sábado, 1 de setembro de 2012

Ayres Britto afirma que Lei foi alterada para influenciar o julgamento do mensalão.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carlos Ayres Britto, afirmou em plenário que um projeto de lei foi alterado propositalmente para influenciar o julgamento do mensalão e beneficiar alguns dos réus.
Para o ministro, a manobra "é um atentado veemente, desabrido, escancarado" à Constituição. A declaração refere-se à lei 12.232, sancionada pelo então presidente Lula em 2010.
O texto trata da contratação de publicidade por órgãos públicos e durante sua tramitação na Câmara foi alterado por deputados do PT e do PR, partidos que têm membros entre os réus.
Britto diz que a redação "foi intencionalmente maquinada" para legitimar ação pela qual réus eram acusados.
O episódio citado começou em 2008, quando o ex-deputado e hoje ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (PT), apresentou o projeto.
Ele regulava, entre outras coisas, os repasses do "bônus-volume", que são comissões que as agências recebem das empresas de comunicação como incentivo pelos anúncios veiculados.
No processo do mensalão, o Ministério Público acusou empresa de Marcos Valério Fernandes de Souza de ficar com R$ 2,9 milhões de bônus que deveriam ser devolvidos para o Banco do Brasil, contratante da empresa.
A acusação diz que o dinheiro foi desviado para abastecer o esquema de compra de votos no Congresso.
A proposta original de Cardoso permitia que as agências ficassem com o bônus, mas era clara: a lei só valeria para contratos futuros.
Uma mudança feita na Comissão de Trabalho em 2008, porém, estendeu a regra a contratos já finalizados.
O relator do projeto na comissão foi o deputado Milton Monti (SP), do PR, partido envolvido no mensalão e que tem um dos seus principais dirigentes, o deputado Valdemar da Costa Neto, como réu.
Durante a discussão, o então deputado Paulo Rocha (PT-PA), também réu no caso do mensalão, pediu uma semana para analisar o texto.
Logo depois, Monti abriu prazo para emenda. O deputado petista Cláudio Vignatti (SC) apresentou sugestões, entre elas a que estendia a aplicação da lei a licitações abertas e contratos em execução. Monti não só acatou a sugestão como incluiu os contratos encerrados.
O texto seguiu a tramitação e virou lei, que foi usada em julho pelo Tribunal de Contas da União para validar a ação de Valério de ficar com os R$ 2,9 milhões. A decisão, porém, está suspensa.
Ayres Britto disse que a mudança no projeto de lei é "desconcertante". "Um trampo, me permita a coloquialidade, à função legislativa do Estado."

Colômbia se torna a segunda maior economia sul-americ​ana.

Vista aérea de Bogotá-Colombia
O ministro da Fazenda da Colômbia, Juan Carlos Echeverry, anunciou nesta sexta-feira que o Produto Interno Bruto (PIB) do país superou o da Argentina e se tornou o segundo maior da América do Sul.
Echeverry apresentou esse dado em entrevista à emissora "Caracol Radio" como "a grande notícia de (sua) saída" do gabinete, a primeira confirmada pelo presidente colombiano, Juan Manuel Santos, no dia 23 de agosto dentro de sua reforma ministerial.
"A Colômbia superou a Argentina no PIB, somos a segunda economia da América do Sul depois do Brasil e a terceira em tamanho depois de Brasil e México. Isto era um sonho", declarou.
Echeverry destacou que, nos dois primeiros anos do governo de Santos, a economia colombiana ultrapassou a venezuelana e "agora passou a argentina".
"A Colômbia segue com muito ímpeto, estamos fazendo as coisas bem feitas e avançando", enfatizou, mostrando-se confiante de que seu sucessor, o até agora ministro de Minas e Energia, Mauricio Cárdenas, seguirá esta tendência durante sua gestão.
Em outra entrevista para o site do jornal "El Tiempo", Echeverry afirmou que, de acordo com as taxas de câmbio da última quarta-feira, o PIB projetado para este ano na Colômbia chega a US$ 362 bilhões (R$ 742,35 bilhões), e o da Argentina é de US$ 347 bilhões (R$ 711,59 bilhões).
A substituição de Echeverry por Cárdenas corresponde a um pedido pessoal do economista. O presidente Santos disse que Echeverry pode ser candidato a ocupar "uma posição importante no Fundo Monetário Internacional.( Revista Exame )
COMENTO: Alguém ainda tem dúvidas que a jurássica Cristina Kirchner está destruindo a Argentina? Alguém ainda crer que se o Brasil se afastar dos princípios do Plano Real ( e está fazendo para beneficiar políticos corruptos e pródigos com dinheiro público ) seguirá o caminho argentino?

Novos tempos: Major do exército casa com namorado.

O Casal oficializa a união
Decididamente, estamos vivendo novos tempos.O Major VALÉRIO, do Exército Brasileiro, Chefe da Unidade de terapia Intensiva do H Mil A SP (Hospital Militar de Área de São Paulo, antigo H Ge SP), casou-se em 03 maio de 2012, com seu namorado Wellington, na cidade de São Paulo!
O fato é inédito para militares do Exército Brasileiro. Alguns Oficiais e Praças do Comando Militar do Sudeste (CMSE), ficaram estarrecidos! Mas não demonstraram constrangiumento ou aparentaram reação preconceituosa, mas o fato surpreendeu a todos.
E demonstram viver, a dois, com normalidade.
O jovem casal poderá, inclusive, solicitar ao Comando da 2ª Região Militar o PNR (Próprio Nacional Residencial - apartamento funcional para Oficiais e seus familiares), e, havendo apartamento vago, o Oficial e seu companheiro ( conjuge), poderá morar na Vila Militar para Oficiais, onde não poderão sofre qualquer tipo de discriminação, por parte de outros militares ou seus familiares!
O Exército, a Marinha e a Força Aérea estão tendo que se adequar às novas realidades do nosso Brasil.
Segundo fontes ligadas às famílias, tradicionais, dos militares, paira um certo temor de que qualquer procedimento que caracterize surpresa ou admiração possa ser considerado como discriminatório e serem processados, já que as leis na era petista são muito rigorosas neste sentido, enquanto afrouxa a punição aos criminosos de toda ordem.
Alguns crêem que o casal de homens, andando de mãos dadas, trocando carícias e beijos na Vila Militar possa chamar a atenção de todos, inclusive de crianças, já que adaptação, com esta realidade, demandará algum tempo, inclusive na relação social como eventos (jantares e cerimonias) no Quartel, onde o militar deverá fazer  presença, obrigatóriamente fardado, com os cônjuges (esposas e maridos).
*Com informações da Federação da Familia Militar-DF

Porque hoje é Sábado, uma bela mulher.

A bela modelo pernambucana Emanuela de Paula

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Tiro pela culatra.

Ao tentar minar a candidatura de José Serra a Prefeitura de São Paulo e, paralelamente, incrementar a candidatura de Haddad, Lula da Silva pediu e contou com o valioso auxílio de seu aliado Edir Macedo ( e todo contingente de sua Igreja Universal)  na estabilização da candidatura de Celso Russomano.
Achando que Celso tomaria votos de Serra, Lula está assistindo Russomano "deitar e rolar" com a grana e o  apoio dos "tarefeiros" da Universal, e tomar votos de todos os lados.
Pintado por pincéis generosos, a imagem de Russomano chegou a periferia sob o aval dos seguidores de Edir Macedo e cia.
Embora não passe de um engodo, cuja imagem foi formada nos programas de proteção ao consumidor, adredemente elaborados para agradar a gregos e troianos, ao tempo em que iludia o consumidor com ares de "justiceiro", Russomano ocupou espaços que nem Serra e tampouco Lula imaginavam.
A pouco mais de um mês das eleições Serra patina, Haddad não decola e Russomano sobe feito foguete nas pesquisas.
Lula já considera Haddad fora do segundo turno, se Russomano continuar no patamar em que se encontra na preferência do eleiorado.
Pelo "andar da carruagem" o  PT já se prepara para ajudar seu aliado contra Serra num provável segundo turno.
Se isto acontecer será uma derrota para Serra e para São Paulo, mas não para Lula que terá um aliado no poder.
Entre Haddad e Russomano a diferença é a foice e o martelo, o resto é tudo igual. Poderemos até ter kit gay, ao gosto do "consumidor".

Condenado, João Paulo desiste da candidatura.

O petista João Paulo Cunha desiste de disputar prefeitura de Osasco, após ser condenado pelo STF por peculato, lavagem de dinheiro e corrupção.
Após ser condenado por corrupção e peculato (desvio de recursos públicos), lavagem de dinheiro e corrupção no julgamento do mensalão, o deputado federal João Paulo Cunha (PT) comunicou na tarde de ontem à direção do PT que está fora da disputa pela prefeitura de Osasco.
A decisão foi tomada depois de reuniões com a coordenação de sua campanha durante a noite de anteontem e com o atual prefeito de Osasco, Emídio de Souza (PT), na manhã de ontem.

Punição já!

A primeira fase do mensalão, digamos assim, já foi complementada com o julgamento de cinco réus. Apesar de condenados ainda não acredito em punição severa para os implicados no maior escândalo de corrupção da história do país.
Por enquanto, comemoremos apenas a condenação dos peixes miúdos, "os lambarís".
Aos tubarões, não sei se serão condenados, ou se forem, receberão penas rígidas.
Vamos aguardar que o STF puna, exemplarmente, o que o Procurador Geral da República considerou como "chefe da sofisticada quadrilha".

Até que enfim...

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Cezar Peluso.

Parabéns Cezar Peluso, por cumprir com honradez, inependência e decência o seu dever. Um Juiz de carreira,com uma carreira elogiável, sob todos os apectos, coroada no STF.
Aceite meus respeitos e desejos de uma aposentadoria feliz com saúde, paz e harmonia.

Zé Dirceu, nos bastidores.

Nos bastidores do poder, em Brasília, já se fala em absolvição unânime de José Dirceu, a exemplo de Luiz Gushiken, por inexistência de provas.
Segundo jornalistas, "especialistas" em STF, esta é a previsão da maioria dos que acompanham, de perto, a movimemntação de bastidores no Supremo.
Tomara que estejam, todos, enganados.
Quem viver, verá!

PT pressiona João Paulo a desistir da candidatura.

Primeiro político condenado no escândalo do mensalão, o deputado João Paulo Cunha (PT-SP) sofre forte pressão da direção do PT para que abandone imediatamente sua candidatura à prefeitura de Osasco, na Grande São Paulo. Por Thais Arbex
Deputado federal, João Paulo foi condenado nesta quarta-feira pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de peculato e corrupção passiva. A Corte ainda pode condená-lo por lavagem de dinheiro.
O comando do PT também já bateu o martelo que Jorge Lapas, vice na chapa de João Paulo, seguirá na disputa, ainda que predomine a avaliação que sua candidatura não terá tempo hábil para ganhar musculatura. Nos bastidores, petistas temem o risco de perder a prefeitura de Osasco, hoje administrada por Emídio de Souza, para o PSDB. “O partido tem que agir o mais rápido possível para conseguir construir a nova candidatura”, diz um petista que atua na campanha municipal.
A condenação de João Paulo também deu força para uma ala do partido que sempre foi refratária à sua candidatura – mesmo numa coligação com 20 siglas, ele está atrás nas pesquisas. Desde sábado, João Paulo abriu mão da agenda de campanha para monitorar o julgamento. João Paulo acompanhou o julgamento trancado em sua casa. Segundo um aliado, atendeu poucos telefonemas e demonstrou abatimento. A expectativa é que ele se pronuncie nesta quinta-feira.
*Por Thais Arbex, Veja online

PT já teme condenação de Zé Dirceu e Genoíno.


Foto de Ed Ferreira/AE
Zé Dirceu, homem forte de Lula e do PT,considerado pelo Procurador Geral como Chefe de Oganização criminosa
A cúpula do PT e o governo da presidente Dilma Rousseff temem o "efeito dominó" da condenação do deputado João Paulo Cunha (PT-SP) no processo do mensalão. A preocupação é que, se for por terra o argumento do caixa 2 petista para alimentar campanhas políticas de aliados, ministros do Supremo Tribunal Federal passem a condenar todos os homens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, entre eles José Dirceu.
Braço direito de Lula na Casa Civil, entre 2003 e 2005, Dirceu foi apontado pela Procuradoria-Geral da República como "chefe de organização criminosa" instalada no governo àquela época.
Amigo do então presidente, João Paulo comandava a Câmara dos Deputados, José Genoino dirigia o PT e Delúbio Soares cuidava do cofre petista.
Em conversas reservadas, ministros de Dilma afirmam que uma eventual punição para o grupo de Lula - e principalmente para Dirceu, considerado "réu símbolo" do processo - representa a condenação moral do governo dele.
*Leia mais no texto de Vera Rosa, no O Estado de São Paulo.

Corrupto pobre e corrupto político.

Pagot admite: Não foi ético.


Pagot diz com todas as letras que não teve um comportamento ético ao arrecadar dinheiro para Dilma estando no comando do Dnit

O ex-diretor do Dnit Luiz Antonio Pagot não poderia ter sido mais explícito em seu depoimento feito à CPI. À diferença de outros convocados, não recorreu ao STF para ter o direito de ficar calado. Parecia mesmo estar disposto a falar ao menos parte do que tem em seu estoque de mágoas.

Ao afirmar que arrecadou, sim, dinheiro para a campanha de Dilma, em parceria com o tesoureiro do PT, confessou que se arrependeu.

“Percebi o tamanho da bobagem que eu estava fazendo. Não acho que eu cometi nenhum crime, mas, se olhar pelo da ética, não foi ético”.

Mais ainda.

Segundo Pagot, a então senadora Ideli Salvatti (SC), hoje ministra, calculem!, das Relações Institucionais, lhe pediu para arrecadar dinheiro para a sua campanha ao governo de Santa Catarina.

A voz do Planalto

O Jornal Nacional tentou ouvir o Planalto sobre as declarações de Pagot. A resposta foi esta: quem tem de falar a respeito é o PT. Certo! O PT (ver post anterior) já negou tudo, é claro! O mesmo fez a agora ministra Ideli.

*Por Reinaldo Azevedo

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Condenado.

Peluso condena João Paulo a 6 anos de cadeia em regime semiaberto; Marcos Valério, a 16, e Pizzolato, a 8 — ambos em regime fechado
Como Cezar Peluso não estará presente quando se discutir a dosimetria das penas, ele já antecipou a sua posição.
- João Paulo Cunha – 6 anos de prisão em regime semiaberto:
– Marcos Valério – 16 anos de prisão em regime fechado;
– Ramon Hollerbach – 10 anos e 8 meses em regime fechado;
– Cristiano Paz – 10 anos e 8 meses em regime fechado;
– Henrique Pizzolato – 8 anos em regime fechado
Saberíamos que o senhor (Cezar Peluso), no STF, daria ao efêmero a densidade do eterno. O que houve, sem dúvida. Sua passagem ficará gravada na história da Justiça brasileira"
COMENTÁRIO: Petistas sempre na contramão... No dia mundial de luta contra o tabagismo joão paulo da cunha leva fumo...
*Via facebook

Dá-lhe, Joaquim!

Ex faxineiro...ele limpava banheiros no TRE do DF.
Filho de uma dona-de-casa e de um pedreiro...
Dividia o tempo entre os bancos escolares e a faxina no TRE do Distrito Federal.
Apaixonado por línguas. Um dia, o mineiro, na certeza da solidão, cantava uma canção em inglês enquanto limpava o banheiro do TRE.
Naquele momento, um diretor do tribunal entrou e achou curioso uma pessoa da faxina ter fluência em outro idioma. A estranheza se transformou em admiração e, na prática, abriu caminho para outras funções.
É fluente em francês, inglês, alemão e espanhol.
Formou-se em Direito pela UNB, sendo a época o único negro da faculdade.
Passou nos concursos de: Oficial da Chancelaria, Advogado do Serviço Federal, Procurador da República, Professor da Universidade do Rio de Janeiro.
Ahh, ele toca piano e violino desde os 16 anos de idade.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Pagot destila santidade e petralha sobre Demóstenes.

Foto: Estadão

Pagot, que hoje posa como santinho ligado a Lula, diz que Demóstenes pediu a ele obras para Delta

O ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) Luiz Antonio Pagot, alvo de inúmeras denúncias, prestou depoimento à CPI do Cachoeira e admitiu haver se encontrado com o então presidente da Delta Fernando Cavendish em jantar patrocinado pelo ex-senador Demóstenes Torres no qual lhe foi pedido que destinasse obras para a construtora Delta.
Pagot aproveitou a oportunidade para culpar Demóstenes- hoje considerado "cachorro morto"- alvo secundário de Lula, seus asseclas e prepostos.É bom lembrar que o o alvo principal é o Governador Marconi Perillo, por quem Lula nutre um ódio doentio em razão deste haver levado a público que o ex presidente sabia de tudo sobre o mensalão e já havia conversado com ele sobre o assunto, quando o teria alertado sobre suas consequências.
Coitado do Pagot! Inocente, quase um santo, tendo que se justificar em uma CPI! Se pelo menos fosse da oposição! Aí sim. A oposição está sempre errada. Crime de petistas, asseclas e prepostos é "refresco".

Ainda posando de "santo e inocente" Pagot admitiu que "trabalhou" (ufa, e como!) para arrecadar doação de campanha para a então candidata à Presidência da República, Dilma Rousseff, que ao encontrar alguns empresários pediu a doação. "Acreditei que não estava cometendo irregularidades e não associei (a doação) a nenhum ato administrativo do DNIT" (sic).
Meu Deus, quanta inocência!
Pagot contou que agiu porque fora procurado pelo tesoureiro da campanha de Dilma , o deputado federal José de Filippi (PT-SP), que lhe pediu ajuda.
Nossa! Vai ver que Lula também não sabia!!!
*Com informações do Estadão

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Mutreta à vista?

A Caixa Econômica Federal fechou contrato de R$ 1 bilhão e 195 milhões com uma empresa criada em 15 março deste ano e cujo capital não passa de 500 reais.
O contrato com a MGHSPE Empreendimentos, datado do dia 8, com “dispensa de licitação”, autorizado pelo conselho diretor da Caixa, tem objeto quase incompreensível: “prestação de serviços de operacionalização da originação de Crédito Imobiliário”.
Os donos – Sueli de Fátima Ferretti e Cleber Faria Fernandes são os donos da MGHSPE, que tem sede na rua Pamplona, 818, cj 92, 7º, São Paulo.
As empresinhas – Os sócios da MGHSPE são também sócios de inúmeras empresas com 500 reais de capital e sediadas no mesmo local, no Jardim Paulista.
Sopa de letras S/A – Também são de Sueli e Cleber empresas com nomes difíceis de memorizar: AJGSPE, MROSPE, POASPE, FOCSPE, YPCSPE e DKTSPE. (Coluna de Cláudio Humberto)

Males do "lulismo".

video

O esquema.

Clique na imagem para ampliar

Os inocentes

O Ministro Ricardo Lewandowski declarou à imprensa que não está nada preocupado com a repercussão de seu voto inocentando totalmente o deputado petista João Paulo Cunha, porque um ministro do Supremo Tribunal Federal não pode ser pautado pela opinião pública. Mas pelo visto pode ser pautado pela opinião e/ou pela imperiosa vontade de Lula e José Dirceu, que não admitem outro resultado que não seja a inocência dos réus mensaleiros filiados ao PT. Os outros podem até se "lascar"...contanto que se realize a profecia de Lula que jurou publicamente que este ano ele iria "provar" que o mensalão nunca existiu...

Eu também sou boa de profecia, e já posso adiantar o voto do nanoministro Dias Toffoli relativo aos réus petistas, amigos seus: todos inocentes!

É triste perceber que não mais respeito a antes tão protocolar formalidade que geralmente é devida às autoridades , mormente aos ministros do STF...Depois do "affair" Augusto Nunes/Dias Toffoli ficou claro o ensinamento que na minha infância minha mãe passava: quem não se dá o respeito, não pode , nem exigindo, ser respeitado.
*Mara Montezuma Assaf - por e-mail, via Grupo Resistência Democrática.