho de Ética. De acordo com a assessoria de imprensa do STF, Joaquim Barbosa, que está de licença médica, volta ao trabalho nesta segunda-feira. Inicialmente, o caso seria relatado pelo ministro Celso de Mello, mas ele se declarou impedido - por questões de foro íntimo - e solicitou a troca na relatoria. O pedido ao STF é assinado por José Nery (PSOL-PA), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Renato Casagrande (PSB-ES), Jefferson Praia (PDT-AM), Demóstenes Torres (DEM-GO), Pedro Simon (PMDB-RS) e Kátia Abreu (DEM-TO). No mandado de segurança, esses senadores argumentam que a decisão da Mesa de negar recurso ao plenário da Casa foi "unilateral e antirregimental". A ação argumenta que "a competência do plenário do Senado não poderia, nunca, ter sido usurpada pela Mesa, quanto mais por um ato unilateral e monocrático". Para os senadores, "a permanência da decisão da Mesa do Senado impõe desnecessário e irreparável prejuízo político e institucional ao Legislativo". A ação sustenta que "é forte o dano e irreparável o prejuízo à imagem e prerrogativa dos parlamentares impetrantes, com o perigo do descredenciamento e retirada de legitimidade dos parlamentares frente aos seus eleitores", a permanência de um senador sob suspeita sem que haja investigação competente.
Comento: Será que podemos fazer alguma previsão? Só sabemos que teremos mais uma tentativa de punir Sarney. Vamos aguardar!

PT e Lula na Economist - Tudo pelo poder

No Blog do Reinaldo Azevedo:
A revista inglesa The Economist, antiga admiradora de Lula e de seu governo, volta à carga esta semana com mais um texto sobre o presidente do Brasil e o PT. Na edição passada, num editorial, esculhambou a política externa de Celso Amorim e perguntou: “De que lado está o Brasil?” Nesta edição, sustenta que o partido se transformou numa força empenhada apenas em manter Lula no poder. Escreve: “Quando o Partido dos Trabalhadores (PT) foi criado, em 1980, foi visto como uma organização política especial: socialista, ética, jovem, até romântica. Aos poucos, seu papel se reduziu a fazer com que Lula, ex-torneiro mecânico e líder sindical, fundador do partido e seu líder inconteste, chegasse ao poder e lá se mantivesse”. Aí estaria a origem dos recentes problemas do partido, que culminam com a saída dos senadores Marina Silva e Flávio Arns, que acusa seus colegas de terem “jogado a moralidade no lixo”. A revista lembra, em seguida, que os problemas mais recentes do partido se devem ao fato de Lula ter usado a sua força para apoiar José Sarney, do PMDB, num esforço para manter a atual coalizão de poder e dar suporte à candidatura presidencial de Dilma Rousseff em 2010.
Leia mais aqui

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

STF purifica Palocci

http://www.sponholz.arq.br/

Prendam o caseiro Fancenildo!

Por maioria de votos os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) decidiram pela rejeição da denúncia contra o ex-ministro da Fazenda e deputado federal Antonio Palocci (PT-SP) no caso da quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa. Como dois ministros estão em licença, só nove votaram na sessão de ontem. Como a maioria rejeitou a denúncia contra Palocci, a denúncia será arquivada e Palocci livre do processo. Agora só falta mandarem prender o Francenildo, afinal não se denuncia aliado do todo poderoso Luiz Inácio, primeiro e único. O mais incrível é que membros do Governo Lula, a tempos, demonstravam já saber sobre o desenrolar do julgamento. Até planos políticos foram traçados, ou propostos, visando o futuro político do ex-ministro Palocci que demonstrava tranqüilidade e negava-se a comentar o assunto. Deputado Federal insípido, mas amigo do Presidente da República, o ex-ministro, livre do imbróglio na justiça, prepara-se para a missão que “o chefe” lhe confiar. Fico imaginando... Será que isso teria acontecido se o denunciado fosse o pobre do Francenildo?

PV cria marca e faz festa para Marina

O Partido Verde começou a distribuir nesta quarta-feira, inclusive pela internet, os convites para a festa de filiação da senadora Marina Silva, pré-candidata a presidente. No convite, ilustrado por logomarca muito bonita, cuja autoria não foi divulgada, o PV conclama: "Está na hora do Brasil se sustentar de outro jeito. Socialmente, economicamente, politicamente, ambientalmente, humanamente. O Brasil está chamando: Vem, Marina!"

Evo Morales é luxo só

O presidente-cocaleiro da Bolívia, Evo Morales, deita e rola com o Brasil:. nacionalizou, em 2007, refinarias da Petrobras que valiam mais de US$ 200 milhões e ainda levou, na última semana, mais US$ 322 milhões dos brasileiros para a construção de uma estrada de 306 Km na Bolívia. Mas agora Morales entrou para o seleto grupo de líderes sulamericanos que compraram um avião e se esqueceu do Brasil: está usando R$ 100 milhões na compra de um avião Antonov, modelo “Regional Jet”, de fabricação russa. A argentina Cristina Kirchner comprou um Emb-195 da Embraer, brasileiro, que custa a metade. Para 80 passageiros, o luxuoso jato terá sistema antimíssil, como o do presidente americano, Barack Obama.

Caos na infra-estrutura brasileira

Não fosse pela infraestrutura caótica, hoje majoritariamente nas mãos do governo, o Brasil poderia contar com 250 bilhões de reais a mais no PIB. De certa forma, a privatização da infraestrutura no Brasil, poderia ser uma solução em azão da incompetência, sobretudo, do Governo Federal, desde que a carga tributária tenha uma significativa redução. Fica claro, que o estado não tem maturidade nem responsabilidade para gerenciar empresas, principalmente empresas de infra-estrutura, politizando e extrapolando o papel do governo que é de regular e controlar.

Aécio Neves perde até para Heloisa

Se o candidato do PSDB a presidente da República fosse o mineiro Aécio Neves e a eleição fosse agora, ele perderia até mesmo para a candidata do PSOL, Heloisa Helena entre os eleitores do Pará. Com 15%, ela somaria mais do dobro de Aécio, com 7%. O líder da disputa, sem o tucano José Serra, seria Ciro Gomes (PSB), com 29%, seguido de Dilma Rousseff (PT), com 19. Cristovam Buarque (PDT) teria 4%. Na hipótese de Serra ser o candidato tucano, ele soma 37% das intenções de voto no Pará, seguido de Dilma Rousseff (16), Ciro Gomes (15), Heloisa Helena (9) e Cristovam Buarque (2%).

TJ condena PT a pagar dívida de Serys Slhesarenko

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso negou recurso do Partido dos Trabalhadores e decidiu que o diretório estadual deve pagar R$ 544 mil para uma empresa sediada em São Paulo, que prestou serviços de comunicação e marketing na campanha de 2002, a Inova Mídia Estratégias de Comunicação e Marketing S/C Ltda, para a atual senadora Serys Slhesarenko e o deputado Alexandre Cesar, na época candidato ao Governo. O valor da dívida é de R$ 251 mas, com as correções, chegaram a R$ 544 mil. A defesa do PT foi analisada pelos desembargadores Guiomar Teodoro Borges, José Ferreira Leite e o relator, Juracy Persiani. Com os documentos apresentados pela empresa, eles constataram a inadimplência e não acataram os argumentos de defesa que a dívida tivesse sido quitada. "Sobre a alegada quitação da dívida, que teria ocorrido com a celebração do termo aditivo, de fato necessita ser cabalmente demonstrada, o que não é possível no procedimento da execução que não comporta a dilação probatória" - decidiu o tribunal. O caso envolve suposta falsificação de assinatura. O tribunal, porém, não deliberou sobre o crime e aponta que será necessária perícia para constar se realmente existiu. O TJ também não acatou o argumento da defesa do PT que um secretário assinou a notificação da ação movida contra o diretório e não teria comunicado a presidência. "É válida a citação realizada por oficial de justiça na pessoa de secretário do diretório estadual de partido político, que a recebe e silenciou-se sobre a impossibilidade de fazê-lo. Presume-se que a pessoa que ocupa o cargo de secretário de partido político, em diretório estadual, tenha o necessário discernimento para a compreensão do contacto com o oficial de justiça" -decidiram os desembargadores. Não foi confirmado o prazo que o Diretório Estadual petista tem para quitar a dívida. O PT poderá recorrer da decisão.

O presidente da câmara do mensalão

O deputado João Paulo Cunha, do PT paulista, demorou três anos para sentir-se ofendido com o artigo "A coalizão dos vigaristas", publicado no Jornal do Brasil em dezembro de 2005.
Conforme petição encaminhada à Justiça, que acaba de intimar o Jornalista Augusto Nunes para uma audiência.
Cunha acha que merece uma indenização em dinheiro "por danos morais". Logo ele que, segundo provas, deixou-se ser pego por, apenas, 50 mil reais. Continuo achando que o que o ex-presidente da Câmara merece é cadeia.

Governo libera 4 bilhões para parlamentares

Funcionou a rebelião da base aliada, capitaneada pelo PMDB, para forçar o governo a liberar recursos de emendas parlamentares, retidos por conta da queda de arrecadação federal. Após quase duas horas de reunião com os líderes dos partidos aliados, ontem, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, comprometeu-se a liberar quatro parcelas de R$ 1 bilhão, uma por mês, de setembro até dezembro. A primeira parcela, conforme o cronograma enviado ao deputado Gilmar Machado (PT-MG), da Comissão Mista de Orçamento, será liberada já na próxima semana. Como o governo já havia liberado R$ 1,2 bilhão há 20 dias, ficarão faltando cerca de R$ 800 milhões para fechar a conta dos R$ 6 bilhões previstos no Orçamento de 2009 para emendas individuais de parlamentares de todos os Estados. "Temos de ser realistas, está de bom tamanho", comentou Machado. Apesar do corte, que será definido por critérios técnicos, os líderes saíram da reunião satisfeitos e suspenderam o boicote branco que haviam desencadeado nos trabalhos do Congresso. "Cheguei pessimista, mas saio otimista", resumiu o deputado Henrique Eduardo Alves (RN), líder do PMDB na Câmara e cabeça da rebelião. "A reunião foi produtiva e o problema está equacionado", garantiu o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, que intermediou o acordo para pôr fim à crise.

A celebração da ignorância

No blog do Augusto Nunes:
“Eu cheguei à Presidência mesmo sem ter um curso superior”, repetiu Lula a frase que nasceu como pedido de desculpas, tornou-se desafio, foi promovida a motivo de orgulho e virando refrão do hino à ignorância. ”Talvez até quando eu deixar a Presidência possa até cursar uma universidade”, disse nesta terça-feira o único chefe de governo do mundo que não sabe escrever e nunca leu um livro. Desse perigo estão livres os professores universitários. Lula evita livros e cadernos como o Superman evita a kriptonita. Longe do trabalho duro há 30 anos, não estudou porque não quis. Tempo teve de sobra. Vai sobrar mais tempo ainda quando sair do Planalto, mas continua sobrando preguiça.
E foi formalmente dispensado de aprender qualquer coisa pelos companheiros que sabem juntar sujeito e predicado.
Leia mais aqui

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Gente que mente, gente que não sabe o que diz...

video

Bolsa Familia-Lula elogia o que antes tanto

criticava, publicamente.

Críticas de Lula fazem parte de “intrigas de natureza claramente eleitoral”, diz Serra

No Estadão Online:
Um dia depois de ter sido acusado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva de omitir a participação de recursos do governo federal nas obras do Rodoanel Mário Covas, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), evitou alimentar a polêmica. O tucano disse que o presidente não estava bem informado ao criticar o Estado e apontou uma conotação eleitoral na polêmica. Serra confirmou haver recursos da União na obra viária e disse que sempre divulgou e agradeceu por isso.
“Não vou alimentar intrigas de natureza claramente eleitoral. (Se) não estivéssemos nas vésperas de uma eleição, não teríamos essas propagandas enganosas do PT nem o presidente teria sido mal informado a respeito de como as obras têm sido apresentadas”, disse Serra, após cerimônia de lançamento da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), na capital paulista.
O governador fez questão ainda de convidar Lula a visitar, em sua companhia, as obras do Rodoanel. “Convidei Lula inúmeras vezes a percorrer o Rodoanel. Se o governo quisesse esconder (a participação da União), eu não estaria insistindo nesse convite, que renovo publicamente”, afirmou.
Pré-salSerra voltou a apontar uma “antecipação exagerada” por parte do governo federal no debate sobre a exploração de petróleo na camada do pré-sal. O presidente Lula anunciará na segunda-feira o novo marco regulatório para a exploração, incluindo regras para a distribuição dos royalties do petróleo. O tucano endossou ainda as críticas ao novo modelo, ainda em discussão no governo, feitas pelos governadores do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), e do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB).
“Acho legítimo que Cabral e Hartung façam sentir as suas posições. Eu as encaro com a maior seriedade”, disse. Rio de Janeiro e Espírito Santo são os maiores Estados produtores de petróleo do Brasil e recebem a maior parcela dos royalties. Com a descoberta de uma grande reserva de petróleo na Bacia de Santos, São Paulo tem potencial para também se tornar um grande produtor nos próximos anos.
Serra evitou comentar os motivos da antecipação no debate sobre o pré-sal. “Os jornalistas sabem o porquê”, resumiu. “Está sendo uma antecipação monumental. Está tudo um exagero. Às vezes, antecipar é uma coisa boa. Agora, a antecipação exagerada, não.” Segundo o governador, os secretários de Estado têm feito estudos sobre a exploração da reserva paulista de petróleo. Mas as conclusões não devem estar prontas até segunda-feira, quando Lula deve anunciar o novo marco regulatório para a exploração.

Aeronave estrangeira bate em outras três em hangar em Congonhas

Um incidente envolveu quatro aeronaves de pequeno porte por volta das 15h50 desta quarta-feira (26) em uma área reservada de uma empresa de táxi áereo no Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo. Não houve feridos. As operações do aeroporto não foram afetadas. A Líder Aviação informou que uma aeronave de "matrícula estrangeira pertencente a terceiro" que estava estacionada no hangar da empresa colidiu com outras três aeronaves de clientes que estavam no mesmo hangar. De acordo com a empresa, a situação está sob controle e nenhuma pessoa ficou ferida.
A assessoria de imprensa da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou que o incidente não afetou as operações do aeroporto, que permanece aberto para pousos e decolagens. A assessoria da Aeronáutica informou que não foram registrados incidentes entre aeronaves em operação. A assessoria da empresa de táxi aéreo busca mais informações sobre o incidente.
*Com informações do portal G1

Daspu lança coleção 2010 na Praça Tiradentes

No Portal G1:
A grife Daspu, criada por prostitutas, realizou ontem, quarta-feira (26), na Praça Tiradentes, no Centro do Rio de Janeiro, o desfile de lançamento da coleção Verão 2010, com o tema "Da farofa ao caviar". “A comida caracteriza esse duplo sentido entre o prazer e o comer. Todo mundo gosta de uma boa refeição, todo mundo gosta de sexo. Trabalhamos com essas referências, indo desde os botequins até estabelecimentos mais nobres. Fizemos essa brincadeira entre esses dois extremos”, explica a estilista Alzira Calhau, criadora da coleção.Nas estampas das camisetas e vestidos de malha, motivos gastronômicos e mensagens bem humoradas, como “pintiscos”, “porção de putas” e “Daspu à la carte”. Inspirada nos cartazes de lanchonete, cardápios e uniformes de garçons e garçonetes, a coleção traz cores fortes como o vermelho, amarelo e azul em shortinhos, saias e bordados. Além das próprias prostitutas, outras cinco modelos profissionais também entraram na passarela e serviram de modelo para as peças da coleção. Simpatizantes, jornalistas e atrizes também participaram do evento.
Leia mais aqui

Fiscalização foi desarticulada com Lina, diz Everardo Maciel

Na Folha Online:
O ex-secretário da Receita Federal no segundo mandato de Fernando Henrique Cardoso, Everardo Maciel, disse nesta quarta-feira em entrevista à Folha Online que a fiscalização dentro do órgão foi "desarticulada" durante a gestão de Lina Maria Vieira, que deixou o cargo no mês passado pouco menos de um ano depois de substituir Jorge Rachid.
Segundo ele, as principais metas de fiscalização e planos de ação fiscal "não existem mais". Maciel ainda desmentiu a tese de que o foco sobre as grandes empresas foi uma marca na gestão de Lina, como defendem os funcionários da Receita que deixaram cargos de confiança. Segundo reportagem da Folha, cerca de 60 pessoas em postos de chefia, distribuídas em 5 das 10 superintendências regionais, avisaram seus superiores que deixarão suas funções. "Isso é falso. Quem criou a delegacia de fiscalização dos bancos fui eu. O criador do programa de fiscalização de grandes contribuintes fui eu. Então isso não é verdade. Era preciso medir com precisão, e não como foi divulgado com os dados de São Paulo, quantos grandes contribuintes foram fiscalizados no primeiro semestre comparado com semestres anteriores. Aí vamos ter uma surpresa", disse.
Leia mais aqui

Edital de empresa de segurança previa back-up de imagens do Palácio do Planalto

Na Folha Online:
O edital que contratou a empresa responsável pela instalação do sistema de segurança no Palácio do Planalto previa back-up das imagens registradas pelo circuito interno e dos registros de acesso de pessoas e de veículos, informa o site da ONG Contas Abertas.
Pelo edital, os registros de acesso de pessoas e de veículos deveriam ser guardados em um banco de dados por no mínimo seis meses e depois deveriam ser transferidos para um back-up. Já as imagens deveriam ser armazenadas "por um período não inferior a 30 dias" devendo ainda os mesmos (gravadores digitais) ser apoiados por um sistema de back-up".
A ONG informa ainda que a empresa vencedora da licitação foi a Telemática Sistemas Inteligentes, de São Paulo, contratada em 2004 por R$ 3,2 milhões. Em junho de 2005, foi assinado um aditivo no valor de R$ 810,4 mil, totalizando quase R$ 4,1 milhões.
As informações do edital contraria a versão do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) sobre o armazenamento das imagens e do registro de acessos. Ao negar o pedido da oposição, o GSI informou por meio de nota que o período médio de armazenamento das imagens do circuito interno varia "em torno de 30 dias", conforme as "especificações do contrato relativo ao sistema de segurança".
Como as câmeras são acionadas por meio de sensores de movimento, segundo o gabinete de segurança, o número de dias para o armazenamento depende do "trânsito de pessoas pela área".
A oposição queria a cópia das imagens do circuito interno para comprovar se a ex-secretária da Receita Lina Vieira esteve na Casa Civil para se encontrar com a ministra Dilma Rousseff. No suposto encontro, segundo a ex-secretária, a ministra teria pedido para agilizar as investigações sobre familiares sobre o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Dilma negou o encontro e desmentiu Lina.
Ontem, o DEM protocolou na Procuradoria Geral da República uma representação contra o ministro Jorge Félix (Gabinete de Segurança Institucional) para apurar a não gravação das imagens que comprovariam ou não o suposto encontro entre Lina e Dilma.
Na representação, o DEM diz que é preciso "investigar se, por algum motivo, os registros da entrada e saída da ex-Secretária da Receita Federal no Palácio do Planalto foram propositadamente violados e/ou apagados".
O DEM alega ainda que a Procuradoria deve investigar a ocorrência dos supostos crimes de "supressão de documento" e de "extravio, sonegação ou inutilização de livro ou documento".
Além da representação do DEM, o PPS voltou a pedir ao GSI cópia do contrato celebrado entre Palácio do Planalto e a empresa responsável pelo circuito interno de imagens.

Governo acalma base aliada liberando R$ 1 bilhão a deputados

Pressionado pelas bancadas do PMDB, PR e PP, que comandavam uma rebelião na Câmara, o governo anunciou nesta quarta-feira a liberação de R$ 1 bilhão em setembro para o pagamento das chamadas emendas individuais apresentadas pelos parlamentares ao Orçamento de 2009.
O governo ainda se comprometeu com os líderes governistas de liberar a cada mês mensalmente até o final do ano mais um R$ 1 bilhão para este tipo de despesas. As emendas individuais somam R$ 5,94 bilhões --sendo que cada parlamentar tem direito a R$ 10 milhões.
O governo, no entanto, congelou as chamadas emendas de bancada. A sinalização do Palácio do Planalto e da equipe econômica refletiu nas votações. Após o acordo, os deputados destrancaram a pauta, retomaram as votações e aprovaram a MP (medida provisória) 464/09, que autoriza a União a participar com até R$ 4 bilhões de fundos a serem criados para garantir contra riscos empréstimos a micro e pequenas empresas.
"A gente só defendia um direito dos parlamentares. O que os deputados querem é investir e melhorar seus municípios", disse o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN).
A insatisfação dos governistas com o bloqueio das emendas era clara e havia refletido nas votações. Desde que voltaram do recesso, os parlamentares votaram uma medida provisória, um projeto de lei, um projeto de resolução e sete acordos internacionais.
Na semana passada, o presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), chegou a reclamar e manifestou sua posição em votar um orçamento impositivo --no qual gastos determinados pelo Congresso devem ser respeitados pelo Executivo.
Reportagem publicada pela Folha mostrou levantamento feito pelo DEM no qual apenas 4,4% do total de emendas foram empenhados. "Há um descontentamento grande na base e o centro disso está diretamente ligado a não liberação de emendas", disse o deputado Luiz Sérgio (PT-RJ).
*Com informação da Agência Câmara

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Colar para cheirar,não para enfeitar

Lula veste colar de folhas de coca
Lula foi à Bolívia, justamente ao departamento que responde pela produção de grande parte da cocaína que se consome no Brasil, e discursou em favor de Evo Morales. Mais do que isso: ofereceu-lhe dinheiro. Ainda que fosse verdadeiro o discurso vigarista de que a folha de coca serve principalmente à tradição cultural dos índios, os nativos em questão são da Bolívia. Lula não tem nada com isso. No que nos diz respeito, aquele troço que ele traz no pescoço remete a uma rotina que mata milhares de pessoas por ano, que espalha flagelo nas ruas e nos lares. Esse colar é um delírio de onipotência e uma irresponsabilidade. Essa foto tem de ser editada ao lado dos muitos cadáveres que assombram o cotidiano brasileiro, frutos do tráfico de drogas. Lula acredita que sua popularidade lhe dá o direito de financiar um governo que, na prática, se associou ao narcotráfico. Tudo em nome da união dos países da América do Sul contra os… EUA!!! Não há escapatória: os colares que se vêem acima são para cheirar, não para enfeitar.
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/

Suplicy dá cartão vermelho para Sarney

Na Folha Online:
O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) voltou a cobrar hoje, em discurso, a renúncia do senador José Sarney (PMDB-AP) da presidência do Senado. Suplicy disse que Sarney deve esclarecer as denúncias que há contra ele ou renunciar ao cargo. "Não conseguimos votar nenhuma proposição importante nesse segundo semestre do Senado, e não se vislumbra quando isso poderá acontecer. No meu entender, o arquivamento das representações não foram suficientemente esclarecidas. Para voltarmos à normalidade, o melhor caminho é que Sua Excelência renuncie ao cargo no Senado." Com um cartão vermelho em mãos, Suplicy comparou a crise da Casa com um jogo de futebol ao afirmar que Sarney deve receber o cartão para deixar o comando da instituição. "Se há forma do povo brasileiro compreender bem o que isso significa, é falarmos a linguagem do esporte mais popular do Brasil. Em virtude do presidente Sarney não ter aceito a sugestão de explicar tudo, o que faz o juiz nos campos de futebol do Brasil para que todos entendam? Apresenta o cartão vermelho", disse ao levantar o cartão.
Leia mais aqui

Heráclito merece o Troféu Dumb & Dumber de habilidade política

O senador Heráclito Fortes (DEM-PI) merece o Troféu Dumb & Dumber de Habilidade e Inteligência Política. E por que ele se fez digno de tamanha distinção? Porque conseguiu cair num truque de Eduardo Suplicy. Ninguém mais cai. Ele é o único e o último. Suplicy ocupou a tribuna do Senado para pedir a renúncia de Sarney e lhe apresentou um cartão vermelho — mesmo!, de verdade!, um pedaço de cartolina! Já disse o que penso desse seu arroubo tardio. Não repetirei. O que Suplicy queria? Fugir de sua gritante irrelevância no Senado e no PT e aparecer como alguém que luta contra Sarney. O próprio PMDB não lhe dá trela. Até Sarney, em pessoa, respondeu ontem a suas críticas de uma maneira, vá lá, urbana. A quem coube o chilique? A Heráclito Fortes, um senador do Democratas. Isso no dia em que membros do seu partido renunciavam ao Conselho de Ética. Suplicy precisava de uma escada para a sua comédia. E Heráclito foi um coadjuvante perfeito. Pronto! O senador do PT, agora, virou inimigo de Sarney, e Heráclito, o seu principal aliado! Obra de gênio! É preciso ser muito, como direi?, especial para ser enganado por Suplicy!
http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/

Gerente da Petrobras admite que valor de obra passou de R$ 10 bi para R$ 23 bi

Na Folha Online:
Em depoimento à CPI da Petrobras, o gerente-geral de Implementação de Empreendimentos para a Refinaria Abreu Lima, Glauco Colepicolo Legatti, reconheceu que o valor total da obra passou de R$ 10 bilhões para R$ 23 bilhões. Segundo ele, o aumento na previsão de gastos com a construção foi provocado por "indefinições e mudanças" no projeto inicial da refinaria. Legatti disse que serão ajustados no projeto, por exemplo, a correção cambial, a escalada de preço de mercado de equipamentos e produtos, a inclusão de unidades de tratamento de enxofre e emissões que não estavam contempladas.
"Quando colocou R$10 bilhões de reais estávamos falando do plano conceitual para o projeto básico. Com o avanço das ações, chegamos ao plano detalhado, analisando várias etapas e a empresa já coloca o número de R$ 23 bilhões, com mudanças e indefinições que não estavam contempladas no projeto. Eles levam a refinaria saindo dos R$10 bilhões para 23 bilhões. Esse projeto em fase de aprovação e esses números vão fazer parte de uma avaliação", disse. Legatti afirmou ainda que a Petrobras está atenta aos custos da obra e está interessada em "rediscutir todos os preços". O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) questionou as explicações do gerente e disse que as mudanças podem provocar um prejuízo incalculável à estatal.
"O aceitável seria até uma variação de R$ 2 bilhões ou R$ 3 bilhões. Com esse aumento a Petrobras vai ter que rever todo seu plano, inclusive, o retorno. Isso é um erro gravíssimo que muda o quadro de retorno de investimento Petrobras. A Petrobras pode estar tomando um prejuízo incalculável porque esse aumento mudou o projeto inteiramente. Se mexer nas características inicias, você mexe em tudo, inclusive no preço produto final", disse.

Ted Kennedy morre aos 77 anos

Morreu na noite de ontem, terça-feira, aos 77 anos, o senador democrata americano Edward M. Kennedy, vítima de um câncer de cérebro, informou a família. "Edward M. Kennedy --o marido, pai, avô, irmão e tio-- morreu na noite de terça-feira em casa, em Hyannis Port", diz o comunicado.
"Perdemos o centro insubstituível da família e a luz da alegria em nossas vidas. Agradecemos a todos que deram a ele assistência e apoio ao longo deste último ano, e todos que estavam com ele há muitos anos em sua marcha incansável em prol do progresso, justiça e oportunidades para todos. Ele amava este país, e dedicou sua vida para servi-lo. Ele sempre acreditou que nossos melhores dias ainda estão por vir. É difícil imaginar qualquer dia sem ele", continua a nota divulgada à imprensa.
O mais novo dos três irmãos que ocuparam papel central na política americana na segunda metade do século 20, Ted Kennedy tornou-se uma das vozes mais proeminentes em defesa de políticas liberais nos Estados Unidos desde que foi eleito, em 1962, para a vaga no Senado que fora de seu irmão John Kennedy, então presidente.
Ted Kennedy nasceu em 22 de fevereiro de 1932, em Boston, o último filho de Rose Fitzgerald Kennedy e de Joseph P. Kennedy, homem de negócios de origem irlandesa que serviu como embaixador dos Estados Unidos no Reino Unido no início da Segunda Guerra Mundial. Seu avô materno era o John F. Fitzgerald, prefeito de Boston duas vezes, entre 1906 e 1908 e de 1910 a 1914, e o avô paterno, Patrick Joseph Kennedy, foi senador estadual por Massachusetts entre 1889 e 1895.

Apresentadora Jacqueline Petkovic sofre grave acidente

A apresentadora de TV Jackeline Petkovic, 29 anos, está inconsciente na UTI do Hospital das Clínicas, em São Paulo, após sofrer um grave acidente de carro na manhã de ontem, terça (25). Jackeline levava o filho Enzo, de 1 ano e 11 meses, à escola, quando o carro colidiu com uma carreta na altura do km 19 do Rodoanel Mário Covas, na região de Osasco, na Grande São Paulo. A criança nada sofreu e já está em casa com a avó. Após a batida, o carro ficou desgovernado e acabou batendo em outros dois veículos. Ela foi levada por um helicóptero Águia ao pronto-socorro do Hospital das Clínicas, onde está sedada e respirando com a ajuda dos aparelhos, mas em estado estável, na UTI do trauma. Testemunhas afirmaram que a ex-apresentadora dos programas Fantasia e Bom Dia & Cia, ambos no SBT, não dirigia em alta velocidade, já que o trânsito era intenso. Atualmente trabalha na "Rádio Iguatemi" apresentando o programa Boa Tarde, Jacky; e na "TV Alphaville", emissora do Grupo Silvio Santos, no comando do programa diário Espaço Interior.

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Marina pode entrar numa "fria" ao aderir ao PV

A senadora Marina Silva (AC) nem mesmo assinou a ficha de filiação ao Partido Verde -programada para o dia 30 - e já descobriu que tem mais coisas erradas na legenda do que divergências ideológicas ou problemas na direção partidária. O fato mais grave descoberto por Marina, dias depois de rasgar seu registro no PT, é a situação financeira do PV.
O partido corre o risco de perder, nos próximos dias, o direito à sua principal fonte de receita: o Fundo Partidário. Irregularidades nas prestações de contas dos últimos cinco anos poderão levar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a cortar os R$ 7 milhões a que os verdes têm direito do repasse de dinheiro público. "Se isso acontecer será kafkiano", responde o presidente dos verdes, José Luiz Penna. Mas a situação não é tão absurda quanto os romances de Franz Kafka.
Os problemas são: falsificar notas fiscais, fraudar prestações de despesas e supostos desvios de recursos do partido para as contas pessoais de alguns de seus dirigentes. Na Justiça Eleitoral, as contas de 1998 foram reprovadas, as de 1999 e 2002 foram aprovadas com ressalvas e as de 2004 a 2007 estão sob suspeita. "Acho que o PV é mais problemático que a Marina, porque pagou um tributo às regras da política do Brasil e perdeu muito da sua qualidade inicial", diz o ministro da Cultura, Juca Ferreira, filiado ao PV.
Penna reconhece que aconteceram erros e os atribui a um grupo interno do partido. "É uma luta política que estamos enfrentando", diz. Marina sabe que não é só guerra política. É fraude. Entre os sete volumes do processo, os auditores identificaram varias notas fiscais frias, algumas emitidas até por empresas fantasmas. "A prestação de conta partidária é uma loucura.
O PV era muito relapso na contabilidade, estamos corrigindo", admite o vereador carioca Alfredo Sirkis. Foi constatado, por exemplo, que para as despesas com aluguéis de imóveis em 2005 o PV apresentou contrato de locação com data de 2008. "Aconteceram algumas besteiras. Teremos que pagar o preço da inexperiência", avalia Penna. Besteiras ou não, o certo é que Marina poderá constatar se é ou não possível manter a utopia política diante da realidade partidária. Ante essa realidade, as questões ideológicas ficaram menores. A senadora, por meio de assessores ainda filiados ao PT, colocou na mesa as condições para sua entrada na legenda. Como um trator, Marina podou várias bandeiras do PV. A senadora é evangélica e deixou claro que não defenderá temas como o aborto, o uso de células-tronco para pesquisas e outros temas como a descriminalização da maconha. Marina quer que esses pontos, a partir de agora, sejam tratados como "cláusula de consciência". Marina quer mais do PV. Ela vai indicar dez pessoas para a direção nacional em um congresso que acontecerá em novembro. Esses "novos verdes" é que irão elaborar o programa para o PV. O primeiro ponto será um projeto de um Brasil sustentável para 20 anos.
O outro será definir a política para um governo de quatro anos. Na prática essa é a "refundação e ressignificação do Partido Verde", de que Marina tanto fala. "Estamos nos preparando para ser uma alternativa de poder", diz Penna. No "pacote Marina" inclui-se ainda o controle do partido, a saída do deputado José Sarney Filho (MA) da liderança na Câmara e o rompimento de alianças consideradas espúrias em alguns Estados. "Se o incômodo for cargos, tirem-se eles", diz Penna.
Fonte: Revista Isto É

STF nega habeas corpus para Roger Abdelmassih

No O Estado de São Paulo:
O Supremo Tribunal Federal (STF) negou nesta segunda-feira, 24, o pedido de habeas corpus em defesa do médico Roger Abdelmassih, preso desde o dia 17 de agosto, acusado de estuprar 56 mulheres, a maioria ex-pacientes. A decisão é da ministra Ellen Gracie. A defesa do médico pediu o benefício no último sábado, 22, ao STF após o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) ter negado o pedido no dia 19 de agosto. Abdelmassih continua preso no 40º Distrito Policial, em Vila Santa Maria, na capital paulista. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, até domingo, 23, quatro mulheres haviam sido ouvidas na 1ª Delegacia da Mulher no inquérito que investiga denúncia contra Abdelmassih, dono da maior clínica de reprodução assistida do País. A SSP informou que a primeira acusação corre em segredo de Justiça e o depoimento das mulheres faz parte de uma nova denúncia.

Marina confirma filiação ao PV e se diz "mantenedora de utopias"

A senadora Marina Silva (AC) confirmou nesta segunda-feira que irá se filiar ao PV, naquilo que classificou como uma segundo passo da sua nova trajetória política, depois de deixar o PT, partido no qual militou por 30 anos.
Se dizendo uma "mantenedora de utopias", a ex-ministra do Meio Ambiente diz que a filiação irá ocorrer em evento no próximo domingo, em São Paulo.
Sobre a possível candidatura à Presidência, Marina disse a jornalistas estar honrada pelo fato de o PV considerá-la "candidata prioritária", mas que qualquer anúncio oficial sobre isso só será feito, em 2010.
"No momento, quero discutir um plano estratégico que contemple o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável para o Brasil que deve ser considerado a maior potência ambiental do planeta", argumentou.
*As informações são da agência Reuters

Polícia americana passa a considerar caso Jackson como homicídio

No Jornal do Brasil:
A polícia de Los Angeles disse que vai tratar o caso de Michael Jackson como homicídio. Testemunhas disseram que o médico do cantor, Dr. Conrad Murray, deu, horas antes de sua morte, fortes doses de medicamentos e que essas foram fatais.
As testemunhas que dizem que o médico foi o responsável estão com suas identidades protegidas, segundo o site Access Hollywood.
A autópsia no corpo do cantor Michael Jackson teria revelado uma dose letal de um poderoso anestésico no sangue do astro, segundo documentos policiais publicados pelo jornal Los Angeles Times.
Segundo o jornal, a ordem de busca emitida para investigar os escritórios do médico do cantor, Conrad Murray, em Houston, no Texas, teria declarações do legista do condado de Los Angeles que confirmariam que Michael Jackson tinha níveis excessivos do anestésico Propofol no sangue após sua morte, o que poderia sugerir uma overdose.
O Propofol é um anestésico forte, normalmente usado em hospitais para sedar pacientes antes de um procedimento cirúrgico.

Serra diz que modelo do pré-sal foi 'precipitado'

No O Estado de São Paulo:
O governador de São Paulo, José Serra, afirmou nesta segunda-feira, 24, que foi “precipitada” a determinação do modelo de exploração do pré-sal e defendeu a realização de uma audiência pública com Estados e municípios exploradores de petróleo para determinar as novas regras. “O governador do Rio deu uma entrevista importante com seus pontos de vista, tem coisas em que ele está certo, eu acho que está tudo muito precipitado”, disse Serra em Washington, respondendo a pergunta do Estado. O governador do Rio, Sérgio Cabral, afirmou em entrevista ao Estado no domingo que as novas regras do pré-sal, que serão anunciadas nesta semana, são “um assalto” ao seu Estado. As regras mudam a distribuição de royalties do petróleo.
José Serra defendeu a realização de uma audiência pública, com participação de Estados e municípios, para determinar o modelo do pré-sal. “Precisamos de um processo muito debatido, em uma espécie de audiência pública, não apenas com o Congresso, mas também com os governos e municípios de onde vai se extrair petróleo”, disse. “Eu acho que precisamos ter tempo, não há por que fazer as coisas de maneira atropelada.”
O governador de São Paulo esteve em Washington para assinar um contrato de empréstimo com o Banco Mundial no valor de R$ 320 milhões. Os recursos vão ser usados na recuperação de estradas vicinais no interior do Estado.
Serra não quis discutir a sucessão presidencial, como de costume. Mas admitiu ser candidato “a alguma coisa”. “A alguma coisa eu serei candidato, não sei se à reeleição ou à presidência”, disse o governador. Ele disse que está focado em seu governo. “Agora, saem pesquisas uma atrás da outra e me põem na frente, é natural que a imprensa e todos fiquem centrados (em minha possível candidatura)”. Ele disse que está resistindo a uma antecipação da campanha política. “Lembra o Lupicínio Rodrigues? Preciso ter nervos de aço, ficar concentrado naquilo que é mais importante.”
Serra afirmou que a entrada de Marina Silva na disputa presidencial criou um “fato político”. “Marina criou um fato político, este é o dado fundamental; agora, como vai ser a campanha dela, que efeito direto vai ter, é muito difícil de prever”, ele afirmou.

STF deve livrar Palocci e abrir caminho para planos do PT

Do O Estado de São Paulo:
O deputado e ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci deve se livrar nesta semana da suspeita de que teria ordenado a violação do sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa. Por tabela, também deverão se livrar da acusação o ex-presidente da Caixa Econômica Federal (CEF) Jorge Mattoso e o ex-assessor de imprensa de Palocci no Ministério da Fazenda, o jornalista Marcelo Netto, suspeitos de envolvimento na quebra do sigilo.O Supremo Tribunal Federal (STF) deverá rejeitar na quinta-feira a denúncia feita pelo Ministério Público Federal contra o deputado. Segundo informações obtidas pelo Estado, a maioria dos ministros vai concluir que não há provas materiais de que Palocci tenha mandado subordinados quebrarem o sigilo do caseiro. Em 2006, Francenildo revelou ao Estado, em entrevista exclusiva, que Palocci frequentava reuniões com lobistas numa casa em Brasília. Uma decisão do STF concluindo pela inocência de Palocci ajudaria seus planos políticos. O deputado do PT é considerado uma espécie de "curinga" pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Atualmente, é cotado tanto para substituir o ministro das Relações Institucionais, José Múcio Monteiro - que assumirá uma cadeira no Tribunal de Contas da União -, como para ser candidato ao governo de São Paulo.A provável absolvição de Palocci deve, por tabela, livrar Mattoso e Netto. O ex-presidente da Caixa chegou a ser secretário de Finanças do prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT), mas deixou o cargo em maio, alegando motivos pessoais. Netto, por sua vez, dirige a assessoria de imprensa FSB, em Brasília.Mesmo que o Supremo dê continuidade à investigação contra os dois, o caso deve ser remetido à primeira instância, já que eles não dispõem de foro privilegiado. Como a denúncia envolve a quebra de sigilo funcional, cuja pena máxima é de dois anos de reclusão, o processo tende a prescrever antes de uma decisão definitiva. Sabendo dessas alternativas, arquivamento ou prescrição, os advogados de Mattoso e Netto preferiram esperar o julgamento da denúncia contra Palocci antes de se manifestarem sobre a proposta do Ministério Público de converter a pena de reclusão em prestação de serviço.O Ministério Público propôs aos dois a suspensão do inquérito no caso de concordarem com duas condições: fazer palestras bimestrais sobre o sistema democrático e o processo eleitoral, durante dois anos, em escolas públicas, e doar 50 resmas de papel Braille à Associação Brasiliense dos Deficientes Visuais (ABDV).Advogado de Mattoso, Alberto Zacharias Toron disse, na semana passada, que a proposta será analisada após o eventual recebimento da denúncia pelo STF. No entanto, o advogado afirmou que acredita na rejeição da denúncia pelo tribunal.
Leia mais aqui

Protógenes anuncia filiação partidária

Em seu blog na internet, o delegado Protógenes Queiroz anunciou hoje que informará dentro de oito dias a sua filiação partidária. Inicialmente próximo do PSOL, a expectativa é que ele se filie ao PDT, do deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (PDT-SP).
"Faltam apenas oito dias para começarmos a nossa satiagraha brasileira contra a corrupção, respeito aos símbolos nacionais e a Constituição da República, quando anunciarei para o Brasil a minha filiação político partidária, pois a transformação social se passa no campo político, onde todos tem por dever de fazer parte deste processo", diz ele no blog.
Protógenes ganhou projeção nacional ao liderar a primeira fase da Operação Satiagaha, que investiga supostos crimes financeiros atribuídos ao banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity. Além de Dantas, a operação chegou a prender o investidor Naji Nahas e o ex-prefeito Celso Pitta. Todos foram soltos depois.
O delegado foi afastado da investigação e mais tarde virou alvo de um inquérito interno da Polícia Federal, que apura eventuais excessos cometidos por ele à frente da Satiagraha. Protógenes foi denunciado à Justiça Federal em São Paulo pelos crimes de violação de sigilo funcional e fraude processual durante as investigações da Operação Satiagraha.
A PF também abriu outro inquérito para vai investigar a suposta espionagem de Protógenes contra autoridades dos três Poderes. O delegado responde também a processo administrativo por participação em um comício político, em Minas Gerais, no qual teria feito um discurso em nome da instituição.
O processo pode resultar na demissão do delegado se, ao final das investigações, ficar comprovado que ele infringiu as normas da PF ao falar pela instituição durante o comício político. Ele deu apoio ao candidato do PT Paulo Tadeu Silva D'Arcádia, candidato a prefeito de Poços de Caldas (MG), em comício realizado em setembro passado.

Maradona diz que Argentina está "afiada" e prevê vitória contra o Brasil

O técnico da seleção argentina, o ex-jogador Diego Maradona, disse ontem, segunda-feira, que sua equipe vai vencer o Brasil na partida do dia 5 de setembro, válida pela 15ª rodada das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul.
"Vamos ganhar do Brasil porque temos os melhores jogadores. Ganhando deles, vamos mostrar tudo de bom que temos como grupo. Os rapazes estão afiados", disse o ex-jogador em entrevista à rádio "FM Palermo", de Buenos Aires.
Maradona insistiu que a mudança de sede do confronto do estádio Monumental de Nuñez, do River Plate, em Buenos Aires, para o Lisandro de la Torre, do Rosario Central, em Rosário, foi pedida pelos jogadores, "e eu me juntei a eles".
Técnico da Argentina e jogadores consideram que em Rosário o time fica mais próximo do público, o que ajudaria a pressionar os adversários.
O Brasil lidera as eliminatórias com 27 pontos, enquanto o Chile está com 26 e o Paraguai aparece com 24. A Argentina aparece na quarta posição, com 22 pontos.

Procuradoria Eleitoral pede cassação de Ivo Cassol por infidelidade partidária

Na Folha Online:
A Procuradoria Regional Eleitoral de Rondônia entrou com uma ação contra o governador Ivo Cassol (PP) por infidelidade partidária.
O procurador regional eleitoral Heitor Alves Soares pediu a decretação de perda do mandato do governador pelo fato de ele ter trocado o PPS pelo PP sem apresentar justa causa, o que contraria a resolução do TSE (Tribunal Superior eleitoral).
Na última quinta-feira, o TRE-RO (Tribunal Regional Eleitoral) de Rondônia decidiu que Cassol deixou o PPS em 11 de maio de 2009, e não em 5 de novembro de 2007, como argumentava o político.
O tribunal analisou recurso apresentado por Cassol contra a decisão da 15ª Zona Eleitoral, que tinha confirmado que a saída do governador do PPS foi em 2009. No recurso, Cassol pediu que fosse considerada a data que pediu licença do PPS.
A resolução do TSE sobre fidelidade partidária, fixada em 2007, estabeleceu a fidelidade partidária ao punir com a perda do mandato os parlamentares que trocarem de partido.
A reportagem não localizou o governador na noite desta segunda-feira para comentar a iniciativa da Procuradoria Eleitoral.

Dilma suspende agenda para se recuperar e amenizar "efeito Lina"

Fontes do Palácio do Planalto afirma que a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) cancelou compromissos oficiais desta semana para se recuperar das sessões de radioterapia a que vem se submetendo no tratamento contra um câncer linfático.
Aliados da ministra no Congresso confirmam que a ministra não vai aparecer publicamente nos próximos dias em consequência do tratamento de saúde, mas admitem que a petista também decidiu suspender parte de suas atividades para sair da super exposição na mídia depois do episódio envolvendo a ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira. No início do tratamento, Dilma disse que não interromperia suas atividades.
O período de descanso da ministra não será maior porque Dilma pretende anunciar na segunda-feira da próxima semana o marco regulatório do pré-sal.
Alguns aliados afirmam que a ministra só aparecerá publicamente no final do mês, mas sua assessoria informa que ela só suspendeu compromissos até quarta-feira --uma vez que deve participar de reunião do CDES (Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social) marcada para esta quinta-feira.

Funcionários da Receita Federal entregam cargos em protesto a exonerações

Na Folha Online:
Mais de 10 funcionários da Receita Federal colocaram os cargos à disposição nesta segunda-feira em protesto às exonerações de dois assessores ligados à ex-secretária Lina Vieira. Entre os funcionários estão cinco superintendentes regionais, coordenadores, além do subsecretário de Fiscalização, Henrique Jorge Freitas da Silva.
Segundo a Folha Online apurou, pediram demissão os superintendentes regionais Altamir Dias de Souza, da Quarta Região Fiscal; Dão Real Pereira dos Santos, da Décima Região Fiscal; Eugênio Celso Gonçalves, da Sexta Região Fiscal; Luís Gonzaga Medeiros Nóbrega, da Terceira Região Fiscal; e Luiz Sérgio Fonseca Soares, da Oitava Região Fiscal.
A reportagem procurou a Receita Federal, que não vai comentar as demissões.
Em carta enviada ao secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, que a Folha Online teve acesso, os funcionários se declaram "impossibilitados" de continuar no órgão.
"Tendo em vista os últimos acontecimentos relacionados com a alta administração da RFB, --a começar pela forma como ocorreu a exoneração da ex-secretária Lina Maria Vieira, passando pelos depoimentos realizados no Congresso Nacional, e as recentes notícias veiculadas pela mídia nacional, denotando a clara e evidente intenção do Ministério da Fazenda de afastar outros administradores do comando da Receita Federal,-- e considerando que essas medidas revelam, sem dúvida, uma clara ruptura com a orientação e as diretrizes que pautavam a gestão anterior, nós, subsecretário de Fiscalização, superintendentes e coordenadores abaixo relacionados, declaramo-nos impossibilitados de continuar participando da atual administração da RFB", diz a carta.
Hoje, o secretário da Receita exonerou os assessores Alberto Amadei Neto e Iraneth Maria Dias Weiler. As exonerações foram publicadas nesta segunda-feira pelo "Diário Oficial" da União.
Amadei Neto era assessor de Lina e Iraneth, chefe de gabinete da ex-secretária. A Folha apurou que Lina Vieira foi demitida no dia 9 de julho, entre outros motivos, por não ter atendido a uma série de pedidos políticos. Cartaxo assumiu seu lugar.
Em entrevista ao jornal, a ex-secretária afirmou que se encontrou com a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) no final do ano passado, quando Dilma lhe pediu para agilizar as investigações sobre familiares do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Dilma negou o encontro e desmentiu Lina.
Leia íntegra da carta de exoneração dos funcionários da Receita

Sarney ignora crise e discute com Suplicy por interrompê-lo

Na Folha Online:
O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), trocou farpas nesta segunda-feira com o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) no plenário da Casa, depois que o petista lhe cobrou explicações sobre a crise política que atinge a instituição. Sarney discursou no plenário do Senado por mais de meia hora sobre o escritor Euclides da Cunha sem mencionar a crise, mas foi obrigado a falar sobre as denúncias ao ser questionado pelo petista sobre sua declaração de que não pode ser responsabilizado pelas denúncias que atingem a Casa.
"Quando Vossa Excelência observou que não cometeu qualquer falta, que não sente culpa de coisa alguma, ora presidente Sarney. Há ocasiões que, se erros cometemos, é importante reconhecermos. Se Vossa Excelência não se deu conta que alguns procedimentos não foram adequados, seria importante ouvir seus companheiros no Senado sobre algumas coisas que muitos de nós não consideramos o mais adequado e gostaríamos de transmitir isso a Vossa Excelência. O reconhecimento dos próprios erros também é importante", afirmou.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Gente que mente

video

Agora é moda no PT

A pequena mentira que aborreceu Stálin

De Elio Gaspari, em O Globo:
A ministra Dilma Rousseff tem uma relação agreste com a verdade e isso vem lhe custando o sossego, podendo custar a candidatura à Presidência da República. Nosso Guia desafiou Lina Vieira ("essa secretária") a mostrar sua agenda para provar que se encontrara com a ministra Dilma Rousseff. A servidora estimou que o encontro pode ter ocorrido no dia 19 de dezembro passado, mas anotação na agenda parece que ela não tem.
É Lina Vieira quem precisa provar que esteve no Planalto e até agora tem o suporte da memória de sua chefe de gabinete. Outro servidor capaz de recordar a data do interesse pelo caso de Fernando Sarney era o diretor de fiscalização, Henrique Freitas, que ficou com a cabeça a prêmio. A ausência da data do crime leva água para a teoria segundo o qual o encontro não ocorreu. É a palavra de uma contra a da outra.
A repórter Leila Suwwan foi conferir a agenda da ministra no final de dezembro de 2008 e descobriu que os encontros e eventos incluídos no sítio do Palácio do Planalto estavam embaralhados, misturando dias e cerimônias. Desapareceram os dados do dia 19 de dezembro.
Há um mês, o repórter Luiz Maklouf Carvalho mostrou que o currículo de Dilma Rousseff estava acelerado com um título inexistente. A ministra negou a autoria do documento, acrescentando uma correção acrobática: não é mestre nem doutora pela Unicamp, mas frequentou os cursos.
Em 2006, ao ser entrevistada no programa "Roda Viva", ela ouviu o jornalista Paulo Markun ler sua biografia, informando que foi viver em Porto Alegre "depois de fazer doutorado em economia monetária e financeira".
Agora Suwwan mostrou que sua agenda pública não merece fé. A Casa Civil atribui o sumiço do dia 19 a um erro ocorrido há meses, na transferência de dados. Quem quer acreditar nessa versão é obrigado a supor que aconteceu uma enorme coincidência.
O aspecto agreste da relação de Dilma com a verdade está na crença de que há uma relação entre o poder e a consistência das versões que sustenta.
Uma coisa é anexar títulos inexistentes, outra é fazer piruetas depois da exposição do erro. Uma coisa seria dizer que solicitou pressa à secretária da Receita na investigação das contas de Fernando Sarney. (Pressa, no caso, pode ser um fator neutro.)
Outra é entrar numa discussão de agendas tendo a sua remendada.
Quem manda muito acha que pode tudo e, em alguns casos, prevalece enquanto tem o poder. Passa o tempo e a casa cai por conta de detalhes devastadores. Dois exemplos:
Em janeiro de 1971, o ex-deputado Rubens Paiva foi preso e desapareceu. Os comandantes militares da ocasião contaram que ele estava sendo transportado por dois soldados da PE num Volkswagen quando o carro foi fechado numa estrada do Alto da Boa Vista. Seguiu-se um tiroteio, o prisioneiro saiu do Volks e embarcou num automóvel dos sequestradores.
Tudo bem: faltava explicar como Paiva, com mais de 1,80 m, pesando em torno de cem quilos, sentado no banco de trás, saiu pela porta esquerda do Fusca, atravessando uma linha de tiro. Passaram-se 17 anos e o repórter Fritz Utzeri, com base na versão oficial, desmoralizou a farsa. Uma pequena mentira estragou a grande patranha.
Outro caso, que aborreceu o generalíssimo Josef Stálin: em 1936 ele mandou sua polícia prender velhos bolcheviques, acusando-os de terem planejado um assassinato. Deu tudo certo, os presos confessaram, os juízes julgaram e o pelotão de fuzilamento liquidou o caso.
Numa das confissões, um preso contou que participara do planejamento do atentado, em 1934, numa reunião no hotel Bristol de Copenhague.
O Bristol fora demolido em 1917. Como escreveu Stálin: "Por que diabos vocês meteram o hotel nisso? Deviam ter dito que foi na estação ferroviária. Ela ainda está lá".
Tanto os generais brasileiros de 1971 como o comissariado de 1936 acreditavam ter poder suficiente para desprezar detalhes. Num regime democrático, com imprensa livre (desde que fique longe dos áudios do Sarneystão), os pequenos truques produzem grandes desastres.

Rubinho Barichello vence na Espanha

Charge Sinfronio-Diário do Nordeste

Venezuelana é eleita a Miss Universo 2009

Pelo menos uma coisa Hugo Chávez não conseguiu destruir na Venezulela: A beleza da mulher venezuelana. Neste último final de semana Stefania Fernandez foi coroada a mais bela do mundo.

PTbrás faz, nós pagamos a conta


O barril de petróleo despencou de 89,64 para 43,62 dólares entre janeiro e julho. Mas, na bomba, a gasolina continua em alta.
Enquanto isso, diante das irregularidades que afloram a cada dia, a Petrobras contratou jornalistas extras e até pagou anúncios no Google para divulgar seu blog contra-atacando a CPI no Senado.
E nós pagando a conta!!!

A mãe do PAC e o filho adotivo de Fidel nasceram um para o outro

José Dirceu será o coordenador da campanha presidencial de Dilma Rousseff, decidiu nesta semana o presidente Lula. É o beijo da morte, compreendeu quem conhece a história do mineiro sessentão que, por querer tudo, hoje é nada. Em agosto de 2003, instalado na chefia da Casa Civil, caprichava na pose de sucessor de Lula. Passados seis anos, vai prestar serviços à “camarada de armas” a quem entregou o cargo do qual foi despejado 30 meses depois da posse. O companheiro que não acerta uma jamais perde a chance de errar. O naufrágio em companhia de Dilma vai ampliar a coleção de trapalhadas, derrapagens e desastres espetaculares. Líder estudantil, namorou uma espiã do DOPS chamada Heloísa Helena, a “Maçã Dourada”. Presidente da União Estadual dos Estudantes em 1968, resolveu que o congresso clandestino da UNE, com mais de 1.000 participantes, seria realizado em Ibiúna, com menos de 10.000 moradores. O nativos ficaram intrigados com aquele cortejo de jovens barbudos e vestindo ponchos cucarachas que não parava de passar pela rua principal. Era muita gente, souberam centenas de congressistas que, por falta de teto para todos, atravessaram a primeira noite tentando dormir debaixo de chuva. Era gente demais, desconfiou na manhã seguinte o dono da padaria surpreendido pela encomenda superlativa: mais de 1.000 pães por dia. Muito mais que os 300 que costumava vender, desconfiou. No interior, gente desconfiada chama o delegado. Como todos os policiais brasileiros, o doutor sabia que a estudantada comuna andava preparando uma reunião em algum lugar de São Paulo. Ligou para os chefes na capital, que avisaram a PM, que prendeu a turma toda. Dirceu continua a afirmar que não conseguiu vencer o aparato repressivo da ditadura. Engano. Foi derrotado pelo padeiro. Ficou preso alguns meses não porque tinha ideias subversivas, mas porque teve uma ideia de anta. Teria dezenas ao longo da vida. Exilado na França, por exemplo, achou que Cuba era melhor. Matriculou-se num cursinho intensivo para guerrilheiros, aprendeu a fazer barulho com fuzis de segunda mão e balas de festim, diplomou-se com o codinome de Daniel e considerou-se pronto para voltar ao Brasil e derrubar o governo a bala. Ficou muito emocionado ao despedir-se de Fidel Castro. O comandante, segundo Dirceu, sempre o tratou “como um filho”. Dez metros depois de cruzar a fronteira, percebeu que a coisa andava feia, mudou de nome outra vez, esqueceu a luta no campo e resolveu ir à luta em Cruzeiro do Oeste, interior do Paraná. O forasteiro Carlos Henrique Gouveia de Mello, comerciante de gado, logo se engraçou com a dona da melhor butique do lugar, trocou a guerra de guerrilhas pela guerra conjugal e esperou a anistia para sair da clandestinidade. Só em 1979 Carlos Henrique, conhecido no bar da esquina como “Pedro Caroço”, contou à mãe do filho de cinco anos que se chamava José Dirceu de Oliveira, era revolucionário e voltaria ao combate na cidade grande. Presidente do PT, escolheu Delúbio Soares para cuidar da tesouraria. Chefe da Casa Civil, escolheu o amigo Waldomiro Diniz, com quem dividira um apartamento em Brasília, para cuidar dos pedintes do Congresso. Waldomiro foi delinquir em outra freguesia depois do video que o mostrou pedindo “Um por cento pra mim” a um bicheiro. Dirceu escorregou para a planície arrastado pelo escândalo do mensalão. Prometeu correr o país para mobilizar a companheirada em defesa do governo ameaçado pela elite golpista. Foi corrido do Congresso depois da inútil tentativa de mobilizar parlamentares em número suficiente para livrá-lo do castigo. Conseguiu ter o mandato cassado por uma Câmara de Deputados que não pune sequer representantes do PCC. Sem abandonar a discurseira contra a burguesia exploradora, virou corretor de negócios feitos por patrões que, na hora de tratar os detalhes do acerto, esperam as crianças saírem da sala e vão à janela conferir se algum camburão estacionou por perto. Entre uma e outra corretagem, conversa com o advogado sobre o processo no Supremo e cumpre missões que Lula lhe confia. O chefe gostou do desempenho do antigo capitão do time no esforço cívico destinado a afastar da guilhotina o pescoço de José Sarney. Gostou tanto que o incumbiu de desviar Dilma Rousseff das enrascadas em que vive se metendo e levá-la incólume à Presidência. Dirceu ficou orgulhoso. Coordenador da vitoriosa campanha de Lula em 2002, ele se apresenta como pai das ideias que o publicitário Duda Mendonça teve. Dilma e Dirceu se entendem muito bem. Em situações de risco, um sempre sabe o que o outro pensa, quer ou fez. É sempre o contrário do que diz.

Todos os jatos do presidente

Clique na imagem para aumentar
Na Istoé Online:
A partir de setembro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderá exercer sua diplomacia presidencial pelo mundo afora a bordo de um novo avião. Trata-se de um jato Embraer 190, da família E-Jet, mesmo modelo encomendado pelo ex-piloto austríaco Niki Lauda para a frota da sua companhia comercial, a Lauda Air. No caso brasileiro, o EMB-190 será usado especialmente para as viagens pela América Latina. Também servirá para transportar equipes de apoio, convidados e como aeronave reserva para casos de eventual manutenção ou pane do Aerolula, como a que ocorreu em março no retorno de uma viagem aos Estados Unidos. Desde que trocou o velho Boeing 707, o "Sucatão", pelo moderno Airbus A319, em 2005, a Presidência estudava adquirir aviões que substituíssem os dois Boeing 737-200, chamados de "sucatinhas". Mas a repercussão negativa da compra do avião presidencial, por US$ 56,7 milhões, adiou os planos. A decisão de compra veio depois que, em 2007, uma das aeronaves apresentou problema técnico e interrompeu uma viagem da comitiva presidencial à África. O avião levava 25 empresários e 25 jornalistas. O presidente, então, comentou com assessores que o episódio havia definitivamente convencido a imprensa, que criticara a compra do Aerolula, da necessidade de renovação de toda a frota presidencial.

Mercadante admite erro ao utilizar o termo irrevogável

O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) publicou em seu perfil no Twitter, na noite deste sábado, um pedido para que as pessoas tentem conhecer as razões de ter voltado atrás na sua decisão de renunciar à liderança do partido no Senado. Na última sexta-feira, o parlamentar subir à tribuna para declarar que permaneceria no cargo por causa de um pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Errei ao dizer que anunciaria uma renúncia irrevogável mas gostaria que vocês conhecessem as razões mais profundas que me levaram a essa decisão", escreveu Mercadante. "Gostaria, se possível, que vocês lessem meu discurso na tribuna e a carta que o presidente Lula me enviou", acrescentou. Na carta, Lula diz que respeita a posição de Mercadante, mas que não concordava com a saída dele. "Companheiro Mercadante, você me expressou sua indignação com a situação do Senado. Respeito sua posição, mas não posso concordar com sua renúncia à liderança da bancada do PT. A bancada e eu consideramos você imprescindível", escreveu o presidente. Nos bastidores do governo, o comentário é que o líder do PT agiu para "ficar bem na foto" com os eleitores, já que é candidato a novo mandato.

Planalto vai tirar Dilma de cena

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, sairá de cena por no mínimo uma semana, em setembro, após o anúncio do marco regulatório do pré-sal, no próximo dia 31. As férias da ministra, pré-candidata do PT à Presidência, coincidem com a nova estratégia do Planalto para reforçar sua blindagem. A partir de agora, líderes do PT e do governo no Congresso, dirigentes petistas e até ministros ficarão responsáveis por uma espécie de "comitê" da pronta resposta na Esplanada.O presidente Luiz Inácio Lula da Silva constatou que Dilma continua "assoberbada" de trabalho e não pode mais acumular a gerência do governo com a coordenação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), os projetos sobre o pré-sal e as atividades de campanha. O descanso foi sugerido pelos médicos logo depois que a ministra terminou, na semana passada, o tratamento de radioterapia para combater um câncer no sistema linfático.Dilma está preocupada com o bombardeio na sua direção. Em reunião realizada na quarta-feira, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)- sede provisória do governo -, a ministra negou diante de colegas e dirigentes do PT que tenha feito qualquer solicitação à então secretária da Receita Federal Lina Vieira. Demitida do cargo, Lina acusou Dilma de ter pedido a ela para "agilizar" investigações do Fisco sobre a família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).
Convocada pelo chefe de gabinete de Lula, Gilberto Carvalho, para definir o roteiro que seria cumprido poucas horas depois pelo PT no Conselho de Ética, a fim de salvar Sarney, a reunião daquele dia também tratou da blindagem de Dilma. A avaliação foi de que os ataques à chefe da Casa Civil vão crescer e é preciso protegê-la.Dilma disse não entender por que Lina quis arrastá-la para nova crise. "Eu nem sabia que ela seria demitida", afirmou. Para o Planalto, o depoimento de Lina à Comissão de Constituição de Justiça do Senado, na terça-feira, exibiu uma mulher "contraditória e evasiva", que não conseguiu provar as acusações.
*As informações são do Jonal O Estado de São Paulo.